Marcha alerta para genocídio do povo negro… e que tal apresentarmos os culpados?

15
57

genocidio

Como sempre a extrema-esquerda tenta transformar um problema social em mais uma emulação do jogo da simulação de guerra de classes, com resultados constrangedores. Leia o texto Marcha alerta para genocídio do povo negro, da Revista Fórum:

Cerca de 300 pessoas se reuniram na tarde desta sexta-feira (22) na praça Zumbi dos Palmares, em Brasília, para a 2ª Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro. O evento surgiu na Bahia por iniciativa da campanha “Reaja ou será morto (a)” e se espalhou por 18 estados brasileiros e 15 países ao todo. Entre as pautas defendidas durante o protesto, está a luta contra a violência policial, a tolerância religiosa e a valorização da mulher negra na sociedade.

Ao som de percussionistas e palavras de ordem, os manifestantes caminharam com cartazes e cruzes nas mãos, simbolizando um pedido pelo fim da violência. A estudante Mariana Barreto, que integra o Fórum de Juventude Negra do DF e esteve à frente da Marcha, conta que a ideia é chamar a atenção para temas pouco debatidos pela população. “O índice de mortalidade negra é muito alto e boa parte vem da Polícia Militar. Quando morre um jovem, morre toda uma família por trás”, ressalta.

Além da capital do país, cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Manaus e Vitória também receberão a Marcha, na tentativa de alertar as autoridades para a necessidade de políticas públicas específicas para o combate à desigualdade racial.

O levantamento Mapa da Violência, realizado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, mostra que morreram proporcionalmente 146,5% mais negros do que brancos no Brasil, em 2012. E entre 2002 e 2012, o número de homicídios de jovens brancos caiu 32,3%, enquanto o de jovens negros aumentou 32,4%.

Olhem só o nível da bizarrice.

O grupo diz que entre 2002 e 2012 “o número de homicídios de jovens brancos caiu 32,3%, enquanto o de jovens negros aumentou 32,4%”, mas não era o tal governo Lula/Dilma, apoiado por essa gente, que teria reduzido o preconceito racial?

Alias, quais foram os grupos praticando endeusamento de criminosos, especialmente se forem menores de idade ou negros? Isso é simplesmente o estímulo ao crime, aumentando o risco de criminalidade e de morte.

E quais foram os grupos defendendo a manutenção da impunidade de menores? Sabemos que as classes onde os negros são maiores em número, proporcionalmente, são as classes mais baixas. Nesse caso, o incentivo ao crime, por causa de leis de impunidade, tende a prejudicar as minorias.

Ademais, quais grupos fazem campanha dizendo “reaja já”, que não passa de um símbolo de ódio contra a intervenção policial? Isso claramente aumenta o número de pessoas com maior risco de perderem a vida.

Em suma, a extrema-esquerda se esmerou em criar uma cultura de apologia ao crime e à impunidade, incentivando pessoas (especialmente das minorias) a cometerem crimes e a desafiarem a ação policial.

Se há um “genocídio do povo negro” (aliás, que uso indevido do termo genocídio hein?), só temos responsáveis na extrema-esquerda. É muita cara de pau dessa gente sair protestando enquanto gastaram suas vidas trazendo o caos de forma intencional para as minorias.

Querem um país mais seguro para todos, especialmente as minorias? A primeira coisa a fazer é jogar as ideias da extrema-esquerda na lata do lixo.

Anúncios

15 COMMENTS

  1. Concordo plenamente. A tempos venho notando uma propaganda do governo que passa na tv aberta sobre 50 mil assassinatos por ano no Brasil, sendo a maioria de negros… eles só esquecem de dizer que os negros são os que mais matam, inclusive a maioria dos policiais e seguranças privados são negros ou mestiços. (Eu sou negro ou mulato ou mestiço sei lá o que minha cor é…)

    • Exatamente Abraão. Tenho a impressão de que a maioria no âmbito geral das forças policiais é composta por pessoas com mais melanina. Seria interessante termos dados oficiais para corroborar sua posição.

  2. Só para lembrar que “negro”, no vocabulário marxista-humanista-neoateísta brasileiro, é uma fraude estatística feita com a soma das categorias “preto” e “pardo” do censo do IBGE. “Pardo”, no jargão do instituto, significa “mestiço”, categoria que pode abranger não apenas quem tem ancestralidade africana como também quem não a tem, como o caso de alguém que seja filho de branco e índio, por exemplo. A fraude fica extremamente evidente quando vemos o Mapa da Violência dizer que a altamente indigenizada região Norte seria o lugar onde mais se mata “negros” no Brasil, quando na verdade é a região onde mais se mata mestiços, uma vez que a imensa maioria da população local é mestiça e a imensa maioria desses mestiços é de branco e índio. E, por motivos óbvios, é de se esperar que a maioria dos assassinos desses mestiços da região Norte também sejam mestiços. Quem olhar os Mapas da Violência inclusive notará que houve redução de homicídios na categoria “preto”, mas aumento na categoria “pardo”, o que significa que são os mestiços que estão sendo mais assassinados.
    Logo, como se pode ver, estão trazendo à tona o corpo, mas jogando para baixo do tapete a real categoria demográfica dessas pessoas, bem como jogando para debaixo do tapete o fato de a maioria dos brasileiros ser mestiça, isso sem falar no orgulho de ser mestiço e a dinâmica social que gerou o fato de uma maioria da população ser mestiça.

    Aliás, não esqueçamos que o marxismo-humanismo-neoateísmo pode ser considerado racista, como mostram os escritos de Marx e a ação dos MHNs ao falar que um mestiço seria filho de um estupro e outras enganações que eles jogam para que alguém com múltipla ancestralidade declare uma e apenas uma delas. O próprio Yuri Bezmenov conta como o sistema de passaportes internos da União Soviética era comparável ao apartheid sul-africano.

  3. “Aliás, não esqueçamos que o marxismo-humanismo-neoateísmo pode ser considerado racista, como mostram os escritos de Marx e a ação dos MHNs ao falar que um mestiço seria filho de um estupro e outras enganações que eles jogam para que alguém com múltipla ancestralidade declare uma e apenas uma delas.”

    O que me lembra aquele debate entre Olavo de Carvalho, Aldo Rebelo e mais alguém sobre Gilberto Freyre, cujo resumo consta no site do Olavo. Durante a sessão de perguntas e respostas, um representante do movimento black veio com esse papo de que a tal “harmonia racial” brasileira era fruto de estupro de negras e índias por brancos. Olavo só precisou apontar para seu próprio filho, mulato, na platéia para calar a boca dele. Na versão relatada no True Outspeak, Olavo ainda adverte: “Se disser que miscigenação é estupro, tu vai apanhar do pai e do filho!”.

  4. Dizem que a cada 25 minutos morre um “negro”, mas não falam que pela mão de outro negro.
    A policia mata muito, mas e a que mais morre no mundo na mão de bandido e a maioria dos policias mortos são negros.
    Outra não exite estatística nacional e confiável de quantos policiais são mortos ao ano.
    A violência atinge não de forma proporcional concordo, mas atinge a todos.

    • Queria assistir a palestra completa. Já nos anos 70 , as pessoas tinham essa mentalidade imbecil que nos cerca até hoje. Milton Friedman está certíssimo, pois as pessoas são livres para escolher.

  5. a coisa toda já é uma enrolação, pra começo de história como se faz essa classificação de negro, hoje qualquer moreno já está se rotulando de negro, e além do mais essa população “negra”, é maioria, por proporção é obvio que vai haver mais negros do que branco morrendo, os esquerditas destroem a lógica só para tocarem suas ideólogias estúpidas, e o povão, os “negros” ingenuinamente usados para favorecer um grupelho de comunistas…….

  6. Há outra fraude provocada por eles mesmos nesses números. Quando a estatística iniciou pardos claros ou morenos claros se consideradavam brancos. Após 2005 esse mesmo grupo foi transferido para o grupo negros, que inclui também pretos. Ora os números não mudaram desde então só a classificação que mudou. Deixo registrado que mudou para o nordeste o ponto de mais homicídios. Ora, lá naturalmente tem m
    mais pardos logo se inclusos nessa nova categoria de negros, é óbvio que mais “negros” de serão mortos.

  7. “O índice de mortalidade negra é muito alto e boa parte vem da Polícia Militar.”

    Baita mentira. No ano de 2012 foram assassinadas 56 mil pessoas, sendo quase 40 mil pessoas não brancas (sim, adoram fazer a confusão entre negro e pardo pra causar um maior impacto estatístico). Mortes provocadas por policiais não atingiram 1300, ou seja, considerando hipoteticamente que TODOS os mortos pela policia eram não brancos, apenas 3,5% das mortes de negros decorreram de ações da polícia.

    É nessas horas que percebemos que estes grupos nada mais são que hordas de esquerdosos, e não defensores dos negros.

  8. Essa política do PT e outros partidos de esquerda que visam impor a identidade negra a mestiços foram engendradas por petistas como Florestan Fernandes. Visam dividir o povo, jogar um grupo contra outro. Eles criam espaços raciais, ocupam estes espaços e os colocam dentro do Estado de modo a reservar poder para a esquerda. Como consequência, mestiços estão sendo marginalizados. Quando criam políticas para negros, o mestiço que não se identifique como negro é excluído; quando criam um território índio, os mestiços são rotulados como “homens brancos invasores” e expulsos. Os argumentos são similares aos usados pelos inventores do apartheid sul-africano, como Hendrik Verwoerd. Esses grupos agem inclusive fazendo uso de agressões contra mestiços. https://www.youtube.com/watch?v=JrJ8GGA-btI

  9. Por outro lado é bom examinar um a um, quantos negros e brancos foram exterminados e porquê se estavam envolvidos com tráficos acerto entre gangues e outros crimes. Vi em um reportagem pela Internet lá em Foz do Iguaçu, que 65% dos assassinatos cometidos lá são causados pelo tráfico de drogas e outros contrabandos vindo do Paraguai.

    Poderíamos analisar também o número de dos 50/50 mil mortos por anos no Brasil (assassinados), entre policiais corruptos envolvidos com crimes, gangues, tráfico, talvez, eu disse TALVEZ, não tenho certo grande parte deve ser envolvidos com outros crimes e acabam pagando por isso, mas há muito inocentes também, alguém conhece algum site onde há algum balanço sobre isso ?

  10. Hoje virou febre se declarar negro! Minha bisavó era africana e outras acendentes minhas eram silvícolas brasileiras, sou uma mistura de raças, porém não vejo problemas nisto! Estas cotas são um incentivo para tal comportamento, porém na cabeça da maioria dos mestiços predomina a idéias de serem “VIRA LATAS”, pois é isto mesmo, comparam-se aos cãezinhos sem raça e assim decidem ter uma raça! Por favor esqueçam isto o que importa são suas qualidades morais e não a cor da sua pele! Ou você acredita que um ‘indiano’ por ter a pele escura pensa que é africano!?!

Deixe uma resposta