Discutir o que fazer no segundo turno possível entre Marina e Dilma não é um “derrotismo”

32
21

Marina-e-Aecio-neves-18-08-14-567x340

Tenho notado o seguinte tipo de crítica em relação aos posts recente deste blog: “Luciano, você tem escrito muitos posts falando de Marina no segundo turno contra Dilma. Isso parece ir contra seu paradigma de focar na confiança na vitória, pois já considera a causa perdida para Aécio. Como você resolve esta contradição?”.

Aquilo que pode parecer paradoxal, no entanto, tem a ver com um erro de entendimento do que eu considero nossa meta. Eis a meta: criar uma consciência de direita para, aos poucos, ser capaz de influenciar os partidos que estão no poder ou em vias de chegar lá, desde que estes partidos, é claro, não estejam comprometidos com a extrema-esquerda de forma irremediável. Em um curto espaço de tempo, é preciso tirar a maior coalisão de partidos de extrema-esquerda do poder, capitaneada pelo PT. Estou otimista quanto a isso.

Eu já escrevi posts defendendo o voto em Aécio no primeiro turno, mas confesso que ando muito animado com a possibilidade de Dilma perder no segundo turno para Marina, nas projeções que temos. Ao mesmo tempo, as projeções para Aécio não são nada animadoras. Hoje (26/8) será publicada uma pesquisa do Ibope com resultados nada positivos para Aécio, e bastante preocupantes também para Dilma.

Acredito em nosso potencial de pressionar Aécio para usar as táticas da guerra política, mas também vejo muita resistência por parte dos marqueteiros do PSDB quanto a isso. Os programas de TV de Aécio tem sido estéreis em termos de usar os paradigmas da guerra política. Fica até a impressão de que ele desistiu e aguarda um segundo turno onde poderá “grudar” na Marina.

Mas essas são apenas conjecturas. Claro que Aécio é minha opção de voto, mas, no frigir dos ovos, é preciso existir um plano B, seja em minha visão (de eleitor) como na visão do próprio PSDB. Alias, devemos desconfiar muito de qualquer pessoa discutindo estratégias que não tenha planos alternativos.

Este blog tem uma finalidade específica: discutir estratégias e táticas para a política, assim como usar o ceticismo político e a dinâmica social para potencializarem nossos resultados em qualquer interação política. O contexto central aqui é o da política pública.

Eu gostaria muito que Aécio fosse mais assertivo politicamente. Ainda acho que há chances dele superar Marina no primeiro turno, mas ele precisa se mostrar viável para derrotar Dilma no segundo. Com certeza, há riscos de nos defrontarmos com um dilema. Neste momento, o que podemos fazer é pressionar Aécio para que ele mude o tom e descarregue artilharia pesada sobre o PT.

Eu sempre digo que a nossa pressão sobre os políticos é fundamental. Sempre discordei de ficarmos parados dizendo “nenhum partido da direita nos representa”. Temos que forçá-los a nos representar, assim como forçá-los a se distanciar das propostas de nossos inimigos.

Amanhã, a pesquisa do IBOPE deve mostrar Marina se distanciando de Aécio, de acordo com informações recebidas. Ruim? Sim, mas provavelmente teremos uma boa notícia: a pesquisa do IBOPE mais desfavorável à Dilma até o momento.

O que importa, no fim das contas, é tirar o PT do poder. É com Aécio? É com Marina? Ou com a Marina apoiada pelo PSDB assim como o PT hoje é apoiado pelo PMDB?

Estou otimista que ao menos uma dessas opções será levada com sucesso até o final e teremos o fim de um reinado de terror. Nada disso é motivo para relaxamento, mas para maior motivação para a luta, pois a meu ver teremos ganho ainda mais tempo em relação a projetos totalitários.

Ou seja, eu nunca fui um “seguidor” de Aécio Neves, embora tenha apoiado-o muito e ainda o tomo como meu candidato para o primeiro turno. Mas meu objetivo não é esse. Meu objetivo é ganhar tempo para conseguirmos criar uma consciência de direita a fim de conseguirmos, quem sabe já em 2018, termos um partido que nos represente. Para isso é preciso fugir dos projetos totalitários.

Em relação a este objetivo, eu estou muito otimista, mais até do que há um mês atrás.

Anúncios

32 COMMENTS

  1. Eu ainda insisto nas coisas “imponderáveis”, embora reconheça a sua abordagem 100% legítima. A confusão de Marina com os aviões (além do Cessna tem um Learjet) pode (não disse que vai) até mesmo impedi-la de se candidatar.
    Então tudo pode acontecer. Inclusive nada.

  2. Muito bom mesmo, Luciano. Já podemos notar um imenso número de direitismo brotando em meio as catástrofes socialistas o PT fez a este país.
    Devo dizer que seu espírito otimista muito ajuda nessa hora. A formação de uma identidade de direita, conservadora, que até já passou da hora de existir, já está doendo no rabo desses vagabundos. E como já havia dito a meus amigos do fórum “nessas horas devemos votar no menos pior”.
    O PT é líder do Foro de São Paulo, tem um investimento alto de outros partidos de esquerda para sabotar o Brasil em prol do super continente bolivariano. A Argentina já se foi e seremos o próximo se não fizermos nada. É nossa missão tirar o PT do poder e cortar suas garras, a fim de que perca o poder sobre o STF, o senado, e outros instrumentos democráticos. Quem sabe se o Brasil se salvar isso pode mudar o destino de nossos vizinhos.
    Olavo arruma a parte de cima e nós a de baixo. Hehe.

    Abraço

  3. Muito se fala das eleição a presidente mas ainda mais importante é fazer com que o mínimo possível de deputados do PT, PCdoB,PSTU e PSOL sejam eleitos.Isto facilitará as coisas para o próximo governo Aécio/Marina e caso Dilma seja reeleita dificultará os projetos de poder do PT.

  4. “Meu objetivo é ganhar tempo para conseguirmos criar uma consciência de direita a fim de conseguirmos, quem sabe já em 2018, termos um partido que nos represente.”

    Luciano, esse partido já existe. É o Novo. A cúpula do partido já apresentou o pedido de registro no TSE, com mais de 1 milhão de apoios ao registro. O problema é saber quando aquele cumpanhêro do José Dirceu colocará o registro na pauta do plenário do TSE. Os mais otimistas militantes do Novo já falam em outubro de 2014.

    • Desculpe, mas não. O Novo tem medo de assumir uma posição direitista. Na verdade ele paira no liberalismo mais apolítico possível, comentando apenas assuntos de economia e mercado, sem falar que é muito anti-conservador. Eu votaria neles, mas prefiro muito mais um partido verdadeiramente de direita. Isso é algo que não vai aparecer pelos próximos 8 anos. Até lá é bom a direita, sobretudo a consciência direitistas/conservadora, crescer na própria sociedade. Isso é o mais importante.

      • Anti-conservador é?

        Então ‘em situações normais’ já perderia meu voto.

        Muitos desses libers anti conservadores também são monarquistas, com aquele discursinho anti democracia. Se ficarem bancando os liber’mises’, vão colher derrotas de norte à sul….. se ficarem com discursinho de ‘nojinho de pobre’ serão o “novo” PSDB.

        Mas é óbvio que se eles conseguissem colocar alguém no governo, estes serão ainda mais sucetíveis às pressões e demandas de direita incluindo os conservadores 🙂

  5. Luciano, e os evangélicos? Vc acredita que eles possam exercer influência sobre Marina com relação a alguns temas? Isso poderia ser útil para a direita?
    Também fico no aguardo do texto sobre a eleição de deputados.

    • Com certeza sim. É por isso que Marina representa um perigo muito menor de um projeto totalitário do que o PT; pelo fato de ser evangélica e sua aproximação com ele. O próprio Silas Malafaia, que apoiará Everaldo no 1º turno, já declarou que apoia Marina no 2º.

  6. “Se Hitler invadisse o Inferno, eu cogitaria de uma aliança com o Demônio.” – Winston Churchill
    Creio que a situação seja meio por aí. Ou como o Olavo disse num hangout “Eu votaria até num Luis Inácio Satanás da Silva pra tirar o pt do poder.”

  7. Luciano.

    A PONEROMAQUIA é o ZEITGEIST do século XXI.

    “SI VIS PACEM, PARA BELUM !” == “SE QUERES A PAZ, PREPARA-TE PARA A GUERRA !”

    Outro pensamento verdadeiro, realista e duro, sobre a natureza humana, que nos arremete a profundas considerações e reflexões de ordens morais e éticas, favorecendo fundamentações de bases e estruturas estratégicas e táticas, a saber:

    “INTER ARMA ENIM SILENT LEGES !” == “EM TEMPOS DE GUERRA A LEI SILENCIA !”
    —- Cícero.

    Reflexões estas que a direita “inteligentemente” insiste em desconsiderar e/ou cinicamente ignorar.

    ……….

  8. Sinto que a Marina Silva tem dificuldades para conseguir apoio para se eleger. Podemos avaliar o tamanho das dificuldades que terá para governar. Nisso consiste o maior perigo de uma eventual vitória sua. PT e PSDB juntos, como propoem ela, ja fico assustado.

  9. Porque não considerar o Aecio o proprio Pastor Everaldo para voto util, so a midia afirma que a criatura das selvas tem milhões de votos. Ideia tirada só da imaginação e falcatruas das pesquisas ( me desculpem, trabalhei em censos , conheço funcionarios de institutos de pesquisa e te digo que nem tudo que parece é) No lugar onde moro , zona oeste RJ ,area de comunidades, so dá Aecio e o Pastor, nem se fala da Fulana do Acre. Ser evangelico não é credencial para ninguem, (tem tantos picaretas ou mais que nas outras religiões), o problema é quem financia a criatura, os objetivos nefastos pra o Brasil , ditatura comunista e a entrega de nosso patrimonio em materias primas a sanha consumista dos paises ricos sem que nosso pais tenha possibilidade de se desenvolver a favor de sua população. Venezuela , que conheci nos anos 70 como um pais desenvolvido ontem esteve um caos com barricadas nas ruas a população faminta desesperada e o psicopata prendendo todo mundo. fiquem alertas, a população de bem no Brasil esta desarmada, acho que é hora de se pensar sobre o assunto.

  10. Luciano,

    Todas as análises e posicionamentos da direita para mim são válidas, mas somente adiante os fatos demonstrarão qual a melhor estratégia.

    A Marina se subir e ameaçar a Dilma pode até ser benéfico ao Aécio já que o PT deverá partir para o ataque e está ascensão pode significar mais uma posição do eleitorado de rejeição a Dilma do que apoio a esta terceira via.

    Digo isso porque o Aécio é mais desconhecido e talvez o eleitorado precisasse de uma figura conhecida de “oposição” ao governo, então há um campo estratégico que o Aécio deveria explorar: firmar uma boa imagem e após gerar o conflito dele contra Dilma/ Marina.

    Além disso, a situação num segundo turno Dilma/Marina pode se tornar até complexa já que o PT deve ficar sem governos relevantes, terá um senado com uma bancada não tão favorável maior e a de deputados menor, tendo uma margem menor de imposição de suas vontades e do outro lado a Marina nessa política de não querer alianças poderá gerar uma instabilidade tão grande que possibilitará movimentos sociais de ruptura.

    Nesse hipotético segundo turno teríamos que escolher entre o inimigo com estratégias conhecidas enfraquecido daqueles da qual não temos idéia, e nesse caso a escolha tem que ser analisada no decorrer do processo das eleições.

  11. Ayan, desculpa sair do tema e voltar em outro (comunsimo/socialismo).
    O embaixador brasileiro na Coréia do Norte não errou ao dizer que tal país já não é mais comunista (na minha visão nunca, já que aquilo é socialismo real)?

    http://www.farolblumenau.com/2013/12/embaixador-diz-que-a-coreia-do-norte-ja-nao-e-comunista/

    Ele dá bom material para quem quiser criticar o regime norte-coreano, mas eu acho que ele pisou na bola com essa afirmação de “não é mais comunista”.

  12. Já começou o choro e ranger de dentes na BLOSTA? Marina deu uma disparada. Mas com a ajuda dos outros candidatos, cada um, à sua maneira. Acorda, Aécio!!! Afff!!!

  13. Luciano, tenho um contato que relatou que alguns setores do PT estão muito satisfeitos com a entrada de Marina na corrida. A atual presidente seria considerada autoritária, centralizadora, ruim de jogo e incapaz. Enfim, um trambolho criador de problemas, mal visto até por seus próprios aliados foristas.
    A vitória de Marina seria uma solução bem satisfatória, agregando ares de renovação a um governo seguidor da mesma agenda do atual com a oportunidade de se livrar da desgraça que é Dilma Rousseff.
    Continuamos na torcida pela agressividade aeciana. Se, de posse desses resultados da pesquisa (Dilma 31, Marina 27, Aécio 18, pelo que dizem), o homem não se posicionar no debate hoje, é porque não quer ganhar.

    • Thales,

      Não acredite nos relatos, mas nas expressões deles. Eu tenho um tio que chegou a participar da arquitetura de um dos projetos totalitários do PT (e ele nem sonha que sou de direita risos). Ele está querendo morrer com o crescimento de Dilma.

      Abs,

      LH

  14. Luciano, também estou muito otimista e quero trocar dois pontinhos com você:

    1°) a pesquisa Ibope no Paraná mostra que para Aécio chegar ao segundo turno, Dilma é a adversária a ser batida, é ela a inimiga direta, não Marina. Todavia, creio os marqueteiros do psdb serão burros o suficiente pra centrarem fogo em Marina achando que magicamente os votos dela irão para Aécio no 2° turno.

    2°) num segundo turno entre Marina e Aécio, creio que ele teria muitos votos da militância petista (mas sem apoio explícito,claro), pensando estrategicamente manter a polarização PT X PSDB com a volta de Lula em 2018, que beneficia o PT (na verdade, esse espantalho contra o psdb e o FHC é a única arma retórica petista). Isto pq um embate Marina X Lula faria do psdb terceira via e, convenhamos, a parcela de gente que não vota no PT é muito maior da que vota.

  15. Bem, ter o PT fora do poder é a meta mesmo. Já fiquei aliviado em saber que Marina vence Dilma no segundo turno. Mas, vou deixar para definir meu voto no primeiro só depois da campanha na tv.
    Contudo, gostaria de saber como participar do projeto de Paulo Batista. Não dá ficar apenas reclamando da inexistência de um partido de direita, afinal, os políticos precisam sentir que existem pessoas de direita.

  16. Como não há mal que não traga um bem, ao menos a ameaça totalitária encarnada pela PT serviu para nos conscientizar que não se pode esperar por soluções caídas do céu. Precisamos mesmo de fazer oposição como diz o profº Marco A. Villa, a oposição tem que ser “agressiva.”, ou seja, não temer a verdade, não temer apontar os erros da situação. Mas, creio que, de par com a “agressividade” deve-se usar uma linguagem compreensiva para o público com o emprego, também, do lúdico. Coisa, aliás, semelhante à que a equipe do candidato Paulo Batista está fazendo.

  17. Meu único receio está na seguinte dúvida: será mesmo que Marina não dispõe dos mesmos meios para avançar a agenda revolucionária da esquerda? Ela é:
    . egressa do PT, um partido integrante (e protagonista) do Foro de São Paulo;
    . Pitonisa de um partido que congrega esquerdistas descontentes de partidos igualmente esquerdistas diversos (a REDE);
    . Líder inconteste de um partido que encontrou hospedagem temporário em outro partido que integra o Foro de São Paulo;
    . Essencialmente tão comunista quanto os próprios petistas, misturando leninismo, gramcismo e vários elementos de marxismo “cultural” numa casca de autoproclamado ambientalismo (tipicamente melancia: verde por fora e vermelho por dentro);
    . Apoiada e financiada por pessoas ou instituições que, guardadas as devidas diferenças de proporção, grau e forma, correspondem a metacapitalistas como George Soros, Warren Buffet e o clã Rockfeller (financiadores da esquerda mundial e, eles próprios, socialistas fabianos);
    . Apesar de evangélica, defensora de agenda cultural revolucionária, e muito pouco enfática na defesa da agenda cultural conservadora;
    . Completamente idolatrada e defendida pela imprensa, tornando muito mais fácil um controle ditatorial até auto-imposto.

    Entre outros, né? Faltam itens aí nessa lista. Além disso, e principalmente, ele entrará com um estoque abarrotado de algo que o PT já não tem mais, e que foi fundamental em 2002: autoridade moral. Será que isso não conferirá a ela os instrumentos de implantação de um bolivarianismo à brasileira que, segundo você avalia, ela não tem? Será que ela não poderia assumir a função dentro do esquema revolucionário que Lula já ocupou (em termos de galvanizar corações e mentes) e se apoderar do instrumental hoje à disposição do PT? Pior: sem concorrência partidária interna? Esse REDE está para Marina como o PRN estava para Collor em 1989…

    Outra coisa: uma Marina vencedora não vai aceitar o apoio da esquerda moderada (PSDB) nem da geleia geral que pode servir de anteparo contrarrecolucionário (PMDB, PSD, alguns nanicos). Isso seria a “velha política”… Pensando em termos de “estratégia das tesouras”, o eixo central vai ainda um pouco mais para a esquerda. No meio dessa confusão, muita gente de direita vai acabar dando a ela o benefício da dúvida, algo como “vamos dar um tempo para ver o que é a Marina na prática”. Marina, em 1 ano, cheia de autoridade moral e com uma retumbante vitória nas urnas, vai ter condições de avançar o que uma Dilma não conseguiu em 04 anos.

    Todos os satélites do PT podem perfeitamente passar a orbitar outro astro-rei… Ou astro-rainha. Sei lá.

    Nulo não voto, mas ainda não consegui decidir que opção é menos pior.

Deixe uma resposta