Como reagirei aos tais “conselhos populares” de Marina?

16
33

marina-silva-politica-20111104-08-size-598

Se Aécio Neves sair vitorioso nesta eleição, terá meu apoio ao menos por alguns meses na expectativa de ajudar a reverter um pouco do caos de nossa economia. No caso de Marina Silva, vale o mesmo, sendo que este apoio está condicionado a algo que tratarei daqui a pouco. E no caso de Dilma? Sem comentários. Enquanto ainda não temos um candidato de direita com potencial para vencer e que efetivamente nos represente, temos que nos contentar em escolher dentre as opções disponíveis.

Agora falarei da hipótese de Marina como vencedora, já que falei de um apoio condicionado nos primeiros meses de governo. Por que “apoio condicionado”? Simplesmente por que o apoio está condicionado à rejeição do decreto 8243 e de qualquer projeto de censura de mídia. Enquanto ela não entrar de cabeça em ao menos um desses projetos, ainda temos algum diálogo a ser travado. Se ela tomar qualquer decisão política em favor de pelo menos uma dessas implementações, não há mais diálogo algum. A partir desse momento, só podemos tratá-la com desmascaramento.

O leitor Maxwell me lembrou que Marina gosta do decreto 8243. Amanhã, dia 29/8, o PSB divulgará uma proposta de “controle social”. E podem ter certeza que eu lerei tal proposta com muito cuidado. Se as suspeitas do caríssimo leitor forem confirmadas, vale a regra que afirmei antes: minha condição para o apoio não terá sido atendida e Marina ganhará um opositor antes mesmo de iniciar seu mandato.

Aí será mais ou menos assim: “ei, Marina, a tua hora vai chegar”! Hoje o lema é: “ei, Dilma, a tua hora já chegou”. Em tempo, eu já publiquei o tipo de discurso a ser usado contra quem defende uso de sovietes e censura de mídia. E a coisa tem que ser daí para pior. Não é com luvas de pelica que tratamos qualquer pessoa falando em usar sovietes.

Eu sou um cidadão que trabalha com gestão e consultoria de TI durante o dia e ainda arrumo tempo para fazer este blog. Não recebo nada do governo. E nem espero. Na democracia, meu voto vale alguma coisa. De que forma eu vou tratar alguém pensando em usar coletivos não-eleitos para pressionar congressistas eleitos com meu voto, assim como com o voto dos demais cidadãos? Eu só posso tratar pessoas assim na base do escracho, da denunciação assertiva e do dedo na cara.

Beto Albuquerque, vice de Marina, antecipou algo sobre a proposta de participação social: “A proposta de Dilma é diferente. Você não pode me dizer que vai ter controle social sem me dizer quem vai controlar o eleito. Isso é muito perigoso”. Dá para confiar? Merece ao menos um voto de confiança? Uma suspensão de crença ou descrença? Bem, o nome deste blog é Ceticismo Político por algum motivo. Veremos amanhã após a divulgação da proposta do PSB.

Mesmo que o plano ainda inclua sovietes, eu reafirmo minha decisão de votar na candidata do PSB em um possível segundo contra Dilma, pois eu ainda entendo que o PT está mais avançado em suas intenções totalitárias. Não é fácil para um partido como o PSB conseguir 10 a 12 pessoas capazes da violência psicológica digna de um trotskista retinto do dia para a noite, como vimos aqui.

O que nós temos que entender é que a luta contra os sovietes e a censura de mídia devem ultrapassar uma eleição. Nossa oposição deve ser não apenas à Dilma, como a qualquer presidente que enveredar por esse caminho. Se Marina Silva quiser dar sequência ao Decreto 8243, ela se torna inimiga. Simples assim.

Mas devemos ir muito além dos candidatos. A regra deve valer para qualquer um que atente contra a democracia. Quem tentar cuspir em meu voto será meu adversário, não importa se for Dilma, Marina ou até mesmo Jesus Cristo renascido, disposto a tentar converter um ateu como eu. Precisamo focar em valores, muito além das pessoas. Um desses valores mais profundos para nós da direita é a liberdade contra a tirania da coerção estatal injustificada. Para um totalitário, tanto a censura como o uso de sovietes significam os mais importantes territórios a serem conquistados sob uma perspectiva estratégica. Exatamente por isso, tirar-lhes o poder de usar coletivos não-eleitos e regular a mídia deveria ser igualmente estratégico para nós.

A Dona Dilma e o PT não merecem mais nenhum tipo de respeito por nossa parte por terem tentado implementar a censura de mídia e por já terem feito um decreto soviético. Qualquer um que tente o mesmo deve receber o mesmo tipo de rejeição social. De nossa parte, devemos criar rejeição social à mera ideia de usar sovietes e censurar a mídia.

Abaixo, alguns vídeos de nossos “amigos” a serem derrubados nas eleições deste ano:

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Luciano, fale sobre isso, vídeo sobre Suplicy teve uma tentativa de censura mas não foi bem sucedida (ainda) mas olha o que a juíza determinou:

    https://www.youtube.com/watch?v=eE5scp1vxJA

    A juíza determinou, no entanto, que o Google, dono do YouTube, informe todos os dados cadastrais do usuário responsável pela publicação do vídeo e apresente sua defesa em 48 horas. Caso a determinação não seja cumprida, o Google terá de pagar multa diária de R$ 10 mil.http://www.conjur.com.br/2014-ago-28/suplicy-nao-tirar-youtube-video-liga-dirceu

  2. nem queira dialogar, pq democratizacao ou desmopolizacao da midia eh algo pedido pelos profissionais da area e muito bem aceito dentro da esquerda.
    somos um dos poucos paises que ainda nao tem uma lei como essa, que impeca de verdade os grandes conglomerados.

    • Como sempre, é embuste.

      “profissionais da área” (quais profissionais)
      “bem aceito dentro da esquerda” (pq só o PT tentou implementar censura de mídia)

      E nós sabemos que o discurso de ser “contra os grandes conglomerados” é mentira. A proposta da extrema-esquerda é uma só: quebrar as maiores empresas em empresas menores, dar concessões de canais a coletivos não-eleitos (gostei desse nome, vou registrar rs) e, com o maior número de empresas, usar o poder de pressão econômica do governo para definir sua agenda de mídia.

      Imagine-se como um governo que tem 4 ou 5 bilhões de reais por ano para gastar com mídia, e agora tenha não apenas 4 ou 5 emissoras de TV, mas umas 20 ou 30 emissoras disputando desesperadas anúncios estatais.

      A partir daí, os anúncios são direcionados às empresas que forem declaradas como “idôneas” pelo governo. E algumas podem ter concessões cassadas.

      Com medo, as emissoras vão se rebaixando ao governo e estabelece-se uma ditadura como na Venezuela.

      Você sabe que todos os projetos de “controle de mídia” da esquerda são isso.

      Abs,

      LH

      • Eu tenho vontade de vomitar quando vejo afirmações como esta do Torreal.Onde, no Brasil, as propostas de qualquer um estão sendo impedidas de circular?Os maiores grupos de mídia são grandes porque dão ao povo aquilo que a maioria quer.Quem defende o controle da mídia quer enfiar goela abaixo do povo as suas próprias concepções.
        Se eu,um operário,instalador de antenas,sou capaz de ver isto,quem defende o controle ,provavelmente o faz para manter seu poder ou é um idiota útil.
        Luciano,conheci o teu blog dois anos atrás,quando pesquisava na net se alguém tinha escrito contra o dogma feminista do “homem estuprador”.O seu blog foi um dos poucos a bater de frente com a hegemonia feminista na mídia.Desde aquele dia sou dos que o acessam diariamente.
        Sobre a questão do voto na Marina,parece que uma parte da direita não conhece a expressão “voto útil”.
        Parabéns pelo seu blog,tenho aprendido muito com ele.

  3. Lembrando que o PT elegeu-se com um plano de governo que não tinha nenhuma menção à decretos totalitários, simpatia por tiranos e ajuda de custos a países socialistas quebrados ou ditaduras africanas.

    Isso veio depois, sem a menor previsão e sempre acompanhados de eventos de distração, como copa x decreto 8243, por exemplo.

    Tudo isso tem um foco, e ele é identificável: O Foro de São Paulo.

    A pergunta então é: Marina é a favor do Foro de São Paulo? Marina aceita os ‘mandamentos’ do Foro de São Paulo? O PSB de Eduardo Campos é um dos partidos que compõe o Foro de São Paulo, por exemplo.

    • Roger,

      A pergunta não é só essa. Pode incluir essa também: “O PSB está disposto a (e é capaz de) colocar uns 10 a 12 discursores em nível “hard psychopath” para LUTAR PELA CENSURA?”

      Ainda vejo que se incorre no erro que eu falei de “julgar por intenção”.

      Exemplo: eu quero um esquema tático arrojado e bem variado, melhor que o do José Mourinho, então por isso posso substituir o Mourinho? Não, pois ninguém sabe se eu tenho competência, experiência, sangue frio, liderança, condição psicológica, reação a eventos em nível SIMILAR OU SUPERIOR ao do Mourinho.

      Então, a pergunta não é só “se a Marina é a favor do Foro de São Paulo” no momento em que optamos por votar entre ela ou Dilma. Temos que questionar os outros fatores também.

      Concordo que se ela for a favor e ganhar, então a oposição à ela começa em 16 de novembro… Mas aí vai ficar melhor para nós, pois se ela não tiver o mesmo skill que o PT, então conseguiremos mais resultados.

      Farei um post sobre.

      Abs,

      LH

      • Acho praticamente certo estar a favor do Foro, já que viveu 30 anos dentro do PT e participar de um partido membro. Em termos de habilidade, ela parece ser melhor no discurso do que a Dilma, mas não sei em relação a capacidade técnica de gerenciamento e estratégia. O Lula parece ser melhor no discurso e na talves na estratégia por estar a frente do Foro e montar o esquema de poder do PT, mas não sei em relação ao gerenciamento. Vale apena observar também que ela acenou para alianças com qualquer partido e fez disso uma bandeira, justamente para se precaver das críticas que ela faz a outros partidos e também, indicando que provavelmente traria parte da tal elite psicopática que estaria disponível ao PT.

        Luciano, se puder seria interessante tratar nesse post que vai fazer da questão da reputação. Acho que ela entraria com uma reputação mais limpa do que o PT e a Dilma, e isso seria um fator importante para evitar ataques e ganhar apoio.

  4. Luciano, uma detalhe importante que deve ser discutido é também a remoção do pt e demais esquerdistas e seus aliados do congresso e senado, caso contrário, a marina vai ficar refém deles e teria de lhes fazer muitas concessões, queira que você comentasse a respeito disso, se valeria a pena apoiá-la diante desse cenário..

  5. Hoje o mensaleiro Zé Dirceu, que ainda é chefe da esmagadora maioria do PT, disse que Marina é o Lula de saias. Claro que estava fazendo um elogio, lançando um frame e já planejando isolar Dilma caso a provável derrota se consume. Se alguém tinha dúvida do que Marina representa para a continuidade do projeto totalitário da esquerda, o elogio de Dirceu não deixa margem para dúvidas.

    Se pessoas como Dirceu, Gilberto Carvalho, Marilena Chauí e Frei Betto combatessem frontalmente Marina, eu poderia até acreditar que os riscos que uma vitória dela trazem são menores. Notem como eles estão quietos. Eles sim pensam estrategicamente no projeto.

    O que poderá frear o avanço ao totalitarismo, seja com Dilma ou Marina, é um congresso oposicionista forte e vigilante. Por isso que os votos para Deputado Federal e Senador ganharam tremenda importância. Acho que devemos continuar a trabalhar para Aécio da maneira que podemos, mas sem deixar jamais de levar em consideração a questão dos votos para o Congresso.

  6. Uma coisa que também é preocupante é compor um legislativo que faça frente a essas propostas totalitárias que estão em pauta no momento. Falo isso porque esse é um discurso recorrente nas esquerdas, aumentar a base legislativa para ‘avançar a agenda’. Será que você poderia fazer um post a respeito, sobre as opções da direita?

Deixe uma resposta