PHA falando em 2011 sobre censura de mídia OU Por que precisamos, assim como já faz a esquerda, privilegiar mais a estratégia do que o ego?

22
51

foto-paulo-henrique-amorim-2

No post anterior, fui bem claro em relação ao meu nível de intolerância em relação a qualquer proposta de implementação de sovietes e censura de mídia que venha de um possível de mandato de Marina. Mesmo assim, ou eu tenho sido injustamente acusado de ser marinista. Mas que se espera de um pró-qualquer candidato é que não lance uma série de dúvidas sobre ele e é exatamente isso o que eu faço em direção à Marina. Ao mesmo tempo, em relação à capacidade de mobilizar grupos para censurar a mídia e organizar sovietes, eu já tenho uma certeza em relação à Dilma.

Alias, em um cenário futuro ideal, pode-se desejar um resultado de uma pesquisa dizendo assim:

  • Primeiro Turno
    • Dilma: 30%
    • Aécio: 28%
    • Marina: 26%
  • Segundo Turno
    • Aécio: 53%
    • Dilma: 45%

Para mim isso seria perfeito e é pelo que torço! Mas a realidade hoje é bem diferente: Dilma tem 34%, Marina 29% e Aécio 19%. O PT entende agora que é melhor partir para cima de Marina Silva, pois Aécio seria melhor em um segundo turno. Ao invés de Aécio partir para cima de Dilma (aumentando a chance de criar um cenário ideal para nós, conforme coloquei aqui como exemplo), o PT precisa que Aécio bata mais em Marina do que em Dilma.

Todos os colunistas da BLOSTA concordam em um ponto: Aécio no segundo turno contra a Dilma é muito melhor para eles do que a Marina. Enquanto isso, é impressionante a facilidade com que algumas pessoas garantem que “Marina é plano B do PT”. Deve ser um “plano B do PT” tão bom que é guardado a sete chaves de modo que nenhum colunista da BLOSTA consiga descobrir. Mas se formos olhar com cuidado, parece que o plano B do PT não é a Marina, mas Aécio. Isso em um segundo turno contra Dilma…

Há algo que não vemos na extrema-esquerda: encarar o jogo político com leviandade. Eles podem até errar, é verdade, assim como pode ocorrer com qualquer um. Mas não é o erro por avacalhação, por superficialidade ou por birra. Isso tem se tornado a mania de boa parte da direita. Mas jamais irá ocorrer com a esquerda. Parece que eles levam o jogo a sério.

Por exemplo, ainda me causa assombro ver que até mesmo no post anterior (mesmo depois de quase meia dúzia deles onde deixei bem claro o meu raciocínio) ainda surge a argumentação dizendo que “Marina elogiou Cuba” ou “Marina disse apoiar conselhos populares”, onde caímos no eterno truque da “avaliação focada na intenção”, um erro inacreditável.

Acho impossível que alguns desses leitores façam julgamentos focados na intenção no seu dia-a-dia enquanto precisam tomar decisões em suas vidas. Seria absurdo se agissem assim. Então, por que fazem isso no debate político?

Exemplo do que é julgar principalmente por intenção: imagine que X quer um esquema tático arrojado e bem variado, melhor que o do José Mourinho. Então por isso podemos substituir o Mourinho? Não, pois ninguém sabe se X tem competência, experiência, sangue frio, liderança, condição psicológica, reação a eventos em nível similar ou superior ao do Mourinho. Quem falar que X é igual ao Mourinho está sendo leviano no momento de tomar uma decisão. A avaliação tem que ser mais prudente, pois o resultado da decisão vai causar impactos.

Mesmo assim, eu estou consciente de que alguma parte dos leitores vai rebobinar a fita e voltar para “Ah, mas X já declarou isso!” ou “Mas X elogiou conselhos populares”, concluindo com “X  igual a Y”. Quer dizer, a pessoa volta para o julgamento focado na intenção (um absurdo completo), ignorando toda a argumentação feita na busca de se avaliar vários aspectos para a escolha mais embasada.

Na verdade, defendo algo bem claro: o voto em Aécio no primeiro turno, torcendo para que ele vá para o segundo. Se não for, tenho o plano B de votar em Marina. Mas este é um plano pessoal, baseado em um argumento, que deve ser desafiado, pois eu estou aberto a votar em Dilma no segundo turno se a argumentação alternativa provar que Marina tem mais condições de implementar o totalitarismo em curto espaço de tempo. A chave da decisão está em “capacidade de implementar o totalitarismo em curto espaço de tempo”. E “capacidade” não pode ser reduzida à intenção. Reduzir capacidade apenas à intenção declarada é imprudência.

Meu objetivo é evidente: ganhar tempo para a direita criar um senso comum anti-censura e anti-sovietes. Aliás, a depender da proposta de Marina sobre os conselhos populares ser positiva e ela for para o segundo turno com Dilma, eu votaria na candidata do PSB e começaria minha oposição já em 16 de novembro. Como eu entendo que se ela optar pela implantação dos sovietes não terá tanta capacidade (que, lembre-se, não ser baseada só ou principalmente na intenção) quanto Dilma e o PT em curto espaço de tempo, acho que isso aumenta o poder de fogo de quem estiver disposto a lutar contra a censura.

Como eu duvido que a leviandade de análise nesta questão seja reduzida drasticamente com este post, nada mais justo que vermos como o PT e seus sovietes atuam com seriedade (oposta à nossa imprudência)  para manter o poder petista.

Aqui veremos uma palestra dada por Paulo Henrique Amorim em 2011 pedindo projetos de censura de mídia. Quem ler o site Conversa Afiada, de sua propriedade, verá uma quantidade de ataques sobre Marina e Aécio tão grande, mas tão grande que isso inviabiliza por completo que ele possa ter qualquer espaço em um possível governo seja de Marina, seja de Aécio. Eles simplesmente aposta todas as suas fichas em conseguir censurar a mídia para garantir o PT no poder por mais uns 12 anos, assegurando muitas mamatas para ele e sua turma.

Vamos às perguntas desafiadoras. Quem ainda defende a hipótese de “6 por meia dúzia” e resolver assistir os 3 vídeos (que mostram a palestra toda, com um total de 40 minutos) consegue argumentar me dizendo que Marina tem esse tipo de estrutura argumentativa, cinismo, dissimulação, organização e projeto que veremos ali? Ou que todos esses arquitetos/engenheiros de conquista de poder totalitário migrarão automaticamente para outras alternativas que não o PT mesmo com o vínculo fortíssimo criado com essas organizações específicas? Ou mesmo os arquitetos intelectuais do PT como Franklin Martins, José Dirceu, Gilberto Carvalho irão todos ajudar Marina?

Então vejam os vídeos abaixo:

Em tempo: tudo que PHA diz sobre a imprensa não passa de embuste, pois as indignações que mostra contra colunistas considerados adversários não justificam a regulação de mídia, além da tal quebra de propriedade cruzada não se relacionar ao fim do uso de anúncios pelo governo (pelo contrário, eles sempre são focados em obter mais verba) e daí por diante. Mas o que importa é notar que em seu cinismo e dissimulação, os petistas hoje não possuem adversários para projetos de conquista de poder totalitário.

Mas estou aberto a argumentações em contrário focadas na chave “capacidade de conquista de poder totalitário em curto espaço de tempo” (onde capacidade não é só intenção declarada), de modo a podermos sempre discutir a decisão sobre votar em Dilma ou em um opositor da forma mais racional possível. Isso é o que defendo.

Anúncios

22 COMMENTS

  1. Luciano, sinto que em breve você terá que começar a usar o palavreado do Olavão para ser mais claro. Porque não é possível, você está falando a mesma coisa há duas semanas (provavelmente já de saco cheio do assunto) e esse pessoal parece que ainda não teve capacidade de entender.

  2. Não entendo a reação da BLOSTA como uma preferência por Aécio ao invés de Marina no segundo turno, acho que há uma explicação mais simples. Tudo indica que a popularidade de Marina está maior do que a de Aécio e provavelmente ela irá ao segundo turno, as críticas do BLOSTA a ela são justamente ataques de antecipação, mas não dizem muito sobre a preferência de um ou de outro no segundo turno.

    Uma coisa que noto é que voce têm enfatizado bastante que a direita têm analisado a Marina apenas por suas intenções, mas tem ignorado que há muitos argumentos a favor da idéia que ela não teria pessoas tão diferentes para apoiá-la e que em termos discursivos, ela parece ser bem mais competente do que a Dilma. Marina já acenou favoravelmente ao PT e sabemos como o PT pode mudar rapidamente de idéia depois das eleições.

    Um outro aspecto relevante é a forma de pensar dos comunistas. Eles pensam os conflitos dialeticamente, ou seja, como uma sucessão de teses, antíteses e sínteses. Nesse sentido, Marina já tem falado em superar a velha polarização PT X PSDB. Ela acredita poder fazer a síntese entre os dois, por isso acenou para possíveis alianças entre os dois. Isso significa que ela quer substituir um dos dois para as próximas eleições, provavelmente o PSDB.

  3. Nunca me esqueço da lapidar frase de uma professora que tive na faculdade e se denominava “comunista jurrássica”: O importante é tirar quem está no Poder.
    Para mim é o bê-a-bá da política. No nosso caso, a discussão é tirar o PT do poder e ponto. O resto é acessório. Por pior que seja quem ocupe a presidência da república a partir de 2015, nada, NADA, é pior e/ou comparável à força do continuismo.
    Mas muito cara que se diz de direita, anti-esquerda e etc não vê isso e sai propagando que “marina é pior que dilma” e aventa a possibilidade até de votar no PT no segundo turno.

    É impressionante…..é estarrecedor….aliás, já está fazendo aposta de quantos vão de chamar de marineiro por este post?

  4. Poderia a direita se organizar da mesma forma , em associações de tudo que puder e agir na forma da lei deles, o pau vai comer feio , mas não reinariam sozinhos,ou talvez quando voce não pode com o inimigo junte-se a ele e o apunha-le pelas costas (faça-se o jogo sujo) ou elimine-o cara tocando o terror.
    A direita precisa estar junto ao povo que é conservador e não gosta de ser traido, como a esquerda fez por aqui, prometeu mundos e fundos e deu um pé no traseiro da população, mas tem que agir “direito”, e não se igualar a ladroagem existente.
    Mas na verdade acho que o maior problema são os interesses financeiros . vejam a Igrejas por exemplo, se vendem a diabo por uma verbinha , e assim por diante , mas aparentam uma essencia conservadora. conseguem enganar os menos esclarecidos, mas tem um poder de organização muito grande, algumas são verdadeiras ditaduras , isso vai doutrinado a população a agir e pensar que so é possivel uma “salvação” (ou ser feliz) se tiver um lider que pense por eles. Que devem ser comportar de tal maneira,não devem ler ou ouvir tais e tais livros ou filmes/musicas que devem contribuir de tal maneira, etc. Se trocar o divino pelo real ja se acostumaram a ideia de não ser independente e se habituam rapidamente, perdendo o pensamento critico.Não sou contra nenhuma religião cada um faz o que quiser, so estou dando um exemplo porque estas instituições tem grande poder de penetração de ideias, (Vide as teologias de libertação e outras maluquices – tem até padre comunista)
    Portanto acho que se a esquerda chegou a este nivel é porque a direita se dispersou, nos pós muros de Berlim etc, mas serpente apenas se escondeu, foi pro ninho , botou ovos, que eclodiram, e estão prontos para dar o bote final.
    armen-se com bastante soro anti-ofidico e bons pedaços de pau , veneno mata

    (Não consegui ver os videos , escrevo de um pc antigo)

  5. Luciano, eu já entendi o seu raciocínio, mas vejo nele uma vulnerabilidade gritante, pois, se levado em toda sua extensão, servirá para, por exemplo, justificar voto no PSOL. E acho que nenhum direitista seria louco de defender isso.

    Foi como falei em outro post. Não adianta retrucar que esses partidos de extrema-esquerda são apêndices do PT porque a prática nos mostra que o PSOL, em sua atuação parlamentar, criou muito mais problemas para o PT do que o PSB. Logo, se o que interessa são apenas as realizações e se o julgamento de intenções é totalmente inválido, poderíamos dizer que o PSB é um risco até maior que o PSOL para a democracia!! Isso faz algum sentido?

    Por isso que eu não concordo com essa posição. Acho sim que uma escolha política deve ser baseada em um misto de realizações e intenções declaradas. Talvez as realizações devam ter um peso maior na escolha, mas isso, no meu caso pelo menos, serviria para justificar um voto tranquilo em Eduardo Campos contra qualquer petista num segundo turno, mas não em Marina.

    • O Luciano já escreveu algumas vezes que o esquerdismo é adotados por estes psicopatas para chegar ao poder. Assim, esquerdismo é meio, e não fim. Logo, num hipotético 2° turno entre uma reeleição do PT como o PSOL, votando neste tu tira o poder do PT. E isso não serve ao PT. Assim, como não serviu ao pessoal que criou o PSOL ver o PT subir à presidência da república, como também não serviu à Marina estar no PT e não ter suas ambições atendidas.
      Resultado: o próprio PT sabotaria um governo do PSOL. Sem falar que em 2018 um governo de 4 anos do PSOL será bem mais fragilizado para reeleger-se do que um governo de 16 anos do PT.

  6. Prestem bem atenção neste vídeo do Padre Paulo Ricardo, pois aplicando seu conteúdo às eleições, voces vão entender por que a Marina está ganhando. A estratégia dela é a mesma dos movimentos que chamavam as pessoas para as ruas faziam para atrair mais gente. Davam a esperança que todo mundo que foi para as ruas pelos mais diferentes motivos seriam atendidos, quando quem sentava para discutir com a presidente não estava interessado em 10% das causas que motivou a grande massa de pessoas.

    “Manifestante, estão usando você !”

      • Por isso que eu gosto desse padre. Ele fala contra o socialismo de forma clara e cristalina. Apesar de ter chamado crente de otário, eu não ligo. Um dia ele enxerga a verdade. Que Deus o abençoe. E toda criança, da 5ª série em diante, deveria ler a “Revolução dos bichos”.

  7. Esse “preferimos o segundo turno contra o Aécio” é psicologia reversa barata. Falam isso para justamente as pessoas votarem em Marina, aí catapimba, o segundo turno será entre uma petista e uma petista em uma pele de cordeiro verde. Luciano, não acho que você seja um “marinista”, mas creio sim que você subestima a Marina demais. Não me surpreenderia caso ela conseguisse avançar os planos da esquerda mais do que a Dilma.

    Há muito esquerdista que adoraria ver a Marina no poder, poderão dizer que a Dilma fracassou em seu governo, não conseguiu implementar as mudanças sociais, deturpou Marx, enfim, e Marina vem aí com sua fala mansa, e ao mesmo tempo vai implementar a agenda esquerdista a todo vapor.

    A Marina pode se colocar como uma coitada igualzinho ao que Lula fez, como ela teve lá o seu problema com mercúrio, como os malvadinhos capitalistas a envenenaram, coisas do tipo, para tentar amansar a população frente às mudanças que Marina irá propor.

Deixe uma resposta