Por que precisamos fazer Aécio prestar contas quanto a meta de “tirar o PT do poder”?

25
54

aecio-neves-cuba

Como diz a sabedoria popular, bola na trave não altera o placar. E até agora a candidatura do Sr. Aécio Neves segue sem fazer gols. As vezes eles até dão um chute na trave, em outros momentos chutam lá na bandeirinha do escanteio. Dia desses apresentaram um hip-hop pró-Aécio. Hehe.

Eu não sou derrotista. Minhas expectativas estão mais em uma pressão da direita feita por nós do que em atuais candidatos. Quer dizer, em relação aos principais candidatos, com exceção do PT, podemos pressioná-los para que corrijam alguns equívocos e desonestidades do PT. Isso me qualificaria como “otimista”. Mas é um fato que a campanha do social-democrata Aécio avança rapidamente ladeira abaixo, dentro de um carrinho de mão.

É de se pensar. Que conselhos essa turma anda seguindo? Quais métodos sustentam seu programa de marketing? Enfim, o que esse pessoal quer da vida? Aliás, será que querem realmente alguma coisa da vida?

O fato é que o candidato chegou a dizer, no dia 28 de agosto, que em 15 dias ultrapassaria Marina, que segundo o Datafolha hoje está 19 pontos a frente do tucano. Devo entender que Aécio nos garante estar no caminho certo.

O que fazer com pessoas tão confiantes do trabalho de seu time assim? Simples: lançar-lhes metas, oras. Sempre foi assim no mundo corporativo, por que deveria ser diferente com os políticos para os quais torcemos e dedicamos nosso apoio?

Segundo o livro The Oz Principle, de Roger Connors, Tom Smith e Craig Hickman, as pessoas não devem assumir responsabilidade por atividades, mas por resultados advindos dessas atividades. Com isso, evita-se o eterno caudal de desculpas, uma mais irritante do que a outra. Claro que pessoas viciadas em desculpas ficam alucinadas de pânico diante da mera menção a essa cobrança, mas isso nos poupa tempo e evita desgastes.

Assim seja. Para mim, a campanha de Aécio tem uma meta: vencer a eleição, derrotando Dilma Rousseff. Se sua meta não for atingida, segue uma outra meta secundária a ser tolerada (o plano B): evitar que Dilma Rousseff seja reeleita. O que essa campanha quer fazer para chegar a esses resultados? Claro que eu não defendo que “os fins justifiquem os meios”, e não estou pedindo para que ele mate alguém. Mas tirando crimes materiais e aberrações morais do tipo, devemos ser sinceros: o mais importante é o resultado.

Vamos rever o resultado: derrubar Dilma, preferencialmente com sua vitória. Uma derrota de Aécio, com a consequente vitória de Dilma, não é um fracasso. Mas dois fracassos em conjunto.

Em 26/8 foi prometido por ele o primeiro ganho rápido: ultrapassar Marina. Já se passaram cinco dias. Faltam 10 agora. E olhe que estamos avaliando apenas o primeiro ganho rápido: “ultrapassar Marina”.

Como eu já disse antes, da minha parte Aécio tem um voto de confiança. Conversamos de novo após as pesquisas feitas após o dia 11/09 (quando encerra o prazo para conquista do primeiro ganho rápido, conforme ele mesmo propôs).

Anúncios

25 COMMENTS

  1. Acho que a Marina andou lendo seus textos de estratégia política! Ela “bateu” em todo mundo hoje!
    Meu palpite para tentar explicar; “o que pensam os marqueteiros do Aécio”, é a seguinte:
    São todos alunos exemplares do nosso belo sistema de ensino “Paulo Freiriano /MEC”, todos esquerdopatas crônicos! Por isso não conseguem enxergar nem, muito menos, entender o jogo político!

    Grande abraço Luciano, continue sempre com seu belo trabalho aqui no blog!

  2. No encerramento do debate ele lançou: “Reafirmo que acredito nas boas intenções da candidata Marina, mas…”

    Ou seja, na mensagem em que ele diria as razões por que merece ser votado ele perde tempo elogiando sua principal concorrente.
    Sério, essa síndrome patológica de bom-mocismo que acomete os tucanos é uma das coisas mais ridículas que já se viu. O PSDB ainda é a melhor opção que temos, mas se esse partido de boiolas desaparecer será única e exclusivamente por culpa dele mesmo.

  3. Os próprios direitistas já desanimados com o único candidato socialista “moderado” que pode derrotar os radicais.Luciano,não estou entendendo vc,principalmente nos últimos posts,parece que vc já “jogou a toalha” e agora já tem uma leve debandada para a Marina.E mais,essas pesquisas aí são manipuladas e não acredito nelas,exatamente feitas pelos maiores jornais esquerdistas do país.Numa pesquisa muito mais próxima da realidade,aponta Aécio muito a frente,por exemplo,a pesquisa feita pelo blog do SBT com mais de 130 mil participantes,Aécio teve 53%,Marina 30%,Dilma 10%.Ora, porque então esses instituto como o Ibope e datafolha mostram Marina subindo repentinamente?exatamente pq eles querem “mudar” a opinião da população e seguir os seus favoritos.Para nós direitistas,a única opção nesse momento é Aécio.

  4. Luciano.

    O Brasil é governado de fora, por um poder maior e além de seus “cidadãos”.

    Não tenho dados comprobatórios disso, mas confio na minha intuição e aposto nisso.

    Acredito sinceramente que o Sr. Aécio Neves é um bom “ator” representando com competência esse personagem que lhe foi determinado a representar. É necessário que o sistema de poder global opere com esses “atores”, denominados de políticos, capazes de manterem vivo o circo (matrix) da “democracia” no imaginário dos povos, que devem estar continuamente drogados pela “magia do circo”, e, assim, subjugados à condição de serviçais da “dinastia real” oculta nas sombras da consciência da humanidade.

    A realidade no mundo não é exatamente como sonha nossa vã suposição.

    Metaforicamente falando: A consciência vem da Luz, mas o mundo é governado nas trevas.

    Enquanto esse simples fato não for divulgado, com a necessária eficiência e suficiência, as coisas não mudarão, e o sofrimento dos povos do mundo (a maioria) perdurará per secula seculorum, amem.

    ……….

      • Como eu disse é apenas uma intuição.

        Mas, com certeza, nada que seja bom e excelente vem de planos escusos e ocultos. Nenhum bandido irá avisá-lo antecipadamente de suas intenções sombrias.

        Aqueles que desejam malignamente explorar os povos, com certeza não irão informá-los disso.

        O que você acha? Psicopatas são confiáveis?

        Agora, se você insiste em confiar na suposta “grandeza” dos poderosos, o máximo que posso fazer é respeitar seu ponto de vista. Eu prefiro apostar na minha intuição.

        Braços.

      • Luciano.

        Eu disse isso apenas retoricamente, sei que você não iria confiar, justamente por ser um cético. Considero isso uma boa qualidade, que procuro nutrir em mim mesmo.

        Meu intuito com esse post é estimular uma investigação de ordem política fundamentada em conjecturas plausíveis e baseadas na característica dualística (bem/mal) da natureza humana.

        A história mundial nos dá muitos exemplos instrutivos acerca de características obscuras e não exatamente altruístas da natureza humana. Com inúmeras tentativas de domínio do mundo e da humanidade muitas “dinastias conquistadoras” produziram muita destruição, sofrimento e maldade às civilizações e povos antigos. A meu ver retardando a própria evolução espiritual, psíquica e política da humanidade como espécie inteligente no nosso planeta.

        O agravante no nosso mundo moderno é a fantástica evolução científica e tecnológica, que permite aos “gulosos” detentores do poder um cenário de instrumentações e controles jamais experimentado por “dinastias conquistadoras” anteriores. Estamos em uma era de inusitadas e inéditas capacidades e potencialidades, para o bem e para o mal, da humanidade como um todo.

        O Voto de Minerva será dado pela natureza humana. Portanto a questão não é mais a evolução científica e técnica: a verdadeira questão, que se apresenta em nosso horizonte, é a da evolução espiritual, psíquica e política da humanidade.

        Por favor, Luciano, considere meu argumento retórico como um estímulo a essas investigações políticas de conjecturas plausíveis acerca do potencial “guloso” das atuais “dinastias meta capitalistas” desse nosso “Maravilhoso Mundo Novo” ou “The Brave New World” (Aldous Huxley).

        Abraços.

      • Ainda bem que existe alguém como você dedicando-se a isso.

        You are doing, alias, an excellent job about that, Man, congratulations!

        Abraços.

    • Isso é alguma coisa envolvendo teorias da conspiração, Illuminati, etc? Se for, eu gostaria muito de ver os seguidores dessas idéias sendo um pouco mais claros em suas propostas. Geralmente é tudo tão vago, tão místico.

    • Isso tem algo a ver com teorias da conspiração, Illuminati, etc? Se for o caso, gostaria muito de ver os seguidores desses pensamentos sendo um pouco mais objetivos e menos misteriosos em suas explicações. É tudo sempre tão vago, tão místico.

      • “Illuminati” foi um termo dado por algumas pessoas para os integrantes zilionários do grupo Bilderberg que pretendem dominar o mundo usando tanto o capitalismo corporativista, tanto o socialismo “democrático” gramsciano e também o comunismo militarista (que já está globalmente morto, mas continua existindo).

        Na verdade, as três estratégias convergem para o mesmo objetivo, mas eles usam essas três estratégias para os países terem poucos lugares para escapar da dominação.
        A estratégia do “comunismo militarista” é hoje completamente inviável, mas ainda existem regiões do planeta que ele continua sendo útil.

      • Não é uma “teoria” da conspiração, é uma conspiração que já se mostrou que irá se concretizar.

        A ascensão de Hitler não foi uma “teoria” da conspiração, foi planejada e por isso foi uma conspiração.

        Mesma coisa a Revolução Russa, a Revolução Francesa, etc. Foram planejadas e por terem sido planejadas, quando há um planejamento oculto (ou não muito divulgado) contra a ordem social vigente, esse planejamento se chama conspiração.

        A crise dos mísseis cubanos era uma conspiração do governo soviético contra os EUA. Mas não se concretizou em nenhum evento mais importante e perigoso, igual a Revolução Russa por exemplo, pois os EUA reagiram contra essa conspiração planejada.

  5. Faltando um mês para a votação, julgo que não seja mais hora de criticar. É hora de apoiar e tentar transformar qualquer fala, até mesmo alguma que consideramos errada, em frames a nosso favor. Eu concordo com tudo que é dito a respeito da histórica falta de assertividade do PSDB, mas o momento é de apoio total. Depois do dia 5 de Outubro podemos pensar em reagrupamento. O que é melhor agora? Apoiar ou criticar exigindo correções de rumo? Para mim, apoiar.

  6. Outra coisa que tive pensando também é que tanto liberais quanto conservadores, além dos próprios tucanos tem culpa no cartório. Os conservadores perderam tempo apostando em candidaturas sem base política como do Bolsonaro ou da Denise Abreu. No caso do Bolsonaro, sabia-se que o PP o sabotaria em detrimento do PT por ser parte da base “alugada do governo”. Depois a Denise Abreu foi fazer uma média com o Olavo para lançá-la como candidata e ajudou a dispersar o foco que já havia sido iniciado com o Bolsonaro. Não decolou e não deixou ninguém decolar. Os liberais ficaram em cima do muro com a típica desunião que caracteriza o grupo ao invés de iniciarem um apoio ao Aécio, já que a maioria é adepta da escola austríaca e não vê alguns pontos da política econômica do tucano com bons olhos. Outra burrada também dos liberais é que apostam todas as fichas no Partido NOVO, mas esquecem-se que ele de nada servirá num segundo mandato da Dilma ou terá dificuldades com a Marina no comando da máquina pública.

    O que deveria ter sido feito pela “direita” é ter sempre apoiado o Aécio para a presidência desde a sinalização do partido para lançá-lo como candidato à presidência, focando-se no lançamento de liberais e conservadores para o Legislativo. Quanto à parte do Legislativo, há um esforço empregado nesse sentido, menos mal, mas será bem mais difícil num cenário em que a Dilma ou a Marina (ex-petista que não perdeu o ranço) vençam.

    Outros problemas acompanham o PSDB lançamento errado de um vice como Aloysio Nunes, que além de ter sido ex-motorista de Marighella e colaborador da luta armada, esqueceu-se do Norte-Nordeste onde não são bem conhecidos. Se o Álvaro Dias, que tem reconhecimento nacional por bater no PT, mesmo ao estilo tucano, seria melhor ainda do que o Aloysio. O próprio Aécio tem problemas de dicção, não é ofensivo, não tem um linguagem clara a ponto de ser entendido por um leigo ao defende suas próprias propostas, não defende com veemência o bom legado do PSDB, não passa confiança no seu jeito de falar, não usa a imagem do Tancredo Neves num frame ligando passado e futuro, é mal assessorado e ainda não tem sintonia para ouvir os próprios eleitores. Além disso, o fato do PSDB não ter pedido o impeachment do Lula na época que estourou o Mensalão e o deixou se recuperar, mesmo com FHC interferindo no próprio partido para aliviá-lo. Embora muitos não se lembrem desse detalhe, mas ele acabou preso ao inconsciente coletivo por dar uma sensação de impunidade. Como bem definiu o historiador Marco Antonio Villa:

    “Essa é uma dívida histórica que ele tem com o povo brasileiro. No momento em que o PT estava nas cordas, em vez de levá-lo a nocaute, como o PT faria se estivesse do outro lado, o que o PSDB fez, por meio de seu principal líder, foi deixar Lula sangrando nas cordas, acreditando que o nocautearia facilmente nas eleições de 2006. A oposição teve medo, e esse medo é que deu combustível para que o PT virasse o jogo, estabelecesse uma aliança sólida com o PMDB e partidos satélites e criasse o novo Lula, no último ano do primeiro governo. Esse novo Lula é produto de uma leitura de conjuntura equivocada e danosa para o futuro do país. E essa leitura foi feita por Fernando Henrique e pelo PSDB.”

    Ele me lembra aquele garoto gordinho da Austrália, Casey Heynes, que revidou um bullying e se tornou mundialmente famoso. A diferença do Aécio para ele é que ainda não revidou e segue sendo humilhado e vilipendiado pelo PT, ao invés de tomar uma atitude enérgica. Falta testosterona e sangue no olho. Se mostrar ser um líder, ter pulso firme e desmascarar o PT na cara, o efeito será o mesmo do Casey Heynes quando ele revida. Ao contrário de vocês, estou analisando pela ótica do Go, ao invés do xadrez. Na perspectiva do Go, o PSDB e o Aécio jogaram mal e atacaram territórios que não podem mais ser explorados, embora os adversários não podem dominar o jogo de vez porque também jogaram mal. Na ótica do xadrez, ele já perdeu o jogo. Como guerra e política se parecem mais com o Go, ainda há uma pequena chance, embora remota.

    Ainda não desisti do Aécio e não votarei na Marina nem à pau, nem mesmo no segundo turno. Seguirei pressionando e fazendo minha parte, mas o sujeito me desanima seguindo na inércia típica que paralisou os tucanos na candidatura à presidência. Sinto-me como um apostador num jóquei clube quando vê o cavalo em que ele apostou, que seguia em segundo lugar rumo à vitória, cair para a próxima colocação perto da penúltima curva.

Deixe uma resposta