Como se portar em um debate presidencial com a extrema-esquerda (se você precisar)

9
96

274705_Papel-de-Parede-Cavaleiro-vs-Dragao_1920x1080

Sim, eu sei que Marina e Dilma pertencem ao mesmo espectro ideológico. Porém, o PT tem cada vez mais se comportado como um partido de extrema-esquerda. Disto resulta que eles se tornaram cada vez menos aptos ao convívio social. Isso os torna mais proficientes em mentir e distorcer os fatos, além de ofender deliberadamente os adversários, sempre de forma desonesta. (É por isso que tratarei Marina como fora da extrema-esquerda, enquanto Dilma como legítima representante deste grupo)

Em debates presidenciais com a presidente Dilma, seu comportamento antissocial tem se tornado cada vez mais comum, de forma que o estabelecimento de qualquer forma de diálogo já se tornou virtualmente impossível. Já que pessoas que mentem e agridem, durante debates, tendem a obter pontos não-merecidos, o que pode ser feito neste caso?

Aqui dou alguns exemplos de como Marina Silva e Aécio Neves podem elaborar respostas para Dona Dilma em um próximo debate presidencial. Para facilitar a didática, incluí primeiramente algumas interações do debate do dia 01/09 no SBT, e, por fim, minha sugestões, para cada exemplo:

I

Dilma diz:

Então, candidata, é incrível que a senhora abandone um dinheiro garantido e seguro, decorrente da exploração do pré-sal para ser investido na educação e saúde, equivalente a R$ 1 trilhão […]

Marina responde:

O dinheiro do pré-sal, candidata, já está assegurado, e nós vamos fazer sim o bom uso dos recursos do pré-sal, inclusive antecipando a meta em relação à educação de tempo integral e a educação integral. O pré-sal deve ser explorado. E nós vamos combinar com outras fontes de geração de energia, priorizando as duas coisas.

Sugestão:

Incluir uma passagem deste tipo: “É uma afronta que uma presidente da república entre em debate para mentir sobre as intenções de um candidato concorrente, inventando falsas notícias sobre o que eu farei com o pré-sal. Ao contrário das mentiras de Dilma, aqui estão os fatos…”. Em seguida, concluir com a resposta tradicional, que no conteúdo estava bem legal.

II

Dilma diz:

A inflação hoje está próxima de zero. E ao mesmo tempo o crédito está sendo ampliado. A bolsa se valoriza há sete meses consecutivos, e o Brasil está entre os cinco países que mais recebe investimentos externos. Agora, a economia internacional não se recuperou da crise. Os Estados Unidos, Alemanha, Japão, têm altos e baixos. Os Estados Unidos teve crescimento negativo no primeiro trimestre desse ano. O Japão e Alemanha, agora no segundo trimestre. É fato que isso mostra que a crise não acabou. Eu considero que a nossa diferença é que nós não enfrentamos a crise nem desempregando nem arrochando salários e acredito que criamos as bases para um novo ciclo.

Marina responde:

Uma coisa importante é verificar que desde o debate anterior a candidata Dilma não consegue fazer uma coisa que é essencial para quem pretende um segundo mandato para governar um país como o Brasil, que é reconhecer os erros, porque se não reconhece os erros, não tem como repará-los. Ela se elegeu dizendo que ia controlar a inflação, que ia manter o país em crescimento e que ia fazer com que os juros baixassem. Hoje nós temos inflação alta, nós temos baixo crescimento, e nós temos uma situação de juros altos, e a população paga um preço muito alto pela péssima qualidade dos serviços que estão prestados, é só ver as manifestações que aconteceram em junho. Quando as coisas vão bem, é 100% dos louros para o seu governo. Quando vai mal, a culpa é da crise internacional e da própria natureza.

Sugestão:

Adicionar itens como: “É uma mentira vergonhosa dizer que a economia internacional não se recuperou [em seguida, mostrar os dados rapidamente conforme este texto aqui]”.  Essa parte deve ser breve, em no máximo 30 segundos. Use a técnica da metralhadora. O resto está muito bom.

III

Dilma Rousseff pergunta para Marina Silva:

Candidata, os jornais têm afirmado que a senhora pretende reduzir a importância do pré-sal […]

Marina Silva responde:

Em primeiro lugar, candidata Dilma. O que nós estamos afirmando no nosso programa de governo é que além do pré-sal, que é uma riqueza necessária…

Sugestão:

Incluir no início: “Uma candidata da república que se preze não pode vir para um debate dizendo que ‘os jornais tem informado’. Isso é irresponsável e pouco digno de sua parte. Quando for acusar alguém de ter feito uma declaração, procure se informar melhor. Isso é leviano e não combina com uma presidente da república”. O restante está bom.

IV

Marina Silva pergunta a Dilma Rousseff:

Candidata, quando foi eleita em 2010, havia um compromisso seu de que o Brasil iria continuar crescendo, de que os juros ficariam baixos e de que a inflação seria controlada. Hoje nós estamos vivendo em uma situação em que de cada cinco famílias, três estão endividadas. O que deu errado no seu governo?

Dilma Rousseff responde a Marina Silva:

Candidata Marina Silva, o que deu certo no meu governo foi que nós tiramos 36 milhões de pessoas da pobreza e elevamos 42 milhões de pessoas à classe média. Muitas coisas nós ainda vamos ter de continuar fazendo.

Sugestão:

Incluir a informação: “Segundo os dados do IPEA, não foram 36 milhões, mas 8,4 milhões. E a maior responsabilidade era do governo Lula, por causa da estabilidade criada por FHC. Então, você mentiu novamente sobre números”. Fonte: . A “nova classe média” hoje é definida por uma renda per capita entre R$300,00 e R$1.1.00,00. Então temos mais uma distorção baseada em mudança de classificação da classe média. Além de tudo, com todos os “milagres” apontados por Dilma a violência só aumenta, o que nos mostra que os problemas sociais não melhoraram no governo de Dilma.” O resto da tréplica de Marina estava muito bom, pois ela continuou incluindo a informação de que Dilma se recusa a olhar os problemas.

V

Aécio Neves pergunta a Dilma Rousseff:

Senhora candidata, volto ao tema da segurança pública. Hoje nada mais aflige às famílias brasileiras do que o aumento da criminalidade e da insegurança. Seu governo tem investido muito pouco nessa área. Do conjunto de investimentos na área de Segurança Pública, apenas 13% vem da união. Do fundo nacional de segurança, menos de 40% do que foi aprovado foi investido e como já disse do fundo penitenciário menos de 11%, a senhora considera Segurança Pública também responsabilidade da união?

Dilma Rousseff responde a Aécio Neves:

Candidato, acho que você tem memória fraca. O Governo Federal deu um apoio financeiro de 141 para Minas Gerais criar 5668 vagas em quinze presídios, como Uberlândia, Ribeirão das Neves, Pará de Minas, lavras, candidato, a sua memória é tão fraca que no caso do transporte público o senhor esquece que nós temos parceria com o Governo do Estado de Minas em todas as grandes obras de mobilidade urbana que existem em Minas Gerais. Exemplo, no metrô, que nós estamos fazendo em BH, em Belo Horizonte, é feito em parceria com o Governo do Estado e a Prefeitura e a iniciativa privada, candidato. Acho que o senhor está mal informado. Além disso, o monotrilho aqui de São Paulo que todos vocês se referem só foi viabilizado porque o governo Federal colocou financiamento para que fosse realizado. Além disso, candidato, nós temos nove metrôs em todas as capitais do Brasil sendo feitos, o meu governo colocou 143 bilhões de reais. Nós temos 6 novos trens interurbanos, três monotrilhos, dois além do de São Paulo. Que é o de São Gonçalo e o do ABC paulista, três VLTs, dois aeromóveis, o de Porto Alegre e o de Campos, e 189 BRTs, candidato, corredores exclusivos.

Réplica de Aécio Neves:

Senhora candidata, quem ouve esse debate vai achar que está no debate de quatro anos atrás porque são as mesmas propostas, mamas promessas que a senhora repete muita. Em Belo Horizonte, senhora candidata, talvez pela pouca familiaridade, a verdade é que agora ao final do governo, de forma inclusive adequada, mas razoavelmente envergonhada o governo da senhora sucumbe a necessidade de fazer parcerias com o setor privado, mas infelizmente não avançou como deveria ter avançado. Na mobilidade a realidade é essa, o governo da presidente Dilma Rousseff fracassou como fracassou em todas as outras áreas.

Tréplica de Dilma Rousseff:

Eu vou repetir, candidato, não é uma questão trivial, R$ 143 bilhões foram colocados à disposição tanto de orçamento geral da união, que é dinheiro do Governo Federal quanto de financiamento. Sabe para quê? Para que as pessoas tenham tempo. Para que as pessoas tenham transporte seguro e rápido, e tempo, candidato é para ficar com a família, para poder desfrutar da vida. Então, o Governo Federal pela primeira vez investiu uma quantidade significativa de recursos. E acho estranhíssimo que o senhor não saiba, talvez o senhor não tenha estudado isso direito, o senhor não saiba que as obras feitas em Minas Gerais tanto as obras de rodovias, quanto as de mobilidade urbana, foram feitas com recursos federais.

Sugestão:

Aqui Aécio foi um fracasso absoluto. Ele poderia ter dito logo em sua réplica: “É impressionante vermos o desequilíbrio emocional da presidente. Ela começa chamando outro candidato de desmemoriado, mas no meio da pergunta ela simplesmente esqueceu o que eu perguntei. Eu perguntei sobre investimentos em segurança, e ela falou sobre mobilidade pública. Isso é sinal de despreparo para a vida pública.” Em seguida, incluir o restante das respostas originais, mas sempre buscando citar mais fontes.

Conclusão

Invistam mais em “openers”, que são as frases introdutórias com as quais definimos o oponente. Marina foi melhor que Dilma em geral, mas poderia ter até goleado. Aécio perdeu o debate, mas poderia ter desqualificado Dilma e neutralizado seu ataque. Enfim, candidatos: exijam que seus marqueteiros os preparam para se defrontar com uma verdadeira besta-fera no debate da Globo. É quando vocês dois precisarão estar muito bem afiados.

Anúncios

9 COMMENTS

  1. [OFF] Luciano, olha só o que ocorreu em minha cidade:

    Aqui é uma das cidades mais perigosas do planeta acima de 300.000 habitantes (está na TOP 7) segundo uma ONG mexicana.
    Quando se imagina que não tem mais o que piorar, olha só a que ponto chegou:
    Uma rede de free shop de bebidas fechou por conta do aumento da violência. Impressão minha ou é o início de um Efeito Venezuela?

    http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/segurancapublica/rede-de-free-shops-fecha-tres-lojas-em-fortaleza-e-atribui-a-violencia/

  2. Eu tenho uma teoria que é assim. As vezes uma verdade “ofensiva” tem um efeito contrário no eleitorado. Veja bem, a Marina tem um porte e expressão facial MAIS FRAGEIS do que a candidata Dilma, oque significa que se a Dilma tivesse o corpo da Marina, e vc fizesse perguntas “violentas” na verdade vc só estaria ajudando-a. Infelizmente os debates e as campanhas ocorrem como “tem que acontecer”. Eu tenho uma teoria, que existem assuntos que se fala na politica popular na mídia, e existem coisas que só se fala na “periferia” da mídia(por exemplo, o Olavo é alguem ue por naõ ter uma visibilidade grande a nível de mídia grande, pode ser considerado neste sentido, alguem da “periferia” ou seja, sem grande projeção e amplitude de essoas(pelo menos era assim a alguns meses atraz). E então oque acontece? Acho que candidados que não tem chance alguma são “contratados” por políticos poderosos, para dizer coisas “violentas” no sendtido de verdades que ninguem quer ouvir, e ai eles analizam com os marketeiros que tipo de efeito akilo teve, se é que teve. E se teve, eles(os principais candidatos) começarão a falar disso tb, Do contrário, só falarão coisas genéricas e vagas, jogando números, como sempre fizeram.

  3. Acabou de passar no Jornal da Globo as perguntas que íam fazer para Dilma (se ela não tivesse peidado para a entrevista).Além da vergonhosa premiação de ter sido a primeira candidata a presidente a fazer isso (não comparecer a uma entrevista) eles ainda mandaram uma pergunta interessante (que seria feita para ela).A do fato de no governo Dilma o analfabetismo ter aumentado.
    É um bom tema a ser explorado por Aécio e Marina.

  4. Luciano, em um debate com os candidatos ao senado pelo Ceará, veja a pergunta pela pelo Mauro Filho ao Tasso Jereissati e sua respectiva resposta. Ver a partir de 05:15 até 7:55. O que achou?

  5. Porque não chamam logo o Luciano para ser marqueteiro do Aécio?!?!

    Esses marqueteiros do Aécio estão bem mais ou menos. E agora não é momento para se dar ao luxo de ser mais ou menos em um debate, ainda mais com tudo o que está em jogo. Se não tiver alguem para orientar o Aécio de verdade agora, depois pode ser tarde demais para tentar reverter a nossa situação.

    Se alguem tem contato na politica, da um jeito de passar esses textos pra assessoria do Aécio.

Deixe uma resposta