A farsa do plebiscito pelo aparelhamento estatal de campanha. E que raios o Pastor Everaldo está fazendo ali?

45
183

pastor_everaldo

Os leitores devem ter notado que eu praticamente não falei sobre o Plebiscito da Constituinte que os coletivos não-eleitos do PT e seus aliados da extrema-esquerda organizavam.

Por que eu teria feito isso? Por que como era um evento privado, eles podiam fazer o que quiser. Eu não poderia aparecer aqui e escrever que “tem um bando de socialistas aparelhados votando um plebiscito particular”. Quer dizer, eles podem fazer o que quiserem. Seria o mesmo que se fossem votar sobre quem tem o melhor derrière (Andressa Urach ou Nicole Bahls).

Só que agora a brincadeira ficou séria e os sovietes começaram a apurar os votos (até o dia 21 deste mês – o que nos leva a imaginar a “seriedade” da coisa). A pergunta feita no Plebiscito (que eles dizem ter levado quase 10 milhões de pessoas a votar, o que duvido muito) era: “Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o sistema político?”. Teve até voto pela Internet. Em suma, um circo.

A encenação de votação, porém, tem um intuito: pressionar o Legislativo a fazer a Constituinte para a reforma política. Qual o cui bono? Mudar as regras do jogo eleitoral e criar regras para favorecer o PT, especialmente pelo uso do aparelho do estado. Por exemplo, com o fim do financiamento privado de campanhas, o PT poderia continuar usando as estatais para financiar suas campanhas. Eles não são bestas. Bobos são os outros. Ou por que você acha que eles estariam tão motivados em prol de criar um falso plebiscito?

Agora nos resta pressionar o Legislativo para que não caia nessa palhaçada e, se os sovietes começarem com muita pressão, devemos acusar a presidente (que endossa essa baixaria) de traição à pátria e iniciar imediatamente um processo de impeachment. Já que eles estão avacalhando, é nesse mesmo tom que devem ser tratados. Essa turma do plebiscito é igual separatista da Ucrânia. Deram mole no início e hoje vemos o resultado.

E como diria o Barão de Itararé, de onde menos se espera, daí mesmo é que não sai nada. Se hoje mesmo eu quebrei minha regra e elogiei um posicionamento do Pastor Everaldo, agora não dá para perdoar.

O que esse sujeito está fazendo nesse plebiscito da extrema-esquerda? Agora, o Pastor Everaldo deve uma resposta a todos os seus eleitores (eu não me incluo entre eles), pois que raios ele faz em uma armação produzida pelo PT? Qual é o motivo? Qual a paga?

Eu queria ver que argumentos ele arruma para se defender agora…

Anúncios

45 COMMENTS

  1. Luciano, não existe constituinte com poderes limitados, isto é exclusiva para reforma eleitoral. Constituinte por si só, tem poderes ilimitados, podendo romper com toda ordem jurídica vigente, podendo transformar o Brasil em duas ou três nações diferentes, transformar a forma de governo em uma monarquia ou anarquia, transformar o estado em um estado islâmico ou comunista, e daí por diante. Não se limita poderes a uma constituinte.

  2. Que divertido! Este não precisa de boatos pois já entrega a rapadura da confusão por si próprio.
    Marco Antonio Villa aponta um evento de campanha num boato contra Brigadeiro Gomes, que disse que não queria voto da “malta de desordeiros”, e a oposição – do Dutra – aproveitou o termo para espalhar que o Brigadeiro não queria votos de marmiteiros, isto é, de pobres.
    Conf. o minuto 9:08 em

    http://gshow.globo.com/programas/programa-do-jo/O-Programa/noticia/2014/09/marco-antonio-villa-e-jo-comentam-os-rumores-sobre-a-saude-do-apresentador.html

  3. Luciano, o que é Everaldo tá fazendo ali é que nem a frase do David Horowitz ”É a política estúpido” ele está sendo pragmático e utilizando-se do plebiscito para fazer campanha política, ele está para ganhar votos simples assim, aliás vou mais longe neste meu comentário, não tenho provas materiais, mas tenho quase certeza de que todo o discurso liberal dele não passa de uma jogada política para conseguir votos, afirmo isto pois seus discursos liberais nunca foram convincentes ele me parece que apenas decorou um texto com estas ideias mas nunca acreditou nelas de fato, compare ele com o Roberto Campos por exemplo, outro liberal que atuou no campo político e econômico, compare o discurso de um e outro e veja que Campos acredita nesta causa enquanto que Everaldo apenas ”comprou” a causa, ele nada mais é do que um carreirista querendo começar sua carreira política e vendo a crescente manifestação dos liberais nas redes sociais, ele viu ali sua ferramenta para fazer política que é comprar a causa de um grupo de insatisfeitos para tentar se auto promover na vida política. Para Everaldo o liberalismo é um meio não um fim, isto explica a fraqueza de seus discursos e a falta de assertividade na hora de defende-los. Você pode discordar de mim Luciano, mas tenho quase total convicção que este ”liberal” nada mais é que um político oportunista.

    • Só um detalhe, para complementar meu comentário, o grande economista e liberal Roberto Campos já morreu mas só para comparar o discursos, tem vídeos dele no youtube(inclusive no Roda-Viva) você verá que mesmo questionado o cara acredita no liberalismo já o Everaldo…..

  4. Luciano, acho que podemos antecipar que o Plebiscito Constituinte foi um fracasso, seja por este comunicado da Secretaria Operativa Nacional da referida votação, seja por esta postagem do Face que deixo abaixo:

    http://www.facebook.com/levantepopulardajuventude/photos/a.321629677902593.80868.162474053818157/796303123768577/?type=1

    Se foram 1.691.006 votos favoráveis via internet, então faltam 8.308.994 votos físicos para chegarem à meta de 10 milhões de pessoas favoráveis (conferidas por CPF). E não me consta que pessoas normais sairiam de casa em um fim de semana para procurarem uma urna desse troço nem que todos os movimentos sociais envolvidos em questão consigam ter uma soma de militantes intermediária entre as populações do Rio e de São Paulo para levar às urnas. Segue também a postagem oficial do Plebiscito Constituinte dando esclarecimentos a respeito do processo todo:

    http://www.facebook.com/plebiscitoconstituinte/photos/a.674223589275651.1073741827.672635022767841/823422511022424/?type=1

    Observe-se que as pessoas já estão inclusive comentando sobre a baixa soma de votos internautas, como poderá ver por este e este outro comentário. Assim sendo, este artigo do Pragmatismo Político falando de um suposto silêncio da mídia acaba sendo mais mesmo um choramingo de quem não conseguiu fazer com que sua proposta conseguisse ser algo noticiável. Além disso, se formos considerar que 1.691.006 representam 96,9% dos votos internautas (total de 1.744.872), dá para ver que é uma votação extremamente enviesada e quase que só militantes marxistas-humanistas-neoateístas (logo, estou até tirando da conta MHNs que não militam e propagadores inconscientes de gramscismo, por terem sido em número muito baixo) compareceram às urnas virtuais, e isso porque deram mais um dia de votação devido a problemas em servidor.
    É até 24 de setembro que saberemos o desfecho da coisa toda. Se vai haver mais de 8 milhões de CPFs válidos nas caixas de papelão que serviram de urnas, acho muito difícil. Uma votação de reality show provavelmente terá mais pessoas comparecendo.

  5. Luciano, você não sabe qual foi o voto dele, então não entendi o motivo do desespero e dessa quase acusação…

    Eu mesmo votei na enquete online com um belo NÃO, e acho que todos nós de direita deveríamos ter votado em Não para mostrar que nós estamos nos organizando e dizer em alto e bom som que não queremos isso

    Lembra do plebiscito sobre a venda de Armas no Brasil?
    os esquerdistas acharam que ganhariam facilmente aquela votação e que iriam proibir de vez a venda de armas no país.
    Felizmente o brasileiro em geral ainda tem ideias conservadoras e o “Não” venceu para desespero deles….

    Tem outra Luciano, talvez você não tenha visto mas ontem o CQC fez um proselitismo barato do movimento Gay, sobre duas lésbicas que queriam ser sócias como casal no clube do Cruzeiro.
    O cqc fez uma daquelas enquetes ao vivo perguntando se as regras em um Clube privado deveriam respeitar:

    a) o estatuto do clube
    b) o bom senso
    c) as leis do país

    Sabe qual venceu? o estatuto do clube, o Marcelo Tas e toda a bancada ficaram com cara de C# ao vivo, foi hilário e foi bom para eles notarem que a população não caiu nesse frame deles.

    • Rodrigo,

      O plebiscito das armas foi um plebiscito real.

      Esse da constituinte foi um plebiscito “fake”, organizados pelos sovietes. Tanto que foi um fracasso, com apenas 1,600,000 votos online.

      Quanto mais pessoas participam, mais legitimidade é dada para eles.

      Esse plebiscito não vale nada, é golpe, é igual ao plebiscito crimeano. É traição.

      Pode até ser que eu tenha sido mais ou menos forte com o Pastor Everaldo,mas ele tem que dizer que RAIOS ele fazia lá.

      Se vier com a conversa de que “nós tomos temos que votar pela constituinte”, é traição.

      Abs,

      LH

      • Luciano, eu também estou com medo disso ai passar, é um golpe na democracia eu sei…

        E também não sou fã do pastor everaldo, pra mim ele é aquele tipo de pessoa que encontrou um filão nas ideais liberais e tenta tirar proveito disso, mas sem nenhum tipo de embasamento e estudo para tal.

        Ainda não sei como poderíamos agir para bloquear isso, talvez tenha que refletir mais sobre o assunto e tentar encontrar alguma solução na literatura que voce e o olavo sempre recomendam…eu ainda sou um estudioso da guerra politica.

        Abs

      • Concordo com o Luciano em todos os pontos que ele abordou. Não há como comparar o plebiscito sobre o armamento da população que foi oficial e que jogou no vaso sanitário o argumento esquerdista. Este falso plebiscito “constituinte”, se acatado pelo Congresso, se caracterizará num golpe de estado, exigindo intervenção de quem tem a obrigação de defender a nossa Constituição! Que fique claro que não estou pedindo intervenção, mas se o tal do plebiscito for para frente e nada for feito para impedir suas consequências, será o fim do Brasil como o conhecemos.

  6. “Por que eu teria feito isso? Por que como era um evento privado, eles podiam fazer o que quiser.”

    Eu devo discordar dessa frase. É uma liberalidade sua se manifestar ou não sobre o que bem entender, mas esse argumento não procede.

    Eventos privados não são apenas aqueles que se realizam sem a participação do Estado. Se uma determinada manifestação se propõe a atacar a Democracia, a independência, a Federação, os direitos fundamentais, no qual participa uma organização terrorista, contando com a participação de líderes religiosos e autoridades públicas, decerto, a meu juízo, não se trata de simples evento privado.

    Uma reunião de traficantes, de nazistas ou de estupradores, também estaria longe do alcance das críticas com esta mesma premissa.

    É evidente que a matéria debate pelos subversivos afrontam o artigo 23, inciso I da Lei de Segurança Nacional, pois a Constituição não é suicida e o poder constituinte de 1987/1988 estabeleceu claramente os limites e o procedimento para as reformas políticas e não dispôs sobre a sua convocação que somente é possível, a meu ver, ante uma grave e irreversível pertubação da Ordem política, como ocorrem em revoluções, guerras civis e golpes institucionais.

    Se não estamos vivenciando uma revolução ou uma guerra civil, só me resta a última alternativa na ausência de outras hipóteses históricas. Assim, se se trata de um crime contra a Segurança Nacional, logo é sim tema de interesse público.

  7. Luciano, não sei se você já sabe, mas a CNBB tá promovendo essa porcaria nas paróquias. Fui saber disso porque meu pai me chamou pra ser “mesário” na paróquia que frequenta, coletando votos. Pelo que ele me disse, dá a entender que estão INDUZINDO os fiéis a votarem favorável a isso, e acho bem possível eles conseguirem os 10 milhões usando essa lábia.

  8. Até onde eu sei ele é contra plebiscitos (principalmente deste tipo),a não ser em casos excepcionais,e sempre defendeu o congresso.Alguém deve te-lo convidado no meio da rua pra participar e ele deve ter levado na brincadeira,ademais tem que ver o que ele escreveu no papel,ao invés de ficar julgando.

      • A nota oficial do PSC foi esta:

        Sobre a participação do Pastor Everaldo na votação informal promovida por diversos partidos de esquerda, ONGs, confederações sindicais e estudantis, acerca da necessidade de um plebiscito constituinte para reforma política, viemos esclarecer os seguintes fatos:

        1 – Entendemos ser legítima a manifestação desses setores na luta pelos seus ideais, ainda que equivocados, em nossa opinião;

        2 – O Pastor Everaldo fez questão de MANIFESTAR-SE CONTRA, VOTANDO PELO NÃO, por entender que a Constituição Brasileira já é bastante flexível quanto a reformas, sendo certo que toda e qualquer reforma política poderia ser feita sem necessidade de Assembleia Constituinte. Só haveria necessidade de uma “miniconstituinte” se tivesse como objetivo acabar com a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes e os direitos e garantias individuais, cláusulas pétreas e inegociáveis de uma democracia.

        3 – O Pastor Everaldo e o PSC defendem uma reforma política que: (i) reduza custos de campanha; (ii) promova democracia e direitos individuais; (iii) implemente o voto facultativo; (iv) simplifique a burocracia e aumente a fiscalização do registro e prestação de contas de campanha; (v) impeça que dinheiro público seja destinado para campanha política, pois dinheiro público deve ser gasto com a população; (vi) acabe com as coligações proporcionais que confundem eleitores e descaracterizam ideologicamente os partidos; (vii) aumente a segurança da urna eletrônica; entre outras ações em defesa de uma democracia plena, segura e respeitadora do cidadão. E NENHUM PONTO DESSA REFORMA EXIGE “MINICONSTITUINTE”, apenas pontuais e necessárias emendas constitucionais, algumas das quais, inclusive, já apresentamos no Congresso, como a PEC 159/2012, que implementa o voto facultativo, de autoria do Dep. Filipe Pereira (PSC/RJ).

        4 – Entendemos perfeitamente a posição de alguns amigos e eleitores que prefeririam que não tivéssemos participado da votação, mas precisamos combater as más ideias com boas ideias, e esse combate se faz com participação e debate, e foi apenas esse o nosso objetivo: participar e debater, nos posicionando contra a medida em questão, e lamentamos caso alguém tenha entendido em contrário.

        Abraços.

      • Luciano, está circulando por aí uma resposta oficial do PSC a isso:

        “Sobre a participação do Pastor Everaldo na votação informal promovida por diversos partidos de esquerda, ONGs, confederações sindicais e estudantis, acerca da necessidade de um plebiscito constituinte para reforma política, viemos esclarecer os seguintes fatos:

        1 – Entendemos ser legítima a manifestação desses setores na luta pelos seus ideais, ainda que equivocados, em nossa opinião;

        2 – O Pastor Everaldo fez questão de MANIFESTAR-SE CONTRA, VOTANDO PELO NÃO, por entender que a Constituição Brasileira já é bastante flexível quanto a reformas, sendo certo que toda e qualquer reforma política poderia ser feita sem necessidade de Assembleia Constituinte. Só haveria necessidade de uma “miniconstituinte” se tivesse como objetivo acabar com a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes e os direitos e garantias individuais, cláusulas pétreas e inegociáveis de uma democracia.

        3 – O Pastor Everaldo e o PSC defendem uma reforma política que: (i) reduza custos de campanha; (ii) promova democracia e direitos individuais; (iii) implemente o voto facultativo; (iv) simplifique a burocracia e aumente a fiscalização do registro e prestação de contas de campanha; (v) impeça que dinheiro público seja destinado para campanha política, pois dinheiro público deve ser gasto com a população; (vi) acabe com as coligações proporcionais que confundem eleitores e descaracterizam ideologicamente os partidos; (vii) aumente a segurança da urna eletrônica; entre outras ações em defesa de uma democracia plena, segura e respeitadora do cidadão. E NENHUM PONTO DESSA REFORMA EXIGE “MINICONSTITUINTE”, apenas pontuais e necessárias emendas constitucionais, algumas das quais, inclusive, já apresentamos no Congresso, como a PEC 159/2012, que implementa o voto facultativo, de autoria do Dep. Filipe Pereira (PSC/RJ).

        4 – Entendemos perfeitamente a posição de alguns amigos e eleitores que prefeririam que não tivéssemos participado da votação, mas precisamos combater as más ideias com boas ideias, e esse combate se faz com participação e debate, e foi apenas esse o nosso objetivo: participar e debater, nos posicionando contra a medida em questão, e lamentamos caso alguém tenha entendido em contrário.

        Abraço,
        Equipe 20.”

  9. Duvido que tenha votado não, Pastor Everaldo entrou nessa brincadeira totalmente despreparado, no início apoiei a candidatura pelas bandeiras mas ele não sabe defende-las, deveria ter se colocado apoiando o Aécio desde o início e pressionado por medidas liberais que ficava muito melhor.

    • Pastor Everaldo é só um títere. Não tem convicção de nada e vai pro lado que render mais. Pastor sério não entra em política. Sinto muito.

      • Apesar de no conceito concordar com o Bispo McAlister (acho que foi vc postou um vídeo dele por aqui) sobre a política ser uma missão inferior ao pastorado (muito inferior), não coloco de forma absoluta que “Pastor sério não entra em política” porque vejo muitos que estão assustados com o cenário político e como não sabem como agir entram nesse meio, e o pior: Totalmente crus e incapazes de acertar o quanto deveriam, bem ou mal quem tem segurado as pontas no congresso nos últimos anos são: Bolsonaro, Caiado, Alvaro Dias (que tem convicções mais definidas) e as bancadas evangélica e católica (sendo que a evangélica é muito formada por pastores), a maioria dos membros dessas bancadas não tem uma ideologia bem definida e vota certo em apenas algumas questões, mas tem sido uma resistência a alguns projetos.

        O fato é que sem uma base conservadora/liberal não dava pra ter políticos melhores (espero que isso mude um pouco já no próximo mandato – Paulo Martins já é um bom sinal) e com mais embasamento para representar os eleitores e combater as ameaças.

        Realmente o pastor Everaldo não tem convicções liberais, provavelmente foi sendo levado pela esquerda a vida toda sem entender bem onde estava, acredito que tenha sim saído da base aliada por questões que são mais visíveis pra direita religiosa (aborto, casamento gay e coisas como Gilberto Carvalho falar que o PT disputava espaço com evangélicos). Apesar desse despreparo gostei da aproximação dele com liberais e achei que ele conseguiria ter um discurso coerente e lúcido, infelizmente ele é muito limitado nessa nova ideologia, não leu o suficiente pra ter embasamento e segurança (como o Levy Fidelix tem falando de Keynes, único que vi mostrar saber de teoria econômica pra valer no debate, ainda que Keynes, kk). Se o pastor Everaldo ganhasse haveria um pouco de tranquilidade com relação ao foro e teríamos um avanço econômico que beneficiaria o Novo nas próximas eleições.

      • Ayan, falando no Novo, já vi no facebook alguns comentários reclamando do presidente do Novo falar que o Novo é focado em economia e questões sociais/morais ficarão para depois, vi conservadores “desiludindo” com o partido por estar focado em economia e não se manifestar sobre outras questões. O presidente do partido deixou claro que essas questões serão resolvidas quando o partido existir, se os conservadores se afastarem do partido e deixarem para os libertários eles votarão internamente sobre essas questões e ele de fato será um partido que não vai “servir” para os conservadores, um baita erro estratégico já que o estado atual beneficiaria muito que os candidatos fossem livres nessas questões.

  10. Pessoal, não levem a sério nem percam tempo com esse pastorzinho de merda… entre ele e Eduardo Jorge eu prefiro o segundo, que é quase um humorista assumido.

  11. Razões pelas quais jamais votarei em PSC e em Pastor Everaldo:

    1) PSC durante tanto tempo apoiou o PT – é bascimente o partido “Cristão” PTista. Um exemplo: nas eleições de 2012, um candidato do PSC – hoje prefeito de Búzios-RJ – foi eleito na mesma coligação do PT e do PCdoB (http://www.eleicoes2012.info/dr-andre-20). Sabe aquele humorista que imita e satiriza a Dilma, o Gustavo Mendes? Ele teve um show censurado pela prefeitura de Búzios-RJ, em junho desse ano. (http://www.youtube.com/watch?v=vXV9q1ACkPg)

    2) Em sua última entrevista concedida à Globo, o Pastor Everaldo diz que é a favor das privatizações, porém ele é a favor do aumento do poder das agências reguladoras! Afinal, que tipo de liberal é esse?
    http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2014/09/pastor-everaldo-e-entrevistado-no-jornal-da-globo.html

    Esses fatos pra mim já são suficientes para repudiar qualquer político do PSC, tirando somente o Paulo M que, infelizmente caiu na teia do PT. Preciso de um partido genuinamente de direita, que defenda ideias liberais e que seja criado por membros do povo de verdade que sejam independente dos que já estão no poder.

    • Exceto Paulo Martins e Eduardo Bolsonaro.

      Aliás, não sei o que Paulo Eduardo Martins e Eduardo Bolsonaro fazem no PSC! Deveriam ter se filiado ao PRTB de Levy Fidélix!

      Seguindo a dica do Olavo de Carvalho, para mim esse é o partido a ser tomado por dentro pela direita!

      • Pra mim partido a ser tomado por dentro é o DEM. Fidélix é estatista, não nas alianças, na mente.

        O importante para candidatos que não votam com o partido e sim com as convicções como Paulo Eduardo Martins e Eduardo Bolsonaro provavelmente farão é a liberdade, eles concordam um pouco com os pilares do partido e serão livres para votarem como acharem melhor, como o Bolsonaro faz no PP que é base aliada do PT. Paulo Martins, aliás, tem tudo para modificar o partido e trazê-lo para a direita.

  12. Luciano, já que a esquerda cria esses plebicitos falsos dizendo falsamente que é democracia e voz popular, não seria bom os conservadores e liberais entrarem no jogo criando os seus próprios plebicitos?

  13. Então deixem-me contar uma coisa…. eu participei da semana social brasileira, aqui em Santa Catarina, eram 3 etapas de debate., participei da 2ª em
    Laurentino, e a ultima que constituia de uma compilação de todas as propostas em Lages…. recebi do pároco um papel com o simbolo da semana social brasileira, com
    o titulo era proposta para uma reforma politica, preenchi e confirmei a participação, durava sabado e domingo, beleza , peguei e fui… chegando láh,
    encontrei grupos de pastorais, movimentos sociais, etc…. ao começar o debate havia um palestrante, que sem muita surpresa já de cara se declara
    militante, (adivinha de que partido ????)… ja perdi toda a esperança de que fosse algo realmente popular mas a curiosidade néh, durante esses dois dias nunca ouvi tanta
    informação distorcia, falou sobre o mensalão, declarou seu ódio a Rede Globo, abordou a ditadura, falou até sobre a “Mais Valia”, e até mencionou o Che Guevara (lógico, sempre sob o ponto de visão da esquerda) tudo oque ele falou está num documento que pode ser baixado no site da constituinte.org , oque ele fez basicamente foi falar sobre a “necessidade” de se fazer uma reforma politica… detalhe, tudo isso se passou dentro de um antigo ex seminario, que foi transformado em escola, e clinica psiquiátrica….ou seja comunistas usando instalações da igreja católica para tocar suas politicas, bem como era uma das metas comunistas, usar a igreja como ferramenta de transmissão ao socialismo… (ah se aquelas irmãs, ao menos soubessem que o Che Guevara não hesitaria em esmagar a cabeça de Jesus como um verme?)…depois de advogar a favor da reforma, o grupo foi dividido, em grupos menores, e cada grupo era responsavel por fazer propostas populares para melhorias nas politicas, ali se davam sugestões de como se melhorar a saude, educação, transporte, segurança,etc….feitas as propostas era compilada, e seria levada para Lages para a compilação final, pois lá em Lages se faria a compilação final de todas as regiões do estado….Fui convidado para a final em Lages, com apenas um dia para se debater algo que é tão importante e complexo como politicas publicas, mas enfim láh pelas tantas, perguntei se aquele documento final com as propostas compiladas de todas as regiões era para a reforma politica ? o palestrante na ocasião de forma meio vacilante, falou meio que baixinho com os olhos pro chão, NÃO….ai eu fiquei “preocupado”, oras tudo oque foi falado, me foi passado como para ser para a reforma politica, então disseram que todas aquelas propostas era pra fazer um documento para entregar para os candidatos de Santa Catarina e pedir para eles assinarem como forma de se compromenter a fazer oque foi pedido no documento… oras nada tinha a ver com a reforma politica então…. mas lá na frente num quadro atrás do palestrante, estava aquela foto da mão segurando o mapa do Brasil, com os dizeres, “Constituinte Já”… oras em nenhum momento dessas duas palestras que fui, ao menos me pediram se eu queria plebiscito, ou constituinte, pior, eram tiradas fotos do grupo, com o a mãozinha segurando o mapa, com os dizeres “Constituinte Já”, oras quem olhar aquela foto vai achar que aquela turma quer constituinte, mas não foi o objetivo daquela reunião, não foi debatido nada se queriam ou não constituinte, não havia um debate de um grupo argumentando contra outro com os que são a favor e contra a constituinte, ninguém notou isso mas eu percebi de cara…era uma manipulação, só que além das fotos , também foram colhidas assinaturas, oque irão fazer com essas assinaturas, que foram colhidas a titulo apenas de marcar presença, será que vão usar, como se fosse assinaturas a favor da constituinte????

  14. Essa foi a resposta que me foi enviada através da página Oficial do Pr. Everaldo pelo Facebook:

    Sobre a participação do Pastor Everaldo na votação informal promovida por diversos partidos de esquerda, ONGs, confederações sindicais e estudantis, acerca da necessidade de um plebiscito constituinte para reforma política, viemos esclarecer os seguintes fatos:

    1 – Entendemos ser legítima a manifestação desses setores na luta pelos seus ideais, ainda que equivocados, em nossa opinião;

    2 – O Pastor Everaldo fez questão de MANIFESTAR-SE CONTRA, VOTANDO PELO NÃO, por entender que a Constituição Brasileira já é bastante flexível quanto a reformas, sendo certo que toda e qualquer reforma política poderia ser feita sem necessidade de Assembleia Constituinte. Só haveria necessidade de uma “miniconstituinte” se tivesse como objetivo acabar com a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes e os direitos e garantias individuais, cláusulas pétreas e inegociáveis de uma democracia.

    3 – O Pastor Everaldo e o PSC defendem uma reforma política que: (i) reduza custos de campanha; (ii) promova democracia e direitos individuais; (iii) implemente o voto facultativo; (iv) simplifique a burocracia e aumente a fiscalização do registro e prestação de contas de campanha; (v) impeça que dinheiro público seja destinado para campanha política, pois dinheiro público deve ser gasto com a população; (vi) acabe com as coligações proporcionais que confundem eleitores e descaracterizam ideologicamente os partidos; (vii) aumente a segurança da urna eletrônica; entre outras ações em defesa de uma democracia plena, segura e respeitadora do cidadão. E NENHUM PONTO DESSA REFORMA EXIGE “MINICONSTITUINTE”, apenas pontuais e necessárias emendas constitucionais, algumas das quais, inclusive, já apresentamos no Congresso, como a PEC 159/2012, que implementa o voto facultativo, de autoria do Dep. Filipe Pereira (PSC/RJ).

    4 – Entendemos perfeitamente a posição de alguns amigos e eleitores que prefeririam que não tivéssemos participado da votação, mas precisamos combater as más ideias com boas ideias, e esse combate se faz com participação e debate, e foi apenas esse o nosso objetivo: participar e debater, nos posicionando contra a medida em questão, e lamentamos caso alguém tenha entendido em contrário.

  15. Pastor Everaldo pronunciou-se a respeito deste assunto. Abaixo segue a nota:

    Sobre a participação do Pastor Everaldo na votação informal promovida por diversos partidos de esquerda, ONGs, confederações sindicais e estudantis, acerca da necessidade de um plebiscito constituinte para reforma política, viemos esclarecer os seguintes fatos:

    1 – Entendemos ser legítima a manifestação desses setores na luta pelos seus ideais, ainda que equivocados, em nossa opinião;

    2 – O Pastor Everaldo fez questão de MANIFESTAR-SE CONTRA, VOTANDO PELO NÃO, por entender que a Constituição Brasileira já é bastante flexível quanto a reformas, sendo certo que toda e qualquer reforma política poderia ser feita sem necessidade de Assembleia Constituinte. Só haveria necessidade de uma “miniconstituinte” se tivesse como objetivo acabar com a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes e os direitos e garantias individuais, cláusulas pétreas e inegociáveis de uma democracia.

    3 – O Pastor Everaldo e o PSC defendem uma reforma política que: (i) reduza custos de campanha; (ii) promova democracia e direitos individuais; (iii) implemente o voto facultativo; (iv) simplifique a burocracia e aumente a fiscalização do registro e prestação de contas de campanha; (v) impeça que dinheiro público seja destinado para campanha política, pois dinheiro público deve ser gasto com a população; (vi) acabe com as coligações proporcionais que confundem eleitores e descaracterizam ideologicamente os partidos; (vii) aumente a segurança da urna eletrônica; entre outras ações em defesa de uma democracia plena, segura e respeitadora do cidadão. E NENHUM PONTO DESSA REFORMA EXIGE “MINICONSTITUINTE”, apenas pontuais e necessárias emendas constitucionais, algumas das quais, inclusive, já apresentamos no Congresso, como a PEC 159/2012, que implementa o voto facultativo, de autoria do Dep. Filipe Pereira (PSC/RJ).

    4 – Entendemos perfeitamente a posição de alguns amigos e eleitores que prefeririam que não tivéssemos participado da votação, mas precisamos combater as más ideias com boas ideias, e esse combate se faz com participação e debate, e foi apenas esse o nosso objetivo: participar e debater, nos posicionando contra a medida em questão, e lamentamos caso alguém tenha entendido em contrário.

  16. (OFF – Para descontrair)
    Sabe como um petista consegue 10 na prova?
    Chega o professor, faz um “X” em uma folha e pede: “favor localizar onde está marcado o X”
    Petista: “X??!! Mas o qué isso? Mas o qué isso? Mas o qué isso? Mas o qué isso? Mas o qué isso? (mais 20 vezes). Esse X é nazista, fascista, opressor, machista, terrorista, burguês, proletário, patriarcal, homofóbico” (repete mais 50 x isso e começa cantar uma música de Chico Buarque)
    O professor , já exausto, dá nota 10 pro ano inteiro.

Deixe uma resposta