O que há de errado com o povo brasileiro? Mas será que há algo de errado com o povo?

50
514

andando

Rodrigo Constantino lançou um texto oportuníssimo a respeito do aumento das intenções de voto de Dilma Rousseff mesmo com o advento de tantas denúncias de corrupção. O título é “Que país é esse? Ou: O perigoso sonambulismo de um povo cúmplice da roubalheira”. Antes de saber qual minha divergência dialética e respeitosa, leia o texto dele:

Acordei sorumbático hoje. Um dos maiores escândalos de corrupção vem à tona por denúncias de um importante ex-diretor da Petrobras, a maior empresa do país, e pouco ou nada muda no quadro eleitoral? Paulo Roberto Costa não é um tucano, um jornalista da “imprensa golpista” ou um “neoliberal” que deseja prejudicar o PT. Era o homem de confiança do próprio governo, que Lula chamava de “Paulinho”.

O estrago econômico da passagem do PT pelo poder será enorme e levará tempo até ser totalmente sanado. Mas o estrago moral é o que mais me preocupa. Nunca antes na história deste país houve uma banalização do crime de tal monta. A percepção de que “todos fazem”, de que “todos são iguais” tomou conta do país. A própria propaganda enganosa do PT, somada ao esforço de muitos “jornalistas”, levou a esse quadro de passividade, negligência e sonambulismo.

Ninguém mais parece se importar com os escândalos. Estima-se em R$ 10 bilhões os desvios realizados por uma quadrilha dentro da estatal, debaixo das “barbas” da presidente, envolvendo vários nomes graúdos do governo, e nada? Dilma e Marina Silva estão empatadas no primeiro e no segundo turnos? Dilma, na verdade, teria subido dois pontos percentuais no segundo turno? Que país é esse?

Quando Lula foi reeleito em 2006, no auge do escândalo do mensalão, os sinais de cumplicidade do povo já eram claros. Mas a esperança é a última que morre. Tentamos racionalizar, pensando que a euforia causada pelo crescimento econômico ajudou a tapar o sol com a peneira. O eleitor médio, afinal, não teria como saber que a euforia era temporária e insustentável, produzida por estímulos artificiais e fatores exógenos.

Mas agora? Com a economia em recessão, a inflação machucando todas as famílias, e escândalos emergindo com velocidade maior do que nossa memória consegue preservar? Como podem ainda votar no PT? Como podem desejar a continuação… disso? É muito descaso com a ética e até com o próprio bolso. É ilógico demais. É irracional. E é extremamente indecente, imoral.

É preciso ser dito, sem rodeios: o PT não tem mais eleitores; tem cúmplices. E assusta constatar a grande quantidade de cúmplices, de gente que jogou na lata do lixo valores e princípios, que não está nem aí para a corrupção, para os “malfeitos”. Sim, há muita ignorância. Mas ela, por si só, não dá mais conta da explicação. E Dilma não tem o voto só dos miseráveis e ignorantes.

O eleitor do PT está claramente dando um atestado de que não liga para a roubalheira. Quer apenas ser sócio no butim. Como não ficar carrancudo e melancólico em um país desses?

Todo o espanto e desalento de Constantino é legítimo e justificável. As denúncias sobre o PT são escabrosas e é realmente assustador ver tudo ser percebido como “normal” por parte da população, que parece até “anestesiada”. Sem contar o fato de que a crise brasileira tem como culpado o próprio PT. O cenário nos parece demonstrar uma nação repleta de pessoas com problema de valores e princípios. Isso justificaria uma melancolia com o país.

Porém, vejo que ele está avaliando a questão por uma perspectiva bastante diferente da minha. E mais uma vez, proponho o uso da técnica “change of perspective” que já usei no passado (para defender o voto em Marina ao invés de Dilma).

Eu não vejo uma população com problemas morais, mas uma grande maioria de pessoas com uma visão limitada do mundo. Não por terem culpa disso, mas em muitos casos por não terem tido oportunidade de buscar conhecimentos complexos a respeito da política. Muitos se preocupam com o dia de amanhã. Eles sabem disso. A maioria não está e nunca esteve interessada no aprofundamento do entendimento do que rege nossas vidas. A maioria de fato prefere viver como o sujeito do vídeo abaixo:

Eu defendo que não deveríamos culpá-los por isso, mas, ao contrário, assumirmos cada vez nosso papel de formadores de opinião. No léxico de Antonio Gramsci, estes são os intelectuais orgânicos. Rodrigo com certeza é um intelectual orgânico, e eu também. Meus leitores e os dele, em boa parte, também assumem essa função.

Voltemos para a maioria. Eles estão preocupados com o amanhã, pensando em sua sobrevivência: barriga cheia, emprego, perspectivas, saúde, etc. Daí eles delegam a persuasão das melhores opções para os intelectuais orgânicos de cada lado. Eles simplesmente aguardam as propagandas chegarem e vão comprar as ideias que forem inseridas com mais talento em suas cabeças.

A moral deles não é grotesca, mas a mesma que vemos em todas as nações ocidentais. Porém, nossos intelectuais orgânicos (sejam de direita, centro ou esquerda moderada) não tem atuado com o mesmo talento que os da extrema-esquerda. É preciso lembrar também que muitos desses intelectuais orgânicos fazem parte do time de marketing do PT. E de qualquer outro partido.

Enfim, se Dilma conseguiu “passar bem” pelo escândalo de corrupção, isso ocorre por que seus marqueteiros trabalharam adequadamente, enquanto a oposição mais uma vez comeu mosca. A culpa deve ser compartilhada entre os marqueteiros da oposição e todos nós, envolvidos de uma forma ou de outra, na formação de opinião da oposição ao sistema de governo da extrema-esquerda.

Proponho que recobremos as lições de Gramsci ao dizer que as coisas são definidas pelos intelectuais orgânicos atuantes de cada lado. Grande parte do povo merece que façamos mais do que temos feito. Precisamos agir e influenciar cada vez mais pessoas de forma a não permitir que o PT consiga obter tantos dividendos políticos como tem obtido.

Por essa perspectiva, o que há de errado com o povo brasileiro? Ele tem sido vítima do talento dos intelectuais orgânicos da extrema-esquerda e de uma série interminável de equívocos dos intelectuais orgânicos da oposição.

Anúncios

50 COMMENTS

    • Prefiro ficar com a ideia de que somos cúmplices!Não precisamos de informação.Pois a melhor maneira de percebermos a desgraça de termos Dilma como presidentA :nosso bolso.Só vamos acordar quando não tivermos comendo mais..Só assim criaremos. vergonha na cara.Aí o bicho vai pegar.

  1. Concordo com você mas nós da direita precisamos urgentemente encontrar nossos próprios termos para nos definirmos, por exemplo: reaça era um xingamento mas acabou caindo nas graças da meninada. Se tem uma palavrinha que eu detesto é militante ou militância, e intelectual orgânico então blargh… parece que o Gramsci está aqui, pesando em nossos ombros como um exu.

  2. Concordo que a visão limitada e a absoluta confusão ideológica vivida nesse país, onde políticos mudam de legenda como se pulassem amarelinha e não existem lados bem definidos (daí a confusão de que PSDB seria um partido de direita, ou extrema direita), e tudo o mais.

    Agora a meu ver tudo isso são nada mais que sintomas da crise moral generalizada que acomete o país, e ocorre também em escala mundial. A falta de moralidade acomete uma pessoa a perder a identidade de si, e o senso de pertencimento a qualquer coisa maior que a si mesma as seduz, por estarem carentes de um norte, ou da consciência de quem são. Isso tudo causa essa loucura toda, onde os filtros para o absurdos são mandados pelos ares e vale de tudo. Vale tudo na política, na cultura, na vida pessoal, enfim. Uma sociedade imoral é facilmente cativada por promessas hedonistas de vida fácil e prazerosa. E é sob esse slogan que o PT entra, senta e faz a festa no Brasil.

      • O problema!, o verdadeiro problema!, é que só agora está surgindo uma direita no brazil, e eles estão no poder a decada, mesmo nos regimes militares e antes, acha que será facil, esquece, vai ser duro e demorado, não sei se terei tanta paciencia para esperar.

      • Mas a falta de moral da sociedade é de fato resultado da ação esquerdista, Luciano.

        Conheço mais pessoas desonestas, ultraegoístas e mentirosas do que o contrário.

        Ouço dizer de mais velhos que o Brasil nunca teve um alto grau de moral, mas que nos dias de hoje as coisas pioraram gigantescamente em relação a décadas passadas.

  3. Olavo de Carvalho já disse isso várias vezes, um projeto politico não se faz da noite para o dia, é preciso primeiro formar uma base de intelectuais e ganhar espaço aos poucos por dentro da estrutura.
    O Constantino e a maioria dos liberais não entendem e não possuem essa paciência…

    Eu tenho visto que aos poucos muitos jovens já estão entendendo muito do que pensa a direita, as páginas de direita com zoações a esquerdistas tem pipocado no FB.
    Em outras redes sociais onde debato eu tenho encontrado cada vez mais espaço e apoio as coisas que eu digo e explico.
    Você mesmo Luciano deve ter notado que a frequência de visitantes e comentários no seu blog deve ter explodido no último ano.

  4. Não estamos acostumados com a democracia. Na verdade, a democracia não faz parte da nossa tradição política. Somos o país dos Golpes de Estado. Estamos acostumados com pessoas escolhendo não apenas quem nos vai governar, e sim quem nos vai conduzir no rumo de um Brasil do Futuro. Somos o país em que com frequência o Executivo legisla: atos institucionais, medidas provisórias e agora um Mensalão que compra as mentes do Legislativo e o povo, com a devida responsabilidade da mídia, acha que foi apenas MAIS um escândalo, uma roubalheira qualquer. Faço minhas as palavra do Alexandre Borges:
    “Políticos incompetentes ou delinquentes existem em qualquer lugar, o que muda é a capacidade da população de avaliar o governo, ter opiniões bem informadas sobre os tópicos que envolvem a vida em sociedade e a política, fiscalizando e eventualmente botando pra correr dos palácios quem merece. Quem define o estágio de maturidade de uma democracia não é apenas a eleição livre, é também a capacidade do eleitor de acompanhar a política, entender o que está acontecendo e reagir sempre que necessário. O quarto poder não é a imprensa, é o povo. Ou deveria ser.
    Nunca confunda eleição com democracia e avanço civilizacional. Eleições são meios, instrumentos, ferramentas, não um fim em si. O fim em si é eterna busca de uma sociedade livre, plural, próspera, com a plena vigência do império das leis e a proteção dos direitos humanos fundamentais.”

  5. Luciano, gostaria de acrescentar nessa discussão ainda mais uma variável, que é algo que tenho quase certeza de que em algum momento já foi dito elo Olavo (com outras palavras): a nossa lacuna editorial/literária, se é que pode-se chamar assim.
    Quantos livros famosos (e de qualidade) de posições de direita foram publicados no Brasil nessas últimas décadas? Não temos nem o “core” dos livros direitistas em língua portuguesa acho.
    Muitos autores estrangeiros famosos, recentes ou não, são completamente ignorados aqui, nunca traduziu-se nada deles. Quando muito, são edições lançadas há décadas e que nunca foram reeditadas.
    Isso acaba restringindo muito a divulgação do “conhecimento” digamos assim. Agora se formos ver os livros que se estudam na academia então…

    Em suma, num país em que:

    1) Já se lê relativamente pouco;
    2) Parte dos universitários é analfabeto funcional;
    3) Livros de viés direitista só são disponíveis em línguas estrangeiras;
    4) Academia dominada por ideólogos esquerdistas que, basicamente, ignoram autores de direita e costumam focar seus estudos somente em autores de esquerda.

    O conhecimento sobre as doutrinas da direita ou até mesmo uma consciência política mais ampla acaba se torna um nicho intelectual muito específico.

  6. Vocês poderiam começar com uma linguagem que chegasse ao povo, um texti mais simples. Eu adoro , mas o brasileiro tem preguiça de ler e se ele não entende pior ainda.

  7. Luciano, o ponto que você toca a respeito do trabalho dos intelectuais orgânicos da esquerda serem mais eficientes junto ao povão pode até ser correto. Mas creio que falta notar o efeito do Hiato Comunicativo nas reações dessas parcelas mais ignorantes.

    Uma enorme quantidade de eleitores é completamente alheia a qualquer noticiário, televisivo ou escrito. É gente que não consome notícias, e pouco compreende daquilo que chega a ter contato. Uma denúncia de corrupção que passa no jornal nacional não é capaz de chegar a este público como chega até nós. Ela precisa ser repetida, martelada e mastigada ao longo de semanas ou meses, por vários canais de informação, para só então começar a ser de fato absorvida por completo [e a partir daí ter efeitos eleitorais significativos].
    Já a figura constantemente exposta de um presidente em exercício ou de um líder carismático exige muito menos sinapses e esforço pra ser deglutida.

    Por isso creio que o esforço da direita não deve ser apenas discursivo e argumentativo. Tem de haver investimento em propaganda e comunicação de massa para poder levar efetivamente esse discurso para uma platéia realmente ampla e desqualificada [que é quem vota e elege].
    Teorias da Comunicação é mais um campo que convém à nova direita estudar…

  8. O Foucault gostava de fazer sexo com crianças (meninos) em São Francisco, isso todo mundo sabe. Mas basta um professor de história ou filosofia dizer “ah mas foi um grande pensador” que todo mundo esquece o fato de ele ser pedófilo e seu pensamento estar contaminado pelo fato de ter esses desejos perversos. A culpa deve ser compartilhada entre: os marqueteiros, professores, jornalistas, estudantes do movimento socialista e políticos(em geral).

  9. Sem querer ser desrespeitoso e sem ter tomado conhecimento de todo o conteúdo da matéria (só tive tempo de ver a excelente animação sobre o poder da Filosofia). O problema não é o nosso povo. Nunca o povo, a massa, vai se interessar por Hume, Kant ou Hegel! O que o povo quer é comida na mesa. O nosso problema é termos uma partido de oposição frouxo, covarde, anti-patriota que, só pelos motivos que ele mesmo pode esclarecer, se mantém sempre claudicante e na defensiva com relação à esquerda radical. Este é o nosso problema maior!

    Outra coisa – em minha opinião, é claro – eleição não se ganha com campanha feita apenas há 2 meses da votação. O político tem que construir uma reputação perante o povo ao longo dos 4 anos que a antecedem. Só conheço uma meia dúzia de políticos que se expuseram desse modo, além. é claro dos socialistas do PT, PSTU, PSOL e PCdoB. Entre aqueles, cito o Romário, , o Bolsonaro e a Cidinha Campos (aqui do Rio, por que estou no Rio e conheço apenas alguns dos políticos cariocas). O resto, mais uma vez, excetuando-se os esquerdistas radicais do PSOL, PSTU, PCdoB etc., passam os intervalos entre duas eleições em seus confortáveis gabinetes, bolando maneiras de conseguir amealhar para si e seus parentes e amigos o dinheiro público e só reaparecem, gordos, cevados e sorridentes, na época das eleições para pedir os nossos votos! 🙁

    • Só uma argumentação para tentar melhorar sua análise: a população não precisa conhecer Hume, Locke, Hegel (este que foi um filósofo pomposo nas palavras mas não em conteúdo) para entender como funciona a máquina comunista. Basta fazer perguntas simples: a quem beneficia tal sistema? Se é bom pro governo que tem imunidades legais e tem controle do futuro de milhões de pessoas, será que é bom pra mim, minha família ou é bom pra ele? é bom pra ele ter um nome gravado na história ou ele realmente está fazendo algo por trás da propaganda?

      Não precisa de inteligência acima de uma pessoa comum – inteligência mediana de ensino médio – para elevar um poco a classe que se preocupa (e com razão) de por comida na mesa e pagar contas. Aliás, é pra se notar que grande culpa da classe média e ficar produzindo contas (consumindo sem ter condições de bancar) e logicamente ficar preocupado o ano inteiro em como pagá-las.

  10. PS: Tenho dois conhecidos muito inteligentes, irmãos, que passaram em concursos públicos, e que em 2010 resolveram “debater” política comigo, alegando que Dilma era melhor do que Serra e que faria um bom governo. Racionalização para justificar suas escolhas profissionais, talvez? Não sei. O fato é que tenho muito mais raiva ou desprezo de gente assim do que de dona Nalvinha, aquela que idolatra Dilma porque ganhou uma dentadura nova. Acho que isso resume bem o espírito desse texto.

    http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/democracia/e-a-estupidez-das-massas-ou-a-das-elites/

  11. O povo brasileiro está muito ocupado com coisas importantes como futebol, novelas, famosos, baladas etc. Não sobra tempo para essas besteiras de política. O país não é sério porque o povo não é sério.

    • Lean, meu texto argumenta em direção exatamente oposta. O povo não tem culpa, não no Brasil, mas em lugar algum do mundo. O povo, no caso, é a “massa”. Quem define a direção da massa são os formadores de opinião de cada lado. Do lado da direita, estes não estão levando a coisa a sério. E o resultado está aí.

  12. Republicou isso em Enquanto há vida, há esperança!e comentado:
    O povo temalguma responsabilidade, sim, por se manter em ignorância admitida, mas os maiores culpados são os próprios políticos daquilo que poderia ser a nossa oposição ao radicalismo do PT, PSOL , PSTU e PCdoB. Isso porque não agem com a firmeza que deveriam agir, ou por certo grau de cumplicidade ou por desperparo mesmo. Não daria muito trabalho se simplesmente copiassem o exemplo dos próprios radicais e os atacassem com a mesma ferocidade com que eles, os esquerdistas, atacam os que se lhes opõem. Argumentos e justificativas baseadas em fatos é que não faltam à atual oposição para desmascarar os governistas. O que lhes falta é coragem ou, no pior dos caso, preparo!

  13. Bom, se a culpa (mérito) é da esquerda que funciona a todo vapor, significa que temos propulsão a acreditar na propaganda. Quem faz a melhor propaganda é quem influencia, certo? Eu concordo. O que eu acredito é que construindo uma sociedade mais saudável com padrões morais menos baixos seja possível já excluir a propaganda comunista como uma possível ameaça.

    Afinal, apesar do bom marketing, toda propaganda comunista é baseada em mentiras e especificamente a população tem tendência a acreditar sem antes verificar e esse é um erro moral antes de tudo, mesmo que seja sem culpa.

      • Isso é verdade, erro moral da direita que se esconde. Na verdade há pouquíssima direita no Brasil, enquanto no mundo todo ela cresce. Japão teve uma manifestação recentemente contra usar dinheiro público para financiar e manter mão de obra barata de outros países (similar aos mais médicos), França com 12% de aprovação do comunista Hollande, Itália 70% de reprovação do governo socialista , Grécia com 95% de rejeição ao governo comunista. Até na Indonésia manifestações do partido Conservador nos últimos meses surtiram efeito e o governo recuou em parar de cortar salário e aposentadoria para sustentar o superestado. América latina está sempre na direção contrária mesmo.

  14. “O estrago econômico da passagem do PT pelo poder será enorme e levará tempo até ser totalmente sanado. Mas o estrago moral é o que mais me preocupa. Nunca antes na história deste país houve uma banalização do crime de tal monta. A percepção de que “todos fazem”, de que “todos são iguais” tomou conta do país. A própria propaganda enganosa do PT, somada ao esforço de muitos “jornalistas”, levou a esse quadro de passividade, negligência e sonambulismo”.
    TENTAREI EXPLICAR O TEXTO ACIMA:
    A CNBB, silente, mais se parece conivente, que tem se passado por representante oficial dos bispos, nunca alerta o povo católico de há 12 anos estarmos sob regime comunista, materialista e ateu, das ideologias básicas dos nazistas e fascistas – muito poucos padres na net exercem esse importante múnus de esclarecimento disso – sendo um regime essencialmente anti cristão, idem os pastores evangélicos em muitas seitas, como a IURD etc., bem ao lado dos comunistas, ainda do lado da CNBB promovendo coleta de assinaturas em muitas dioceses para a “Reforma Política e da Constituinte”, como quer o PT e grupos esquerdistas aliados, como CUT, UNE, MST etc.
    Assim sendo, que esperar de um povo que é massificado pela mídia a serviço das ideologias sem confrontação? Isso que vemos aí: já alienado, idiotizado, massificado e relativizado e daí, massa-se-manobra, passa a ser bovinos tangidos para o pasto.
    A direção é dada pelo vaqueiro. Só!
    PS.: O pastor Everaldo era tempos atrás aliado do PT, saiu por não ser beneficiado por espaço* no PT para seu partido; os evangélicos estão muito descrentes em seus pastores!
    * = cargos!

  15. as vezes acho que o brasileiro gosta mesmo é de baixaria, tipo BBB mesmo, pois quanto mais sujo, mais simpatia há, vide o que está acontecendo entre Marina, Dilma e Aécio, Porém, com a presid’anta fazendo terrorismo psicológico, claro que algumas pessoas vão bandear para o lado do PT. Aliás nesta quinta no jornalista Nêumanne fez um comentário na tv a respeito disso, no qual ele disse que Dilma age como “quadro de Jesus em prostíbulo”. kkkk

    http://www.tvgazeta.com.br/?videos=pais-dividido-entre-voto-basta-e-voto-da-bolsa#

    • H. Saito,

      Não é isso. É que o mecanismo psicológico do ser humano é feito para perceber os problemas do mundo. Aqueles que se posicionam de maneira mais AGRESSIVA (dentro dos padrões da civilidade, claro) contra os causadores dos problemas do mundo, ganha o coração da plateia.

      A campanha do PT está certa neste sentido.

      Abs,

      LH

      • V conhece o ponto fraco desse bando de idiotas, o povo em geral, gosta é de messias, salvadores, como nessas seitas “milagreiras”, onde resolvem “tudo”, Ayan, como disse; ele gosta é de gente mentirosa e trapaceira, como ele, tipo Lulas da vida….
        São do tipo: Me engana, que eu gosto!

  16. Luciano, vai me desculpar, mas nesse texto tendo a concordar com o Rodrigo. ‘Delegar’ aos intelectuais orgânicos, conforme você bem explica, é legítimo, DESDE QUE as discussões que irão gerar subsídios para a tomada de decisão não estejam relacionadas a fatos contra os quais não há argumento que resista.

    Explico: Se não há provas concretas contra o Mensalão, Petrolão e outras roubalheiras, o embate será travado no campo especulativo. Aí, sai-se melhor o intelectual que melhor defender sua posição. O povo, que assiste a esse embate, na ausência de qualquer prova a respeito dos temas discutidos, escolhe um lado. Ponto! Até aí, ok! Agora, quando há provas irrefutáveis acerca da tal roubalheira que desmoronam qualquer discussão, a ponto do ‘argumento’ mais forte de quem está desse lado é o já clichê “precisamos investigar, por isso não vamos nos precipitar em apontar culpados”, sou levado a crer que a pessoa que ‘adota’ a posição defendida por este lado está, conscientemente, ignorando os fatos. Ela não está interessada na verdade, em confrontar os fatos, ela estaria buscando nesse intelectual orgânico terceirizar sua posição, e, por conseguinte, uma eventual e conveniente culpa, já que, se tudo der errado lá na frente, teria sido induzida ao erro.

    Enfim, essa é minha posição. Pra mim, contra fatos não há argumentos. Por isso, se numa situação como essa, a pessoa ignora o fato em favor de um argumento falho, está, sim, sendo cúmplice na imoralidade.

    Abs,

    Marcelo

  17. Acho que penso as coisas um pouco diferente, no texto é enfatizada a falta de informação ou conhecimento do povo, porém acho que no caso do Brasil o buraco é mais embaixo. Temos que pensar em valores, atitude e hábitos de ação e de pensamento que as pessoas do povo têm adotado, como podemos muda-los e qual a maneira justa e efetiva de mudar. Pensar nesses elementos além da questão da informação, é tomar as pessoas como agentes e dotadas de responsabilidade. Acho que tanto intelectuais orgânicos como o povo tem responsabilidades, até por que esses intelectuais são povo também. Essa não é apenas uma questão ética, mas de eficiência também. Se voce considera as pessoas como dotadas de responsabilidade, elas passam a assumir essa responsabilidade, caso contrário elas podem concordar com voce e simplesmente não fazer nenhum esforço para mudar.

    Deixo uma música do Alice Cooper.

  18. Obrigado pela dica de livro! Mas você acredita que faz sentido atribuir essa questão à vulnerabilidade da pessoa, mesmo quando esta passa a sentir o impacto do fato comprovado? Veja, entendo o que vc quis dizer, mas penso que a pessoa fica mais suscetível a esse estágio de vulnerabilidade ao qual você se refere quando as discussões ainda estão no campo especulativo (houve roubo ou não? quem rouba mais?). Até aí, ainda que corruptos tenham sido julgados e condenados, até dá pra se admitir a vulnerabilidade do camarada SE essa roubalheira ainda não impactou seu bolso. Mas olha o que o RC diz: “… economia em recessão, a inflação machucando todas as famílias, e escândalos emergindo com velocidade maior do que nossa memória consegue preservar…”. O que eu entendi do texto dele é que o cara que se dizia eleitor da Dilma antes, quando o resultado da corrupção ainda não o tinha atingido, e permanece eleitor agora, quando tudo está do jeito que está, é cúmplice do cenário atual. A este camarada não deve ser atribuído o estágio de ‘vulnerável’, a não ser que seja um ‘vulnerável consciente’, se é que esse esse paradoxo existe. rsrs.

    Não sei se esse exemplo é adequado, mas pense no caso do Malafaia. Vamos dividir em 3 estágios:

    – Anos atrás, o Silas Malafaia apoiou o PT e PEDIU VOTOS PARA O PARTIDO;

    – Alguns anos depois, vendo muita coisa errada, convocou lideranças religiosas para se posicionarem contra alguns temas que tinham aprovação do Governo. Nesse momento, ELE CRITICAVA OS TEMAS (ABORTO, CASAMENTO GAY, DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS), MAS NÃO DIRETAMENTE O PT;

    – Hoje, sendo perseguido pelo aparelhamento estatal, que se intensificou após seu posicionamento (relatado no item anterior), assumiu a postura DE CRÍTICO CONTUNDENTE DO PT.

    Viu onde quero chegar? Ele, embora seja o intelectual orgânico, deixou sua vulnerabilidade de lado quando o bicho começou a pegar pro seu lado. De igual forma, vemos outros que antes eram de esquerda e hoje, conscientemente, decidiram assumir uma postura crítica diante dos fatos. É por isso que acredito que essa vulnerabilidade tem seus limites. A não ser que estejamos falando de pessoas com problemas cognitivos sérios, mas não acredito que seja o caso dos milhões que hoje dariam seu voto para Dilma ou Marina. Portanto, ainda acho que há cumplicidade na imoralidade.

    Lembremos que o voto é para pessoas com 16 anos ou mais, ou seja, parte-se do princípio que tal faixa etária pressupõe consciência.

    Abs,

  19. Acho que no Brasil não existem políticos com ideais de direita. Existem os patrimonialistas e os esquerdistas radicais (que a seu modo são mais patrimonialistas ainda). Por que haveria oposição real se aqueles que fariam o papel de opositores estão bem satisfeitos? Partindo para exemplos, por que uma famosa e poderosa família política do Nordeste partiria para fazer oposição contra um governo que a aceitou como aliada e que permite que ela enriqueça mais e mais?
    Os formadores de opinião de direita que objetivam uma sociedade mais civilizada teriam que ser – como tem sido desde que voltaram a existir nos últimos anos – independentes.

  20. Infelizmente ainda é “chique” ser de esquerda, e qualquer pensamento remotamente de direita é dito praticamente aos sussurros, com medo da patrulha que fez e faz seu macabro dever de casa de maneira desonesta, porém eficiente, há décadas. Vai dar um trabalhão reverter isso, mas é possível. Não espere resultados para a sua geração, faça a coisa certa e diga a coisa certa. Não pode ter pressa.

  21. A competência petista em se espalhar por todos os cantos é macabra.
    Conheço relatos de quem já fez serviço social em cidades de interior do Nordeste, afastada das grandes capitais, esquecidas, e disse que lá há pichações e pinturas de monte PT, estrelas, 13, como uma forma de entrar na cabeça do povo menos favorecido isso. Tem cara de teoria conspiratória, coisa de Olavo de Carvalho, plano de dominação… mas não duvido que o plano seja mesmo esse, simples até: picha PT por tudo que é canto de cidades esquecidas e de população mais humilde que vão ficar com PT e (sexta feira) 13 na cabeça a força.

  22. SENDO RETO E DIRETO !!!! COMO CONFIAR NESSAS PESQUISAS ??? QUAL A GARANTIA DE NAO ESTAREM APARELHADAS PELO PT. JÁ QUE UMA COISA É CERTA ! A PORCARIA DA URNA ELETRONICA É PETISTA ATÉ OS OSSOS ” OU BARRAMENTOS”

  23. Incompetência nossa que assumimos ser de direita, e não mostramos para a nossa família, amigos, vizinhos, colegas, encima do muro, o que é certo para gerar liberdade riqueza, emprego, mostrar as nossas leituras, os nossos blogs e etc…enfim se o PT ganhar de novo vou aplaudir, pois fizeram um belo trabalho de reverter as coisas que estava pior para eles…e para nos que assumimos a Direita, vai servir de lição em vez de chorar, vamos nos unir e atacar…guerra política já…abraço a todos

  24. Bem, tem gente que mesmo tendo capacidade de análise e inteligência está dormindo. Querem um exemplo? Meu irmão. Estava em berço esplêndido, sem votar nos últimos sete anos e achando que o governo do PT era como outro qualquer. Até que comecei alertá-lo sobre o golpe recebido pela Venezuela e como estávamos no mesmo caminho, porém sem sabê-lo. Ele se ligou e esse ano vai votar. Meu irmão é uma pessoa de bem, mas estava alienado. Só isso. Acredito que milhões de pessoas se encontram na mesma situação e só precisam de alguém para tirá-las do mundo de Alice.

  25. Nunca antes na história deste país se roubou com tanto descaramento. A moral petista e o exemplo de selvageria que o planalto emana para todos nós, é um problema que teremos de resolver ao longo de décadas. Nesses tempos todos consideram normal que um grupo político aparelhe todas as estatais e acabem com a maior empresa do país. Deus me livre. Espero do Brasil um país maior que este. Votar em qualquer candidato da oposição é não compactuar com o trato petista da coisa pública. Acredito que tanto Marina quanto Aécio conseguem fazer mais e melhor do que a Dilma e com algum pingo a mais de decência (mesmo que não seja muito).

  26. “(…) A Marcha rubra se espalhou e a direita não viu.
    O Paulo Freire virou santo e fodeu com o Brasil. (…).”

    Basicamente é isso. A doutrinação, que não passa de mera propaganda, começou já no ensino médio e depois passou para as universidades. Aí já estava consumado. Mas não para o pior, pois o pior já está se dando com as ramificações do germe gramscista nas instituições republicanas. Mas nada está perdido. O problema são esses intelectuais orgânicos de extrema-esquerda e a inépcia dos direitistas.

    A extrema-esquerda só atrapalha a vida do povão quando organiza greves no transporte público orquestradas sindicatos tomados por PSTU. Visando prejudicar a “burguesia”, ela prejudica a todos, como na greve dos metroviários (os pobres que mais usam o transporte público) e garis no Rio de Janeiro.

    Agora do povo brasileiro, pesquisas de opinião recentes mostram que o brasileiro é majoritariamente conservador, mas as pesquisas de intenção de voto apontam Dilma (PT) na frente (?!), com o governo mais “progressista” desses últimos tempos, um governo que determina, por exemplo, que 99% de seus cidadãos são “homofóbicos” e portanto precisam ser “reeducados”.

    A direita precisa usar mais o mega-fone, fazer chegar ao coração. A esquerdalha é minoritária, mas ganha o jogo porque grita mais alto. Mas o povo brasileiro é muito mais inclinado à direita, embora seja ainda estatista (59% é contra privatizar a Petrobras e 75% apóia o Bolsa Família). Bolsonaro usou a receita certa, e ele está ligado no jogo: https://www.youtube.com/watch?v=VwSU0A-zCfA&feature=autoshare.

    O momento é de guinar à direita, basta vermos como os autores de direita têm vendido, enquanto os livros dos esquerdistas criam teia de aranha nas livrarias. E a esquerda morre de medo. Temos de usar essa arma do medo contra eles. Que temam mais e mais.

  27. Eis aqui um exemplo perfeito do pensamento dominante na população:

    Celso do Rosario, 12/09/2014 às 21:34

    TODOS ESSES POLÍTICOS SÃO “FARINHAS DO MESMO SACO”. COMPUTANDO OU NÃO OS VOTOS NULOS, EM OUTUBRO VOTO NULO NELES!

    Esse cidadão precisa de uma alma caridosa que o alerte.

  28. Não existe isso de não ter informação. O sistema analógico de tv ainda funciona porque praticamente todas as casas tem tv e nem todos compraram o conversor ou tv com o mesmo integrado. As pessoas no BR escolhem não se informar. Usam do direito de utilizar o controle remoto. Veja que os bolsa família souberam do não pagamento da bolsa rapidinho! Essa história de não sabia não é a mesma que os petralhas usam?
    Curiosamente, os eleitores não querem se informar sobre os candidatos que vão votar! Interessante não é?
    No fim das contas, quem vota em ladrão em qualquer estado brasileiro, se já não for, é um ladrão em potencial.

Deixe uma resposta