PT mente de novo para tentar (inutilmente) rebater os 5 motivos elencados pela Revista Forbes para não reelegermos Dilma

1
85

Dias atrás, a Revista Forbes listou 5 motivos para os brasileiros darem um chute nos fundilhos de Dilma. Veja:

O Brasil não cresceu tanto quanto poderia – e deveria – sob seu governo

É a primeira vez em cinco anos que o Brasil registra retração da economia, lembra o colunista. Em 2010, o país cresceu 7,5%, compara a publicação. “Embora Dilma diga que a performance fraca da economia seja fruto da crise internacional, os números a provam errada”, diz o texto. “Até o fim de seu mandato, o crescimento do país deve ser dois pontos porcentuais menor do que a média da América Latina entre 2010 e 2014. Pela primeira vez em 20 anos os vizinhos do Brasil deixam o país comendo poeira”.

A maior empresa estatal do país é seriamente prejudicada

A Petrobras está sob investigação por abrigar “dentro de suas paredes” um esquema de corrupção multimilionário, lembra o colunista. “As finanças da Petrobras sob administração petista não são nada menos do que desapontadoras”, diz o texto. A estatal está sendo usada pelo governo como uma forma de conter a inflação do país, segurando os preços dos combustíveis, o que causou um rombo de 20 milhões de reais à empresa em 2013. Segundo a revista, a ironia neste caso é que a ‘úncia solução lógica’ para o problema da Petrobras veio de sugestão do nanico Pastor Everaldo: “privatizar a estatal”.

A estratégia de manter a inflação em alta para manter empregos é questionável

Para inflação e baixo desemprego conviverem bem – como é o desejo de Dilma Rousseff -, é necessário que a economia apresente crescimento. No entanto, não é o que está ocorrendo no Brasil. A Forbes afirma que a piora da inflação se deve ao aumento dos salários e da diminuição dos lucros de empresas. Dilma entende que a solução seria aumentar as taxas de juros, enrijecer a política fiscal brasileira e permitir que os preços se ajustem. No entanto, essas medidas afetam diretamente o consumo no país, que representa 63% da economia brasileira. A revista afirmou que para uma governante populista, é como um remédio caro que, mesmo que o paciente precise comprá-lo, não terá condições de acesso.

Dívida Pública cresce. E o governo poupa menos

“O orçamento federal está constantemente em déficit, e Dilma se comprometeu a cumprir uma meta de superávit primário de 1,9% do PIB neste ano e 2% no próximo ano”, diz Antunes. Os gargalos do sistema brasileiro causam ineficiência e corrupção – e são responsáveis por um sistema de impostos bizantino.

Dilma não promoveu as mudanças para tornar a vida dos mais pobres melhor

O PT, partido que declarou o objetivo de defender os pobres e socialmente excluídos, não promoveu durante o governo Dilma a melhora na condição de vida dessa parcela da população que prometeu. Segundo o colunista, uma das razões é o retorno da inflação, que tem assustado brasileiros desde a década de 1970. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2012, a desiqualdade de renda melhorou de 2002 até a década seguinte. No entanto, essa melhora empacou há dois anos. Ao mesmo tempo, a receita arrecadada pelos ricos cresceu 50%. Isso significa que o governo Dilma quebrou um padrão de dez anos de progresso na distribuição de renda. Em outra questão, Forbes cita que o número de analfabetos também cresceu pela primeira vez em quinze anos, durante o governo de Dilma – tanto a presidente quanto Lula haviam prometido erradicar o analfabetismo do país.

Isso deve ter doído bastante, pois atinge em cheio a propaganda do partido. Mas o que o partido faz nesse momento? Demonstra uma cara de pau assustadora para lançar conversa mole tentando negar os fatos. Conforme o Brasil247, veja as tentativas de rebatidas do PT. Cada uma delas facilmente desmascarável.

1) O Brasil está crescendo Segundo o PT, o País está crescendo sim. O partido lembra que o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) – um tipo de prévia do PIB -, registrou na última sexta- feira (12) alta de 1,5% em julho, o maior avanço mensal do indicador em seis anos. “Mas ainda insistem que Brasil não cresceu”, diz o PT.

Isso é que é enrolação. Não há concorrentes para o PT nesse sentido.

Só que a reportagem da Forbes falava de um crescimento pífio, muito menor que os outros países do BRICS. O texto do PT não refuta a Forbes. Ao contrário, a endossa, mostrando que o crescimento foi tão baixo que não há como perdoarmos o partido por tal desastre.

Como não tinha uma resposta, o PT apelou para a simulação de falso entendimento.

A coisa funciona mais ou menos assim: imagine que as notas vermelhas cheguem e o garoto seja questionado pela mãe: “Paulinho, todos seus passaram na prova! Você tirou só 1.”. No que o Paulinho responde: “Não é verdade. Eu tirei mais que zero. Olha só: tirei nota 1!”.

Vergonhoso, vergonhoso.

2) A Petrobras não está mal O partido rebate as acusações de que a Petrobras estaria sendo prejudicada pelo governo. “Só em 2014 já atingiu a marca dos 500 mil barris de petróleo produzidos por dia do pré-sal”, diz o PT. “No primeiro semestre deste ano, a empresa lucrou R$ 38,5 bilhões, valor superior ao mesmo período de 2013”, completam.

 

Mais uma informação falsa, pois o lucro do primeiro semestre foi de R$ 10,352 bilhões (com queda de 25,5% em relação ao mesmo período de 2013). Além do lucro diminuir o valor da empresa tem diminuído, mesmo com a descoberta do pré-sal, que ajudou a levar o valor da empresa para R$ 380 bilhões em 2010. Com os casos de corrupção e perda de credibilidade, a empresa perdeu 50% de seu valor. Em suma, um desempenho ridículo.

3) Desemprego O PT destaca a menor taxa de desemprego em mais de uma década, e ainda afirma que não há arrocho salarial no Brasil. “Em março, o IBGE divulgou que a taxa de desemprego atingiu a menor marca, desde 2002; Ou seja, com Dilma o povo está mais empregado e sem arrocho salarial. E a inflação, em julho, praticamente zerou e se mantém na taxa prevista pelo BC”, diz o partido.

Essa conversinha de “redução de desemprego” também não engana mais ninguém. Os dados do IBGE apresentam a metade dos desempregados de fato, conforme vistos nos indicadores do DIEESE. Aqui temos um caso grosseiro de maquiagem de dados por parte do governo, o que por si só já desqualifica Dilma para permanecer no Planalto.

4) Dívida pública não é ruim Neste item, o partido até admite que a dívida pública está crescendo, mas, segundo eles, a alta é considerada baixa. “A dívida pública, cresce, sim! Mas, de acordo com o Ministério da Fazenda, tem taxas de crescimento de apenas 3% ao mês, consideradas baixas”, diz o PT.

É, pouquinho. Só R$ 2,7 trilhões. Dinheiro de pinga. Como a dívida chegou a um limite inaceitável, mas está crescendo pouco, então, na visão do governo… está bom. Eles definitivamente perderam a noção da realidade ou estão se fingindo de loucos.

5) Menos pobreza No último item, sobre a redução da pobreza, o PT diz que a razão listada pela Forbes é “absurda” e que a revista está errada. “Vale destacar que Dilma e Lula tiraram mais de 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza e outros 42 milhões ascenderam à classe C’, começa o PT. “Além do mais, em 2012, o coeficiente Gini – que mede a desigualdade de renda entre os países – atingiu o menor nível em mais de 35 anos, chegando a 0,53. Em 2001, o índice era de 0,60”, completa.

Apelar ao coeficiente Gini foi no mínimo desespero de causa, já que o índice não serve para avaliar redução de pobreza. No máximo, ele poderia ser um fator, dentre vários outros. Como índice isolado, vale o mesmo que um peido. Já o famoso indicator de “36 milhões de brasileiros pra cima, e mais 42 milhões de brasileiros melhores ainda” não passa de uma peça de propaganda já desmascarada aqui.

A verdade é que em termos melhoria econômica o Brasil toma goleada dos outros países do BRICS de forma ainda mais vergonhosa do que ocorreu com a seleção brasileira diante da Alemanha.

Em tempo: no mundo corporativo, se um gerente não apresenta resultados (em comparação ao que poderia ter feito, de acordo com o seu ambiente) e ainda falsifica indicadores para tentar lavar sua imagem, acaba sendo demitido. Esse é o estilo do PT de governo: fazer muito menos do que poderia ter feito (em comparações com quaisquer outros países do BRICS) e mentir sobre números.

Pensando bem, a revista Forbes até que pegou leve.

Anúncios

1 COMMENT

Deixe uma resposta