Aécio ganha 4 pontos na pesquisa IBOPE com táticas boas, mas que poderiam ser ainda melhores

17
50

Aecio-Neves-Foto-George-Gianni-PSDB-

Hoje saiu o resultado da pesquisa do IBOPE com notícias positivas para Aécio Neves: Dilma tem 36%, Marina tem 30% e Aécio 19%. O que significa que Dilma perdeu 3 pontos, Marina perdeu 1 e Aécio ganhou 4. Bem interessante se considerarmos as projeções que fiz no texto Qual é o desafio realista para Aécio Neves chegar no segundo turno?, onde sugeri metas factíveis. Relembremos as projeções feitas em 10/09:

  1. 11/09 – Marina 30% – Aecio 14%
  2. 18/09 – Marina 27% – Aecio 17%
  3. 25/09 – Marina 24% – Aecio 20%
  4. 02/10 – Marina 21% – Aecio 23%

É bom esperarmos a pesquisa do Datafolha nesta quarta-feira para sustentar ou não os dados, mas a se confirmarem essas informações, Aécio teria superado a sua meta em 2 pontos, mas a queda de Marina ainda ficou a desejar. Ou seja, no total teria ficado 1 ponto abaixo da meta (10 pontos de distância, quando agora são 11 pontos), mas é o suficiente para “continuar no jogo”.

Uma análise mais profunda será feita somente depois da divulgação da pesquisa do Datafolha, mas por enquanto Aécio deve seguir o plano: atacar Dilma e, nos ataques à Marina, fazê-lo de forma transversal. Mas Dilma precisa ser simplesmente desconstruída, para usar a expressão do momento da política nacional.

Eu tenho visto os programas de Aécio ultimamente e acho que há bons ataques neste sentido, mas ainda não com a contundência necessária. Pelo que vejo, ele acerta “a veia” algumas vezes, mas não todas.

No debate da CNBB, o momento em que ele descarregou artilharia sobre Dilma, em aliança com Pastor Everaldo, foi um belo destaque. Mantendo esse nível, aumenta a chance dele ser percebido como a verdadeira oposição à Dilma, papel hoje ocupado por Marina Silva.

E quanto aos ataques “divididos” entre Dilma e Marina? Aécio por sorte tem pego mais leve com Marina e mais forte com Dilma. Diante da primeira, ele usa os ataques transversais. E diante de Dilma os ataques mais diretos. Está na direção certa. Mas é preciso de muito mais em termos de assertividade.

O tom usado no debate hoje para desmascarar o Mensalão 2 de Dilma é um exemplo de postura mostrando indignação, “sangue nos olhos” e ainda lançando um shaming contra o oponente, sem esquecer de falar ao coração. É assim que as coisas devem funcionar. Mas ressalto de novo: é preciso lembrar que a evolução obtida foi um pouco abaixo do esperado, portanto é preciso comer mais um pouco de feijão com arroz.

De mais a mais, uma análise mais detalhada, com revisão (ou não) de plano, fica para amanhã depois da pesquisa do Datafolha.

Anúncios

17 COMMENTS

  1. A população está começando a acordar. O doleiro bandoleiro está para entrar no programa de delação premiada e vai ser um angu de caroço só. O importante é que o povo se livre do bolivarianismo.

  2. Suas projeções sobre Aécio tem alguns erros: primeiro porque ele sempre teve o teto de 20% (e esta nele). Em segundo, Marina não perde votos, nem para Aécio, nem para Dilma. O eleitorado dela é composto de brancos, nulos e indecisos até a morte de Campos. Por isso, se Aécio quiser chegar ao segundo turno, sua única chance seria tirando votos de Dilma.

    • Roberto,

      Eu contava com a máquina de destruição de reputações do PT, mas ela está demonstrando mta resiliência.

      Nas novas projeções de hoje eu farei exatamente essa proposta: mirar em tirar 6 pontos do PT e 3 pontos de Marina. É desafio ousado.

      Se fizer isso, pode ir para o segundo turno.

      Abs,

      LH

      • Discordo da avaliação do colega Roberto, que, inclusive, embute a idéia, que já se mostrou errada (apesar de defendida por muitos – ex.: FHC), de que Aécio deve parar de atacar Marina e focar apenas em Dilma. Foi quando começou a ser contundente com Dilma e com Marina ao mesmo tempo, associando ambas ao petismo, que Aécio iniciou a reação. Para ele, roubar votos de Dilma é impossível, mas ele pode fazer com que eleitores dela migrem para brancos e nulos. Já roubar votos de Marina não só é possível, como é determinante para chegar ao 2º turno.

        Marina pode ter uma base sólida, mas o que a faz encostar em Dilma foram os votos de comoção, que são voláteis, e os votos úteis antipetistas, muitos deles plenamente dispostos a retornar para Aécio caso consigam captar um fortalecimento de sua candidatura. Como acho que Aécio JÁ ESTÁ mais perto de Marina do que indicou o Ibope de ontem, acho que o plano dele para chegar ao segundo turno é bem simples: fazer com que Dilma caia de 3 a 4% (e o Petrolão está aí à disposição para isso) e tomar para si entre 6 e 7% de Marina. Muito longe de ser algo impossível.

  3. Os votos da Marina , são os inventados e transportados da campanha anterior pela mídia , ela estava na chapa com o Campos , e só tinham 8%, o sujeito morre e a criatura aparece com 30%? Mas ela não estava na campanha desde o Início? Onde estavam os tais números antes ? Muito estranha está história, plano b do Pt, tá na cara, . Nunca vi tanta manipulação, e indução ao voto. O que aparece na mídia , não é o que se escuta na rua, tem um gap nisso tudo.

  4. Aecio Neves fez ataques pesados a vaca da Dilma e ataques transversais à Marina: Terá ele Aecio e sua turma de marqueteiros finalmente descoberto este site ??

    • Olha. Pelo que vi no debate, parece que sim. rs.

      E tem que continuar na linha: bater na Dilma e, no caso de atacar Marina, usar ataques transversais.

      Ontem foi um exemplo disso: Dilma não teve perdão, enquanto Marina foi dita como “pessoa de boas intenções, mas que ainda parece parte do PT”.

      Abs,

      LH

  5. Não tem como o Aécio tirar mais voto da governanta, os que votam nela são eleitores de caderninho. Só quem tem ainda condição é a Marina.

  6. HAVERIA UMA “FÁBRICA DE INTENÇÕES DE VOTOS”?
    Os institutos de pesquisa não merecem credibilidade alguma. Se as pessoas fossem coerentes e escolhessem o melhor candidato se esforçando por o conhecer, e nem estivessem aí para pesquisas, eles se comportariam de forma diferente ou fechariam as portas.
    A quantidade de votos que de uma hora para outra foram repassados a Marina, quase num passo de mágica, creio que seriam fabricados e relembrados de anteriormente quando concorrera à presidência, e haveriam outros interesses (fora do Brasil) desejosos na sua vitória, é o que tem parecido!
    Vejam bem: Marina estava coligada com o Campos e só tinham ao máximo uns 8%, e logo após sua morte ascendendo a mais de 30%, que estranho!
    Fica a dúvida: que treta fizeram que mudasse assim de um hora para outra a seu favor, jogando o nome do Aécio para baixo – agora na reta final subindo – dando uma impressão que a disputa entre o PT e PSB de Marina seriam as 2 as lâminas de uma tesoura, ambos cortam do mesmo jeito e ambas são do mesmos ideais, comunistas, da bandeira da foice e martelo!
    Isso não passaria de uma tremenda manipulação da imprensa paga direcionando todos votarem nos “vencedores” de pesquisas para não “perderem” seu voto, tática que pode funcionar com os incautos e alienados!

    • Eu não me pauto por pesquisas, mas o eleitor médio faz isso sim. Aécio poderia estar em último que, ainda assim, continuaria com a intenção de votar nele. De uma coisa eu sei, o recebedores de benesses do governo não mudam o voto por motivos óbvios.

  7. OFF

    Sei que atualmente o foco aqui são as eleições pois dia 5 já tá batendo na porta, mas acho que o assunto vale como curiosidade.

    Luciano, lembro-me de há um tempo atrás surgir nos comentários daqui uma discussão a respeito de artistas precisando de grana pública para poderem sobreviver.
    Trombei a pouco com uma carta pública do João Parahyba a todos os artistas e em especial músicos, no qual ele diz que está criado um monstro.

    Veja alguns trechos:

    “Estamos acabando com a iniciativa privada desde país, e ficando escravos dos editais. O funil das gravadoras e empresários artísticos do passado está hoje na máquina pública. Assim nunca construiremos um mercado cultural sustentável e verdadeiro

    Não venham me dizer que festival e mostra de música é única e exclusivamente uma vitrine para quem está começando ou para quem está um pouco sumido da mídia, ou ainda, uma forma de formar público novo. (…) hoje é uma vitrine para o nome do festival, para os produtores e entidades organizadores, para o marketing das grandes empresas e principalmente para o governo. E esses proponentes muitas vezes obtêm fonte de renda que mantêm toda a estrutura de suas empresas através desses editais públicos, estaduais, municipais e federais.
    Principalmente com dinheiro público e quase 100% sem investimento privado, digo dos pequenos empresários, os proponentes, não das grandes empresas que utilizam esses editais e leis para fazer somente marketing, e não cultura.”

    Lembrando que a tal lei Rouanet (sei lá como escreve) liberou sei lá quantos para que aquela caganeira ANITTA lançasse um DVD.

    Link com a carta completa: http://screamyell.com.br/site/2010/04/13/carta-aos-musicos-e-artistas/

    Gostaria, se possível, de comentários, mesmo sabendo que está distante do foco da época…

  8. Pesquisa de intenção de voto é pseudociência, pois não é possível conferir se seu resultado é verdadeiro ou falso usando a mesma amostra analisada pela pesquisa em questão. Não é possivel conferir porque a identidade dos entrevistados é mantida em sigilo e, por isso, não tem como verificar se aquela amostra existe de verdade e se os entrevistados realmente votaram de acordo com o resultado divulgado pela pesquisa. A única forma que sem tem para atacar esse tipo de pesquisa eleitoral – que nada mais é do que uma mera pesquisa de opinião – é a sua metodologia. Diferentemente de pesquisas científicas, onde é possível que pesquisadores diferentes tenham acesso aos mesmos dados e consigam analisar as mesmas amostras, a fim de falseá-las por completo.

    O maior problema das pesquisas de intenção de votos é que, por estarem nas mãos do Estado, a grande mídia consegue distorcer a realidade dos eleitores, fazendo com que o povo pense que o resultado das eleições será aquele mesmo, e, principalmente, para dar credibilidade às urnas eletrônicas. É a maneira moderna mais eficaz de infiltração e de perpetuação no poder.

    Redublando a famosa frase de Joseph Stálin:

    “It is enough that the people know there was an election. The people who cast the votes decide nothing. The SOFTWARE who count the votes decide everything.” (Joseph Stalin)

Deixe uma resposta