O PT e a farsa do ódio aos bancos

3
240

dilma-rousseff

Como legítimo partido socialista, o PT vive emulando a velha retórica de guerra de classes, pela qual eles se fingem de defensores do povo “contra uma elite malvada”. A qual teria os banqueiros como alguns de seus principais representantes. A coisa chega ao nível de dizer “ou você está com os bancos, ou está comigo”. Mas de acordo com o ceticismo político, será que há algo de verdade nessas alegações?

Por exemplo, eles tem praticado um patrulhamento ideológico canalha contra Neca Setúbal apenas por ela apoiar a candidatura de Marina Silva. Tudo isso mesmo que Neca sempre tenha vivido afastada dos negócios da família. O problema é que o PT é o partido que mais se aproveita dos financiamentos empresariais de campanha… por parte do Itaú.

Outro detalhe: como pode existir um mundo de mocinhos (do PT) e vilões (os bancos) quando as notícias mostram que os bancos lucraram 8 vezes mais no governo Lula do que no governo FHC? E olhe que para seu militantes funcionais, o PT declara que os bancos estão contra eles apenas por buscarem “lucro”. Quem notou que as declarações de Dilma parecem querer alcançar um novo patamar de hipocrisia conseguiu perceber o quanto é lamentável a postura governista.

Alias, se Neca Setúbal virou a verdadeira Malévola após ter decidido apoiar Aécio, ela era a Branca de Neve quando ajudou na campanha do petista Fernando Haddad pela prefeitura de São Paulo? Lembremos também as expressões do ex-deputado petista Paulo Delgado: “A Dilma se esquece de que a Carta ao Povo Brasileiro foi escrita a pedido do (Olavo) Setubal, do Itaú”. Delgado se referia a um documento divulgado em 2002 para a campanha de Lula no intuito de acalmar o mercado.

Mas em termos de vergonha alheia, Dilma se supera quando lembramos que ela defendeu a autonomia do Banco Central em 2010 e agora demoniza Marina por compartilhar do mesmo discurso.

É hora de resumirmos o quão baixo eles estão:

  1. Apoiam autonomia do BC em 2010; demonizam Marina por propor autonomia do BC em 2014
  2. Usam auxílio de Neca para Haddad em 2012; demonizam Neca por ajudar Marina em 2014
  3. Dizem que defender lucros de bancos é coisa de pessoas ruins; e os bancos obtém a maior taxa de lucro no governo do PT
  4. O Itaú financia principalmente candidatos do PT; o partido diz que Marina é candidata do Itaú

Diante dessas constatações, não surpreende que o povo brasileiro considere Dilma como a candidata mais associada aos bancos, dentre os presidenciáveis:

Empenhada em associar Marina Silva (PSB) aos bancos, a presidente Dilma Rousseff é vista pela maior parte do eleitorado (42%) como a principal representante dos interesses do setor financeiro na corrida eleitoral. Além de medir as intenções de voto e a avaliação de governo, o Ibope apresentou aos entrevistados uma lista de segmentos econômicos e sociais e perguntou qual dos candidatos representa melhor cada um deles.

No caso do setor financeiro, Marina ficou em terceiro lugar, com 20%, atrás de Aécio Neves (PSDB), com 25% – uma mostra de que a ofensiva de Dilma e de seu marqueteiro, João Santana, teve efeitos limitados, ao menos até o momento. A campanha de Dilma exibiu na TV um vídeo de 30 segundos no qual afirma que a proposta de Marina de dar autonomia ao Banco Central vai entregar aos banqueiros “um poder que é do presidente e do Congresso, eleitos pelo povo”. Marina contra-atacou e acusou a presidente de ter criado o “bolsa banqueiro”.

Na segmentação do eleitorado por classes sociais, Dilma é vista como a principal representante dos interesses dos pobres por 44% dos brasileiros. A seguir vem Marina (29%) e Aécio (11%).

Em relação aos ricos, há uma divisão maior: 36% acham que é a petista quem mais os defende, e 34% apontam o candidato do PSDB nessa posição. A candidata do PSB, cuja atuação no Ministério do Meio Ambiente a colocou em situação de confronto com o agronegócio, é vista por 31% como a melhor defensora dos interesses da agricultura. Os índices de Dilma e Aécio são 36% e 17%, respectivamente.

Dilma é considerada pela maior parcela do eleitorado como a principal defensora dos trabalhadores (45%), dos aposentados (43%), dos jovens (38%), dos funcionários públicos (40%), da indústria (42%) e do comércio (42%). Marina se destaca no quesito meio ambiente (50%). O Ibope perguntou aos entrevistados se eles tomaram conhecimento das novas denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras: 65% responderam que sim, e 32%, que não.

Será que Marina e Aécio conseguirão perceber que a relação de Dilma com os bancos (especialmente em todas as suas contradições) é uma mina de ouro?

Mas ficamos assim: se quem faz aliança com bancos “não presta” (nas palavras da própria Dilma), então a petista comunica ao povo que ela mesmo não deve ser eleita. Mas o problema não está nos bancos, mas em seu governo.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Em governos gastadores como dos esquerdistas, há uma necessidade ainda maior de recursos além dos impostos(títulos do tesouro por exemplo), somado ao fato que vivem ameaçando não pagar o que devem, acabam gerando um aumento na taxa de juros para conseguir atrair investidores.Quem são os maiores investidores? Os bancos!Logo são os maiores beneficiados.

    Me corrijam se eu estiver errado.

  2. Como esse PT anda burro, é tiro no próprio pé todo dia. Vilma se queima sozinha, se picha sozinha… desse jeito tá muito fácil.

    Vivo dizendo isso nos comentários, e essa postagem é um prato cheio: DIVULGUEM. Divulguem no facebook e comentem, comentem principalmente com aqueles amigos/conhecidos que não acompanham blogs, que só escutam uma coisa aqui e uma coisa ali e não se envolvem muito. Comentem e bastante com esses.

Deixe uma resposta