Dilma, a censora, quer dizer o que a imprensa pode ou não pode fazer

31
120

dilma-com-raiva-560x315

Na próxima vez em que a Polícia Federal precisar de conselhos sobre o como direcionar as ações de segurança pública, deve questionar o Fernandinho Beira Mar. Assim como na próxima vez em que as igrejas precisarem de uma ideia para se ampliarem, podem contratar o Richard Dawkins como consultor. Na mesma toada, sempre que a imprensa quiser saber como agir, deve consultar Dilma Rousseff e sua turma. Essas três opções são exatamente iguais: baseiam-se em ouvir os conselhos de um inimigo natural, que só está interessado em sua destruição.

Após as divulgações da delação premiada de Paulo Roberto Costa há duas semanas, Dilma, como falamos aqui, pediu acesso ao depoimento delator à PF. Mas veja o que ela disse sobre a imprensa:

Pedirei ao ministro Teori a mesma coisa: quero ser informada se no governo tem alguém envolvido. Não tenho porque dizer que tem alguém envolvido, porque não reconheço na revista “Veja” e nem em nenhum órgão de imprensa o status que tem a PF, o MP e o Supremo. Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações. Agora, ninguém diz que a informação é correta. Não prejulgo, mas também não faço outra coisa: não comprometo prova. Porque o câncer que tem nos processos de corrupção é que a gente investiga, investiga, investiga e ainda continua impune […] Não é possível que a revista “Veja” saiba de uma coisa e o governo não saiba quem é que está envolvido. Pedi primeiro para a PF, que me disse: não posso entregar, a investigação está em curso e peça ao MP. E o MP me disse a mesma coisa: se ele me disser, ele contamina a prova. Se ele me disser, ele contamina a prova […] Quando sai uma denúncia na “Veja” ou em qualquer outro jornal, eu não tomo medida, porque sou presidente da República, baseada no disse me disse. Tomo medida baseada inclusive naquilo que sou a favor, que é da investigação absoluta. Vamos deixar uma coisa clara aqui: Quem é que descobre as práticas de corrupção no Brasil? A PF. Porque a PF tem hoje uma autonomia integral para investigar quem quer que seja. No Sempre que vazam informações que estão em investigação, sabe o que acontece? Compromete-se a prova. O MP denuncia e não pode ser condenado, porque a prova foi comprometida. Não é possível que alguém queira que a fonte de investigação no Brasil não sejam os órgãos oficiais. E são PF, MP e Judiciário.

Não há nada que se salve neste discurso, em termos lógicos.

Como inimiga natural da imprensa livre, Dilma se indignou com a investigação da Revista Veja, que conseguiu informações que muitos outros não conseguiram. Daí, ela diz que não é papel da imprensa investigar. Ao contrário: é papel da imprensa investigar sim. Talvez seja ignorância dessa senhora, mas existe até uma Associação de Jornalistas Investigativos. Quer dizer, se existe uma organização de jornalistas investigativos, e se o jornalismo investigativo é uma das áreas mais vitais da imprensa, como ela pôde ter dito tamanho absurdo? Talvez ela tenha confundindo jornalismo com edição de conteúdo, que é uma sub-parte do jornalismo apenas. Mas apostamos em desonestidade mesmo.

Ademais, é plenamente possível que a Veja saiba de algo que o governo não saiba (o conteúdo da delação de Paulo Roberto), pois, como vimos, a imprensa tem como uma de suas funções o jornalismo investigativo. E nem sabemos se o governo sabe ou apenas “finge” não saber. E isso é motivo para novas investigações.

Por outro lado, o governo não merece nenhuma informação privilegiada, em comparação aos outros órgãos de imprensa. O correto seria que todas as informações fossem divulgadas em um evento aberto agora para toda a imprensa (incluindo os que não fizeram jornalismo investigativo antes), no qual todos teriam acesso ao mesmo conteúdo. Até o governo poderia ser convidado para o evento.

Enfim, no próprio discurso Dilma se contradiz, pois se ela diz que “a PF tem autonomia integral”, então por que deve dar ao governo uma informação que não é dada aos outros? Note que é só investigarmos os embustes contidos no discurso dela que já achamos muitas coisas a mais.

Tem mais:

O que queria saber? Queria saber sim, para eu tomar providências. O que eles me dizem? Se entregar a prova para você, estarei comprometendo a investigação. Acho que nessa investigação, ela está sendo diferente. A própria revista Veja diz que o inquérito, os depoimentos, a delação estão criptografados e guardados num cofre. Isso significa que nenhuma das falas é garantida. Ninguém sabe o que é […] O pai no sentido de protetor, o compadre do crime de corrupção, do crime de lavagem de dinheiro, do crime financeiro é um só: a impunidade. Pode saber que criar condições para (combater ) impunidade, é uma coisa que o país tem de avançar. Antes, tinha o engavetador- geral da república. Hoje, tem um procurador-geral da República que investiga e tem autonomia.

Dica à oposição: sempre que Dilma disser que “antes tinha o engavetador-geral da república” digam que hoje tem “evidências suficiente para nenhum processo ser arquivado, ao contrário dos outros governos”. A desculpa de Dilma é mais esfarrapada que vítima de tombo na ladeira.

Voltando à busca de informação privilegiada, ela não merece nenhuma informação que os outros não tenham. O que ela fará com essas informações? Isso todos nós sabemos: ela vai chamar seu marqueteiro João Santana para criar frames para obter ganho político, ganhando tempo, enquanto seus adversários não conseguirão fazê-lo. É isso que deve ser fortemente denunciado para a opinião pública: Dilma quer informação privilegiada, que só pode ser útil para ela obter benefício político (em termos de propaganda), pois como o governo petista se baseia em maquiagem da realidade, eles precisam obter informações que os adversários não tem. Com isso, ela busca vantagem competitiva. Dilma, ninguém aqui nasceu ontem.

Por fim, uma pergunta que a irritou falava sobre a divulgação, para a imprensa, da declaração de Paulo Roberto Costa dizendo que recebeu R% 1,5 milhão de propina na época da compra da refinaria Pasadena:

Se você me disser para quem ele disse, quem disse e como é que disse, eu respondo. Recebo informações de juiz, de procurador e de delegado da PF. Sou a favor de investigar, nada colocar para debaixo do tapete. Acho que o maior mal atual é a impunidade. Se investiga, descobre o mal feito e não condena, cria a sensação de que não teve pena nenhuma. Sabe por que protege com a impunidade? Porque você não prende, não pune e só tem um jeito: tem que punir. Por isso é que se diz: tolerância zero.

Ela tenta confundir a todos, mas não é suficientemente inteligente. Provavelmente, não estava preparada para a pergunta. Uma presidente que se preze tem que receber informações de diversos lugares, e não apenas de “juiz, procurador e delegado da PF”. Se Paulo Roberto Costa disse que recebeu R$ 1,5 milhão, ela tem que dizer se acha que ele falou a verdade ou não. Mas por ter capitulado, mostrou o óbvio: ela depende de ajuda do marqueteiro para arrumar uma boa forma de se sair bem em relação às declarações de Costa. Como não tinha uma desculpa no momento, saiu-se com essa fuga de “recebo informações de juiz, de procurador e de delegado da PF”.

Dilma definitivamente já vestiu o uniforme de tiranete bolivariana, de acordo com o que vimos neste post: quer pautar o que a imprensa pode ou não dizer e precisa de informações privilegiadas a partir de órgãos como PF. O perigo para a democracia representado por Dilma está cada vez mais evidente.

Anúncios

31 COMMENTS

  1. Esta desgraçada tem que ser saída do poder o quanto antes!
    Como a Cristina Kirchner que acaba de dar o golpe comunista na Argentina, esta criminosa obesa está pronta para tentar o mesmo aqui. Nada existe de bom nela ou neste bando de psicóticos de esquerda que compõem o PT.

    • Nossa sorte é o Brasil ter dimensões continentais. Isso atrapalha um bocado o projeto totalitário comuna dos companheiros. Tem que subornar muita gente, muito governador, muito prefeito, é um verdadeiro inferno para os comunas. A gente só tem que armar um contra-ataque para que o castelo de cartas deles caia por terra. Ainda há tempo.

  2. Quem derrubou Nixon? Foi o FBI? Foi a CIA? Não. Foi um repórter investigativo do balacobaco. Claro que nesses tempos bicudos, aparecer um tipo desses para dar um chutão no traseiro de um traíra, seja pura sorte. Aqui no Brasil, reportagem investigativa não dá em quase nada. O governo é corrupto e encontra cúmplices que fazem qualquer denúncia virar piada de salão, como diria o Delúbio Soares dos recursos “não contabilizados”. A presepada do julgamento do mensalão é uma prova de que escândalo só serve pra vender revista. Vamos que vamos. O Brasil ainda bate no fundo do poço.

  3. Fico cada vez mais aturdido com a quantidade excessiva de frases e orações sem sentido completo, bem assim com o vocabulário confuso e repetitivo.

    Se “eles” lessem Veja, poderiam melhorar as “falas” e idéias.

    Esse processo de desinteligência verbal tem como causa ordinária a exacerbação do estado de ansiedade em que as palavras faltam ou denunciam falha de atos.

    Houve tempo em que se entendia perfeitamente o que um político queria dizer e diziam sem medo “corrupção” e não eufemicamente “malfeitos”, como se o mais feio e preciso sequer pudesse existir no partido.

    A verdade é que é incompatível com a Política a obediência ao “script” curto e tosco dos marketeiros vendedores de mentiras. “Eles” são o problema, não o Jornalismo, ou a Veja, ou a Isto É, ou a Carta Capital, porque substituíram a comunicação pela gestão de consciências.

    Antes de postulante a um novo mandato, Sua Exa. deve cumprir a função de atual presidente e dizer claramente que não há corrupção no governo e que põe a mão no fogo por essa garantia e não semear dúvidas e promover procuras e indagações, porque só se indaga e se procura o que íntima e implicitamente se sabe que existe ou se desconfia.

    O princípio básico é confiar e mostrar que confia nos auxiliares de governo. Como seria re governar com essas dúvidas ? Alguém já pensou nisso?

    Também, quem mandou constituir 39 Ministérios? Napoleão já dizia que não dá para controlar mais que 11.

    Napoleão. É ! Aquele Corso que não era comunista e que dominou o mundo. Será que “eles” sabem quem foi e o que fez ?

  4. Os 39 “Ministérios” são um bônus pra “cumpanheirada” petista, bem como os “sovietes” que pretendem nos impingir goela abaixo. Como o foram na extinta Russia Soviética as grandes empresas que sempre tinham sua alta direção constituída por membros do PC, o quê ainda ocorre na China, nos dias de hoje.
    Isso só não vai ocorrer na Argentina porque a vaca da Kirchner acabou com todas as grandes Empresas de lá, antes de dar o golpe…

    FORA PT!!!

  5. Wikipedia sobre a comuna de Paris, a primeira experiência comunista:

    “Eleições foram realizadas, mas obedecendo à lógica da democracia direta em todos os níveis da administração pública. A polícia foi abolida e substituída pela guarda nacional. A educação foi secularizada, a previdência social foi instituída, uma comissão de inquérito sobre o governo anterior foi formada, e se decidiu por trabalhar no sentido da abolição da escravidão do salário. ”

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Comuna_de_Paris

    • O caminho é esse aí mesmo. ler, ler, ler e ler. Quanto mais informação, melhor e se for em livro, melhor ainda. O cérebro tem que estar blindado contra as diabruras comunistas.

  6. Luciano, você viu o movimento internético iniciado pelo Sakamoto nas redes sociais?

    http://www.facebook.com/leonardo.sakamoto/photos/a.350497828312114.99939.335237883171442/918559838172574/?type=1

    Sim, é isso mesmo que você está vendo: ele defende que os marxistas-humanistas-neoateístas passem a assumir o epíteto de “esquerda caviar” tal qual os palmeirenses assumiram o porco. Porém, como você pode observar, o contexto aqui é mais um facepalm daqueles que só o blogueiro em questão pode nos proporcionar, assim como já nos proporcionou o Coxeco, mascote da vergonha alheia. O Rodrigo Constantino foi rápido em responder a coisa toda:

    http://www.facebook.com/photo.php?fbid=870519859634323&set=a.253205511365764.63916.100000289514686&type=1

    E se você vir nos comentários, já houve inclusive quem ridicularizasse o ato do blogueiro MHN. Vale também lembrar que nos tempos atuais temos MHNs achando legal serem chamados de “petralhas”, como podemos ver neste comentário da postagem que gerou a coisa toda, bem como neste. Ainda nos comentários da postagem original, alguém lembrou uma coisa importante sobre MHN assumindo o epíteto popularizado pelo Constantino. E já que o blogueiro em questão disse que triste mesmo é passar fome, alguns já lembraram de um detalhe importante, bem como o Holodomor que os MHNs se esforçam em negar ou atenuar mais do que neonazistas se esforçam em relação ao Holocausto.

  7. “Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações”.
    .
    E como é que a imprensa obtém informações, dona dilma? Aguardando um “briefing” espedido pela assessoria de imprensa do planalto? Ou investigando um pouco aqui e ali? Qual das duas opções a senhora, o fidel, o moralez e o maduro preferem?

  8. É impressionante ver o neurônio solitário tendo espasmos e dando gritos na pequena solidão daquela cabeça vazia. Espanta cada vez mais ver que essa mulher, claramente com limitações intelectuais e de aprendizado, evidentes vícios totalitários e falta de intimidade com a prática do Estado Democrático de Direito, seja presidente de um pais como Brasil.

    Lendo as besteiras que o poste fala, com frases mal aprendidas e usadas fora de contexto, fica claro mais um ponto que assusta: o presidente do pais está falando com pouquíssima gente, na prática a soberana está ficando por fora de muita coisa. Claro sinal de governo encerrado antes do prazo, mesmo que no caso dela alguns juram que o governo nunca começou, assim como afirmam que o governo do nove-dedos nunca terminou.

  9. A Dilma não é um poste, mas uma tartaruga em cima do poste:
    Você não acredita que ela esteja lá, mas todos veem que ela está lá;
    Você não entende como ela chegou lá, mas entende que ela não subiu lá sozinha;
    Você sabe que ela não deveria estar lá, pois lá em cima ela não consegue fazer nada;
    Então, tudo o que temos que fazer é ajudá-la a descer e cuidar para que isso nunca mais aconteça, pois lá em cima definitivamente não é o lugar dela. Ajude a tartaruga a descer do Poste!

  10. Como é que a imprensa não pode investigar ?
    Como é que eu não posso investigar?
    Como é que eu não posso saber?
    Qualquer um do povo pode investigar!
    Qualquer um do povo pode saber!
    Em um sistema aberto é assim.
    Em um sistema fechado não é assim. Só se investiga o que se quer e só o Executivo investiga o Executivo.
    Na França e na Inglaterra todos investigam.
    Em Portugal e Espanha também.
    Na Europa livre é assim.
    Na América livre é assim.
    Em um sistema republicano é assim.
    No Chile é assim.
    Na Argentina já não é.
    Na Venezuela e na Bolívia também não.

    Mesmo na ditadura Vargas e na militar sempre vigorou o Processo Penal que diz:

    CPP – Decreto Lei nº 3.689 de 03 de Outubro de 1941
    Art. 301. Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.

    Para prender é preciso saber. Para saber é preciso investigar e não varrer para de baixo do tapete ou fingir que não viu.

    É preciso parar de repetir o besteirol de marketeiros, especialistas em generalidades e em embromação, que não conhecem e não sabem o valor das leis.

    Consulte seus Ministros sérios (CGU, Justiça) enquanto os tiver.

    Ignore os agitadores da sociedade. Todos conhecidos.

  11. E tem mais.

    Marketeiros dizem:

    “Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações”.

    Isto quer dizer que os marketeiros querem decidir o que eu posso e o que não posso ler na imprensa.

    No país em que vivo, diz a Constituição:

    Art. 5º – Dos Direitos Fundamentais

    IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

    VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    XIII – é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;

    XIV – é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional;

  12. Esquerda Caviar e a Direita oculta.
    Esquerda “Caviar”,todos os partidos oficializados no TSE.PMDB,PT,PSDB,PDT,PSB…
    Direita “Oculta” (Partidos Amistosos):ARCOENGE,Grupo ALUSA,Andrade Gutierrez,Camargo Correa,Grupo Eugessa,Grupo EIT,Grupo ENGEVIX,Queiroz Golvão,Grupo HOPE,Grupo IESA,Grupo JARAGUÁ,Mendes Jun ior,Grupo OAS,Grupo TOMÉ,Grupo TOYO SETAL,Grupo UTC,Raul Andres Ortuzar Ramires,Aí está uma composição resumida dos mais importantes controladores e mandantes do governo.O povo gera a democracia,os democratas políticos constituem seus idealizadores,formam grupos govarnativos ocultos e mergulham o país na corrupção.O Brasil governados por Partidos constitucionalizados,através do voto,mas Partidos oficializados governados por grupos de judeus “Ocultos”.OS GRUPOS e OS PARTIDOS,os eleitos e os não eleitos,escravizam os povos constituintes.Assim,representamos a democracia govarnativa?

  13. O judiciário ao qual ela se refere são a mesma maioria de ministros do STF eleitos pelo próprio partido do qual ela faz parte (incluindo o relator que disse publicamente ter votado no PT por 3 vezes), e que condenaram os mesmos criminosos que foram alvo de vaquinhas do mesmo partido para poderem escapar de processos, e apelarem para a OEA, já que “não se esperava justiça aqui”?

    Aí é culpa da Veja, que virou veículo de humor negro.

Deixe uma resposta