Dilma ofende toda a Polícia Federal ao usar a instituição para fazer propaganda suja

16
83

Dilma-Rousseff-imprensa-brasilia-20121227-02-size-598

Um ótimo texto do delegado federal e ex-diretor da Interpol Jorge Barbosa (publicado no site de Fausto Macedo, no Estadão), intitulado A Polícia Federal é do Brasil, dá uma dimensão do quanto o governo não tem medo de meter o pé na lama:

Quando a presidente Dilma Rousseff diz com orgulho que são os órgãos de seu governo que estão investigando os escândalos de corrupção da Petrobrás ela está, em realidade, esbofeteando os 13.000 policiais federais que compõem o Departamento de Polícia Federal. Trata-se do mais puro uso político do trabalho de uma instituição que transcende a esse ou aquele governo.

Tal afirmação consubstancia-se em verdadeiro escárnio, um desrespeito aos integrantes de uma corporação que só vêm conseguindo algum resultado nesse governo, unicamente em razão da abnegação de seus agentes e delegados.

A sociedade melhor entenderia que, apesar desse governo, a Polícia Federal, órgão permanente do Estado brasileiro, e assim como tal previsto na Constituição da República, conseguiu um sucesso histórico na condução da Operação Lava a Jato, que desvendou a máquina de desviar dinheiro instalada na Petrobrás.

O que de fato vem sendo observado, principalmente por nós, policiais federais, é o empenho do atual governo para controlar politicamente as ações da polícia judiciária da União.

Poderíamos citar um grande número de dissabores aos quais fomos submetidos, todos devidamente disfarçados em medidas “de gestão”, e impostos pelo atual governo à Polícia Federal. Contudo, em se tratando do tema “autonomia”, é imperioso registrar que na administração do atual Ministro da Justiça foi estabelecido o “vazamento institucional” na Polícia Federal.

Explico: a aplicação do Decreto nº 7.689/2012, à Polícia Federal, impõe a prévia autorização ministerial para a concessão de diárias de servidores em missão. Com 123 unidades em todo o país, para atender 5.561 municípios, a Polícia Federal se vê refém do Governo Federal em ter as suas grandes operações repressivas sendo indiretamente monitoradas por meio deste Decreto.

O artigo 7º do aludido Decreto acaba sendo, de fato e de direito, um mecanismo que viabiliza o conhecimento prévio e o controle das operações da Polícia Federal, uma vez que o deslocamento de 3 a 10 servidores por período superior a 40 dias indica uma possível operação de inteligência, bem como o arregimentação de mais de 10 servidores para o mesmo evento por 2 a 5 dias indica a deflagração de uma grande operação.

Por exemplo, na solicitação para um contingente de 250 policiais federais, percebendo três dias e meio de diárias na cidade de João Pessoa/PB, fica claro que encontra-se em curso medidas visando deflagração de uma operação repressiva de grande porte na capital paraibana. Tal situação é uma afronta aos princípios da compartimentação e sigilo das operações policiais.

É importante que a sociedade brasileira saiba que o orçamento da Polícia Federal no Governo Dilma caiu drasticamente. E assim também está ocorrendo com os recursos das diárias e passagens e, igualmente, diminuíram substancialmente os recursos das operações sigilosas, de modo que as ações policiais contra políticos são realizadas com verba não sigilosa, exatamente esta que depende dessa autorização do Ministério da Justiça.

Obrigar a Polícia Federal a pedir autorização para pagar diárias de policiais, e, por conseguinte, dar conhecimento prévio a servidores do Ministério da Justiça, sobre as operações em andamento, é uma forma indireta de o Governo controlar as operações do DPF.

Em qualquer academia de polícia de qualquer país do planeta, ensina-se que as operações policiais têm seu sucesso garantido na medida em que o seu sigilo absoluto é preservado.

Talvez, aqui no Brasil, em razão de não termos quase ninguém do estamento político-governamental envolvido no cometimento de crimes graves, a coisa seja um pouco diferente.

Alias, a declaração de Dilma dizendo que uma investigação da Polícia Federal significa que “o PT investigou” é gravíssima mesmo que fosse avaliada de forma isolada. Em conjunto com os argumentos contundentes de Jorge Barbosa, temos o “timing” para que a oposição (em especial Aécio Neves) seja cobrada moralmente por omissão ao não desmascarar a presidente e sua campanha.

Qualquer análise moral/racional levará qualquer ser humano decente a notar que essa afronta aos policiais federais não pode ficar barata.

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Caro Luciano.

    EM APOIO ao Dr. Milton Pires do Blog ATAQUE ABERTO.
    ……….

    SILÊNCIO DE TODOS NÓS.

    http://ataqueaberto.blogspot.com.br/2014/09/silencio-de-todos-nos.html
    ……….

    SILÊNCIO DE TODOS NÓS.

    http://4.bp.blogspot.com/-toDQVZeLhTw/VCHk4NhaVuI/AAAAAAAAFuQ/S1cwQDscIcc/s1600/silencio_2_1211182278.jpg

    Meus caros Amigos,

    Trabalhando desde junho de 2010 na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição em Porto Alegre, minha contínua luta contra as barbaridades feitas contra a saúde pública no Brasil são do seu conhecimento. Foi através do blog de Ricardo Setti na Revista VEJA que, no início de 2013, “Santa Maria e a Guerra do Vietnam” (artigo de minha autoria) chegou ao conhecimento público trazendo um sério aviso sobre a vinda dos médicos cubanos. Depois de “Carta à Presidente Dilma” e de uma série de outros textos publicados tanto no meu blog “Ataque Aberto” quanto no grupo de Facebook “Inglourious Doctor” comecei a pagar, pessoalmente, dentro do meu emprego, o preço das minhas opiniões políticas.
    Assassinar reputações de inimigos não é tática nova da esquerda brasileira. O doutor Romeu Tuma Júnior provou isso ao país. Trabalhando num grupo hospitalar que atende 100% dos pacientes pelo SUS, no qual entrei por concurso público e que é controlado por gente do PC do B, acredito que não seja necessário ser teórico da conspiração para compreender e aceitar o que acontece com aqueles que se opõem ao modelo de gestão de saúde no Brasil. Antiga, mas eficiente, a tática é sempre a mesma – má desempenho nas avaliações funcionais e relatos de conflitos e dificuldade de relacionamento no local de trabalho funcionam como estopim dos processos administrativos em que se pretende “limpar” o serviço público dos opositores.
    Ontem, dia 22 de setembro, chegando ao Hospital Conceição para trabalhar na UTI, fui notificado de que meu ponto estava “suspenso”. Encaminhado ao setor de RH recebi informação de que eu mesmo, como médico, estou suspenso do hospital por 60 (sessenta dias) sem perda de remuneração. Argumenta a instituição que isso visa não prejudicar o processo administrativo disciplinar – PAD número 51/14 em que se pretende a minha exoneração. Nâo sei quais são os termos de acusação..não sei ao que respondo e não tive, até agora, chance de defesa alguma. Em apelação administrativa de avaliação funcional prévia considerada muito insuficiente, testemunhas identificadas como “trabalhador da saúde 1,2,3,4..etc..” me acusam de “não examinar os pacientes, não lavar as mãos, de conflitos com familiares de pacientes da UTI , de jogar equipamentos no chão e não usar equipamentos de proteção individual”…e afirmo a vocês que não sei, oficialmente, o nome de NENHUMA das pessoas que disseram isso naquele processo, que não lhes foi exigida prova alguma e que, tomadas como VERDADES corroboradas pela minha chefia tais declarações acabaram com a minha vida funcional.
    Meus amigos, o que está acontecendo comigo não é exceção; é a regra sobre aquilo que os médicos brasileiros enfrentam no seu trabalho quando decidem questionar a maneira dessa gente conduzir a saúde pública. Minhas chances no processo administrativo, cuja cópia sequer tenho ainda, não são muitas; na justiça comum acredito que haja alguma alternativa…resta nesse momento apelar àquilo que essa gente mais teme – a publicidade..a divulgação em massa e pela imprensa que ainda está livre daquilo que eles querem fazer na surdina..daquilo que eles fazem melhor e querem esconder…o assassinato de reputação e o total aparelhamento do serviço público no Brasil garantidos pelo terror infundido por essas pessoas naqueles que são seus subordinados..o efeito é garantido por lei…A Lei do Silêncio de todos nós…

    Grande Abraço,

    Milton Pires
    Médico

    Porto Alegre, 23 de setembro de 2013.

  2. A palavra esquerdismo vem de esquerda, termo que tem raízes históricas. O seu sentido sofreu algumas alterações ao longo do tempo, principalmente com a Revolução Russa de 1917. Em meados do século XX, quando foi pela primeira vez empregada na literatura psiquiátrica, esquerdismo servia para enfatizar as manifestações comunistas das doenças cerebrais. Ela já foi empregada como sinônimo de doença mental e de insanidade, também para referir-se às doenças mentais com alterações do cérebro, e hoje em dia o termo esquerdismo é usado, como adjetivo, para qualificar os sintomas de delírios e alucinações.

  3. Jarbas Vasconcelos já tinha dito que a PF estava sendo cerceada e desmontada. Esses órgãos de fiscalização e investigação correm o sério risco de desaparecerem. Nunca vou esquecer da entrevista da deputada venezuelana Maria Corina em que ela afirmou que o judiciário da Venezuela passou de 20 mil juízes para 20. O governo de Chávez acabou com o este poder.

  4. Não sei quanto a vocês, mas acho que o George Orwell deve estar se virando no túmulo a essa altura, gritando: “Gente, o que escrevi no livro 1984 era ficção ! Não era pra ser colocado em prática !”

  5. Por que você saiu do PT?
    “por que é impressionante como diz uma coisa e faz outra”.
    ps: são 14 videos curtos enjoa ver todos, mas cada um é uma denuncia do modo de agir do PT.

  6. Olha aí o que a turminha do isis fez:

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/09/hollande-confirma-morte-de-refem-frances-sequestrado-na-argelia.html

    É essa turminha que a Dilma diz que temos que dialogar e não atacar.
    Na minha opinião é assim que se “dialoga” com terroristas:

    http://www.youtube.com/watch?v=Gm4C5vWvg3c

    PS:Alguém aqui se lembra da Dilma criticando o ataque da Rússia contra a Ucrânia o do massacre de civis cometido pelo ditador da Síria?

  7. Uma pequena lista de Escândalos de Corrupção nos anos de governo do PT no Brasil….
    Escândalos Governo Lula:
    2003- Banestado
    2003- Operação Anaconda
    2004- Caso Waldomiro Diniz
    2004- Banpará
    2004- Caso G Tech
    2005- Correios
    2005- Mensalão
    2005- Dolar na cueca
    2005- Valerioduto
    2005- Propina em Ribeirão
    2006- Caso Francenildo
    2006- Caso Sanguessugas
    2006- Aloprados
    2007- Caso Monica Veloso
    2007- Cheque da Gol
    2007- Caso Schincariol
    2007- Os Laranjas de Alagoas
    2007- Golpe INSS
    2008- Caso dos Cartões Corporativos
    2008- Dosiês Falsos
    2008- Caso Satiagraha
    2008- Paulinhi da Força e o BNDES
    2009- Atos secretos
    2009- Caso Lina Vieira
    2009- Mensalão do DEM
    2010- Bancoop
    2010- Novos Aloprados
    2010- Caso Erenice

    Escândalos Governo Dilma
    2011- Caso Palocci
    2011- Escândalo no Min Transportes
    2011- Escândalo no Min Agricultura
    2011- Escândalo no Min Turismo
    2011- Escândalo no Min Cidades
    2011- Escândalo no Min Esporte
    2011- Escândalo no Min Trabalho
    2012- Caso Cachoeira
    2012- Escândalo no Min da Pesca
    2012- Operação Porto Seguro
    2013- Mafia do ISS
    2014- Operação Lava Jato

    ha, Esqueci de Passadena e Petrobras…Abraço a todos

Deixe uma resposta