Preconceito de classe e má fé: Lula diz que “jornalistas” não se dão bem no Executivo

4
103

lula_precon

O PT tem se especializado em usar critérios falsos (todos tirados da cartola) para dizer os motivos pelos quais seus oponentes não devem ser eleitos. A continuar nesse ritmo, não demora para eles dizerem que “candidatos que foram vistos comendo macarrão com ovo não se dão bem no Executivo”. Basta inventar um critério e lançar uma constatação sem qualquer conexão com a realidade. Foi assim que eles disseram, tempos atrás, que pessoas que choram não podem assumir a presidência, mesmo sendo o choro um componente normal do ser humano. Aliás, os próprios Lula e Dilma já foram pegos chorando como se fossem bezerros desmamados. Para adicionar insulto à injúria, boa parte dos petistas preferem mamar nas tetas do estado ao invés de trabalhar, o que torna deslocado qualquer comentário que façam contra profissionais.

Agora, veja o critério cretino inventado por Lula dizendo que Ana Amélia não pode ser eleita governadora do Rio Grande do Sul:

Em participação no horário eleitoral do PT no Rio Grande do Sul, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou candidaturas de jornalistas e disse que nunca viu um comunicador se sair bem em um cargo no Poder Executivo.

O vídeo (assista abaixo) foi veiculado nesta segunda-feira (22) no espaço do governador petista Tarso Genro, que tenta a reeleição.

Tarso aparece em segundo lugar nas pesquisas, atrás de Ana Amélia Lemos (PP), ex-radialista e ex-comentarista de política do grupo RBS, que retransmite a TV Globo no Rio Grande do Sul.

“O povo gaúcho tem uma consciência acima da média da consciência política do povo brasileiro. Por que estou dizendo isso? Porque eu não conheço dentro do Brasil pessoas que eram importantes no meio de comunicação darem certo em Poder Executivo”, disse Lula, na TV.

O ex-presidente acrescentou: “[São] pessoas que passaram a vida inteira só perguntando, só perguntando”. Tarso, que apareceu ao lado no vídeo, concordou.

Lula também fez elogios a políticas de Tarso e disse que o governador reverteu uma tendência de decadência do Estado.

O ex-presidente já havia feito críticas parecidas à mídia em comício no município de Caxias do Sul, na serra gaúcha, na semana passada. Além de Ana Amélia, o concorrente direto do petista Olívio Dutra na disputa pelo Senado também é um ex-comunicador da RBS, Lasier Martins (PDT).

Na ocasião, Lula disse que não seria uma rede de televisão ou “um raio de um jornal” que iria eleger governador ou senador.

Por qual motivo um jornalista se desqualifica para ser governador? Ele simplesmente não conseguiu apresentar um motivo sequer. E quais os exemplos de jornalistas que “não se deram bem” no Executivo? Ele também não apresentou nada disso.

Incoerente e cínico como sempre, ele se limitou a dizer que “jornalista só sabe perguntar”. É bem diferente disso: o jornalismo se baseia em trabalhar com notícias, dados, fatos e divulgação de informações, com base na coleta, redação, edição e publicação de informações sobre eventos do mundo. O questionamento é só uma das formas de coleta de informações. E ninguém é tão burro que não entenda algo tão simples. A descrição fornecida por Lula do que faz um jornalista não ser pode ser atribuída à ignorância, pois um sujeito que depende tanto do trabalho de jornalistas (tanto que o governo petista financia a BLOSTA) sabe que a atividade jornalística não se limita a isso. Isso não é um caso de burrice. É má fé mesmo.

E como de costume, temos um partido totalitário ditando o que a imprensa pode ou não pode fazer. Dia desses, Dilma disse que jornalistas não podiam investigar, apenas noticiar. Daí para querer limitar a participação de jornalistas no Executivo é um pulo.

Agora veja essa parte da notícia:

Na eleição de 2010, Lula apoiou em Minas o então candidato ao governo Hélio Costa (PMDB), que se tornou conhecido como repórter da Globo e foi ministro das Comunicações. Em 1989, o vice na chapa de Lula à Presidência foi José Paulo Bisol, do PSB, que havia trabalhado como comunicador do grupo RBS.

Como eu disse, era má fé mesmo. Aliás, está aqui um exemplo do motivo pelo qual Lula não gosta de jornalistas (a não ser aqueles financiados pelo governo). Eles investigam informações e conseguem informações muito desagradáveis para ele. Quer dizer, buscam os fatos. Como o fato dele ter apoiado jornalistas para o Executivo, contradição gravíssima que deveria ser usada por Ana Amélia. Ana, o que você está esperando?

Ora bolas: se jornalistas não podem ser eleitos para o Executivo, por que Lula já apoiou a candidatura de Hélio Costa (transformando-o em ministro das comunicações) e colocou José Paulo Bisol como candidato a vice? Como eu já disse, Lula simplesmente inventou um critério de emergência para atacar um oponente de forma canalha, e, de lambuja, ainda praticou preconceito contra uma classe profissional. E Ana Amélia precisa meter o dedo na cara de Tarso Genro, que endossou toda essa baixaria.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. O que espero, com isso, é que muitos jornalistas que são comprometidos gratuitamente com o PT, que o adoram, sem fazer parte da BLOSTA mas o adorando, sendo bostas gratuitas, que se sintam bem honrados e elogiados com o comentário do mendigo bêbado bezerro desmamado: “jornalista só serve pra perguntar e ouvir resposta”.

Deixe uma resposta