Vítima de agressão e roubo, Bianca Miarka mostra o que geram as ideias da extrema-esquerda contra a PM no Campus da USP

19
61

imagem8

Enquanto a extrema-esquerda está implementando uma verdadeira guerra jurídica nos últimos dias, sempre com base em justificativas torpes (e ajudando a manchar a imagem de entidades como OAB e MPF), as ideias desses grupos ao mesmo tempo estão causando verdadeiras vítimas.

Senão vejamos. Hoje os colunistas de esquerda dizem que as palavras de Levy Fidelix criticando o ativismo gay estão “causando as mortes de homossexuais”. Como exemplo, veja o que disse Sakamoto: “Não é a mão delas que segura a faca ou o revólver, mas é a sobreposicão de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna o ato de esfaquear, atirar e atacar banais”. Mas existe alguma evidência de que a discordância em relação ao comportamento gay leva à violência contra eles? Claro que não. Sakamoto sabe que está mentindo.

Quer dizer, sempre que um ultra-esquerdista afirma que suas ideias estão “gerando violência”, quase sempre estamos diante de uma mentira deslavada. Por outro lado, várias das ideias que eles defendem possuem efeito prático, como o aumento da violência. Militantes ligados a partidos como PSOL, PT, PCdoB e PSTU sempre tem defendido a seguinte ideia em uníssono: proibir a presença da Polícia Militar no Campus da USP. E esse tipo de ideia tem levado à violência contra pessoas inocentes.

Veja o que disse a remadora Bianca Miarka, vítima de roubo e agressão no Campus da USP, conforme matéria da VejaSP:

A remadora e ex-judoca Bianca Miarka foi agredida durante um roubo na manhã de domingo (28), perto do câmpus da USP no Butantã, na Zona Oeste. Ela reagiu ao assalto, tentou desarmar um dos bandidos e foi espancada. Após o incidente, a atleta, que já foi aluna da universidade, começou uma campanha em suas redes sociais por mais policiamento. “Até quando precisaremos de um mártir social para melhorar a segurança e o policiamento nas regiões ao redor da USP e na própria Cidade Universitária? Quantos corpos terão que ser encontrados?”, escreveu.

Bianca seguia para a raia da USP na manhã de domingo quando foi abordada por dois assaltantes em uma moto do lado de fora do câmpus. Armado, um dos criminosos pediu a mochila que ela carregava. Ex-judoca, a atleta desarmou o homem. O comparsa partiu para cima dela e a atingiu com o capacete. “Eu tive sorte de ter praticado 25 anos de esportes de combates, o que serviu para minha defesa para desarmar o bandido e mesmo assim estou com diversas lesões.”

Após a divulgação do assalto, Bianca começou uma campanha por mais policiamento na região da USP. Ela afirma ter amigos dos dois lados – a favor e contra a presença de policiais no câmpus. “Nossos pais não enfrentaram a guerra que temos hoje. Nossa causa deve ser direcionada ao desarmamento, à redução de violência e melhora da segurança não só na USP, como em toda região. A USP não garante sua segurança. Por mais que a guarda seja prestativa, ela não anda armada e não tem o mesmo poder de autoridade para prender bandidos.”

Como diria Saul Alinsky, hora de fazer o adversário sucumbir pelo seu livro de regras. Vamos pegar o que Sakamoto disse e desconstruir/reconstruir: “Não é a mão dos ultra-esquerdistas que segura a faca ou o revólver, mas é a sobreposicão de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e facilita a vida de criminosos que querem esfaquear e atirar e atacar”.

Anúncios

19 COMMENTS

  1. para variar, o Sakamoto está agindo novamente como um idiota. E novamente por culpa da PM-fobia dos esquerdopatas, os cidadãos honestos estão sendo prejudicados novamente .

  2. Interessante, pede o desarmamento, sendo que o cidadão armado teria maiores chances de defender-se contra tal agressão, outra, o simples fato de usar da força para se defender já é uma atividade violenta, ela mesma alega que se não tivesse anos de treino não teria conseguido se defender, “violência”, e mesmo assim saiu lesionada. Bom, chega de desonestidade, devemos combater a criminalidade e não a violência, pois é legítimo usar de violência contra o agressor que de forma injusta e iminente inverte contra você, o bom seria se a sociedade fosse pacífica, como é impossível tal comportamento é, sem sombra de dúvida, direito do agredido se defender e, caso necessário, usar até o poder letal para tal. O discurso dessa senhora é típico do uma vítima sob o efeito da Síndrome de Estocolmo, pois o discurso dela só ajuda o agressor, ou melhor, criminoso.

  3. pera ae mas ela pede desarmamento para combater isso?? nao é melhor pedir que combata o crime apenas? se ela estivesse armada ou se o bandido soubesse que haveria essa possibilidade ela seria assaltada?

  4. É uma vergonha que a esquerda culpe os religiosos pelos crimes contra gays, quando o aumento geral da violência contra todo tipo de pessoa é resultado da campanha do desarmamento, da campanha do não reaja, muito bem denunciado pelo Bene Barbosa, e pela idéia de que o pobre e negro só está fazendo justiça social ou que não tem culpa quando comete um crime. Aí, depois deste aumento, eles pinçam os casos que lhe interessam para ter ganhos políticos, como as mortes de gays e negros, e a violência contra mulheres. É claramente um caso de criar políticas para criar mais esquerdistas, não pelo persuasão pacífica, mas jogando as pessoas em uma condição de precariedade tanta, que elas acreditam que só o Estado pode as defender.

  5. “Não é a mão delas que segura a faca ou o revólver, mas é a sobreposicão de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna o ato de esfaquear, atirar e atacar banais”

    Partindo por esse princípio podemos afirmar que Sakamoto é responsável por todas as mortas que o socialismo causou (e ainda causa), já que ele defende a ideologia socialista.

  6. Não é só a extrema-esquerda. O esquerdista em geral adora e apoia essas ideias radicais, ou seja, também fazem parte desse massacre midiático, brutal e venal contra o cidadão.

    • Pode até ser, mas a diferença é que um social-democrata pode mudar de idéia (coisa que você não vai ver nos extremistas de esquerdas por serem…extremistas).

  7. Acho que uma boa tática para neutralizar o argumento de quem critica o homossexualismo é responsável pela violência é perguntar ao interlocutor o seguinte:

    “Você costuma agredir ou matar as pessoas que tem comportamentos com os quais você discorda?”

  8. Caro Luciano.

    Temos que perceber, por imposição de mera lógica, o grande perigo que essa moça passou por acreditar que (pensamento talvez proveniente dessas falácias feministas de igualdade total entre homem e mulher), como judoca, ela seria eficiente numa briga real (de verdade) com homens naturalmente mais fortes que ela.

    Digo isso por que conheço muito bem o meio das “Artes Marciais”. Sou praticante desde os meus 10 aninhos de idade. Já pratiquei judô, Karatê (Shoto-Kan e Kioko Chin Kai), e complementei meu currículum com Rap-Ki-Do koreano, o qual implementa técnicas de Ai-Ki-Do e Jiu-Jitsu. Também pratico há 10 anos o chamado “Tiro de Defesa”.

    Essa moça, bem provavelmente iludida por um falso senso de potencial de combate real, poderia ter sido FUZILADA SUMARIAMENTE pelos assaltantes.

    Somente poderia agir como descreveu, caso estivesse armada, com poder de fogo suficiente, e mesmo assim em antecipação ao ataque. Estando desarmada e agindo como agiu, ela demonstrou apenas ser uma grande tola e iludida. Ela pode ser boa judoka enfrentando outras mulheres, mas o confronto de uma mulher contra um homem é apenas covardia da parte do homem.

    E note-se que eu disse “um homem”, e não “um emasculado idiota”. Note-se também que uma boa parte dos bandidos são “MUITO BONS de BRIGA” com capacidades de combate real muito além de uma mera judoka desportista.

    É necessário que outras moças, mais inteligentes que a Srta. Bianca Miarka, conheçam a realidade da vida e saibam avaliar seu verdadeiro potencial de COMBATE REAL, evitando assim os devaneios estúpidos de guerreiras maravilhosas, porém imbecis. Devaneios esses que poderão causar suas mortes gratuitamente.
    ……….

    • Caro Luciano.

      E digo mais.

      Ela só não foi FUZILADA porque, bem provavelmente, os assaltantes tiveram PIEDADE dela, ou talvez lhe deram “UM BOI” por acharem-na “BONITINHA”.

      E se ela não tomar linha com relação a esses devaneios estúpidos de “guerreira maravilhosa”, talvez não tenha tanta sorte numa indesejada “próxima vez”.

      Desejo que ela tome linha na vida, CRESÇA (tome juízo), torne-se uma verdadeira mulher ADULTA e sintonizada com a REALIDADE.

      Me parece que ela já passou da idade de se dar ao luxo ser tão ingênua e infantil.
      ……….

  9. Enquanto as universidades federais ainda forem “redutos políticos” de acéfalos,
    nunca haverá segurança,
    pois estes, que “comandam” os DCEs, são maconheiros,
    amigos de traficantes,
    e apoiam assaltos (fazem apologia aos sem condições / coitados precisam viver, então assaltam).
    É hora de acabar com os DCEs na faculdades,
    não servem para nada,
    além de atrapalhar totalmente os mais de 70% que estão nas universidades para estudar!!!
    Acabando com o curso de Sociologia (pois não tem utilidade alguma) a acabando com os DCEs,
    as faculdades avançam, e o país…. mais ainda!!!!!!

  10. As Universidades deveriam ser como colégios particulares,
    só entra quem tem carteirinha,
    não entra ninguém sem propósito específico.

    O jovem de hoje,
    é pior que uma criança, nos anos 70…
    então tem que ser tratados como crianças,
    pois a “maturidade” deles está basicamente em fumar um baseado,
    e usar a camiseta do tchê que vara!

  11. Lembram quando o Sakamoto disse que a vítima do assalto que era o responsável por causa da ostentação e o assaltante é que era a verdadeira vítima?
    Pois bem, da próxima que alguém for assaltado coloque na conta dele.

  12. Eu ia pôr aqui o link dessa nova sakamotice, mas vi que o Luciano foi mais rápido desta vez. E nesse ponto, nada melhor do que o Nivaldo Cordeiro para derrubar o nipo-europeu em questão:

    http://www.youtube.com/watch?v=IpzwGteFxMM

    E, nunca esqueçamos, não é a mão dos marxistas-humanistas-neoateístas comuns que segura os fuzis usados em Cuba, China, Coreia do Norte, Vietnã e Rússia, mas é a sobreposição de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna os atos genocidas banais. Também não é a mão dos MHNs que segura os revólveres e facas usados em assaltos, mas a sobreposição de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna os crimes banais. Não é a mão dos MHNs fora da política partidária que segura a pena que assina leis que presumem que homens são criminosos pelo simples fato de terem nascido com cromossomo Y, mas a sobreposição de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna banal o preconceito e o desdém pela morte de homens. Não é a mão dos MHNs fora da política partidária que segura a pena que assina leis que dizem combater o racismo mas na prática geram racismo e ódio entre pessoas de cores de pele diferente, mas a sobreposição de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna banal o ódio aos brancos porque supostamente eles desejariam que os negros se ferrassem. Não é a mão dos MHNs comuns que assina leis obrigando mestiços a renegar sua identidade multiétnica para se assumirem como “negros”, mesmo que não tenham ancestralidade africana, para conseguirem vantagens em relação a quem não tem determinada ancestralidade, mas a sobreposição de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna banal o brasileiro renegar o fato de ser um povo formado por diversas etnias e misturas entre elas.

  13. ô moca, qual é? Desarmamento? Só no Milênio, período em que o Senhor Jesus vai reinar sobre todo o planeta. Fora isso, é melhor ter uma arma. Eu oro e minha proteção é divina, mas creio que a população geral deva ter o direito à autodefesa. Países em que a população é armada até os dentes têm menores índices de violência. Digo, países devidamente civilizados onde as instituições funcionam de fato. Não estou falando de Serra Leoa, por exemplo.

Deixe uma resposta