O caso Fidelix: um pouco de razão diante de turbas histéricas

30
233

fidelix

Ontem o Estadão publicou uma notícia, Fidelix mantém declaração sobre gays e se diz alvo de perseguição, falando sobre como Levy Fidelix está reagindo à polêmica depois da Jihad LGBT contra ele após o debate da Record, no dia 28/09. Para começar, a manchete é extremamente mal intencionada, pois não apenas Fidelix “se diz alvo de perseguição”. Ele de fato é alvo de uma perseguição ideológica covarde.

Antes de começarmos, vamos rever o momento do debate que gerou toda essa polêmica:

Vamos à notícia do Estadão agora:

“Eu não corro do pau. A minha posição é a mesma, não é nada de homofobia. Ao contrário, defendo a posição do pai, da mãe, da família tradicional. E nem por isso é discriminação. Discriminação é o que fazem comigo, me chamar de nanico. Não me dão os espaços que preciso e mereço.”, disse Fidelix […]

Fidelix disse também que as entidades que moveram ações contra ele por causa das declarações homofobicas são pagas com dinheiro público. Acusou também o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius Coelho, de instrumentalizar o órgão que, segundo disse, deveria ser imparcial e não posturas antidemocráticas. A Comissão Especial de Diversidade Sexual da OAB protocolou nessa segunda na Procuradoria-Geral Eleitoral e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido requerendo a cassação da candidatura de Fidelix. A entidade pediu ainda direito de resposta.

“Acho que ele (Marcus Vinicius Coelho) está instrumentalizando o órgão que deveria ser imparcial e não assumir uma postura contra a democracia. Ele está defendo um segmento que está se sentindo ofendido e está tentando me emparedar”, afirmou.

“Estou defendendo a legitimidade de expressão. Eu não concordo com a questão homoafetiva. Ainda mais com essa forma a que eles se propõem, de fazer isso em público. Essas demonstrações de carinho poderiam ser feitas na intimidade. Eu sou a favor dos bons costumes e da família tradicional. Não estou com agressividade nenhuma. Jamais discriminei alguém”.

Fidelix afirmou ainda que está sendo perseguido pelas instituições.

A Ouvidoria de Direitos Humanos, ligada à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, vai apresentar hoje ao Ministério Público Federal denúncia coletiva sob acusação de incitação ao ódio e discriminação por orientação sexual e identidade de gênero. O PSOL e o PV anunciaram que também vão recorrer à Justiça, alegando que houve incitação ao ódio.

O presidenciável disse que seus adversários estão fazendo uso eleitoral do tema para angariar votos, servindo-se de Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) de exemplo.

“A Luciana (Genro) quanto o Eduardo (Jorge) querem fazer voto. Eles querem o aborto, querem a maconha. São posições diametralmente opostas às minhas, mas que vou defender. Eu não estou atacando ninguém”, afirmou. “Eles (Luciana e Eduardo Jorge) estão provocando as condições de heterofobia. Não pode. Do mesmo jeito que eu estou fazendo homofobia. E eu não estou. Eu não estou fazendo apologia dos heteros. Obedeçam as leis: vocês ficam para lá e eu fico para cá.”

Nessa segunda, Fidelix disse ter sido procurado por Bolsonaro e pelo pastor Silas Malafaia, figura também polêmica pelas declarações contra as minorias. Ambos, segundo o candidato do PRTB, telefonaram para manifestar solidariedade a Fidelix.

Mas vamos avaliar em que pé está a questão. A OAB (que já pode ser chamada de Ordem dos Advogados Bolivarianos) pediu a cassação da candidatura de Levy Fidelix. A BLOSTA diz que o candidato deveria ter saído preso do debate. Enquanto isso, todo o resto da extrema-esquerda segue capitalizando no truque dizendo que “Fidelix é culpado por crimes contra homossexuais”. Quer dizer, o cinismo psicopático típico da extrema-esquerda novamente está sendo levado ao nível do absurdo.

Vejam a denúncia encontrada no Twitter de Marisa Lobo:

marisalobo

Infelizmente, muitos conservadores que tem defendido Fidelix ainda continuam reagindo apenas dialeticamente diante dos ataques dessa turba. Mas não é apontando as “inconsistências” da acusação oponente e ficando na defensiva que vocês vão obter qualquer resultado. É preciso meter o dedo na cara deles, demonstrar a desproporção criminosa que estão cometendo, o discurso de ódio que estão usando, apontar o quanto eles estão usando instituições como OAB de forma desonesta (até porque a OAB está contaminada), desmascarar o uso abusivo de fraudes intelectuais e apontar que estamos em época de assédio judicial, ou seja, estão jogando mais uma instituição no lixo.

Por exemplo, relembrem o que um tal de Retamero (que alega ser pastor LGBT) disse:

Espere. O Retamero dizer que vai pegar em armas para atacar religiosos pode, mas Fidelix dizer que vai se defrontar argumentativamente contra eles não pode? É evidente que estamos diante de pessoas inimigas da razão. Se a OAB silenciou diante de Retamero, mas se opôs a Fidelix, perdeu sua legitimidade. Simples assim. Mas notem que o importante é ficar no ataque, não na defensiva.

Continuo achando que a opinião de Levy foi um verdadeiro lixo. Dá para apontar seus equívocos em vários níveis, especialmente no aspecto político. Ponto. Mas o ataque à liberdade de consciência e a denunciação caluniosa lançada sobre ele é no mínimo vergonhoso. É um crime contra a liberdade e uma afronta às instituições.

E quanto a atacar o movimento LGBT e todos adeptos de comportamento histérico contra Fidelix. É só lembrar de fatos desagradáveis, mas verdadeiros. Por exemplo, que grupo se especializou em criar uma dialética de confronto em um país com histórico de tolerância em relação aos gays? O Brasil, inclusive, era considerado um exportador de travestis, que nunca se furtou em dar oportunidades para que gays e travestis se destacassem. Pois foi nesse país que o movimento LGBT estabeleceu uma dialética de confrontação baseada em demandas artificiais, provocando, ofendendo, sem qualquer tipo de limite. Que tal fazermos um catálogo?

  1. Pastor LGBT Marcos Retamero dizendo que ia pegar em armas contra religiosos (já vimos antes)
  2. Criação da PL 122, já derrubada, querendo proibir a crítica aos gays
  3. Tentativa de se proibir que as crianças sejam identificadas como do sexo masculino ou feminino
  4. Lésbicas se beijando em um culto de Marco Feliciano
  5. Movimento LGBT invadindo o Congresso para coagir Feliciano de maneira fascista
  6. Ativistas LGBT cuspindo e ofendendo religiosos no pais vizinho, Argentina, por que queriam invadir a igreja para vandalizar e os religiosos não deixaram
  7. Inserção de crucifixo no ânus em uma encenação para ofender religiosos na visita do Papa ao Brasil
  8. Coação fascista dentro de um avião lançada sobre Marco Feliciano
  9. Uso de selfie feita por ativista LGBT para atacar o pastor Silas Malafaia
  10. Toda campanha de preconceito lançada contra religiosos nesta eleição de 2014 para atacar os evangélicos que apoiaram Marina Silva
  11. Diversos discursos de ódio tentando lançar a culpa sobre religiosos quando homossexuais morriam vítimas de um outro homossexual (diziam que o crime era “homofóbico, por culpa dos religiosos”).
  12. E muito, muito mais. É só pesquisar que todos os dias surgem exemplos.

Quer dizer, o movimento LGBT está em pleno confronto contra os conservadores há vários anos. E o que a OAB fez a respeito disso? Absolutamente nada. Fidelix deveria levar isso para o próximo debate, mas uma precaução se faz necessária: não é para apontar esses exemplos apenas, mas dizer que a turma do politicamente correto silenciou diante de todos esses casos, mesmo havendo uma guerra cultural contra os conservadores. E daí quando um candidato usa um tom muito mais leve que seus adversários LGBT, a turba o ataca de forma covarde, canalha e cínica. É nesse pé que está a questão. E é nesse nível de dedo na cara que o confronto político deve ocorrer.

Uma pena é que os gays não tem culpa dessa baixaria provocada pelo movimento LGBT, que torna compreensível um desabafo como o de Fidelix. Os discursos dele empalidecem diante das monstruosidades praticadas pelo movimento LGBT contra os conservadores (e vocês viram a listinha).

Alias, a sensibilidade artificial histérica deveria ser considerada por nós como um crime moral. E eis que, acompanhando a extrema-esquerda, também vi um bando de libertários (não todos, felizmente) defendendo esse tipo de coação fascista contra o Levy. Em outras palavras, liberdade para esses aí não significa nada. Fique de olho em libertários que adotam discursos baseados em sensibilidade artificial histérica, que é o fenômeno que estamos observando agora. De nada adianta ler Murray Rothbard, defender uma ética da liberdade, mas lutar contra o direito de alguém se expressar dizendo valorizar a família tradicional sem ser falsamente acusado de um crime. Qualquer discurso impondo homofobia à Levy Fidelix é uma instância de denunciação caluniosa e um crime contra a liberdade humana.

A defesa do direito de Fidelix poder argumentar contra o movimento LGBT, de defender a família tradicional e de falar os fatos (como “aparelo excretor não reproduz”) deveria ser um imperativo moral. Podemos rejeitar sua opinião, dizer que ela é um lixo, é claro. Mas nada disso justifica a cretinice da reação desproporcional contra ele. Simplesmente estão usando o estado para coagir um cidadão que valoriza a família tradicional, sem cometer crime algum (tivemos apenas o comportamento histérico de gente acusando Fidelix de um crime que ele não cometeu). E já passou da hora de lutarmos contra esse tipo de afronta.

Em tempo: não sou conservador, sou adepto do mercado de comportamentos (ou seja, se gays quiserem se casar, ou se heterossexuais e homossexuais quiserem praticar poliamor, tudo bem), mas eu cuspiria nos princípios liberais se tentasse impedir Fidelix de optar por uma visão de família e moral diferente. Essa é a questão a ser discutida: a noção bizarra defendida adquirido pela extrema-esquerda achando que pode coagir pessoas conservadores por optarem por uma cosmovisão que não agrada ao movimento LGBT.

Este é um argumento contendo frames que eles não conseguem rebater: “O mesmo direito que um cidadão tem de valorizar a família tradicional, um LGBT tem de valorizar famílias alternativas. Uma sociedade sadia deve permitir que cidadãos que defendam essas perspectivas possam expor suas ideias, sem serem vítimas de coação fascista a partir de comportamentos histéricos e psicóticos, sempre baseados em discursos de ódio. Tudo que tem sido feito contra Fidelix depois do debate da Record, promovido por coletivos não-eleitos da extrema-esquerda, ultrapassa as raias do debate racional. Estão querendo proibir um cidadão de preferir a família tradicional e propagar isso durante um debate. O autoritarismo dessa postura é tão grotesco que nos faz recuar várias décadas em termos civilizacionais. Quem está nessa campanha fascista e desonesta contra Fidelix, tentando silenciá-lo, é um inimigo da democracia, da civilização e da sociedade civil.”

Anúncios

30 COMMENTS

    • Mas foi essa a acusação que fizeram contra a Sheherazade e deu certo. Deu certo porque não há justiça e menos ainda liberdade no Brasil.

      O que o Levy falou pode ter sido (e foi) uma imbecilidade, mas ele tem todo o direito de expor o que pensa. Aliás, um dos objetivos do debate é justamente para o candidato dizer o que pensa e o eleitor definir se está afinado ou não com o pensamento dele, mostrando sua aprovação ou rejeição através do voto. Mas esta ralé não quer dar às pessoas o direito de escolha, o direito de pensar diferente. Querem obrigar todos a pensarem como eles, violando uma conquista básica do Ocidente, conquista essa que custou muito derramamento de sangue e muitos séculos de sofrimento humano – o direito de ser livre para pensar, se exprimir e buscar sua própria felicidade !

      Sinto cada vez mais vergonha de ser brasileiro e ver meu povo se encolhendo de medo diante dos desmandos de minorias raivosas, recalcadas e psicopatas, sustentadas por partidos inimigos da sociedade e da democracia. 🙁

  1. Ele tem encontrado um apoio considerável, muitos estão considerando votar nele como protesto contra a histeria gaysista.
    tiraria votos do Aecio, que burramente se posicionou a favor desse lixo sopa de letrinhas (incrivelmente após batizar seus filhos numa igreja)
    Entre o povao, foi aplaudido.
    Entre as esquerdas o tiro dado enfraqueceu adversários, A doida do planalto correu para abraçar a turma do abecedário e posar de democrática.

    • O mais surpreendente disso tudo é que esses marxistas-humanistas-neoateístas que xingam o Levy não são nem um pouco perfis falsos usados para tumultuar debates políticos na internet (MAVs), mas sim os funcionais clássicos, mais conhecidos por otários ou panacas mesmo. Dilma ou Marina sequer sabem da existência dessas pessoas, mas muito agradecem o servicinho não solicitado que elas estão fazendo em prol do Foro de São Paulo.
      É muito revelador ver que esses “tolerantes” são mais preconceituosos do que aqueles a quem eles acusam de ser tal coisa. Aliás, são “tolerantes” no contexto marcusiano do termo (“tolerância repressiva”, leia-se interditar toda e qualquer expressão que seja contrária ao marxismo-humanismo-neoateísmo e amplificar artificialmente toda e qualquer expressão que valide tal ideologia).

      Pergunto-me se não daria para enquadrar algum desses tweets de MHNs como crime de ameaça. Dizer que você é contra a existência de alguém pode ser interpretado como querer que a pessoa tenha sua vida terminada, enquadrando-se nas condições de morte ou grave ameaça que caracterizam tal delito.

      • Se ele aceitar aí que a coisa vai adiante mesmo, não me importo com o que essa gente faz ou deixa de fazer, eu não gosto é da militância virulenta e da histeria dos idiotas que não tem a menor idéia do que estão fazendo atacando as pessoas a serviço de gente que não se importam com eles. O que ele tem que fazer é botar esse pessoal na justiça, mesmo que não aconteça nada no final do processo, inclusive os portais de notícias e seus “jornalistas” pois já interpretaram a opinião dele como preconceito. Dá pra ganhar uma e financiar o aerotrem. 🙂

  2. Mandem esse artigo do Luciano para o Levy Fidelix usar no próximo debate. E se possível mandem ele dar uma olhada no site do Luciano também.

  3. Ainda estou na dúvida se voto no Aécio ou no Levy.

    Pastor Everaldo pode ter as ideias mais à Direita, mas é muito bundão e não manja da Guerra Política.
    Além de seu recente apoio ao liberalismo ser meio suspeito quando analisado seu passado.
    Se existir próximas eleições, quem sabe ele estará mais preparado.

    • Douglas, você deveria votar no que tem mais chances de chegar ao segundo turno.Aécio está crescendo nas pesquisas e há chances reais de chegar ao segundo turno.
      Levy pode até ter conseguido alguns votos depois que disse aquele aquelas besteiras sobre os gays (assim como certamente perdeu votos), mas não têm chances de chegar ao segundo turno.

      Everaldo mostrou que pegou o discurso liberal na última hora.Que liberal é esse que quando perguntando sobre o bolivarianismo não mostra o que isso realmente é?
      Deveria ter dito que é obrigação do país sair do Mercosul, ainda mais depois do que fizeram com o Paraguai (unicamente para aceitar a Venezuela no grupo).

  4. “Uma pena é que os gays não tem culpa dessa baixaria provocada pelo movimento LGBT, que torna compreensível um desabafo como o de Fidelix.” – Ora, se “os gays não tem culpa dessa baixaria provocada pelo movimento LGBT”, como pode ser “compreensível” o discurso de Fidelix, não contra o movimento LGBT, mas contra os gays em geral? Se o movimento negro cometesse (e comete) atos criticáveis, seria “compreensível” um discurso racista? Seria “compreensível” dizer que se quer negros “bem longe da gente”? A liberdade de expressão é sagrada, mas não inclui imunidade à crítica. Em outras palavras, pressão social não-coercitiva contra discursos intolerantes é um mecanismo legítimo do ponto de vista liberal/libertário; não há aí nenhuma incongruência com a filosofia libertária, desde que não se use do aparato jurídico para calar os intolerantes.

    • Comportamentos sexuais apresentam naturais discordâncias em meio a sociedade. Comparar comportamentos com raça ou críticas à comportamentos como se fosse manifestar racismo não procede. Entendo que Fidelix falou da questão da forma promíscua que muitos gays vivem, como ele mencionou o que acontece nas paradas gays. Não que queira um cidadão que é gay longe dele. A vigarisse ou crime moral desses militantes é querer induzir que ao ter falado combate à minorias seja como se ele fosse um nazista querendo segregar e matar gays. Mas é o combate político à essa militância LGBT que está aí. E que muitos gays conscientes tem repudiado essa militância.

    • A filosofia liberal/libertária diz que uma pessoa pode ter o total direito de não suportar um determinado grupo e/ou pessoa.
      Tal filosofia ainda diz é que quem fez o discurso não pode agredir fisicamente tal grupo e/ou pessoa.

      Muitos estão se confundindo o que a filosofia liberal/libertária diz.

      Os grupos gayzistas estão tentando CALAR o candidato pela opinião dele, que passa longe de ser “um discurso de ódio” ou de “Fidelix é culpado por crimes contra homossexuais”.

      Ninguém é obrigado a gostar de cristãos e muitos falam abertamente que a religião é para ignorantes e separa a sociedade. Mas não podem falar sobre a conduta de homossexuais?

  5. Muito bom. Levy Fidelix só respondeu à pergunta da víbora Luciana Genro, deu a sua opinião, apresentou um axioma. E a esquerdalha o acusou de incitar o ódio quando ele confrontou o ativismo gay. Ué, não é a esquerda que gosta de lutas de classe? Eu penso que a coisa chegou a um tal ponto que está vertendo, como na teoria da mola. Mas o que me alentou foi o apoio massivo a Levy Fidelix nas redes sociais, muitíssimo maior do que aqueles que o criticavam. Alguns até fizeram uma petição em prol de Fidelix.

    Na matéria da Folha, “Beijaço contra declaração de Fidelix fecha a avenida Paulista”, constatamos a intransigência e o fascismo dos gayzistas. Uns 300 gatos pingados estavam lá (eles adoram polêmicas gays para fazerem exibicionismos, e até devem torcer para que alguém quebre a sacralidade de suas condutas), segurando cartazes com dizeres “fofinhos”, batendo tambores e inquirindo o candidato à forca. “A manifestação de “beijaço” na convocação do Facebook acabou tendo mais discursos [de ódio] e gritos de guerra do que beijos em si”, ponderou o periódico.

    Mas vejam no que segue o texto da Folha quanto ao apoio a Levy Fidelix e entrevista a um cidadão sensato que estava na Paulista e que concordava com o axioma de Fidelix: “Antes que Santos terminasse a sua fala, um dos ativistas LGBT presentes, o candidato a deputado federal Bill Santos (PSOL-SP), foi tomar satisfações com ele, avisado por um outro ativista que escutava a entrevista.” Quem esses pestilentos pensam que são para meter o nariz onde não são chamados? É só um discordar numa coisinha e… pronto!, começa o mi, mi, mi e os “camicie arcobaleno” já vão cheios de virulência querer destruir a pessoa. A pessoa é posta no olho do cu do furacão, tanto por esses movimentos quanto pela mídia “progressista”. Quem são os intolerantes aqui? O homofascismo já foi longe demais.

    A gaystapo já até adulterou o perfil dele (Levy Fidelix) na wikipédia no mesmo dia do debate. E alguns “jornalistas”, militantes, como não têm coisa melhor para escrever, ficam de criar polêmicas sobre uma opinião axiomática sobre o sexo anal no país que é acometido pelo Petrolão e outros casos de corrupção do PT. Oh, virou comoção nacional agora. A conduta homossexual não é uma virtude que necessite ser amparada por lei e que dê direitos (lê-se privilégios) a quem o pratica, isso não faz a pessoa melhor do que ninguém e a ser distinguido. Respeitar como pessoa humana, claro!, mas ninguém é obrigado a pensar como eles querem – isso é mania de aceitação, carência e uma infantilidade das mais medíocres.

    Eu já disse aqui e repito, eu já vi alguns gays reclamarem que a parada gay dá essa impressão que lhes fica, respingando neles, de que todos são promíscuos por causa do que fazem nela ou em outros meios. O ato de uns, em nome dessa causa (que é política) e usurpadoramente em nome dos homossexuais, acaba maculando quem não é adepto dela. Eles não falam em nome de todos os homossexuais e isso tende a criar uma antipatia injusta por gays não-sindicalizados da parte desses injuriados (conservadores, religiosos que se vêem ultrajados com seus valores e símbolos), embora eu ache, espero que não, que todo gay, ou os incautos, tendem a se inclinar ao gayzismo. Mas como já vimos, acredito que não. Há várias exceções.

    Em suma, um bom vídeo, “JEAN WYLLYS E O ATIVISMO GAY – véi na boa #11: http://www.youtube.com/watch?v=UR24SQpJsaw.

  6. Os ativistas gays são mais enfezados do que vespas. Mas eu insisto em cutucar o vespeiro deles, mostrar a hipocrisia desses tolerantes intolerantes.

  7. O principal erro do Levy Fidelix, foi ter focado somente no aspecto moral. O correto seria ele denunciar pra que serve o grupos de ativismo LGBT, a quem eles servem ou quais interesses eles servem. Falando apenas do aspecto moral ele deu margem para que a jihad da gayspato , pudesse usar o rótulo de ¨ conservador cristão fundamentalista ¨

  8. Meu pai me disse uma vez não mexe na merda que a mão sai fedendo, o que Fidelix fez foi exatamente isso, falou a verdade contra as minorias que apelam.

  9. e com relação a associação de pedofilia… eu sei é óbvio nem todo gay tem tendencias homofóbicas… mas oque pensar, quando lideres de movimento gay declaram coisas como:
    “Nos últimos 36 anos de prática homoerótica, calculei que devo ter transado com mais ou menos uns 500 homens diferentes. No meu casa, pra dizer a verdade, se eu pudesse escolher livremente, oque eu queria mesmo não era um “homem”, e sim um meninão………….Pedofilia já, enquanto ainda estou com tudo em cima”….

    Luiz Mott – Fundador do Grupo Gay da Bahia

    “Precisamos abrir nossas mentes. O pedófilo pode ter papel fundamental no desenvolvimento sexual do menino, ensinando uma sexualidade sadia e livre de preconceitos”

    Jean Wyllys em entrevista a CBN

    se essas pessoas não representam seu público alvo, porque não existe nenhum movimento para destitui-las de seus cargos ??????…..

  10. O Ayan esqueceu de catalogar também:

    – Movimento homossexual agride jovens católicos em Curitiba-PR > http://www.youtube.com/watch?v=zuxpaE759h8 [faziam manifesto contra o aborto];

    – Ativistas gays zombam de Cristo crucificado > http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/ativistas-gays-zombam-de-cristo-crucificado/;

    – Ativistas gays jogam água na cara de arcebispo da Igreja Católica > http://www.youtube.com/watch?v=Nwkfjhu_kII;

    – Ativistas da Femem cometem vandalismo contra Igreja Russa > http://www.youtube.com/watch?v=PTWjGwurqSI [e incontáveis manifestações desse grupo];

    http://lucianoayan.com/2014/07/25/isto-e-marxismo-cultural-um-radical-de-esquerda-invade-igreja-usando-calcinha-provoca-religiosos-obtem-revide-e-se-finge-de-vitima/

    Mas enfim, é mesmo uma tarefa árdua catalogar esses eventos grotescos desses grupos. Essa turba histérica é tal como o ISIS, é uma ameça contra a civilização. É hora de reagir!

  11. Infelizmente não dá mais para aguentar esta baderna no Brasil. A liberdade de expressão foi derrubada por um grupo da minoria, e a maioria da população permanece calada e não tem, sequer a vontade de defender seus interesses.
    Nossas crianças são bombardeadas diariamente por propagandas incentivando o homossexualismo, isso até mesmo dentro das escolas. Não tenho preconceitos, apenas acho toda esta movimentação muito estúpida. Antes de tudo, é preciso ter ética. Vc não pode chegar a um homossexual e obrigá-lo a ser hétero ou vice versa, isso é mais do que errado. Esta escolha é uma decisão pessoal e deve, sim, ser respeitada.
    Quanto à colocação de Levy Fidélix, compartilho da mesma opinião que ele e faço minhas todas as suas palavras. Estes homossexuais acham que estão acima da lei, e, aparentemente estão mesmo.
    Se um homossexual comete um crime a lei não pode condená-lo, pois passariam a acusar o código penal brasileiro de homofobia. E não duvidem, isso ainda vai acontecer!

  12. “O Brasil tem hoje 200 milhões de habitantes. Se começarmos a estimular o homossexualismo, cairá pra 100” (Levy Fidélix)
    Um argumento impecável. Ele não disse nada mais do que a verdade. Ele não falou, em nenhum momento , em matar gays. Eles só disse que não se deve estimular. Simples assim, não tem nada demais!

  13. A vocês que estão apoiando o Levy Fidélix, o candidato da Imaculada Família Brasileira, que está protegendo-a de pessoas que gostam de outras pessoas do mesmo sexo (não entendi bem qual o “mal” que esse tão terrível inimigo que vcs tanto enxergam como ameaça tem de tão maligno, mas enfim),
    SAIBAM QUE ELE APOIOU A DILMA EM 2010!!!

    LEVY FIDELIX APOIOU A DILMA EM 2010.

    Repetindo: LEVY FIDELIX APOIOU A DILMA.

    LEVY.
    APOIOU.
    A.
    DILMA.

    DUVIDA?

    ENTÃO VEJA: http://www.youtube.com/watch?v=77YD8824FaQ&feature=youtu.be

    Abraço pra quem defende o bigodinho de Hitler defensor do sexo só pra reprodução e da Família Brasileira Tão Perfeita.

    E não, não me refiro ao Luciano, que diferente desses comentaristas cegos daqui sabe bem que babaca é esse Fideumavacadepernaabertalix.

Deixe uma resposta