Mais escândalo: sindicato envia e-mails a funcionário da Petrobrás pedindo votos a Dilma

8
55

Sindi Maua F009_original

Dificil, hein? A quantidade de escândalos é tanta que mesmo que a oposição queira, não vai dar conta de denunciar todos os casos. Agora vemos o Sindicato dos Petroleiros enviar e-mails para todos os funcionários da Petrobrás. Leia a notícia da Folha:

O sindicato dos petroleiros enviou na manhã desta quinta-feira (2) um e-mail aos funcionários da Petrobras pedindo votos para a candidata do PT, Dilma Rousseff, na eleição presidencial de domingo (5).

O assunto da mensagem eletrônica é “reeleger a presidente Dilma, prioridade para a classe trabalhadora!” e traz anexa uma cópia escaneada do jornal semanal da FUP (Federação Única dos Petroleiros).

A entidade é filiada à CUT (Central Única dos Trabalhadores), reúne 14 sindicatos e representa mais de 150 mil trabalhadores.

Na publicação, a entidade diz que a eleição deste domingo contrapõe projetos antagônicos: o de Dilma, que “garante emprego e renda” e o da oposição que “reduz o Estado e favorece a terceirização”.

O texto termina convocando os petroleiros a “ocupar as ruas neste fim de semana e garantir a vitória de Dilma em primeiro turno”.

Especialistas em legislação eleitoral ouvidos pela Folha afirmam que a conduta é ilegal e que cabem sanções à FUP e a Dilma. Pela lei, é vedado às entidades de classe ou sindicais fazerem propaganda eleitoral a partidos e candidatos.

Ainda que a FUP seja um entidade de direito privado (ou seja, não recebe verba pública), o uso da estrutura sindical pode ser considerado abuso de poder econômico.

“Nós estamos fazendo nosso papel como sindicato e nos posicionando no processo eleitoral. A categoria sabe o que passou no governo FHC”, diz José Maria Rangel, coordenador geral da FUP. Ele frisa que o jornal é enviado aos funcionários semanalmente.

Procurada, a Petrobras não respondeu até o fechamento dessa matéria. A empresa, no entanto, não tem como controlar o que é enviado pelo sindicato. Segundo a Folha apurou, o e-mail gerou indignação internamente entre os funcionários que não apoiam Dilma.

Tudo normal, certo? Somente se nesse caso o sindicato tivesse enviado e-mails para seus sindicalizados. Mas não é isso o que ocorreu.

Repare com atenção no último parágrafo da notícia, que faço questão de repetir: “Procurada, a Petrobras não respondeu até o fechamento dessa matéria. A empresa, no entanto, não tem como controlar o que é enviado pelo sindicato. Segundo a Folha apurou, o e-mail gerou indignação internamente entre os funcionários que não apoiam Dilma.”

Logo de cara já temos uma mentira, quando a notícia diz que a empresa não tem como controlar o que é enviado pelo sindicato. Porém, a empresa tem como controlar se divulga ou não a lista de e-mails de todos os funcionários (com os respectivos e-mails) para outras partes.

Está aí o escândalo: essa divulgação da lista de e-mails de todos os funcionários é um evento gravíssimo, que não poderia ocorrer de forma alguma.

É importante termos a dimensão do quão grave é isso: a lista de endereços eletrônicos da Petrobrás é um ativo da empresa (do estado), mas se esses endereços eletrônicos são cedidos a uma organização não-estatal (principalmente com fins políticos) isso ocorre para gerar benefício a uma parte indevida. No caso, o sindicato, que está aliado ao PT. E como o sindicato usou os e-mails (à revelia de seus usuários, em vários casos), isso também configura spam.

Note que tivemos o caso de funcionários irritados por receberem e-mails indevidos. Mas quem liberou a lista de e-mails de todos os funcionários? Será que vão inventar que foi um hacker?

Realizem a situação: imagine se a Petrobrás libera toda a lista de e-mails de seus funcionários para uma consultoria querendo vender produtos, apenas por que o dono dessa empresa possui aliança com a diretoria da estatal. Teríamos aí uma parte beneficiada de forma indevida a partir da divulgação de informação sigilosa de forma completamente fora de qualquer regulamentação.

Foi exatamente o que ocorreu neste caso. Uma vergonha, que não apenas manchou ainda mais a Petrobrás, como causou transtornos a todos funcionários não-petistas. Uma baixaria inominável.

Eis uma pergunta que poderia ser feita: como a lista desses e-mails foi parar nas mãos do Sindicato?

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Funcionários da Petrobras votando em Dilma??? Seria o maior caso de masoquismo coletivo da história da psicanálise!

    Parabéns pelo teu blog, Luciano! Todo dia, aprendo muito contigo!

    Abração do

    Paulo Kramer

    • “Por isso: não acredito em Urnas Eletrônicas” o PT é quem controla as eleições com fraudes, e compra de votos. Em quase todo Estado brasileiro o PT comprou votos.
      1° os sindicatos tem direito, em colocar os seus apadrinhados políticos, com a troca de votos, assim: os municípios que não são Petistas existem atualmente os contratados dos “Consórcios Públicos Federais”, onde são contratados pelo Governo Federal a fim de troca de favores.
      Imaginem vocês a força que tem um sindicato, em cada cidade ou capital!
      Observem a primeira coisa que Dilma, falou quando ganhou que ela iria conversar com -1° Sindicalista, “Agradecer”, o que? Troca de favores, os votos comprados. O PT estava pagando muito dinheiro, para um cabo eleitoral, e já tinha o voto garantido, por cada cabo eleitoral.

  2. Como não se cansa de dizer o Reinaldo, o PT privatizou há muito a PETROBRAS.

    Obviamente, se a PETROBRAS tem milhares de empregados próprios (descontando-se os milhares, já próximos a uma centena de milhares de contratados, subordinados não à Petrobras mas a quem lhes dá a “boquinha” – e viva a terceirização), e se todos os empregados, mais uma vez para deixar claro, excetuando-se os contratados, receberam a mensagem da CUT – e todos receberam – é porque foi a própria PETROBRAS, e não o GOOGLE, que passou para a CUT a lista de endereços. Mais obviamente ainda, uma empresa não atua contra os interesses de si própria. As pessoas sim!

    Nada demais aos olhos da petralhada que vê com orgulho a ascensão de seu candidato nas Minas Gerais graças à laboriosa participação da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

    E o Aécio? Continua usando salto agulha para lidar com eles?

  3. Luciano, de fato, a lista de e-mails dos funcionários é um ativo da empresa. Não se pode afirmar 100% que a Petrobras deliberadamente entregou esse ativo aos sindicatos. Se não foi deliberado, no mínimo foi descuidada, foi negligente, por permitir que a lista seja vazada. Cadê a segurança da informação? O que garante que informações pessoais dos funcionários não sejam vazadas também? É patético.

  4. Eles tem medo da terceirização? Segundo li, foi nesse governo que mais se terceirizou na Petrobrás. Não sei do que esses babacas do sindicato estão falando. Pra não largar suas tetas gordas, vale qualquer distorção da realidade.

  5. O PT já DEU tudo o que podia e o que não podia. O povo brasileiro precisa levar a sério a questão política neste país. Precisamos educar as crianças e os jovens sobre as responsabilidades governamentais e legislativas, caso contrário, de geração a geração, criaremos adultos sem responsabilidade civil em todas as áreas.

  6. Defendo o voto da mudança: da mudança de comportamento dos politicos; da mudança de mentalidade; da mudança nas ideias morais que tomaram um novo rumo, onde o errado virou certo; da mudança para melhor é claro. Não podemos aceitar da forma como está. O Brasil não é um país que aceita uma cultura corrupta como “coisa aceitável”. Jamais vimos neste país tanta falta de vergonha. Cheeeega!

  7. Então é por isso que o meu conhecido que trabalha na Petrobras, que para o meu desgosto é meu primo, pediu insistentemente e desavergonhadamente para votarem na Dilma e no PT. Suspeitei desde o princípio. Que asco!

Deixe uma resposta