PT usa carteiros com salários baixos para atuar como um exército dos milionários petistas

5
61

concurso-correios-2014

Rodrigo Constantino acertou na mosca ao descrever o absurdo que ocorre não apenas com os Correios, mas com todas as estatais do Brasil. Aqui ele menciona o aparelhamento estatal dos Correios:

É realmente um absurdo o que o PT fez com todas as estatais do país, transformando-as em braços partidários para um projeto puro de poder. Todos viram os vídeos de carteiros distribuindo propaganda de Dilma. Vídeos estes que o TSE, liderado pelo petista, digo, pelo ministro Dias Toffoli resolveu mandar o Google tirar do ar. Por que? Não querem que o povo saiba do que se passa por baixos dos panos na estatal?

O PT alega ser o partido dos trabalhadores, mas como podemos ver, pisa nos verdadeiros trabalhadores para beneficiar os poderosos. É esse o conceito de “justiça social” do partido? Usar carteiros com salários baixos para atuar como um exército dos milionários petistas?

Ele se referia à nota que a ADCAP, Associação dos Profissionais dos Correios, lançou contra o aparelhamento estatal petista. Leia a nota:

A Associação dos Profissionais dos Correios – ADCAP, entidade sem fins lucrativos fundada em 20/12/1986, sem vinculação a qualquer partido político, em virtude das últimas notícias divulgadas acerca do aparelhamento político da ECT, vem a público manifestar o que se segue:

a) Nos últimos anos o aparelhamento político da ECT se acentuou com as mudanças introduzidas no Manual de Pessoal em 2011, que permitiram o acesso às funções técnicas e gerenciais por empregados e pessoas estranhas aos quadros de pessoal da Empresa sem a observância dos imperativos de competência técnica e capacidade gerencial;

b) Em decorrência dessas alterações, 18 (dezoito) dos 27 (vinte e sete) Diretores Regionais da ECT são filiados ao Partido dos Trabalhadores;

c) Além disso, muitas outras funções são ocupadas por critérios políticos nas Diretorias Regionais e na Administração Central da Empresa;

d) Como exemplos desse aparelhamento, registre-se que enquanto mais de 50.000 mil Carteiros labutam diariamente em condições muitas vezes desfavoráveis por uma remuneração mensal de cerca de R$ 1.500 (hum mil e quinhentos reais), outros Carteiros ligados à burocracia sindical e partidária ocupam elevadas funções em Brasília e nos diversos estados, alguns deles com remunerações superiores a R$ 20.000 (vinte mil reais);

e) O citado aparelhamento afeta também o Fundo de Pensão dos empregados dos Correios, o Postalis, frequentemente citado em notícias veiculadas pela imprensa contendo suspeitas de investimentos duvidosos e de operações fraudulentas;

f) O Postalis já acumula um déficit atuarial superior a R$ 2,2 bilhões em 2013/214, levando em breve a uma drástica redução dos salários e benefícios dos empregados e aposentados dos Correios e atingindo cerca de 500 mil pessoal, o que levou a ADCAP a solicitar à PREVIC, junto com outras entidades representativas de empregados, a intervenção no Postalis;

Diante do exposto, a ADCAP comunica que está avaliando as medidas judiciais cabíveis e que oportunamente se manifestará novamente sobre o assunto.

Partido dos Trabalhadores? Sei, sei…

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Carlos Brickmann,

    Há 263 carros dos Correios abandonados há quase dois anos num terreno de Vila Matias, em Santos. Por que estão ali? Não se sabe. Por que estão ao ar livre, deteriorando-se, sujeitos a depredação e furtos? Não se sabe. A direção dos Correios não sabe? Sabe: em abril, há mais de seis meses, o Ministério Público Federal cobrou providências dos Correios. Talvez a carta não tenha chegado – e o fato é que até hoje os carros, comprados com o dinheiro do caro leitor, continuam abandonados.

    O Ministério Público determinou que os Correios, em 30 dias, guardem os veículos em lugar adequado, em que não se deteriorem; elimine focos de mosquitos nos carros abandonados; faça o inventário dos carros, mande consertar os que forem aproveitáveis e venda os que não forem.

    Simples, não? Mas há quase dois anos os carros estão lá, sem que a estatal federal se mexa.

    • Isso é pratica recorrente desde 2003. Eles deixam os carros abandonados e contratam umas kombis velhas, de pessoas ligadas ao sindicato e ao PT, para dividirem o butim. Podem perceber que quase não há mais carros amarelinhos dos Correios pelas ruas. O que existem são vans alugadas com pequenos adesivos da empresa.

      A estatal tá literalmente sucateada e o Fundo de Pensão com um rombo bilionário causado pela compra de títulos da dívida argentina. Mais de 100 mil funcionários com a complementação da aposentadoria em risco.

Deixe uma resposta