Mesmo tímida, a volta de uma lepra política (intervencionismo) tem ajudado a extrema-esquerda. O que fazer sobre isso?

41
283

leproso

Não tem jeito. Eles sempre teimam em aparecer e atrapalhar. E, é claro, os jornalistas da mídia de esquerda aproveitam-se e morrem de rir com o pretexto ganho.

Exemplos estão na Exame, Terra e vários outros. Sim, são os intervencionistas. Apenas alguns gatos pingados, respondendo feito crianças de 7 anos a perguntas de jornalistas petistas desonestíssimos. É uma ingenuidade comovente, como sempre. Mas os petistas não tem pena. Eles tinham que aproveitar esse tipo de descuido. Esse texto do Reaçonaria, por exemplo, vai te deixar indignado.

A sugestão é que os organizadores das manifestações contra o PT não se limitem a dizer que “não apoiam a intervenção militar”, mas sim que rejeitam este tipo de comportamento, chegando a colocar suspeitas em cima de quem vier com esse tipo de discurso.

Senão fica difícil. A maioria faz faz uma manifestação legítima em prol da democracia e alguns gatos pingados carregam cartazes que só servem para dar munição ao inimigo.

Podia ser dito aos que insistem em falar em intervenção militar:

Pessoal,

Agradecemos o apoio de vocês, mas sejamos francos: vocês estão contaminados com uma lepra política. Discursos de intervenção militar pertencem a uma era que não existe mais. Até mesmo as ditaduras de hoje em dia usam discurso de “democratização radical”, como fazem os bolivarianos. Como o jogo é esse, guarde suas expectativas em casa. Manifestações a favor de “intervenção militar” não são bem vindas em lugar algum, especialmente aqui. Será bem vindo quem vier falar somente em ação pelas vias democráticas.

Sim, eu sei que são poucos, mas atrapalham bastante.

Como sempre, é claro, os intervencionistas surgem com suas argumentações estrambólicas.

Vamos a uma delas:

Ayan, na boa, o PT aparelha o Estado, saqueia as empresas públicas, viola a Constituição e é vinculado ao Foro de São Paulo, sob as determinações do qual fragiliza nosso país, deixando-o vulnerável ao acesso de guerrilheiros comunistas, enfim, comprometendo a segurança nacional e nossa soberania. O que tem de errado em pedir uma INTERVENÇÃO MILITAR LEGÍTIMA para aplicar o dever constitucional das Forças Armadas de defesa da pátria?

Em termos políticos? Tudo errado.

Principalmente por que você se permite ser rotulado como “anti-democrático”, que é exatamente o rótulo que a extrema-esquerda quer colocar em você.

Filosoficamente, há argumentos para tudo: separatismo, fim de Bolsa Família, fim da democracia, guerra de secessão, intervenção militar. A questão principal é: politicamente, quais resultados serão obtidos?

É preciso mudar urgentemente a forma de pensar. Se um dia constatarmos que perdemos definitivamente na guerra política, basta aplaudir o adversário e tentar aprender algo com ele.

Várias vezes eu disse aqui mesmo que o programa eleitoral do PT foi um “espetáculo”, em termos de guerra política. Enquanto isso, o do PSDB era vergonhoso.

Alguns vão dizer: “Ah, e se virar de vez uma ditadura?”

Aí a solução é apelar para os métodos não-violentos de derrubada de ditadura propostos por Gene Sharp no livro From Dictatorship to Democracy, escrito em 1993, e extremamente útil em vários países do mundo.

Por que isso? Por que o discurso de “entrar pela força”, especialmente usando o aparato estatal, perdeu legitimidade ao longo dos anos.

Se aqui virar uma Venezuela, a esperança reside apenas em manifestações não-violentas ou então, no pior dos casos, em intervenção estrangeira, como em uma guerra entre Estados Unidos e Rússia por nossa água, por exemplo.

Já uma intervenção interna só vai dar autoridade moral para a extrema-esquerda. É tudo que eles precisam na vida. Aliás, já conseguem obter autoridade moral somente com o papo furado intervencionista.

Pode-se dizer: “mas eu vou trazer um argumento, dizendo que eu posso invocar as FAs”.

Poder você pode. É teu direito viver dando autoridade moral ao teu adversário, e não receber nada em troca.

E sempre os argumentos vão no mesmo tom, apelando não a razões de fato, mais aos “gut feelings”.

Exemplo: “As FFAA representam o Brasil e estão acima de qualquer governo”. Só que esta é uma idealização que não funcionou em qualquer outro país bolivariano. E não vai funcionar aqui. Como já disse, a intervenção militar é obsoleta.

Outro afirmou que “na hora certa eles vão agir”. Essa é uma visão escatológica de política (estão tratando as Forças Armadas como se fosse o personagem Aslan dos livros Nárnia). Na verdade, as Forças Armadas fizeram um contra-golpe em 1964 apenas por que a outra parte queria dar um golpe. Se não, nem assim teriam agido.

 

Veja este caso: “As FFAA não querem governar, mas só deixar as coisas em ordem para que o próximo presidente seja eleito”. Mas que moral teriam Forças Armadas para “sair” e deixar a próxima eleição acontecer se eles fizeram (nesta hipótese) duas intervenções à força em 50 anos? É tão fácil assim? Mas aí o PT seria proibido de participar das eleições? E os coletivos não-eleitos seriam todos fechados? Algo impossível, diga-se. Mas aí eles iriam para o próximo partido de extrema-esquerda, que carregaria uma autoridade moral inacreditável…

Existe até o discurso irritado e falacioso dizendo: “Então vai esperando que o PT vai dialogar”. Mas onde este blogueiro escreveu em qualquer lugar que existe diálogo com petistas?

Também existe essa pérola: “Sob meios pacíficos o PT jamais sairá”.

Basicamente, é a declaração de um time que está entrando em campo há 30 anos para jogar futebol mas usando as regras do basquete contra o Flamengo. Daí ele constata: “No jogo, o Flamengo jamais perderá”. Mas não seria melhor fazer essa declaração depois de tentar jogar futebol… com as regras do futebol?

Outro argumento intervencionista: “O rótulo de anti-democrático já está colado em qualquer um que, mesmo da forma mais moderada possível, se oponha ao petismo, não precisamos dar-lhes motivos ou pretextos. ”

Na verdade, o rótulo de anti-democrático está colado por que o PT sempre atacou na hora de rotular. Isso pode ser mudado com o fato de rotularmos eles sem parar de anti-democráticos, que é o que são mesmo. Ademais, o argumento é muito ruim. Basicamente, ele diz que se somos vítimas de um efeito, mesmo não buscando sermos vítimas deste efeito, então não faz diferença se passarmos a BUSCAR SERMOS VÍTIMAS deste efeito. O erro no argumento é bem claro, certo?

É muita argumentação ruim junta. Já passou da hora de fazermos a exclusão social deste tipo de discurso.

De que vale a pena pedir algo que jamais vai acontecer e que só serve para te aniquilar politicamente?

A tentação que vejo nos intervencionistas é dar argumentos para nós no formato de “eu posso fazer” ou “a constituição me garante que”, considerando, quase sempre, interpretações dos eventos.

Política nunca foi decidida pelo “eu posso fazer”, mas pelo que irá gerar melhores resultados políticos.

Como a intervenção militar jamais vai ocorrer (até por ser um método obsoleto de tomada de poder, especialmente em nosso contexto), o único resultado da declaração “sou a favor da intervenção militar” é dar munição para o inimigo poder rotular não apenas os intervencionistas, mas toda a oposição de golpista.

É muito estrago para nenhum resultado.

Anúncios

41 COMMENTS

  1. Solicitar impeachment da Dilma, independência do Sul e Sudeste e/ou intervenção militar são atitudes que fortalecem o governo para dizer que a oposição não soube perder e está querendo um golpe.
    O impeachment só ocorrerá se houver fatos sólidos que liguem a presidente à esquema de corrupção da Petrobras. Até lá, e se ocorrer, a oposição tem que se organizar em torno de ações factíveis e legítimas.
    Já estamos 24 anos atrasados. Está na hora de se organizar, por exemplo, colher assinaturas contra a constituinte (eles conseguiram 7 milhões a favor).
    Tem dezenas de abaixo-assinados contra a constituinte e a favor do impeachment. Mas não há um direcionamento de como agir. Talvez vocês blogueiros que conseguiram tantos seguidores poderiam organizar algum tipo de estratégia
    A sensação é que as pessoas estão reclamando muito, estão desapontadas e daqui a pouco tudo vai se desmanchar e o governo petista seguirá seus passo apoiado pelos movimentos sociais e sindicatos, que sem nenhum pudor vestiram a camisa de representantes do povo…
    Não sei o que poderia ser feito. E começo a ficar pessimista….

  2. Não pode ser simplesmente uma tomada de poder, um golpe de estado. O P.I.G., toda a militância esquerdista, engenheiros sociais, intelectuais orgânicos por toda parte cairão de pau graças a hegemonia conquistada por mérito, aliás, em 64 os caras ainda estudavam Gramsci, e já foi uma contra-revolução frágil, hoje então já melou tudo. Se acontecer, não acho difícil de desencadear então uma guerra no continente, dando carta branca para os bolivarianos derrotarem de uma vez por todas o imperialismo americano, o grande capital, a opressão contra os sofridos brasileiros. Em se tratando do poderio que Russia, China e Coréia do Norte possuem – e bem sabemos que eles passam a mão na cabeça de Fidel Castro (chefe único do Foro de São Paulo, porque Lula é muito imbecil para fazer par) – militarmente estaríamos aniquilados.

    A onda vermelha que tinge de sangue a América Latina deveria ser dos interesses primários dos E.U.A., mas pelo visto aquele povo tá numa saia justa talvez pior que a nossa. Se eles [a direita] viram o jogo lá, um operação complexa que vai além do simples uso do aparato bélico deveria ser deliberada aqui, se caso tiverem ainda a condição moral para guiar a humanidade.

    O papel da genuína intelectualidade brasileira é continuar expandindo a promoção da verdade, influenciar políticos e possivelmente abrir um caminho que impeça tantas tragédias. De fato ainda não está tudo aparelhado ainda.
    Mas, ninguém aqui é Deus, tão diferente do que o humanismo prega não temos poder para mudar nosso destino. Vamos lutar, do contrário não tem nada de interessante pra fazer mesmo.

  3. Ontem tivemos manifestações por várias cidades no Brasil, aqui em São Paulo, cerca de 10 a 10 mil pessoas se uniram na Avenida Paulista contra o PT. A imprensa deu uma abafada, mas qualquer brasileiro sabe o número aproximado de pessoas nas ruas, pelas fotos na internet. Afinal 10 mil pessoas cabem no tobogã do Pacaembu, num gomo de arquibancada do Maracanã, Morumbi, Beira Rio, brasileiro acostumado a estádio de futebol, faz essa conta fácil.

    Ficou claro também que a imprensa jogou na manifestação a pecha de ser a favor de uma intervenção militar, quando nem 5% dos participantes pediam isso, e o caminhão de som dizia e repetia que não era a favor dos militares. A grande maioria em São Paulo e outras cidades são contra o PT.

    Infelizmente ou felizmente as pessoas ainda estão sem liderança e coordenação, eles mal sabem se organizar. Eles, não tem um manifesto especificando o que fazem, quem são ou mesmo contra quem, ou a favor do que estão se manifestando. Não deram publicidade a manifestação e nem informaram os veículos de imprensa e órgãos oficiais. Estão aprendendo, mas logo conseguirão!

    Essas pessoas querem no momento só 2 coisas, ser contra o PT e ser contra a Venezualização do país! A pergunta que resta é: Quem vai liderar e coordenar essa multidão?

    Se vai ser um militarista, um religioso, um liberal, um centro-esquerda, um ecologista etc. etc. ainda não sabemos.

    Ontem Sr. Eduardo Jorge, ex-candidato a presidente, do PV, twitou algo assim: “Parabéns ao povo paulista, sempre na frente lutando pela liberdade.” Durante a manifestação ele apagou, deve ter sido por causa dos cartazes pedindo pela militarização, mas mesmo assim ele deixou coisas como: “Vamos acordar Gigante.” E “Liberdade”. Bem, bobo ele não é!

    Enquanto isso o PSDB apressou-se em dizer que não fazia parte daquilo, poderia ter ficado quieto. Sr. Aécio Neves ainda está viajando, ai, ai …
    Foi certo? Foi errado? O futuro dirá!

    As cartas estão embaralhadas, cabe agora saber quem dará o carteado.

  4. a verdade eh que aqueles que pedem intervencionismo militar sao ignorantes e viuvos da ditadura.
    uma intervencao militar nao resolveria nada.
    o jogo teria que voltar a democracia depois de um periodo e as coisas se repetiriam.

  5. “Se aqui virar uma Venezuela, a esperança reside apenas em manifestações não-violentas ou então, no pior dos casos, em intervenção estrangeira, como em uma guerra entre Estados Unidos e Rússia por nossa água, por exemplo.”

    Neste caso, não penso que seja ‘se aqui virar…’ e sim, como impedir o inevitável? Como acreditar na eficácia de manifestações não-violentas, que serão reprimidas e combatidas a ferro e fogo pelos MST e congêneres, treinados e encarregados do trabalho sujo, agora com a assistência técnica de Elias Jaua? E tudo indica que, já estamos submetidos ao ‘pior dos casos’ e em vias de perder, não apenas nossa água, mas a completa soberania nacional para a Grande Pátria socialista. Graças ao Foro de São Paulo, a América Latina está muito próxima de consolidar-se como uma nova União Soviética. Quem financia essa Empresa, sem concorrentes? Admiro o inestimável trabalho de tantos formadores de opinião que atualmente elevam suas vozes contra a catatonia dos inadvertidos e acomodados, mas acredito também que, sem a reunião de todos esses esforços numa única direção, sem ação organizada de um movimento igual e contrário, continuaremos à deriva, e cada vez mais vulneráveis à realidade dos fatos. Mais do que a via democrática das eleições diretas, já completamente sob o controle gramsciano, penso que se trata de mobilizar urgentemente as forças e os interesses da livre economia para fazer frente a Lula e Fidel Castro nesse mercado ideológico! A quem pode interessar tal Empresa? E não há dúvida de que, por enquanto, os neocomunistas estão ganhando de lavada nesse jogo contra os liberais!

    • “mas acredito também que, sem a reunião de todos esses esforços numa única direção, sem ação organizada de um movimento igual e contrário, continuaremos à deriva, e cada vez mais vulneráveis à realidade dos fatos”

      Exatamente isso Manrel! Perfeito! Mas construir um movimento desse tipo levaria décadas (ou talvez menos por causa das novas tecnologias), assim como levou décadas para os esquerdistas terem êxito na sua estratégia gramsciana de ocupação de espaços. O grande erro dos direitistas, conservadores e liberais na época do regime militar foi não terem construído as condições para o surgimento de um movimento forte que os representasse no Brasil. E não poderiam esperar ajuda dos militares para isso. Por estes serem adeptos do positivismo, eles tratavam a política como algo pouco nobre, no qual se envolviam por obrigação imposta. Acreditavam na tecnocracia. Daí porque eliminaram da política grandes líderes da direita, como Carlos Lacerda. A direita no Brasil, como movimento, morreu com o regime militar. Esse regime militar não educou o povo sobre os perigos do comunismo. E, ainda por cima, havia militares esquerdistas como o presidente Geisel, General Golbery, Coronel Heitor Aquino Ferreira, dentre outros, que trabalharam arduamente para fortalecer o que chamavam de esquerda moderada. Combateram e venceram a guerrilha, mas entregaram a imprensa, universidades, escolas e sindicatos nas mãos dos esquerdistas. O resultado está aí.
      A segunda lei da mecânica newtoniana ensina que a toda ação corresponde uma reação de mesma intensidade, mesma direção e sentido contrário. A Internacional Socialista foi criada em 1951. Mas os conservadores e direitistas nunca se preocuparam em criar algo equivalente em nível internacional. E depois ficam perguntando porque os esquerdistas ocuparam todos os espaços. Estes estudaram e se preparam para isso! Não concordo com absolutamente nada do pensamento esquerdista revolucionário, mas é forçoso reconhecer que os seus defensores são disciplinados. Como Cristo disse: os filhos das trevas são mais prudentes que os filhos da luz.
      Olavo de Carvalho já falava que seria necessário criar uma internacional conservadora, ou algo equivalente, há anos. Mas ninguém lhe deu ouvidos. Ouçam aqui, por exemplo, este áudio de 2006 http://blogtalk.vo.llnwd.net/o23/show/0/005/show_5706.mp3

      O movimento de esquerda é articulado nacional e internacionalmente no mundo todo. No entanto, não vejo articulação por parte dos conservadores, direitistas, liberais-democratas. Estes parecem que tem como lema cada um por si. Ficam mais ou menos como na música de Zeca Pagodinho: deixa a vida me levar, vida leva eu. E depois ficam reclamando dos esquerdistas, que são organizados, disciplinados, meticulosos no planejamento de suas ações, que tem horizonte de longo prazo. Os conservadores, direitistas e liberais pensam apenas na próxima eleição e não tem articulação. Os esquerdistas agem pensando em como capturar as atuais e as próximas gerações. Como o lado de cá quer levar vantagem sobre o movimento de esquerda? Mas só por um milagre.

      Alguém aqui já pensou, por exemplo, em alguma articulação desse insurgente movimento constitucionalista brasileiro com o Movimento Tea Party dos EUA, por exemplo? Seria um bom começo.

      • Luciano, esqueci de lhe perguntar: o que acha de minha sugestão contida no último parágrafo do post anterior que escrevi? Grato

      • O grande problema da direita no momento é perceber que o maior impedimento para seu desenvolvimento é a dificuldade de mudar de perspectiva.

      • Olá Luiz, Como você mesmo ressalva, o que gramscianos levaram décadas para construir, talvez hoje possa ser desconstruído à velocidade das mídias. Empresas gigantescas têm se desintegrado diante de mutações tecnológicas, comuns na atual era da informação. Articular com o Tea Party, pode ser um bom começo? Estamos de acordo, gostei da ideia e, quem sabe, você mesmo nos indica qual seria esse caminho?

  6. Luciano, sério, você fala sobre isso desde a época das manifestações de 2013. Ainda tem gente que não conseguiu entender? Pqp, não é possível.

  7. Tenho, muitas vezes, postado, aqui, concordando você. No entanto, dessa vez isso não irá acontecer, pelas razões que passarei a expor.

    Começo citando parte de um discurso do Barak Obama, por ocasião da comemoração do ” “Memorial Day”.

    “É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos a liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público. É graças aos soldados , e não aos professores, que existe liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo. É graças aos soldados, e não aos políticos, que podemos votar…”

    Por outro lado, como afirmo eu:
    “de nada adianta: o legislativo fazer leis; o presidente sancionar as leis; e o judiciário tentar fazer valer essas leis, se não existirem as forças de segurança (Polícias e Forças Armadas) que são as únicas instituições capazes de fazer cumprir essas leis ! Se resolverem não agir, ou se colocarem contra, nada mais será capaz de garantir o tal “estado democrático de direito”.
    Evidente que as FA, acima das outras, por formação, efetivo e, quando nada, por infinitamente maior poder de fogo)..

    Assim, ao contrário do que “pensa” a OAB, não é ela coisíssima nenhuma a EFETIVA GARANTIDORA do ESTADO DEMOCRÁTICO de DIREITO. Como em 1964, dependendo da sua posição, poderá ser das primeiras organizações a ser fechada.

    Diante do que acabo de expor, considero a suposta defesa da “democracia” que você pretendeu fazer excessivamente ROMÂNTICA. E a mesma me faz vir à mente uma advertência feita por aquele que considero o maior de todos os epistemólogos, odiado por socialistas e comunistas (aos quais sempre desafio para que tentem me provar o contrário e garanto: não conseguirão) Refiro-me a Karl R. Popper (1902 – 1994). Na sua obra, que não deixou “pedra sobre pedra” em relação ao marxismo-hegelianismo, “A sociedade aberta e seus inimigos” esse DEMOCRATA nos lembrava o “Paradoxo da Tolerância”: a TOLERÂNCIA TOTAL atenta contra a própria TOLERÂNCIA; pois os INTOLERANTES destruirão todos os TOLERANTES e, a partir daí, não haverá mais TOLERÂNCIA alguma.

    Tolerância total é o que os socialistas/comunistas pregam, quando estão em DESVANTAGEM.

    • Acho que você não entendeu o que eu quis dizer. Ninguém aqui está vendo a democracia de forma romântica. Mas é um fato que até ditadores mais espertos já fazem tudo sob o rótulo “democracia”. Enquanto isso, o que se propõe de outro lado? Ir para a “não democracia’. Não existe nada de romântico nisso.

      Vou dar um exemplo. Imagine que você vá servir “filé a parmegiana”. Aí outro fale em servir um prato de merda. Eu estou dizendo que se você falar que vai servir um prato de merda será rejeitado, mas se servir filé a parmegiana dificilmente será. O que há de romantismo nisso?

      O pessoal não entendeu que tudo que a esquerda quer é que… o oponente fale em intervenção militar.

  8. Conclamo a todos os eleitores do Aecio que se vistam de Verde e Amarelo, na terça feira , às 16 horas ele irá discursar no Senado como líder da oposição!

    Os que estiverem em Brasília e puderem ir, compareçam ao Senado,
    para dar uma força a oposição
    levem bandeiras do Brasil
    as 16 horas podem todos parar Brasil afora e cantar o hino nacional!
    mostrem se.
    Somos mais de 50 milhões de opositores.
    uma força Imensa!

  9. Como o próprio Olavo já cansou de dizer, só teremos uma oposição política de fato em uma ou duas gerações. Por enquanto, temos que nos agarrar – ainda que criticamente – a manifestações um tanto precipitadas e desengonçadas. Prá mim, nossos esforços devem ser em adiar, retardar ao máximo o avanço socialista no Brasil, para que cheguemos ao próximo round com o menor número de danos físicos e materiais possível. De todo modo, o socialismo bolivariano tupiniquim me parece mesmo inevitável.

  10. Também o outro lado está tentando o que?
    Não estão dando um Golpe?
    Só que não vão bater de frente, vão enganando, trapaceando e se instalando igual um vírus, aparelhando todo o estado , perseguindo opositores, sem que a outra parte possa sequer protestar , pois fizeram leis , com o estado todo aparelhado para impedir a que a oposição possa atuar e haja alternância de poder.
    Não é um golpe ?
    Roubar a Democracia?
    O fato de algumas pessoas pedirem abertamente e uma multidão pensar no assunto, uma intervenção militar é porque o aparelhamento já chegou a um nível preocupante, com focos de guerrilhas armadas prontos para atuarem, sem que a outra parte tenha este tipo de força para se defender a não ser as FFAA. Legalmente constituídas para defender a Pátria contra ameaças externas e internas.

    As pessoas estao dispostas a ir s ruas, mas não querem violencia de Black bostas, e outros.a população normal está desarmada, se grupos extremistas resolverem atacar a população indefesa como na Venezuela?

    Não acho que as forças armadas devam da golpe, derrubar governo, nem governar, mas acho legítimo que a população que paga seus salários saiba de que lado estão, da Pátria? Ou do Governo de plantão?
    Também não acho que se deva achincalhar as FFAA, são constituídas por pessoas de bem,, brasileiros como todos nós, merecem todo respeito.

    essa tara ideológica de esquerdistas de que militar = ditadura ou torturadores é um rótulo repetido AD nauseum para lavagem cerebral dos idiotas incultos.
    A intervenção que fizeram no passado se fez correta, tinham ou não tinham razão em não querer essa Gente?
    Eram outros tempos, mas as toupeiras que estão no governo se congelaram lá naquela época.
    Comunistas tem síndrome de Peter Pan, vivem eternamente em 1917.

    • Olha só o que você disse.

      Eles foram fazendo tudo PELA VIA DEMOCRÁTICA.

      E enquanto isso a proposta intervencionista é fazer PELA VIA NÃO-DEMOCRÁTICA.

      Para mim é vontade de perder.

      E eu respeito as FA’s. Exatamente por isso devemos tirá-las dessas manias políticas.

      Abs,

      LH

      • Não respaldei intervenção militar, apenas entendo a preocupação das pessoas.
        Nao acho que seja legal roubar a nação por vias democráticas, estamos lidando com quadrilha de ladrões do erário público. Não estamos jogando um jogo democrático limpo, em que um perde e outro ganha e tem as chiadeira normais do jogo político. E outro tipo de jogo bastante perigoso , por isso a preocupação , alguns acham que já se esgotaram todos os canais , uma vez que o estado não responde de maneira transparente e rápida para coibir essas coisas.
        Também acho que permitir a ação de grupos paramilitares, tipo MST, Black Block, e outros que ainda não se manifestaram , e que são financiados com dinheiro público, não é nada democrático e fere as leis do pais.
        Clamar pela força legal para IMPEDIR a destruição do estado de direito para implementação de uma ditadura , seja lá qual for, é legítimo,
        achar que num suposto caso de intervenção militar , estes se perpetuaram no poder, é possível, mas ficaríamos entre escolher ditadura de ca ou ditadura de lá, rsrsr
        Acho que o melhor e o povo pressionar nas ruas, nao deixar a peteca cair, encontrar um lider a altura.Exigir que as leis sejam cumpridas.
        Espero que discurso do Aecio seja contundente. E que aglutine a oposição para que esta se fortaleça,
        Se ficar no chove não molha, babau!

  11. O foda é que esses bando de idiota qeu tem merda na cabeça fazem questão de atrapalhar.

    pqp

    Deveria valar: cartaz desse aqui não, joga fora!

  12. Excelente artigo!
    Fantástico!
    Resumiu o que eu penso!!

    É exatamente isso que você está dizendo: é muita burrice pra tão poucas idéias. É dar munição de graça para o inimigo. Praticamente mazoquismo.

    Desconfiaria que são esquerdalhas infiltrados, se eu não duvidasse da estupidez humana.

  13. “Eles foram fazendo tudo PELA VIA DEMOCRÁTICA.

    E enquanto isso a proposta intervencionista é fazer PELA VIA NÃO-DEMOCRÁTICA.

    Para mim é vontade de perder.”

    Luciano, mas solapar a democracia através de sucessivas tentativas de GOLPE não é trabalhar por vias democráticas de maneira nenhuma, como você bem sabe. Já não vivemos numa democracia plena e isso é bem claro a todos nós. Portanto, o pedido de intervenção militar não é ILEGÍTIMO nem DESCABIDO, apenas precipitado, já que essa medida não tem apoio popular nem muito menos midiático. Os empréstimos secretos à ditaduras, o envolvimento do PT (e de todos os seus candidatos) com o Foro de SP e o uso da máquina pública (Correios, bolsa-família, etc.) para o cometimento de crimes eleitorais já seriam mais que o suficiente para o impeachment da presidente e o fechamento do partido. O “petrolão”, se comprovado o que diz o doleiro, seria apenas um bônus.

      • Sim, eu sei. Por isso disse que o pedido de intervenção é precipitado. Agora, colar a pecha de “filhotes da ditadura”, como vi por aí, em quem opta por esse pedido é no mínimo desnecessário. Mas enfim, não é o seu caso, que aliás tem feito um ótimo trabalho.
        E vamos em frente!

  14. Só sei que teremos de ir até o final,sem medo!Os petralhas jogam sujo como sempre.,portanto todo cartaz que não estiver de acordo,deverá ser recolhido,A orientação deve vir das redes sociais e todos ajudarem na divulgação.Não podemos cometer erros.Terça feira teremos a resposta sobre a auditoria.Aécio faz um discurso no senado.É preciso estar atento e juntos pra apoiarmos e cobrar doTRE uma resposta favorável.

  15. Uma pergunta: Você prefere ser invadido pela Rússia ou os Estados Unidos do que convocar seus próprios militares?!?!?!?!?!? Que loucura meu! Pense um pouco, isso parece o pessoal que está fazendo uma petição pública na casa branca para ‘expor’ o sistema do Foro de São Paulo. Que bando de cavalos! Existem médicos, engenheiros, economistas e advogados brasileiros perfeitamente preparados para concertar o país, não precisamos de mais intervenção estrangeira no nosso país através dos EUA, ONU, FMI e trupe! Esses seguidores do Olavo de Carvalho choramingam constantemente sobre o Foro de São Paulo e o Gramsci sem se dar conta que isso é 1/100 dos problemas do país e que em termos sociais e isso se reverte fácil com a devida vontade POLÍTICA. A economia do Brasil está que nem a África? Sim. Solução? Simples, incentive a indústria nacional, invista em infra-estrutura, ciências, tecnologia, educação, dê um jeito na dívida que consome 50% do que nós produzimos e sufoca a economia produtiva…. as soluções para os problemas são relativamente simples, só falta as pessoas entenderem os problemas e colocarem no poder pessoas que queiram desenvolver o país. O problema da democracia é que os meios de comunicação em massa são quem ditam o que vira notícia ou não, por isso muitas pessoas são – e mesmo as que se consideram ‘politizadas’, ignorantes à respeito dos problemas do país.

    À respeito da Intervenção Militar, não faz parte da função do militar ser salvador da pátria toda vez que os civis fazem cagadas. Mas tendo dito isso, o militar é, por natureza, um salvador da pátria. Hoje, eu não apoio uma intervenção porque clamar por uma é covardia uma vez que ainda temos plenas condições de reverter o jogo. A rejeição por pelo menos 50% da população do Brasil pelo PT, mostra que temos um campo fértil para expor a agenda desastrosa do PT e propor idéias de desenvolvimento nacional e preservação da nossa soberania.

    Eu leio o blog do Ayan porque gosto do suas análises, os frames etc. Agora, para os leitores mais sérios dos problemas nacionais, temos que concordar que está na hora de jogar o liberalismo e o socialismo na lata de lixo se quisermos progredir. Os EUA que tantos gostam de demonstrar como o exemplo do sucesso do livre mercado, surgiu como potência justamente pela oferta de crédito do governo, com amplos investimentos em infra-estrutura pelo governo e com proteccionismo. Quem quer o bem do Brasil não se apega à ideologias, o fracasso das medidas do Consenso de Washington significam que a ignorância não é mais desculpa.

    E vamos nessa!

  16. O Sr denominado Macuw escreveu: “o Foro de São Paulo e o Gramsci sem se dar conta que isso é 1/100 dos problemas do país e que em termos sociais e isso se reverte fácil com a devida vontade POLÍTICA”

    Basta termos vontade POLÍTICA para tudo ser facilmente resolvido? Eureka! Que maravilha! Como eu não havia pensado nisso antes?

    “as soluções para os problemas são relativamente simples, só falta as pessoas entenderem os problemas e colocarem no poder pessoas que queiram desenvolver o país”

    Somente isso? Ora, que genialidade! Também não havia pensado nisso!

    Qual a necessidade de Luciano Ayan, Percival Puggina, Nivaldo Cordeiro. Carlos Azambuja, Graça Salgueiro, Rodrigo Constantino e uma penca de estudiosos sérios se debruçarem com afinco, profundidade, disciplina e determinação para propor diagnósticos acurados de nossa realidade complexa e cheia de mazelas, oferecendo estratégias de ação para superação de obstáculos? Mas que desperdício de tempo! O nosso colega aqui já tem as soluções. Paremos então de as procurar, nem precisamos nos preocupar, pois toda a nossa problemática atual é relativamente simples de resolver.

    Esse cara aqui está falando sério mesmo ou está de zoeira?

    • @Luiz Oliveira. Que bom que você compactua minha idéia que só falta vontade política, e pode ter certeza que não escrevi como ‘zoeira’. Acontece que o discurso derrotista de muitos atrapalha, aliás sabota a busca de uma solução, e essa questão que para você, através do seu sarcasmo, parece tão óbvia para muitos ainda não é. Procure na internet “o negócio é explodir tudo, devolver para os índios e pedir desculpa”, há várias frases parecidas com o mesmo princípio falacioso e derrotista de que não há esperança e que o Brasil não tem jeito.

      Além do mais sua afirmação de que isso tudo é auto-evidente se contradiz. Se você concorda com o quadro dos problemas e soluções que eu descrevi você já não poderia citar o Constantino como exemplo de solução pois o que o Constantino prega é completamente diferente do que eu escrevi. O Constantino faz parte de uma ideologia que prega que o Governo não deve fazer nada e que o mercado, como um deus, vai através da sua mão invisível, onde todos buscam seus próprios interesses, proporcionar o maior bem possível para a sociedade. Eu te dou uma VALE do Rio Doce, uma Petrobrás, uma Itaipú que se não houvesse governos que criassem esses projetos, nossa expectativa de vida seria comparável à uma Bolívia.

      E você, está falando sério ou está de zoeira comigo?

  17. Luciano, porque você não dá uma de João Santana com essa galera? Tenta fazer a ponte. Faça a instrução política deles. Eles parecem não ser tão articulados, e isso é um perigo. A retórica esquerdista vai comê-los por dentro e fazer framing.

    Não acho que a estratégia correta apesar de tudo seja atacar a esquerda diretamente, e sim usar a mesma estratégia deles. Comê-los por dentro nas suas instituições. Talvez seja melhor pensarmos em infiltrarmo-nos no PT ou algo do tipo.

  18. Ayan,

    Chega a ser patética o uso ou pedido de qualquer “golpe”, “intervenção”, “militar”. Estou com você e não abro!! Siga meu raciocínio…

    Estamos há anos lutando contra um partido, um movimento, que quer implementar um regime totalitário no Brasil. Os lideres e militância desse movimento só usam palavras como: DEMOCRACIA CIVIL, MOVIMENTO DEMOCRÁTICO, DEMOCRATIZAÇÃO DA MÍDIA etc. etc. Tudo para dissimular!

    Ai vem os caras e usam o movimento para pedir INTERVENÇÃO MILITAR, GOLPE MILITAR, FORÇAS ARMADAS????

    Nem se fosse a intenção, pedir qualquer tipo de militarização (O QUE NÃO É!), mataria o movimento só de usar essas palavras.

    Faça-me o favor, enfiem a cabeça na privada e deem descarga!!!

  19. A gente não quer falar né, mas esse povo aí que fica apoiando Bolsonaro e amigos dele, tão cumprindo tão bem o desafio de QUEIMA FILME quanto os que estão pedindo intervenção militar…
    Vejam bem coisas que esse cidadão e coisas que seu filho (ou sobrinho, sei lá) disse em alto e bom tom nesse evento de sábado e se preocupem em proteger vossos filmes. Eu é que já protegi o meu.

  20. Bolsonaro publica na página dele imagens com caras fardados, abriu champagne pra comemorar os 50 anos do golpe militar (ok, ele quer dizer que foi o golpe que salvou o Brasil de virar Cuba, mas não faz mesmo ideia do quanto isso é QUEIMA FILME? o quanto isso o coloca como vilão para os eleitores pouco esclarecidos? se os marketeiros do Aécio são ruins e encontrados numa liquidação, os dele tão em grau hospitalar)

    O que eu quero dizer é:
    NÃO VAI DAR PRA TIRAR PT DO PODER ENQUANTO A OPOSIÇÃO FICAR BABANDO OVO PRA BOLSONARO
    E pra Feliciano
    E pra Levy Fidélix

    Quem pede intervenção militar é tão queima-filme quanto quem grita apoio esses caras citados aí.

    Lembrando que no ato de sábado o filho/sobrinho/seilá do Bolsonaro estava lá no microfone declamando um monte de asneira conservadora caricata.

    XÔ, DIREITISMO CARICATO. Vaza, assombração.

  21. Por tudo que li aqui, parece que nosso fim é o golpe do PT já que, um impeachment não ocorrerá pois, a câmara e o congresso votariam contra.A intervenção militar não acontecerá.Se formos para a rua, nada acontecerá porque o PT já não respeita mais nada.Estou certa? Estamos de mãos atadas? Espero que entre 200 000 000 de brasileiros, um seja iluminado e consiga ter uma boa ideia!

    • Carmen,

      Quem está convencendo que as alternativas são impeachment OU anulação de eleições OU intervenção militar, são os Revoltados On Line.

      Esse blog não defende nenhum dos três. Até por que para impeachment é preciso surgir provas contundentes de responsabilidade de Dilma com o Petrolão.

      Abs,

      LH

Deixe uma resposta