Que tal jogarmos o jogo do Ajuda ou Atrapalha (o PT) para evitar tiros no pé?

20
103

regras-banco-imobiliario-pecas

Algumas pessoas me dão “argumentos” para dizer que “é justificável pensar em intervenção militar” ou que “intervenção militar não deve ser descartada”.

Ok, deixe-me colocar a coisa de outra maneira.

Imagine que você é um candidato à presidência da República, com 30% das intenções de voto, e apareça no primeiro debate presidencial. Sua maior concorrente é uma candidata belíssima, que faz a Manuela D’Avila parecer um dragão. Na verdade, ela não é essas coisas mesmos. E tem bigodinho. Mas a candidata contra a qual você concorre é um verdadeiro fenômeno. Digamos que você está diante da candidata mais bonita que já concorreu nas eleições.

Você tem direito a uma pergunta e diz o seguinte: “Candidata quero dizer aqui que você desperta meus instintos mais animalescos, de forma que temos que resolver a questão de outra maneira. Você topa, no intervalo, resolvermos tudo com uma rapidinha (quickie), lá nos bastidores, sem necessidade de nos confrontarmos?”.

A candidata tem um ataque de choro. Você é vaiado. O esposo da candidata entra no palco e mete-lhe o dedo na cara. Até seus próprios correligionários ficam envergonhados.

O resultado é catastrófico para você, que só consegue votos com a turma da zueira a partir de agora. De 30% você cai para 8% dos votos.

Depois das eleições você explica: “Ora, é meu direito constitucional me expressar. Não fiz nenhum atentado e fui propositivo e respeitoso. Perguntar não ofende e bla bla bla”.

Ou seja, você pode dar milhões de argumentos lógicos para fazer o que fez.

Mas política não é baseada só em argumentos lógicos, mas em ações estratégicas e táticas que se convertam em resultados.

Portanto, a argumentação dizendo que “eu posso pedir apoio das Forças Armadas na condição X” ou “de acordo com a interpretação Y, é missão das Forças Armadas agirem assim” não servem para dar um argumento em prol da validade política desta ação.

Aliás, no exemplo hipotético, imagine que você não conseguiu “seduzir” a adversária. E na vida real, a intervenção militar não vai acontecer.

Sendo assim, que tal fazermos um jogo para facilitar o entendimento de quem ainda não abstraiu o que eu quero dizer. Vamos dar a esse jogo o nome de “Ajuda ou Atrapalha”.

A partir do jogo, você marca um ponto para cada afirmação que fizer se automaticamente atrapalhar o PT. E retira um ponto para cada afirmação que ajudar o PT.

É evidente que você precisa esquecer o lema “eu tenho o direito de falar”. Direito você tem de falar o que quiser. A questão é: você está atrapalhando ou ajudando o PT?

Também não estou pedindo para você mentir, mas, dentre aquilo que selecionou para falar (ou escrever), algo tem potencial de ajudar ou atrapalhar o PT. Você que escolhe o que quer fazer.

Exemplos de discursos que ajudam:

  • O PT tem uma política que nos levará à miséria igual na Venezuela
  • O PT está dando nossa riqueza a aliados que já devastaram suas populações, como Cuba e Venezuela. Você vai engolir isso?
  • O PT é um partido que irá usar qualquer frase sua, pois são cínicos e dissimulados como psicopatas, portanto tome cuidado

Exemplos de discursos que atrapalham:

  • O PT jamais vai sair do poder, só com intervenção militar (dois frames que ele usará contra você., o primeiro para motivar a própria tropa, e o segundo para te marginalizar)
  • Esse bando de recebedor de Bolsa Família só atrapalha (o Bolsa Família tem um custo irrisório, e seu discurso servirá para o oponente te colocar contra os pobres que recebem o benefício)

Uma sugestão é avançarmos na listagem de discursos que “ajudam” ou “atrapalham” o PT. Nosso papel passaria ser fazer discursos que atrapalham o PT.

E, de novo, alguém poderá dizer: “Eu tenho o DIREITO de dizer o que quiser…”

Tem mesmo, e nós também temos o direito de identificar quem está ajudando ou atrapalhando o PT. Essa pressão dialética é positiva.

Acho que está na hora de partir para o jogo do Ajuda ou Atrapalha (o PT), para tornar mais didático o diálogo interno, o que pode ser muito mais produtivo para quem ainda não captou o óbvio.

Em tempo: antes de fazer qualquer ação é preciso saber o objetivo. Então vamos lá. O objetivo é tirar o PT do poder. Como? Aumentando a taxa de rejeição do partido em vários segmentos do eleitorado (quando mais inclusivo melhor)

Com o aumento de taxa de rejeição do PT, o que pode acontecer? Várias coisas, como:

  • Impeachment (em caso de provas contundentes E pressão suficiente para isso).
  • Renúncia (em caso de manifestações em larga escala).
  • Derrota em próximas eleições.

Todas as três tiram a autoridade moral do PT, que é a melhor forma de se conquistar poder.

E outras possibilidades? Guerra internacional? Intervenção militar? Lembro que até mesmos os ditadores sabem hoje que dar autoridade moral ao oponente não serve para nada…

E o jogo do Ajuda ou Atrapalha já irá desqualificar discursos intervencionistas logo de cara.

Anúncios

20 COMMENTS

      • Estou postando onde acho que algo possa ser feito.

        URNA ELEITORAL ROUBA VOTO NAS ELEIÇÕES 2014
        https://www.youtube.com/watch?v=Zq_VVswV1_0

        Em primeiro lugar antes que algum petista (eles vestiram a carapuça) diga que é tentativa de 3º turno, em nenhum momento ela mencionou, no vídeo em que fez a denuncia e nem deixou subentendido, qual teria sido o candidato dela, aquele que foi roubado. Sobre a denuncia ela fez o que qualquer pessoa séria, esclarecida, faria. Só depois que foi dito que ninguém tinha votado e nem levado o recibo é que resolveram apurar. Infelizmente, com tanta conversa e dificuldade ela esqueceu de exigir o mais importante que esses fatos fossem relatados em ata, limitando-se a registrar que ela não votou deixando de acrescentar que ninguém assinou e nem levou o comprovante que não tinha sido destacado como se ouve na gravação. Deve_se destacar que nunca em nenhuma eleição anterior o ato de alguém votar no lugar de outra pessoa foi tratado como coisa comum, um simples engano. O que difere nesse caso, que pode ser comprovado pela prova gravada, pelas pessoa que atuaram nessa seção, pelo pessoal da justiça federal, é que alguém votou no lugar dela mas com ninguém completou o serviço, o mais provável é que a urna já tinha sido preparada e não defeito. Só esse fato por si só é suficiente para concluir que a eleição pode e foi frauda. Afinal não é insistentemente dito que isso não poderia acontecer em nenhuma hipótese.

        PS.:Se você não for alienado ou cúmplice veja o Vídeo e tire sua próprias conclusões antes de andar pela cabeça dos outros, inclusive a minha.

  1. Impeachment (em caso de provas contundentes E pressão suficiente para isso).

    *Isto é nossa maior arma,
    pois provas de Petrolão e Mensalão existem,
    e acabar com o partido, por estar ligado ao Foro de São Paulo,
    também é poss´vel!!!!!!
    O importante é não parar… ao contrário,
    aumentar e muito o número de pessoas nas manifestações!!!!!

    Renúncia (em caso de manifestações em larga escala).

    *Não acredito!!!

    Derrota em próximas eleições.
    *Não devemos esperar mais!!!!!!
    Mais 04 anos significa nossa derrota!!!!!!

  2. Nada ajuda mais o PT do que um tucano como Xico Graziano se apressar em deslegitimar as manifestações, chamando-as de antidemocráticas. Por isso, levou uma escovada muito bem dada pelo Olavo de Carvalho. Sem que uma coisa impeça a outra, avalio que pressões em cima de tucanos frouxos como Graziano são até mais importantes do que um jogo de ajuda e atrapalha dirigido a um público disperso, já que se trata de uma ação focada, ao passo que o discurso contra intervenção militar dificilmente poderá atingir 100% de pessoas em uma massa de manifestantes. Não desconsideremos a hipótese dos intervencionistas serem petistas infiltrados, outra situação de controle complexo.

  3. “Alguns vão dizer: “Ah, e se virar de vez uma ditadura?”

    Aí a solução é apelar para os métodos não-violentos de derrubada de ditadura propostos por Gene Sharp no livro From Dictatorship to Democracy, escrito em 1993, e extremamente útil em vários países do mundo.”

    Quais países derrubaram ditaduras por métodos não violentos através deste livro, sem derramar uma gotinha de sangue?

  4. É o efeito bomba atômica!
    Nas eleições de ’98 o Enéas cometeu um erro absurdo.
    Disse ele na campanha/horário eleitoral que o Brasil precisava ter a bomba atômica para falar grosso com os outros países. Afundou a campanha e perdeu todos os votos que ele havia capitalizado na campanha de ’94. Com o fiasco de ’98 desistiu da disputa presidencial e em 2002 se candidatou a deputado federal.

  5. Intervenção militar atrapalha? Ok, vamos supor que ninguém mais fale de intervenção militar, vc acha possível controlar uma multidão, banindo cartazes inconvenientes? Se a imprensa achar UM já será suficiente para difamar, se não achar nenhum e entrevistar uma senhora em cadeira de rodas com saudades de 64 já será motivo para difamação e chacota, as pessoas deste lado tem sérias dificuldades de perceber que a imprensa está contra e não por causa dos militares mas porque é protesto contra o PT, os militares dos quais eu não tenho simpatia, e acho que fizeram um péssimo governo são um bode expiatório, se não fosse eles, iriam falar que é protesto de elitista, que não tem pobre, que só tem branco ou qualquer outra bobagem. E me desculpe, com um STF ocupado totalmente por petistas, um TSE idem, um congresso comprado, acho que a única solução é o aeroporto então.

  6. DIREITISTAS CARICATOS:

    * que ficam criticando com ranger de dentes o Bolsa Família dizendo que “só cria vagabundo”, “aí as dadeiras fazem mais filho ainda pra receber mais”, “pobre tem que trabalhar”;

    * que ficam pedindo fuzilamento, ou dizendo que querem agredir algum artista que apóie o PT ou próprios membros do partido;

    * que ficam falando coisas (como vi alguns dos comentaristas frequentes daqui fazendo) do tipo “Levy Fidelix é o candidato da família brasileira”, ou então postando coisas anti-homossexualidade, apoiando caras do tipo Julio Severo ou até mesmo (sim, até mesmo) Bolsonaro e outros CARICATOS;

    * que simplesmente apóiem Levy Fidelix (BURROS, pois esse é um esquerdista, já que se não fosse não ia querer SE INTROMETER na vida dos outros. Quem quer se intrometer a esse ponto na vida do outro é ESQUERDISTA. Ele não é a favor da liberdade do indivíduo nem aqui nem na China, quem apóia ele é BURRO, direitista CARICATO e VERGONHOSO, o mesmo vale pra Julio Severo e amigos)
    Ah sim, lembrando que Levy Fidélix já apoiou a DILMA em 2010, cambada de imbecil;

    * que ficam pedindo ARMAMENTOS – conheço uns que adoram ficar falando em armamento, que precisa armar e etc, quando sabe que a maioria da população é contra (eu, inclusive).

    SÓ ATRAPALHAM.

  7. O bolsa família não tem valor irrisório, pois além do custo ao erário, há o custo de se manter cidadão atrelados ao sustento estatal. O programa só tem se ampliado. Não tirou ninguém da pobreza. Não produziu o desenvolvimento social prometido. O custo social causado por essa geração improdutiva, que não contribui, não se desenvolve e ensina aos filhos que o Estado “deve”, é muito alto, tornando o bolsa família e outras bolsas com um custo social nada irrisório.

Deixe uma resposta