Vídeo sobre o 1 de novembro acerta o tom e passa a mensagem. Bons presságios.

30
205

boliv

Fiz algumas críticas em relação a organização das manifestações no 1 de novembro. O intuito, como sempre, é de ajudar. Mas vejamos a cronologia:

  1. De início a manifestação foi organizada, em várias capitais. Até aqui tudo bem.
  2. No meio de algumas manifestações, apareceram alguns sujeitos pedindo intervenção militar. Eles não tinham nada a ver com a manifestação.
  3. A desonestíssima imprensa de esquerda usou esses poucos indivíduos (que não deviam estar lá) para dizer que a manifestação foi “por intervenção militar”.
  4. A informação propagada pela mídia adotou essa versão, extremamente pejorativa para os manifestantes. Essa mesma versão chegou a vários caciques do PSDB.
  5. Alguns desses caciques rejeitaram as manifestações. Não as manifestações reais, mas a que conheceram através da mídia.
  6. Algumas pessoas da direita começaram a xingar o PSDB por causa dessas reclamações.

Parece bem claro que a “gestão de comunicações” não funcionou muito bem. Alinsky e Webb escreveram livros para organizadores, mas as vezes, por precipitação, podemos agir como bagunçadores. Para a próxima manifestação, sugiro dar uma olhadela em técnicas de organização, como as de Saul Alinsky e Eric Mann.

Exemplos do que poderia ser feito:

  1. Combinar o jogo com os apoiadores possíveis, especialmente o PSDB.
  2. Prever os riscos das lepras políticas aparecerem, e botá-las para fora.
  3. Já conscientizar as pessoas para não falar com a mídia bolivariana.

Li a primeira vez sobre Alinsky em um livro sobre gestão de projeto chamado Age or Heretics, de Art Kleiner. O livro falava de como vários organizadores da política podem dar dicas para a gestão de projetos.

Agora, como dizem os gerentes de projetos, é momento compilar as lições aprendidas.

Mas eis que vejo com bons olhos um excelente vídeo feito sobre as manifestações. Algo que merece fortes aplausos:

O tom é corretíssimo! Realmente uma bela demonstração de melhoria.

Aqui fiz algumas dicas que podem ser úteis.

Segue outra dica, que não estavam no texto anterior: comemorem as vitórias que conseguirem. Por exemplo, comemorem a derrubada do Decreto 8243 na Câmara e peçam a derrubada também no Senado. Também animem-se com a possibilidade da derrubada do Plebiscito Constituinte, mas não deixem de cobrar o enterro definitivo do projeto.

A comemoração de vitórias é importantíssima neste momento. Isso dará um combustível adicional às manifestações.

Também será vital derrubar os projetos de censura de mídia que o PT tentará. Pode ser pedida uma CPI da BLOSTA para investigar a blogosfera estatal. É tirania o governo direcionar anúncios para seus apoiadores. É coisa de republiqueta. Isso deve ser denunciado.

Não se esqueçam de aumentar ainda mais o foco de falar ao coração. Associar a ameaça bolivariana aos efeitos duros que podem existir para a vida dos cidadãos é essencial. Quanto mais a linguagem for acessível, melhor. Neste texto feito para a época das eleições, há dicas sobre isso.

Mas o que importa principalmente aqui é ver que com um vídeo dessa qualidade, vocês tem futuro.

Agora é hora de viralizar a coisa ainda mais!

Anúncios

30 COMMENTS

  1. No sábado ocorreu uma manifestação em São Paulo, reunindo cerca de 2500 pessoas, segundo estimativa da polícia militar. Estando lá no evento tenho uma estimativa de 4 a 5 mil pessoas no máximo. Independentemente do número de pessoas, o que foi possível notar na manifestação foram reinvindicações difusas, que poderiam ser resumidas num repúdio ao PT.

    Os organizadores do evento fizeram até um trabalho razoável, mas faltou um certo traquejo com a rua e uma organização mais clara tanto de direção como de propaganda do próprio ato, que carecia de faixas claras e visíveis. Faixas haviam muitas, mas faixa do ato, da pauta do ato, não era claramente distinguível. Se se perguntasse para uma amostragem considerável de manifestantes, cada um daria um motivo diferente para lá estar, desde intervenção militar até uma razoável auditoria das urnas eletrônicas.

    Há uma pauta de curto prazo e possível que deveria ir para frente da manifestação e uma pauta de longo prazo que deve ser lembrada, mas não priorizada no ato. Não havia essa distinção, mas uma profusão de pautas e não pautas. Não seria o caso de limitar as reinvindicações dos manifestantes, mas a organização deveria ter uma linha definida afim de colher resultados.

    O ponto principal e possível a curto prazo seria a auditoria nas urnas eletrônicas, e esse ponto foi muito pouco comentado, sendo que apenas 1 carro de som, dos Revoltados Online, ao final da manifestação que propôs alguma ação objetivo nisso e trouxe para frente essa pauta, sem contar o bate-boca dos carros de som por atenção da multidão.

    Sobre os discursos, tirando algumas sacadas boas e as intervenções do Paulo Henrique Martins e do Lobão, com todo respeito, mereceu a pecha de discurso coxinha. O discurso tem que falar ao coração do povo, e o que toca o coração do povo, não necessariamente é o que toca o coração do organizador de evento. Faltou essa conexão, faltou descer do carro de som e ir para pista ouvir o povo, falta vivência de povo a esse pessoal.

    Finalizada a manifestação ficou a impressão difusa de reinvindicações. Dado o viés esquerdista da imprensa, uma manifestação de pauta dispersa, é um prato cheio para encontrarem a pior para divulgar. Adianta pós-fato tentar corrigir especificando os pontos? Adianta pouco, mas até aí, a primeira impressão é a que fica. Não precisava facilitar!

    Meu recado é simples: menos estrelismo e mais objetividade!
    Ou: Estágio de organização com o MPL já. rs

  2. A esquerda tem muito mais experiencia em organizar passeata. Eles já fazem isso há mais de cem anos.
    A melhor coisa é observa-los para pular algumas etapas da aprendizagem.

  3. Os que votaram no PT , 99,9%, não tem menor idéia destes planos, porque não foram informados. Sobre eles, foram enganados

    sugiro que as manifestações se concentrem em frente às sedes das grandes mídias (estações de tv , editoras jornais etc) chapa branca, logicamente com caráter não beligerante
    estão sofrendo de surdez pós pagamento de verbas estatais
    a cura talvez seja ouvir o grito pela liberdade de imprensa que a doença verbas públicas roubou deles.

    O ministério das liberdades democráticas avisa:
    LER A VEJA FAZ BEM AO BRASIL

    O povo unido contra a ditadura petista avisa
    comprar mídia chapa branca destrói a Democracia!

    • É realmente estarrecedor que só a Veja divulgue essas coisas. Isso por si só dá a toda a população desinformada a idéia de que a Veja é uma “revista golpista”, afinal, “por que a Globo, a Folha e o Estadão não estão falando disso?” e “você acha que eles não seriam os maiores interessados em divulgar?”. É uma dificuldade enorme explicar por que a Veja é um veículo de mídia confiável (apesar dela ser a revista de informação mais vendida do Brasil, o que já deveria dispensá-la da necessidade de explicação), e ter que fazer um trabalho de desconstrução da mídia chapa branca. O povo brasileiro está vendido mesmo. Urge que façamos essas denúncias!

  4. Luciano, estava pensando aqui: e se adotarmos uma estratégia de desobediência civil ao invés de preferirmos o embate militar? É muito provável que o PT tenha o monopólio da força dado o seguimento disso nos próximos anos. Então porque ao invés de combate-los pela força, não o combatemos pelo financiamento? E se a gente coordenar rejeição, ou seja, desobediencia civil coordenada, contra pagar impostos e financiar o governo? Faliriamos eles, correto? Não precisamos adotar uma estratégia de embate.

    Os tempos negros estão por vir.

    • Talvez seja interessance fazer um crowdfunding para comprar assinaturas ou revistas Veja para pessoas que tem interesse, mas não tem dinheiro, e pensar em estratégias para não perder o dinheiro com impostos, talvez pensar em contas familiares conjuntas em bancos do exterior.

      • O problema nesse sentido é que rapidamente podem estatizar ou começar a cobrar IOF mais caro. Literalmente tem que ser uma resistencia intensa e contínua.

        A estratégia de desobediência civil tende a ser particularmente efetiva porque mina a galinha de ovos de ouro do partidão: o trabalho alheio.

        Tanto pessoal de “esquerda” quanto “direita” já usou essa estratégia: Gandhi, Movimento Solidariedade (Polônia), entre outros. É uma maneira até “capitalista” de detonar o PT por isso acho particularmente interessante.

        http://pt.wikipedia.org/wiki/Desobediência_civil

  5. Vi as imagens das câmeras de trânsito e realmente havia bem mais do que as “cerca de mil” pessoas de que a Folha falou e teve de retificar a posteriori. Outro detalhe que me chamou a atenção foi o logotipo no fim do vídeo (Juntos pela Liberdade), trollagem das boas com o Juntos original, que é do PSOL (aliás, o movimento de rua da linha auxiliar já se pronunciou). Aliás, o PSOL exigindo direitos de propriedade intelectual não deixou de ser zoado pelo pessoal que criou o Juntos pela Liberdade:

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/photos/a.534985566638117.1073741828.534920096644664/535014589968548/?type=1

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/posts/535026566634017

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/photos/a.534985566638117.1073741828.534920096644664/535033776633296/?type=1

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/posts/535198523283488

    O que se juntou a outras zoeiras com clichês MHNs:

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/posts/535085403294800

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/posts/535094243293916

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/posts/535096179960389

    http://www.facebook.com/juntospelaliberdade/posts/535206843282656

    A mecânica aqui é mais ou menos parecida com a daquelas zoeiras que fizeram anteriormente com cartazes de cunho feminista, em que basicamente pegavam a mesma imagem e escreviam outro texto. No caso aqui, pegaram a mesma fonte do Juntos, aquele “swoosh”, trocaram o fundo amarelo por um verde e a cor vermelha da letra para amarelo, ficando mais ou menos dentro do esquema básico de cores da bandeira brasileira. Souberam de alguma forma instrumentalizar a fúria pessolista em relação ao uso da tal marca, mas esquecem-se do direito à paródia que nossa própria lei permite. Caso o PSOL resolva processar quem fez isso com a marca Juntos, entraria em contradição justamente pelo fato de estar pedindo direitos de propriedade intelectual, algo que é contra a corrente de pensamento que eles defendem. Além disso, quem ler a nota do movimento em questão notará que eles acabaram por dar a letra sobre o Paulo Batista, seu Raio Privatizador e outras coisas, sem notar que na prática isso irá estimular alguns a procurarem se informar a respeito na fonte original, correndo aí o risco (para o PSOL) de propagadores inconscientes de gramscismo bandearem-se para o front oposto.
    Pode ser que o Juntos pela Liberdade não vá além dessa zoeira pontual, mas ainda assim foi uma medida que por si só permitiu uma divulgação involuntária. Se irão tirar onda com outras vacas sagradas do marxismo-humanismo-neoateísmo nacional, isso ainda estamos por saber. Por ora, o que já sabemos é que o Toffoli já encaminhou o pedido de auditoria das eleições, o que significa uma pequena vitória moral no campo mais formal da coisa.

  6. Também estive na manifestação e assino embaixo tudo o que o Lucas Gomes escreveu, deixarei aqui portanto algumas observações complementares:

    -Havia 2 manifestações simultâneas, uma organizada pelo Paulo Batista (que foi a que eu compareci) e uma outra organizada aparentemente pelo mentor do RevoltadosOnline, o Marcello. As duas se encontraram já perto do fim da passeata, de forma não planejada por nenhum dos dois lados. Houve até uma leve tensão entre os dois carros de som, pois ambos estavam em direções contrárias e também por divergirem sobre a questão da intervenção militar. Não sei exatamente o dialogo que se desenrolou daí mas as duas se juntaram em uma só.

    -Cheguei cedo no Masp e a quantidade de cartazes com pedidos de intervenção não era nada desprezível (lembrando novamente que até esse ponto estávamos longe da manifestação organizada pelo Marcello). Foi só com o inicio dos pronunciamentos no megafone que esses cartazes foram sistematicamente diminuindo com o passar do tempo, o que mostra a total divergência dos motivos do porquê as pessoas estavam ali. Vi também até um tímido cartaz pro-separatista, que também desapareceu. Até o chamado da manifestação na página do Facebook, de certa forma, alimentava isso, era algo do tipo “Ou Dilma cai fora ou São Paulo sai”.

    -Uma vez reunidos naquela praça no fim do vídeo, começou uma disputada infantil de atenção entre os dois carros de som, sendo que por alguns bons minutos a fala foi totalmente monopolizada pelo carro do Paulo. Você pode até ver essa disputa nesse vídeo “oficial” entre os 2:00 e 2:05.

    Resumindo, foi um bom começo mas que pode ser totalmente arruinado se não houver um consenso sobre a questão da intervenção, que ao meu ver devemos nos posicionar contra e ao estrelismo dos ‘líderes’.

  7. Ótimas dicas, Luciano. O tom de otimismo é mesmo importante, comemorando as vitórias e com mensagem de esperança (sem deixar de esconder o monstro e mostrar o quão terrível é), já que ninguém se anima a acompanhar um time que se assume como perdedor – coisa que a oposição tá apanhando mas tá aprendendo a não se carimbar tal rótulo.
    Não compareci na manifestação do sábado, mas devo ir na próxima.

  8. Uma boa maneira de enxergar aonde isso vai dar, caso não façamos nada. Donas de casa venezuelanas (e pobres, do tipo que o petê adora dizer que defende) se ensopapando por um saco de farinha. Esses somos nós amanhã, se programinhas babacas como o CQC continuar a apoiar e defender esses vigaristas.

  9. É olha a mulher do Tofolli aí Gente! Pega numa Falcatrua de 25 milhões dos cofres do Distrito Federal,
    viu como eles são “Juntos”? Kkkkkk

  10. Luciano, postagens preocupantes na página do PT no Facebook:

    http://www.facebook.com/pt.brasil/photos/a.106208242798893.13150.105821366170914/722643957821982/?type=1

    Ainda que a menção aqui seja a equipamentos eletrônicos e megafones, o tom da coisa toda é preocupante e o assunto já foi comentado pelo Reinaldo Azevedo. E se for ler os comentários na postagem do Face, notará que o pessoal já está desancando o partido em sua própria casa nos terrenos de Zuckerberg.
    Porém, há outra postagem, também de hoje, que é ainda mais preocupante, indo naquela base de dizer que vai acontecer algo na semana que vem:

    http://www.facebook.com/pt.brasil/photos/a.106208242798893.13150.105821366170914/723161257770252/?type=1

    O que teremos na semana que vem? Isso muito lembra aquela chamada televisiva do ano passado, em que diziam que o país iria se preparar para um grande salto, sem dizer o que de fato vai acontecer:

    http://www.epochtimes.com.br/wp-content/uploads/2014/02/md-obamacare-salto-aqui.jpg

    Caso observe os comentários por lá, também notará que já há gente indo frontalmente contra o referido partido.

  11. Eles estavam tentando ridicularizar a quantidade de pessoas, insinuando baixa adesão, mas eu pensei num possivel argumento. Se durante as pesquisas de intenção de voto, 2500 pessoas são usadas como referencia de todo o país, por que as “2500” que foram para a manifestação não podem representar milhões de outros brasileiros que não foram?

  12. OFF-TOPIC, sobre a petição feita à Casa Branca contra o comunismo bolivariano liderado por Dilma no Brasil (abaixo):

    https://petitions.whitehouse.gov/petition/position-yourself-against-bolivarian-communist-expansion-brazil-promoted-administration-dilma/V2Y8Dpqm

    Luciano, tem direitista na internet criticando a iniciativa porque uma representante da embaixada americana em Brasília desqualificou sua eficácia. Gostaria de ouvir sua opinião: foi tiro no pé? Quero robustecer meu ponto de vista, já que minha avaliação momentânea qualifica positivamente a iniciativa. Primeiro porque o objetivo nunca foi fazer Obama criar algum atrito diplomático com Dilma, mas apenas estabelecer um fato político e avaliar a força da militância antipetista na internet (as 100 mil assinaturas necessárias foram obtidas em menos de uma semana). E depois porque não dá nenhum trabalho. O que vc acha?

  13. Um dos grupos que organizou o ato, já deu uma de estrelinha e não quer mais participar com os demais dia 15 de novembro às 14hr nos MASP, já marcaram para outro lugar, dividindo o grupo.

    Será que eles acharam mesmo foram as estrelas das manifestações só porque chegaram com um carro de som e dois famosos?

    Poxa vida, ohhhh fogo no rabo… por 15 minutos de fama!

  14. Derrubada do decreto 8.243,da Dilma? O PMDB,derrubou? Tá de brincadeira,né! Vou acender um fósforo para ver se vocês enxergam o ato da “Derrubada”.A derrubada aí foi de quem inventou o decreto.Pra melhor esclarecimento a lei é pra todos,se esse divino decreto passasse Dilma estaria derrubada.Dilma mal começou se no mandato de fraude,o povo já esta nas ruas pedindo seu impeachment,com base no decreto o PMDB retirou e arquivou,isso seria um tiro no pé do PT.Disseram que foi derruba pra salvar Dilma das Ruas.O decreto seria aceito se resolvessem não reeleger Dilma.Pois isso eles não querem o povo nas ruas pedindo intervenção militar que acaba com todos estes partidos majoritários.E,finaliza o projeto da UNASUL- União Sociaçlista dos países da A do Sul,ou URSAL – União das Repúblicas Socialistas da América Latina.

  15. Luciano, assista o Jô Soares de ontem , o que as mulheres que discutem economia e politica com ele numa mesa sobre economia e politica, para ver o que elas falam sobre essas manifestações e sobre a direita e o bolivarianismo….foi muito engraçado!

Deixe uma resposta