Veja o malabarismo feito para que você pague o empréstimo do BB para Val Marchiori

14
133

valmarchiori

Todos os dias surge algo deste governo para deixar qualquer cidadão consciente indignado. Agora, conforme a Folha, vemos como foi o papel do BNDES no caso Marchiori:

Conforme a Folha revelou no mês passado, a socialite Val Marchiori obteve um financiamento no Banco do Brasil, de R$ 2,7 milhões, a juros de 4% ao ano –bem abaixo da inflação, que anda na casa de 6,5%.

O governo não arrecada o suficiente para pagar suas contas. É o que se chama de déficit. Dessa forma, o Tesouro Nacional precisa contrair dívida para honrar suas obrigações. Para pegar dinheiro emprestado no mercado, o Tesouro usa como referência a taxa básica da economia, a Selic, hoje em 11,25% ao ano. Numa conta de padaria, o governo paga 11,25% a quem lhe empresta dinheiro, de um lado, e cobra de Val Marchiori 4%, do outro. Quem paga essa diferença são os contribuintes que recolhem seus impostos em dia.

O BB fez uma verdadeira ginástica, para dizer o mínimo, para conceder o financiamento a Marchiori. Contrariou uma série de normas internas da instituição para enquadrar a operação nos moldes exigidos pelo BNDES, de onde saiu a linha de crédito para o empréstimo, destinado à compra de cinco caminhões.

Primeiro, o BB aprovou o limite de R$ 3 milhões para a socialite. Depois a orientou a tampar os buracos. A empresa usada por Marchiori para obter o crédito, a Torke Empreendimentos, não tinha demonstrações contábeis válidas legalmente nem previsão no contrato social para “aluguel de caminhões”, objeto da proposta de financiamento.

A área de risco de crédito do BB verificou que as demonstrações contábeis da Torke entre 2009 e 2011 e o balancete de 2012 não estavam assinados nem registrados. Ou seja, não tinha valor legal algum. Os documentos são fundamentais para comprovar o faturamento e aferir a capacidade de pagamento de um financiamento.

A área de crédito determinou que a agência onde Marchiori pleiteou o crédito colhesse as assinaturas das demonstrações contábeis e as autenticasse.

Na data em que o BB aprovou o limite de R$ 3 milhões, 10 de junho do ano passado, a área de atuação da Torke era consultoria e marketing, e sua fonte de receitas eram a pensão alimentícia dos filhos de Marchiori e os ganhos dela como apresentadora de TV. A Torke só passou a ter “aluguel de caminhões” em seu objeto social em 20 de junho, menos de dois meses antes de o BNDES aprovar a operação.

O BB teve ainda que driblar outras regras para conceder o crédito, como desconsiderar dívida não paga por Marchiori ao banco, falta de capacidade financeira compatível com o valor solicitado e aceitar pensão alimentícia como receita, cuja penhora é inconstitucional.

Mesmo diante de todos esses indícios de irregularidades, o BNDES insiste em afirmar que, de seu ponto de vista, a operação está correta.

Por suas regras, o BNDES pode rever financiamentos concedidos por outros bancos. Se constatar irregularidades, pode desclassificar a operação. Isso significa que o agente repassador do crédito tem de devolver os recursos e assumir o empréstimo com dinheiro próprio.

Questionado pela coluna, por meio de sua assessoria, se iria auditar a operação para Marchiori, o BNDES não respondeu a pergunta até o fechamento deste texto.

Está na hora de fazer a CPI do Hellooooo…

Preste bem atenção nessa parte: “Numa conta de padaria, o governo paga 11,25% a quem lhe empresta dinheiro, de um lado, e cobra de Val Marchiori 4%, do outro. Quem paga essa diferença são os contribuintes que recolhem seus impostos em dia.”

É como eu sempre digo sobre os governantes socialistas (e amigos do rei): bobos eles não são. Eles podem ser tudo. Menos bobos.

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Caráio! Quantas irregularidades em um parágrafo! E afinal, quem é essa criatura, de quem nunca ouvi falar? É amiga da Rosemary? Para quem ela deu para ter tanta moleza na hora de obter um empréstimo? Ela pode revelar o nome desta pessoa? Para quem a gente tem que dar para conseguir passar tão por cima da lei? Só vale se for mulher, ou homem também consegue?
    Vale isso, Arnaldo?

      • Puxa, agora entendo como o BNDES faz para “reduzir as desigualdades”! Obrigado pelo vídeo, André. Nunca tive mesmo estômago para assistir este programa.
        Detalhe: nada tenho contra ricos, mas prefiro que eles façam seu próprio dinheiro, sem meus impostos no meio, por favor.

  2. Defino tudo isso, da forma como defini em outro blog, não publicado:
    Prostituição! Sim, prostituição de empresa governamental(BB) aparelhada pelo PT assim como a Caixa Federal.
    Prostituição de funcionários corruPTos e prostituição para obtenção de lucros, de sei lá quem.
    Mas que foi mera putaria foi!

  3. Essa vaca loira, que só quer mídia, e tomar champanhe importada, devia ir para Cuba, ver como é bom ser socialista. E o desgoverno segue beneficiando somente seus pares, uma vergonha, mas isso nós o povo tem culpa, ta na hora de sair as ruas e começar a gritar fora PT e sua corja de ladrão.

    • Não sei se ela é isso ou não…aliás acho que não é meio dondoca mesmo. Mas empréstimo com esse juros é um descalabro pois o cidadão comum paga muito mais nos financiamentos e no cartão de credito nem se fala.

    • De maluquice e canalhice eles são os melhores. Uma que eu vi foi um cara acusando o aécio de ter relações com o trafico de drogas; é sério não sei de onde ele tirou isso, pois quem tem relações com as farc e as organizações criminosas como o pcc e o cv são todos os grupos e partidos de esquerda, mas essa gente é completamente desconectada da realidade.

Deixe uma resposta