Escritor cubano Carlos Moore conhece o respeito do PCB com “as minorias”: agressão verbal por apontar os fatos sobre Marx

14
79

carlos

Conforme o portal Correio Nagô (dica de Alexandre Borges), o escritor cubano Carlos Moore, referência internacional no debate sobre racismo, sofreu agressões verbais em um evento na UERJ. Leia:

O escritor cubano Carlos Moore é uma referência internacional no debate sobre o racismo na história. Exilado no Brasil há mais de 15 anos, o intelectual possui um papel de destaque na divulgação das ideias panafricanistas e da emancipação negra. Porém, no último dia 14 de outubro de 2014, o pesquisador foi verbalmente agredido ao participar de um evento na Universidade Estadual do Rio de Janeiro  (UERJ) quando discutia  o racismo presente na obra de Marx e Engles, que é objetivo de um livro de sua autoria, O Marxismo e a Questão Racial. Na oportunidade, defensores do marxismo, incluindo um candidato a presidente pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB) teriam desqualificado o autor, que conviveu com grandes líderes negros, a exemplo de Malcolm X, Cheik Anta Diop e Aimé Césaire e é um dos mais destacados pesquisadores da relações raciais no mundo. Em uma entrevista exclusiva ao CORREIO NAGÔ, Carlos Moore fala sobre a agressão que teria sofrido no evento e sobre suas ideias e pesquisas em relação ao tema.

Esse pessoal do PCB gosta de uma minoria, não?

Desde que, é claro, não aponte as verdades inconvenientes sobre eles.

Alias, Marx nunca foi um usuário da tese da guerra de classes entre raças. Isso só veio depois da Escola de Frankfurt.

Para Marx, o negócio era rentabilizar com o discurso de guerra de classes entre “proletários” e “burgueses”, o que no fim era só uma forma de obter poder em um estado totalitário, a tal “ditadura do proletariado”.

É um fato que o autor alemão jamais pensou em emular sua tese para criar conflitos entre negros X brancos, homossexuais X heterossexuais, homens X mulheres e daí por diante.

Ao contrário: Marx era racista.

Veja os vídeos com a entrevista de Carlos Moore:

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Sou negro, mas o que vem fazendo com a comunidade negra os não brancos comunistas é muita sacanagem. Inventaram as cotas raciais, os negros que conquistaram o diploma sem cotas são taxados de cotistas. Nem com o esforço próprio o negro consegue ser respeitado por causa desses marxistas filhos da puta. Desde 1888 o negro não saiu da tutela dos brancos, e quanto mais tempo mais fica pior na sociedade brasileira. É para esquecer essa merda de revisionismo, o Brasil tem que se unir e olhar como meta o futuro. Mais trabalho, emprego, menos impostos, mais dureza nas leis, mais transparência. Mas isso só conseguiremos quando todo brasileiro tiver consciência que ele é um brasileiro e não um rato.

    • PARABÉNS JONES, ESSE É O CAMINHO, ESSE NEGÓCIO DE “UM NEGRO CHEGOU AO PODER”, É MAIS RACISTA DO QUE O RACISMO EM SI, NÃO DESTACAM A COMPETÊNCIA DO NEGRO, SÓ DESTACA A COR, COMO SE ISSO, SOMENTE ISSO, LEVA O NEGRO AO PODER, É COMO SE DISSESSE, SÓ FOI AO PODER PELA COR. RECENTEMENTE UMA NEGRA AMERICANA CHEGOU A SUPREMA CORTE DA JUSTIÇA, A CHAMADA DOS JORNAIS COM DESTAQUE “UM NEGRA CHEGA PELA PRIMEIRA VEZ A SUPREMA CORTE DE JUSTÇA”, O NOME DA JUIZA QUASE NÃO SE VIA.

    • O Abolicionismo foi um perfeito exemplo de união de pessoas de todas as cores em prol de um objetivo elevado. Essa é a nossa tradição e nossa História, e foi por isso que tivemos aqui no Brasil bem menos tensão racial do que em outras partes do mundo.

      Isso até a moderna esquerda tomar o poder e utilizar os negros como massa de manobra para obter poder e perseguir inimigos políticos. Estão não apenas usando vergonhosamente toda uma população como estão destruindo uma luta de séculos contra o ódio racial no Brasil. Estão cuspindo sobre o túmulo de grandes pessoas que lutaram para que tivéssemos uma sociedade mais solidária e sem distinção de raças.

  2. Olha a meiguice de Marx.

    “As classes e as raças fracas demais para conduzir as novas condições de vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário”

    • Exatamente. O Luciano equivoca-se quando diz que os internacionais-socialistas não apregoam a guerra racial, como seus irmãos nacionais-socialistas.

      Ambas as variações de socialismo acima defendem o conflito racial porque têm como premissa comum o racismo darwinista. O documentário “The Soviet Story” aborda essa questão e aponta que o primeiro teórico do extermínio das “raças inferiores” preconizado por Darwin em sua obra “A descendência do homem” foi Friedrich Engels!

      A diferença do nazismo hitlerista para o marxismo-leninismo-stalinismo no que tange à questão racial está na ênfase: para o nazismo a pureza racial levada a cabo pelo Estado levaria o povo ao socialismo enquanto para os bolcheviques o caminho a igualdade econômica levada a cabo pelo Estado a ferro e fogo. Isso explica o porquê dos nazistas terem implementado “políticas de melhoria de vida” para o povo alemão (a KdF, criação da Volkswagen etc.) em detrimento das “raças inferiores” enquanto os bolcheviques massacravam indiscriminadamente os povos dos países nos quais chegaram ao poder.

  3. luciano estou assistindo um debate sobre regulação da mídia no canal boas novas e tem um cidadao chamado Gustavo Gindre vc conhece? Ele simplesmente diz que admira o modelo argentino sobre regulação de mídia. O cara nem disfarça.

  4. Não existe humanidade alguma no mundo da extrema-esquerda! É maniqueísmo puro: Ou és Opressor(governante) ou és oprimido(o “proletariado”)!

    E o Bolivarianismo-petista, não passa de papel de enfeite, para enganar os que não ligam em absoluto para a Política.

  5. Tinha que ser no Rio! Que vergonha do meu Estado, PQP! Por aqui o número de cretinos que votou ewm dilma é enorme. Uma garotada que repete mantras e slogans feito papagaios de seus mentirosos professores de história. O Rio vai mal, muito mal!

  6. Esse é o tipo de indivíduo que as esquerdas radicais mais odeiam conviver: “vítima rebelde”, que não se sujeitam as categorias de pensamento mentirosas da extrema esquerda.
    Essa gente é muito covarde.

  7. Carlos Moore sabe do que fala: cubano, ele sentiu na carne e no espírito o que é a tão falada “democracia” na ilha-prisão, Cuba, propriedade dos irmãos Castro. Ainda mais que ele é negro(o psicopata GUEVARA odiava negros e homossexuais, e.g.). Lá, de fato, é um “paraíso”, DESDE que o cidadão comum sempre diga AMÉM ao governo. Caso contrário,…nem é bom imaginar. PS: a única exceção fica por conta dos apaniguados do regime, como graduados militares, que têm até condomínio fechado e não sentem a falta de PAPEL HIGIÊNICO(o povão que se vire com jornais usados!!!).

    • Parece que ele não sabe tãããão bem assim do que fala. No vídeo ele se apresenta com posicionamento político de esquerda e que aquelas pessoas são da esquerda radical, e como sempre este pessoal tem que fazer fala de uma direita radical também que eu nunca vi.

  8. Todos juntos agora:
    DIVULGANDO
    CTRL C + CTRL V + PUBLICAR

    É a mesma perseguição que a travesti Talita sofreu. Vc pode ser gay e negro, mas se for incoerente com o que o PCB, PT e seus simpatizantes sanguinários querem, eles se pudessem te jogariam na FOGUEIRA. DITADORES FILHOS DA PUTA.

    A batata tá assando, seu tempo tá acabando, PT e amigos… em breve vcs mesmos vão se estapear entre vcs e não sobrará pedra sobre pedra. Babacas.

Deixe uma resposta