A ligação do PT com a democracia e o que devemos aprender com isso

23
127

comitê dos sindicalistas petistas

Algumas pessoas defendem a seguinte tese: “Não é momento de desunião. Todos participantes de manifestações anti-PT são bem-vindos. O momento é de juntar a todos. Sejam adeptos da via democrática ou da intervenção militar”. Parece um argumento convincente à primeira vista, não?

A ideia parece tão simples quanto funcional: junte todos, elimine critérios para os que podem se juntar ao grupo, e, então, adquire-se maior força. Essa tese falha ao notarmos que qualquer participação dos intervencionistas, por menor que seja, só serve para ajudar ao PT.

Abordarei aqui uma análise aparentemente contra-intuitiva mas amplamente comprovada pelos fatos: o diferencial do PT é sua consideração pela democracia, e quem não lutar para superar essa desigualdade só serve para ajudar o PT em sua solidificação no poder.

“O quê? Como ousa dizer que o PT considera a democracia? Este é um partido totalitário! Você perdeu o juízo!”, pode gritar o mais empolgado.

Não é que o PT seja um partido democrático. É que até mesmo para exercer sua sanha totalitária ele o faz por meio da corrupção da democracia. Assim, eles jamais desgrudarão “da democracia”, mesmo que seja para usá-la de forma corrompida, em um projeto totalitário, mas ainda assim com verniz democrático.

Você poderia contra-argumentar dizendo que o PT aparelhou o estado. Sim, mas isso não é antidemocrático. É imoral. Pode-se dizer que o PT vai nomear 10 juízes no STF. Mas isso também não é antidemocrático. É perigoso, evidentemente, mas não antidemocrático. E quanto ao Decreto 8243? É um atentado contra a separação dos poderes, perigosíssimo para a democracia, mas todo o seu trâmite foi democrático. Até quando ele foi derrubado pela Câmara. Como vemos, todas as ações do PT podem (e devem) ser desconstruídas sob diversos filtros, menos um: o da luta dentro dos padrões da democracia, mesmo que seja para corrompê-la.

Mas por que o PT faz isso? Será que ele gosta de democracia? De jeito algum. O PT tomou a decisão de lutar pelo poder totalitário a partir da democracia, pois sabia de uma regra fundamental: “o poder conseguido pelas vias democráticas é sempre mais legítimo do que aquele conseguido pelas vias não-democráticas”. Ele leram Gramsci. Só isso…

Preste atenção e note que dentre os grandes partidos democráticos o PT é o mais perigoso para a democracia, mas até para impor esse perigo tudo é feito dentro das regras da democracia.

Alguns adeptos da intervenção militar podem dizer que “se é assim, então o PT adquiriu muito poder e isso valida a proposta por intervenção militar”. Na verdade, é exatamente o contrário, pois todo o projeto de poder do PT começou a ser construído… na ditadura militar.

Dito de outra forma, até mesmo diante de um cenário sem liberdade de imprensa (o período da ditadura militar), o PT pensou em projetos de poder obtidos pela via democrática. Então o truque do “beco sem saída” (focado em sair dizendo que “está tudo acabado, então que venham os militares”) não funciona. E o PT também ajudou a demonstrar isso.

O que estou querendo dizer é que em pleno 2014, com todo conhecimento adquirido através de vários sistemas políticos ao redor do mundo, a tomada de poder via intervenção militar ou revolução armada não serve mais. O PT aprendeu isso, mesmo durante uma ditadura. Os intervencionistas não estão conseguindo entender sequer essa concepção básica, mesmo que vivam em um ambiente com muito mais liberdade do que aquele que os petistas (e os tucanos) tinham nos anos 60 e 70.

O PT entendeu a realidade, viu as possibilidades e entendeu o tipo de estratégia que melhor funcionaria. Eles descobriram o óbvio: no Ocidente, discursos de tomada de poder peça força não colam e, quando ocorrem, não se sustentam. Por isso só falam em “democracia”, mesmo que queiram corrompê-la o tempo todo.

Falta apenas que os intervencionistas descubram essa obviedade. Pedir uma intervenção militar é perder legitimidade automaticamente. É por isso que os tucanos fugiram das manifestações a partir do momento em que alguns participantes intervencionistas resolveram aparecer por lá.

A única coisa a fazer agora é jogar a guerra política, usando insights de gente como David Horowitz e Saul Alinsky. Mas e se o PT levar tudo? Então só vão restar os métodos de ação não-violenta, e daí a maior inspiração deve vir de Gene Sharp.

A conformação diante de tais obviedades não é algo a ser pensado para o futuro, mas para agora!
Os bons guerreiros políticos entendem a noção de que tudo deve ser feito a partir da democracia, pois é assim que se adquire legitimidade. E é claro que devemos saber que os truques de “beco sem saída” sempre serão usados para tentar justificar a alternativa da intervenção militar. Esses últimos sempre ficarão aprisionados em duas alternativas: (1) honestos em sua proposta, mas incapazes de perceber que jamais conseguirão resultados desse jeito, e, pior, ainda servirão como munição para o PT, (2) petistas infiltrados.

Não existe nenhuma forma pela qual o discurso intervencionista pode ser útil. Ele só serve para atrapalhar e criar um tipo de conformismo no qual um amontoado de gente acredita que bons valores morais estão embasados em ser leviano na guerra política, não fazer nada e esperar por uma ação externa, violenta e antidemocrática.

O que uma visão republicana defende deve ser o contrário: assumir total responsabilidade na guerra política, fazer tudo o que for possível, entender que os resultados surgem a partir dessas ações, que só podem ser executadas pela via democrática (mesmo em um sistema totalitário, e aí nesse caso Gene Sharp seria mais útil que Saul Alinsky, por exemplo) e de forma não-violenta.
Enfim, a luta é por olhar para o mundo como ele é, de acordo com as possibilidades que temos e em busca de resultados possíveis, que, se alcançados, serão legitimados com facilidade.

Sendo assim, basta uma reflexão para entendermos uma verdade dolorida, mas urgente: o PT faz o que vocês deviam estar fazendo. E eu já sei que vem a conversa: “Ah, mas corromperam a democracia”. Sim, eu sei, e já escrevi muito sobre isso. Mas não muda o fato de que eles fazem o que vocês deviam estar fazendo em termos de guerra política e pela via democrática.

É quando chegamos, finalmente, no verdadeiro beco sem saída: ou você está conosco, querendo jogar a guerra política pela via democrática (pois isso não dará munição ao PT, pode dar resultados e resulta em legitimidade), ou está contra. Se você não conseguir ainda compreender qual é o grande segredo do PT (repito: “fazer tudo pela via democrática, para jamais perder a autoridade moral neste aspecto”) e não tem nenhuma intenção de lutar para vencê-los neste território, então servirá para ajudar o adversário.

Isso nos coloca de lados opostos do front. De um lado, temos os bolivarianos e os intervencionistas (duas gangues querendo o poder totalitária, mas somente a primeira fazendo a coisa certa nos quesitos políticos), e de outro temos os republicanos.

Só há uma coisa a fazer. Jogar a guerra política. Mas para jogar a guerra política é preciso entender a via pela qual os resultados verdadeiros surgem. Ou seja, entender algo que até um partido autoritário como o PT entendeu há 40 anos atrás.

Anúncios

23 COMMENTS

  1. Bom, tem algumas idéias do texto que eu discordo e algumas idéias não ficaram muito claras. Não acho que o PT lute apenas pelas vias democráticas e algumas coisas que são consideradas vias democráticas pelo post são questionáveis. Por exemplo, não sei se a forma de seleção dos juízes do STF é democrática e não acho que o aparelhamento do Estado seja democrático, talvez seja até mesmo ilegal, mas não tenho conhecimento de direito o suficiente. Outra coisa é a idéia de que a democracia dá maior legitimidade para quem detém o poder. Dependendo do que voce quis dizer eu concordo. Se legitimidade significar que a pessoa é válido que assuma a posição de poder, eu concordo. Se legitimidade significar que a pessoa tem maior estabilidade, segurança ou mais facilidade em exercer o poder, aí eu discordo, pois isto depende de como a sociedade se organiza. Por exemplo, manifestações pacíficas podem ser rechaçadas em regimes totalitários, mesmo que sejam manifestações democráticas. Além disto tudo que comentei, acho que o PT trabalha dentro e fora de vias democráticas, aumentando o poder das vias não democráticas e enfraquecendo o poder das vias democráticas, mas para fazer isto o PT PRECISA deter os dois tipos de poder, pois enfraquecer as vias democráticas de fora destas vias, ou seja, sem apelo popular, é mais difícil, pois esta é ainda são as principais fontes de poder, e por que não adianta transformar o poder de democrático para não-democrático se voce não deter esse poder não-democrático .

    Tem um conceito que vejo frequentemente sendo usado e que é usado pelo texto, mas que não tenho certeza se é o mais adequado, que é a idéia de que existem ‘vias’ democráticas e ‘vias’ não-democráticas. Não vejo a democracia como uma característica de regras utilizadas pelo Estado, mas uma característica do Estado ou da sociedade, e isto significa que regras podem tornar a sociedade ou o Estado mais ou menos democrático, mas o que vai determinar se o Estado ou a sociedade são de fato democráticos é o conjunto de regras em uma situação histórica. Por exemplo, uma lei que coloca que candidatos a presidência precisam ter ficha limpa pode ser democrática,se de fato o Estado se há uma ação isonômica da polícia, do judiciário e do legislativo na investigação e punição de crimes. Se ocorre algo como, uma lei para perseguir a oposição ou existe uma assimetria de considerar corrupto apenas políticos de oposição, então esta lei da fica limpa funciona para excluir a oposição do processo democrático. Então, eu entendo que, com raras excessões, boa parte das leis não são ‘democráticas’ ou ‘anti-democráticas’ independente de outras leis e da sociedade. A lei é um instrumento que pode ser usado democraticamente ou não.

    Não sei se consegui ser muito claro, mas também tentei falar de muitas coisas razoavelmente complexas…

    • Acervo,
      O meu texto menciona que o PT não gosta da democracia (em termos de valores), mas vai sempre lutar pelo jogo democrático. Nenhum deles usará o frame de “intervenção militar” ou “revolução armada”, por exemplo.
      Aparelhamento estatal é colocar tua turma no estado. Pode ser até ilegal. Mas é pelas vias democráticas que temos as regras atuais de contratação no estado. A forma de seleção de juízes para o STF é uma regra democrática, e o Senado sempre pode vetar nomes.
      Legitimidade significa que sempre que você fizer algo e ao mesmo tempo permite que o povo o questione (via voto), e que existam outros partidos, além de um modelo funcional entre os poderes, será reconhecido como “legítimo” na comparação com alguém que não respeite esse tipo de postura.
      Além disto tudo que comentei, acho que o PT trabalha dentro e fora de vias democráticas, aumentando o poder das vias não democráticas e enfraquecendo o poder das vias democráticas, mas para fazer isto o PT PRECISA deter os dois tipos de poder, pois enfraquecer as vias democráticas de fora destas vias, ou seja, sem apelo popular, é mais difícil, pois esta é ainda são as principais fontes de poder, e por que não adianta transformar o poder de democrático para não-democrático se voce não deter esse poder não-democrático .
      Mas qual seria um exemplo de poder não-democrático que o PT detém? As organizações sociais? Elas são previstas na democracia…
      o que vai determinar se o Estado ou a sociedade são de fato democráticos é o conjunto de regras em uma situação histórica.
      Sim, mas a proposta de alguém pode ser mais ou menos democrática.
      Compare por exemplo as duas propostas:
      1) O PT lutar para vencer a quinta eleição seguida
      2) Um grupo rival do PT tira o partido do poder via intervenção militar
      Qual opção é mais democrática? Me parece que a primeira, independentemente das críticas que possam ser feitas.
      Se ocorre algo como, uma lei para perseguir a oposição ou existe uma assimetria de considerar corrupto apenas políticos de oposição, então esta lei da fica limpa funciona para excluir a oposição do processo democrático. Então, eu entendo que, com raras excessões, boa parte das leis não são ‘democráticas’ ou ‘anti-democráticas’ independente de outras leis e da sociedade. A lei é um instrumento que pode ser usado democraticamente ou não.
      Eu acho que existe um purismo aí. Essas consequências que você falou são o que em meu texto tratei por corrupção da democracia, ou uma democracia corrompida, que ainda assim é uma democracia, pois todos continuam podendo votar, e existem outros partidos. Mas jamais o PT chegaria neste estágio formalmente rejeitando os princípios da democracia. Este é o diferencial deles, que os intervencionistas jamais conseguirão copiar.
      Na verdade, o meu texto diz que a corrupção da democracia feita pelo PT não dá sanção moral para os intervencionistas falarem em intervenção militar. Ao contrário, se querem o poder totalitário, que lutem pelas vias democráticas como o PT fez… (Embora eu espere que a guerra política seja vencida pelos republicanos)
      Motivo: isso funciona.

      • As vias de poder não-democrático do PT seriam a atuação de algumas organizações, como aquelas que invadem terras, e a associação com organizações criminosas como as farcs. Apesar de organizações sociais sejam permitidas por lei, a lei não permite a existência de QUALQUER organização social. Por exemplo, não é permitidopor lei que existam organizações nazistas.Não acho que o aparelhamento poderia ser considerado via democrática, ainda mais se for proibido por lei, pois provavelmente esta lei teria sido criada por algum representante do povo. Considero essa questão do PT deter um poder democrático e não-democrático uma questão de praticamente dedução lógica. Se o PT não quer perder o poder e quer eliminar os competidores, então ele quer uma sociedade/Estado não-democrático, para isto ele precisa acumular o poder não-democrático e eliminar a possibilidade da oposição adquirir o poder democrático.

        Voce comentou que o PT vencer uma quinta eleição seria mais democrático do que intevenção militar, porem isto depende da situação em que o PT vence esta quinta eleição. Por exemplo, em Cuba, na coréia do norte e até mesmo na Venezuela, o processo eleitoral é bastante duvidoso, ‘vencer’ nestes países pode significar apenas a eficiência de meios de coerção estatais e não que está havendo a representação da vontade do povo. Uma intervenção militar, nestes casos, me parece mais democrático, pois pode levar o país de uma situação que já não é nada democrática, para uma situação mais democrática. Claro, pode fazer o caminho oposto também, tornando o Estado menos democrático na mão de militares.

        Meu comentário foi mais para trazer talvez a redefinição de alguns conceitos mais ou menos correntes, mas concordo com a idéia geral de que o PT pretende manter a aparência de democrático e a intervenção militar tem a aparência, para todos os efeitos, de não democrático no momento.

      • Comprar com propinas senadores e deputados e estes aceitarem essa propina para aprovarem leis antidemocraticas contra o povo que os elegeu, nao e democratico, e crime de traicao a patria e os principios constitucionais.

        diferente seria se de antemao, fosse divulgado, :olha elegeremos nosso , partido e vamos pagar por fora aos congressistas , uma propina para aprovarem nossas ideias, voces topam? Se a maioria achar que tudo bem, e democratico.

        enganar, mentir, trair, roubar, debochar, do povo , tem outro nome e nao e democracia , e crime!
        uma coisa e convencer por meio de debate de ideias , outra coisa e acenar com um maco de dinheiro.,

      • OK Luciano, mas a intervenção militar não está na Constituinte? Ela não é democrática? A intervenção não tem temporalidade de execução? Não seria possível o acolhimento dos intervencionistas, lendo-os como contrários ao pt, e assim invalidaria a ação petista para o argumento da intervenção como não democrática, afinal o contraditório é a democracia?

      • Regina,

        Democracia não tem a ver com grupos sociais, mas com o ESTADO. Não existe isso de “deixar participar para ser democrático”, pois só quem pode mexer na democracia é o ESTADO.

        Não está prevista intervenção militar se não vier dos poderes estabelecidos.

        Abs,

        LH

  2. Eu sou conservador.

    Se o PT sair do poder e o PSDB (social-democrata) ocupar o espaço político, não mudará nada em termos ideológicos.

    Infelizmente, no Ocidente, não há mais espaço para o liberalismo aliançado com o conservadorismo. Veja o que a social democracia fez com a Europa. Elevou o custo de produção a níveis estratosféricos e aumentou a carga tributária a nível “nunca antes nesse planeta”. Muitos países possuem cerca de 50% ou mais do PIB em impostos, o Welfare State produziu uma geração de dependentes do Estado (e extremamente exigentes, mesmo com Estados falidos, param a França se alguma reforma liberal for discutida). Desemprego, Espanha: 25%, Grécia: 50%… (empregos exportados para a China) e qual a saída da União Européia para esta crise? MAIS IMPOSTOS, MAIS REGULAÇÃO, AUMENTO DO ENDIVIDAMENTO, tudo o que só gerará o colapso total, pois uma hora as gerações futuras terão de pagar suas dividas. Em relação ao cristianismo é a DESTRUIÇÃO TOTAL DOS VALORES E DA MORAL MILENAR DO CONTINENTE, o Estado que fique no seu canto e que não se intrometa nos valores familiares e morais… Mais, a tchurma social-democrata não pensa desta maneira.

    A mentalidade no Ocidente do pós-guerra foi direcionada pelas Universidades de Referência e pela dona ONU para o Esquerdismo.

    O PSDB não fugiu só da intervenção, ele fugiu da sua obrigação moral de ter feito oposição REAL nos três mandatos PTistas. Não há força política organizada no país que bata de frente com o PT. Pode haver o surgimento de contestação agora, como com vocês do Mídia… mas, canais efetivos não há. Nem na mídia, nem nos partidos. Pra se adotar a opção republicana, há muito que ser construído, pois mesmo que a presidente seja deposta, as forças políticas que se reorganização a nação são as mesmas que estão aí, PMDB e o PT (que sobrevier), tenho certeza que as articulações em Brasília já levam em consideração a hipótese de um governo pós-Dilma. Em termos de dominância do Foro de São Paulo seria uma vitória para a República, mas em termos políticos aos conservadores, não significaria muito.

    Daí a minha desesperança…

    Uma geração demora uma geração para ser formada. Eu sei que é obvio, e HAJA ESPERANÇA E PACIÊNCIA para esperar que ela brote, cresça e dê frutos. A geração que de 60, 70 está se aposentando, mas DOUTRINOU as que vieram depois, e com força/hegemonia total.

    Que Deus me dê fé e esperança para não ceder a tentação por uma intervenção militar. kkk

    (não sou católico, mas nessas horas:)

    Oh santa “Margaret Thatcher”, rogai por nós! kkk

    (brincadeirinha)

    um abraço Luciano!

    (…será que ele vai abraçar um leproso????…)

    (outra brincadeirinha)

    Você tem razão em se opor TOTALMENTE a intervenção militar, pois é um SUICÍDIO POLÍTICO, dentro da mentalidade e quadro estratégico atual. O único problema é que, os desmandos e desaforos do PT geraram e continuarão gerando um catarse de inconformismo raivoso. É aquela coisa… o caminho não é o da intervenção, mas, para muitos, às vezes a RAIVA fala mais alto. Dureza é ter os NERVOS DE AÇO para entrar numa guerra estratégia de espaços políticos.

    Recado para os INTERVENCIONISTAS/MILITARISTAS:

    GALERA, SE ACALMEM, RESPIREM FUNDO E NÃO DÊEM MUNIÇÃO PRA BOLIVARIANADA. SEI QUE VOCÊS SÓ ESTÃO EXPRESSANDO A RAIVA DE QUEM FOI ROUBADO, ENGANADO E VILIPENDIADO POR UM MONTE DE SEM-VERGONHA CARA-DE-PAU.

    QUEM NOS LEVOU A ESSE TAMANHO DESESPERO, SE NÃO O PTRALHADA QUE CONSEGUIU A FAÇANHA DE ENTRAR PARA HISTÓRIA COM A MAIOR ROUBALHEIRA DOS SEIS ÚLTIMOS MILÊNIOS?

    CABEÇA FRIA, MUITA CALMA, RESPIREM FUNDO E VÃO LÁ NO DIA 29 PELA DEMOCRACIA E CONTRA O FORO DE SÃO PAULO. SE A ESQUERDA É SÍNICA, CANALHA E CAFAJESTE… NÓS SOMOS HONESTOS E SINCEROS… E ELES UTILIZAM ISSO…

    QUEM SÃO OS GOLPISTAS, AS PESSOAS ASSALTADAS POR GOVERNANTES CORRUPTOS QUE MANIFESTAM SUA INDIGNAÇÃO OU OS GOVERNANTES CORRUPTOS ASSALTANTES?

    UMA PESSOA FOI ROUBADA… ELA COMEÇA E XINGAR O LADRÃO DE TUDO QUANTO É JEITO… O LADRÃO, ENTÃO, VAI ATÉ O GUARDA E DIZ: “PRENDA AQUELE CIDADÃO QUE ESTÁ PROMOVENDO UM ATENTADO A MORAL, AOS BONS COSTUMES E À ORDEM DA LEI AO ME CALUNIAR DESAFORADAMENTE”… BASICAMENTE É ISSO O QUE A ESQUERDA TEM FEITO COM QUEM PEDE INTERVENÇÃO MILITAR.

    OS CABRAS COMPRAM O CONGRESSO COM DESVIOS DA PETROBRAS E QUEM COMETE O CRIME CONTRA A ORDEM DEMOCRÁTICA É VOCÊ QUE ACHA RUIM… KKK…

    BRASIL, UM PAÍS DE TODOS!!! (os sócios da Smatmatic) …kkk

    • Thiago
      Se o PT sair do poder e o PSDB (social-democrata) ocupar o espaço político, não mudará nada em termos ideológicos.
      A coisa é bem diferente. O projeto bolivarianos é oposto ao projeto do PSDB, e hoje nós vemos a diferença.
      O PSDB não fugiu só da intervenção, ele fugiu da sua obrigação moral de ter feito oposição REAL nos três mandatos PTistas.
      Acho que o PSDB tem escolhido pautas muito melhores do que alguns dos manifestantes da direita, por exemplo. Acho que devíamos pressioná-los, mas, ao mesmo tempo, sermos mais pragmáticos.
      UMA PESSOA FOI ROUBADA… ELA COMEÇA E XINGAR O LADRÃO DE TUDO QUANTO É JEITO… O LADRÃO, ENTÃO, VAI ATÉ O GUARDA E DIZ: “PRENDA AQUELE CIDADÃO QUE ESTÁ PROMOVENDO UM ATENTADO A MORAL, AOS BONS COSTUMES E À ORDEM DA LEI AO ME CALUNIAR DESAFORADAMENTE”… BASICAMENTE É ISSO O QUE A ESQUERDA TEM FEITO COM QUEM PEDE INTERVENÇÃO MILITAR.
      Não é justo dizer isso.
      A esquerda jamais pediu intervenção militar no passado (é óbvio), mas só chegou ao poder enquanto falava em luta democrática. Essa mudança da postura de “vamos pegar em armas” do Lula foi notória, e o que o ajudou a se reeleger.
      Então eles fizeram o trabalho correto, politicamente, e aí surgiu uma direita que fala em “intervenção militar”, sem conseguir resultados e ao mesmo tempo dar propaganda para o PT.
      Convenhamos que fica muito fácil ser petista assim.
      Abs,
      LH

    • Te respondendo sobre o PSDB:

      1- Luciano, quando disse que não mudava nada, é do meu ponto de vista, do ponto de vista de um conservador.

      2- A esquerda é dissimulada, mas os conservadores são sinceros e transparentes até demais. É a tal da Guerra Assimétrica. Os conservadores cultivam valores éticos e morais, os esquerdistas estão desobrigados dessas amarras.

      Muito obrigado por me responder, um abraço e sou teu fã.

      • Thiago,

        Obrigado pelas palavras.

        Se pensarmos pela ótica da Janela de Overton, ter um PSDB ao invés do PT é um ganho para quem é de direita, pois sempre podemos ir afastando ou nos aproximando dos ideais. Depois poderíamos focar em ter um partido de direita.

        Em relação a conservadores não serem dissimulados, isso é algo que terão que corrigir. Não há outra opção. Não é preciso ser cínico e mentiroso, mas precisamos de mais perspicácia para lutar com a extrema-esquerda.

        Abraços,

        LH

  3. LUCIANO, FIZ ALGUMAS CORREÇÕES… SE VOCÊ PUDER SUBSTITUIR FICARIA GRATO.

    Eu sou conservador.

    Se o PT sair do poder e o PSDB (social-democrata) ocupar o espaço político, não mudará nada em termos ideológicos.

    Infelizmente, no Ocidente, não há mais espaço para o liberalismo em aliança com o conservadorismo. Veja o que a social democracia fez com a Europa. Elevou o custo de produção a níveis estratosféricos e aumentou a carga tributária a nível “nunca antes nesse planeta”. Muitos países possuem cerca de 50% ou mais do PIB em impostos, o Welfare State produziu uma geração de dependentes do Estado (e extremamente exigentes, mesmo com Estados falidos, param a França se alguma reforma liberal for discutida). Desemprego, Espanha: 25%, Grécia: 50%… (empregos exportados para a China) e qual a saída da União Européia para esta crise? MAIS IMPOSTOS, MAIS REGULAÇÃO, AUMENTO DO ENDIVIDAMENTO, tudo o quê só acelerará a trajetória para um colapso total, pois uma hora as gerações futuras terão de pagar as dívidas estratosféricas do presente. Em relação ao cristianismo, eles pregam a a DILUIÇÃO TOTAL DOS VALORES E DA MORAL MILENAR DO CONTINENTE, o Estado que fique no seu canto e que não se intrometa nos valores familiares e morais… Mais, a tchurma social-democrata não pensa desta maneira.

    A mentalidade no Ocidente do pós-guerra foi direcionada pelas Universidades de Referência e pela dona ONU para o Esquerdismo.

    O PSDB não fugiu só da intervenção, ele fugiu da sua obrigação moral de ter feito oposição REAL nos três mandatos PTistas. Não há força política organizada no país que bata de frente com o PT. Pode haver o surgimento de uma contestação agora, como com vocês do Mídia… mas, canais efetivos não há. Nem na mídia, nem nos partidos. Pra se adotar a opção republicana, há muito que ser construído, pois mesmo que a presidente seja deposta, as forças políticas que reorganizarão a nação são as mesmas que estão aí, PMDB e o PT (quem sobrevier), tenho certeza que as articulações em Brasília já levam em consideração a hipótese de um governo pós-Dilma. Em termos de dominância do Foro de São Paulo seria uma vitória para a República, mas em termos políticos aos conservadores, não significaria muito.

    Daí a minha desesperança…

    Uma geração demora uma geração para ser formada. Eu sei que é obvio, e HAJA ESPERANÇA E PACIÊNCIA para esperar que ela brote, cresça e dê frutos. A geração que de 60, 70 está se aposentando, mas DOUTRINOU as que vieram depois, e com força/hegemonia total.

    Que Deus me dê fé e esperança para não ceder a tentação por uma intervenção militar. kkk

    (não sou católico, mas nessas horas:)

    Oh santa “Margaret Thatcher”, rogai por nós! kkk

    (brincadeirinha)

    um abraço luciano!

    (…será que ele vai abraçar um leproso????…)

    (outra brincadeirinha)

    Você tem razão em se opor TOTALMENTE a intervenção militar, pois é um SUICÍDIO POLÍTICO, dentro da mentalidade e quadro estratégico atual. O único problema é que, os desmandos e desaforos do PT geraram e continuarão gerando uma catarse de inconformismo raivoso. É aquela coisa… o caminho não é o da intervenção, mas, para muitos, às vezes a RAIVA fala mais alto. Dureza é ter os NERVOS DE AÇO para entrar numa guerra estratégia de espaços políticos.

    Recado para os INTERVENCIONISTAS/MILITARISTAS:

    GALERA, SE ACALMEM, RESPIREM FUNDO E NÃO DÊEM MUNIÇÃO PRA BOLIVARIANADA. SEI QUE VOCÊS SÓ ESTÃO EXPRESSANDO A RAIVA DE QUEM FOI ROUBADO, ENGANADO E VILIPENDIADO POR UM MONTE DE SEM-VERGONHA CARA-DE-PAU.

    QUEM NOS LEVOU A ESSE TAMANHO DESESPERO, SE NÃO O PTRALHADA QUE CONSEGUIU A FAÇANHA DE ENTRAR PARA HISTÓRIA COM A MAIOR ROUBALHEIRA DOS SEIS ÚLTIMOS MILÊNIOS?

    CABEÇA FRIA, MUITA CALMA, RESPIREM FUNDO E VÃO LÁ NO DIA 29 PELA DEMOCRACIA E CONTRA O FORO DE SÃO PAULO. SE A ESQUERDA É SÍNICA, CANALHA E CAFAJESTE… NÓS SOMOS HONESTOS E SINCEROS… E ELES UTILIZAM ISSO…

    QUEM SÃO OS GOLPISTAS, AS PESSOAS ASSALTADAS POR GOVERNANTES CORRUPTOS QUE MANIFESTAM SUA INDIGNAÇÃO OU OS GOVERNANTES CORRUPTOS ASSALTANTES?

    UMA PESSOA FOI ROUBADA… ELA COMEÇA E XINGAR O LADRÃO DE TUDO QUANTO É JEITO… O LADRÃO, ENTÃO, VAI ATÉ O GUARDA E DIZ: “PRENDA AQUELE CIDADÃO QUE ESTÁ PROMOVENDO UM ATENTADO A MORAL, AOS BONS COSTUMES E À ORDEM DA LEI AO ME CALUNIAR DESAFORADAMENTE”… BASICAMENTE É ISSO O QUE A ESQUERDA TEM FEITO COM QUEM PEDE INTERVENÇÃO MILITAR.

    OS CABRAS COMPRAM O CONGRESSO COM DESVIOS DA PETROBRAS E QUEM COMETE O CRIME CONTRA A ORDEM DEMOCRÁTICA É VOCÊ QUE ACHA RUIM… KKK…

    BRASIL, UM PAÍS DE TODOS!!! (os sócios da Smatmatic) …kkk

    INFELIZMENTE, INTERVENÇÃO MILITAR É UM SUICÍDIO POLÍTICO.

    ONG PTista adverte:

    O cartaz diz:

    “Direitista: faça a sua parte, ajude um pobre canalha da esquerda a permanecer NO PODER, PEÇA JÁ INTERVENÇÃO MILITAR”;

    “Direitista: livre um cafajeste golpista da esquerda da fama de golpista, PEÇA JÁ A INTERVENÇÃO MILIAR, e livre o Foro de São Paulo dessa DESONRA”;

    KKK

  4. Luciano,
    Eu queria te deixar a pá do novo saco de gatos do Governo Federal para combater os “crimes de ódio” e um possível aparelhamento da Polícia Federal pelos Petistas. Tratasse de um grupo formado pelos socialistas de boutique do Governo para monitorar os crimes de ódio. Todos nós sabemos o que são crimes de ódio…O problema é que essa turma costuma esvaziar o substantivo de modo que crime de ódio passa a ser “discordar de mim”, Segue trecho do Globo. Seria bom você dá espaço para isto, porque é o plano B, caso eles não consigam controlar a mídia diretamente, criarão procedimentos extra-constitucionais.

    “BRASÍLIA – Um grupo interministerial de trabalho será criado nesta quinta-feira para mapear e monitorar os crimes de ódio nas redes sociais. A criação se dará por meio da assinatura de uma portaria pelos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Ideli Salvatti (Direitos Humanos), Heloisa Barros (Igualdade Racial) e Lourdes Maria Bandeira (ministra interinada Secretaria de Saúde para as Mulheres).”

    http://oglobo.globo.com/sociedade/governo-cria-grupo-para-mapear-crimes-de-odio-nas-redes-sociais-14606702

    • Simplesmente assustador.

      O MINISTÉRIO DO PENSAMENTO!

      Já estamos vivendo dentro do Big Brother Owerliano.

      Nos EUA a liberdade de expressão e pensamento é suprema, está na sua constituição “quatrocentona” enxuta e INFINITAMENTE SUPERIOR a nossa. Nossa constituição não é uma Constituição. Tamanha monstruosidade nos “poupou” de 90% do trabalho legislativo dos anos posteriores, pois tem detalhamentos e ambiguidades demais. Os Constituintes quiseram petrificar a visão política esquerdista naquele texto. Pra quê Congresso se há uma Constituição daquele tamanho? Simplesmente engessou o debate politico-ideológico em torno da Esquerda e “LASCOU COM TUDIS NOZES”. Qualquer decisão de um juíz do STF, com tanta brecha interpretativa “sem vergonha”, consegue legislar cooptando a função legislativa. O povo que é OBRIGADO a eleger um representante no Congresso, como eu e você que “NOS LASQUEMIS TUDI”, pois o ativismo judicial politicamente correto veio pra ficar e é aliado de primeira ordem do PTismo.

      Esse povo do mensalão, além de ladrão, cafajeste e cara-de-pau, ainda SE ACHA superior moralmente a ponto de decidir o quê você e eu podemos ou não pensar.

      ONG PTista adverte:

      “Direitista: pensar por si próprio faz mal aos nervos, ao bolivarianismo e a sua liberdade, PENSE NISSO!” kkk

  5. Perfeito. Legitimidade. Tudo dentro da lei… Não importa qual seja!
    Não adianta ser burro-contestador-militarista e semi-legitimo, meio, quase, perto de, ou se imaginar legitimo, se achar legítimo não é legítimo, sem apoio da opinião pública e fazendo algo “a força” não serve, tem que parecer legítimo.
    O peteba vai sempre esbravejar: Se não gostou mude a lei! Fora da lei e golpista!
    E vai tentar persuadir: queremos “mais” democracia popular (leia-se democracia como “fuder você” e popular por “soviets”- coletivos não-eleitos), mais democracia direta, mais constituição exclusiva democrática e popular, mais participação popular democrática no legislativo, mais mídia democrática, mais republica popular direta, chega de políticos representativos (políticos do legislativo não prestam e “são maus” e o povo é bonzinho, dos coletivos não-eleitos), etc…
    De Saul Alinsky, passando por Horowitz até Gene Sharp a palavra de ordem é legitimidade.
    Pense assim, a Rússia quer tomar a Criméia da Ucrânia, legitimamente o que faz?! Entra com tanques e rufando tambores e bandeiras como uma tropa romana pela região, ou “pede” um plebiscito para anexar legitimamente, legalmente.
    Ah, mas na Criméia estava cheio de russos pra ter plebiscito… Ah é?! Sério?! Não me diga! E a ONU.

    Ah mas na Venezuela tem “muita democracia” já vociferou Lula. E a ONU! Se perguntar, até Barack Obama concordará… De forma legítima.
    Lembra-se Chomsky, um dos maiores contestadores da mídia?! Ele começou a instruir a esquerda com a pauta “contra a mídia malvada e capitalista”…
    A guerra política é midiática! Por isso o ponto central: censura da mídia, dentro da lei feita pela chantagem econômica e legítima.

    • Em tempo, por saber disso, que a Guerra Política é feita de forma midiática a esquerda fez primeiro a guerra de ocupação de espaços: corromper o cérebro limitado e perverso dos quase-semi-jornalistas, mas principalmente “apresentadores” de telejornal… Né, Chico Pinheiro, Boechat, bancadas Record, CQC, Jô Soares, e outras subcelebridades…

  6. Caro Lucian,
    O maior problema do artigo, a meu ver, refere-se à intervenção militar como um projeto ditatorial por parte daqueles que defendem a ideia. Nada mais injusto. O que ninguém quer, e ninguém deseja, é a volta de um regime militar como ocorreu em sessenta e quatro. O que as pessoas querem, em última instância, é a preservação da democracia. Os militares, portanto, seriam os meios para restaurá-la de acordo com a lei e para que realizassem novas eleições em tempo hábil.
    Explico: para que a democracia em nosso meio seja preservada a todo custo, nós precisamos de instituições fortes e uma burocracia que seja, de fato, do tamanho de um grão de mostarda. Infelizmente, nada disso se confirma em nosso país; ao contrário, o que temos, no Brasil, é uma luta assimétrica, desigual, como o diabo gosta. De um lado, um grupo formado por partidos, Ongs, OAB, parte do MP, e uma mídia chapa branca, golpista na essência, se utilizando de meios democráticos para instalar um regime totalitário; e do outro, um grupo de voluntários querendo justamente o contrário. Convenhamos: é um quadro que assusta a qualquer um que tenha um mínimo de juízo, pois os fatos que ocorreram nas últimas semanas nos mostram que estamos muito aquém das necessidades que fazem da democracia um regime salutar, ou seja, nós estamos num ambiente onde as opiniões se sobrepõem às verdades, como se as verdades fossem meras opiniões. Em conseqüência, aspira-se somente a uma espécie de consenso sobre os temas controversos (você mesmo constatou isso em seu artigo).
    Então, o que fazer? De que forma podemos virar este jogo? É preciso, antes de tudo, que se cumpram as leis vigentes em nosso país. Esse é o caminho. Mas o problema é fazer com as leis sejam cumpridas. Daí o exército. Mas se quisermos descartar as Forças Armadas, sejamos mais competentes em nossas ações. Por exemplo:
    Se o PT é um partido ilegal, porque ainda vigora como partido?
    Se os empréstimos aos países vizinhos foram ilegais, porque não se realizou ali o impeachment da presidente Dilma?
    Ou seja, nós não precisamos ficar aguardando novas provas da Operação Lava-Jato para tomar as providências cabíveis em direção ao impeachment, porque nós já temos as provas necessárias para isso. Vamos encurtar o caminho. E que as próximas passeatas sejam mais diretas nesse sentido. Chega de conversa mole. O que temos que fazer é pressionar o MP a fazer o que tem que ser feito. Nada mais do que isso. Agora, se isso não resolver, paciência, o jeito vai ser uma tomada de poder por vias militares. E digo mais: que isso fique bem claro ao PT. E, como diziam os antigos que evitaram um banho de sangue em sessenta e quatro, eu termino por aqui, dizendo: “eles que venham, por aqui não passaram”.
    Obs. É muito fácil fazer o jogo democrático quando você se utiliza da boa fé das pessoas para cumprir uma agenda política que nos leve à servidão. Eles vêm fazendo isso há oitenta e quatro anos no Brasil. É muito tempo.

  7. Aqui na minha rua tinha um garoto de uns doze anos que se achava o tal, brigao, batia nos menores, chutava bola nos portoes dos vizinhos, vivia aprontando , todo mundo de saco cheio do moleque, mas com o estatuto da criancinha delinquente
    .o pessoal estava com receio de dar um basta no malandro.
    pois bem ele deu uns socos num outro garoto de sete anos, e disse para o pequeno que se contasse aos pais iria apanhar mais,
    o pai do de sete anos , pegou o de doze e deu lhe uns tapas, o menino gritou que nao podia bater nele porque nao era o pai dele, o pai do de sete disse , estou fazendo o que o seu pai nao faz, te dar limite!se bater de novo no meu filho , voce vai apanhar igual.
    acabou o valentao! O pai do de doze agradeceu ao pai do de sete, :ja nao sabia mais o que fazer , pois conversa nao estava adiantando, o moleque nao se emendava., mas ele tinha receio de dar uns tapas no menino e ser denunciado.
    certas coisas ,so no tapa se resolvem, so a forca resolve.
    contei a historia, verdadeira, porque achei semelhante ao que esta acontecendo com o pais,
    tem que impor os limites,!

  8. Essa foto dessa gente ai em cima, que mora em outro pais ,mas dentro do nosso territorio, cuja bandeira nao e a brasileira, e quer acabar com a nossa patria, me da engulhos!

  9. Luciano, permita-me algumas observações.

    – Quando o PT foi criado os AIs já tinham sido revogados. Aquilo _não_ era mais uma ditadura, mas há quem discorde. Porém, o que desejo ressaltar é que o PT foi criado sob os auspícios do regime autoritário, para dividir a esquerda e, principalmente, reduzir a influência dos _comunistas_ nos movimentos sociais. Lula, uma cria dos militares (aluno AFL-CIO, curso nos EUA, presidente de sindicato), além de informante do regime, tinha trânsito entre os empresários. Não era à toa que Brizola o chamava de “filhote da ditadura”.
    – O PT é um partido _socialista_ desde a sua fundação. O socialismo petista, apesar de não admitido explicitamente, era revolucionário, como o provam as várias correntes marxistas que participavam da legenda. Somente após a “queda do muro”, essas tendências foram expulsas.
    – O uso do termo democracia, pelo PT, é retórico (para o público externo) e oportunista (para o interno).
    – Os “republicanos” devem se afastar peremptoriamente dos “intervencionistas”. Mas, sem esquecer que eles são um problema para o PT, eles que se entendam. Ser contra PT _e_ “intervencionistas” só reforça o compromisso democrático dos “republicanos”. Ou seja, politicamente, a turma intervencionista ajuda a demarcar o território dos “republicanos”.
    – É um erro crasso esperar apoio da mídia governista.

    – Até agora, os políticos estão fora do Petrolão. Sem pressão, as instituições vão se acomodar. É hora coletar assinaturas pela “punição dos cabeças da corrupção: Lula e Dilma”.

Deixe uma resposta