PCdoB está tristinho por causa da resolução da ONU pra investigar violações de Direitos Humanos praticadas pela Coréia do Norte

7
109

pcdob

Na última terça-feira, 18/11, soubemos que o Brasil (acredite se quiser) votou a favor de uma resolução da ONU pedindo que as violações de direitos humanos da Coréia do Norte sejam julgadas pelo Tribunal Penal Internacional. Leia mais:

O comitê de Direitos Humanos da ONU aprovou nesta terça-feira (18) resolução que condena os abusos cometidos pelo governo da Coreia do Norte e pede que as violações sejam julgadas pelo Tribunal Penal Internacional.

O Brasil, que tem histórico de abstenções em resoluções similares, votou a favor do texto, apresentado pela União Europeia e pelo Japão.

O documento agora vai para votação na Assembleia Geral das Nações Unidas, o que deve ocorrer em dezembro.

Ao todo, foram 111 votos a favor, 19 contra e 55 abstenções. Entre os países que se posicionaram contra o texto estão China e Rússia, que têm poder de veto no Conselho de Segurança, o que pode prejudicar sua aplicação efetiva.

A resolução foi inspirada por um relatório de comissão das Nações Unidas publicado no início deste ano, que apontava que a situação dos direitos humanos na Coreia do Norte “ultrapassava todas as outras em duração, intensidade e horror.”

“O Brasil reconhece o progresso feito pela República Democrática Popular da Coreia, mas ainda há muito espaço para melhora”, diz o discurso de explicação de voto do Brasil, lido pelo embaixador-adjunto do país na ONU, Guilherme Patriota.

“O país continua profundamente preocupado com as conclusões deste relatório e de outros.”

A ONG Human Rights Watch comemorou o voto do Brasil. “Esperamos que o Brasil permaneça do lado das vítimas das graves violações, advogando para que a situação da Coreia do Norte seja encaminhada ao Tribunal Penal Internacional”, afirmou a diretora no país, Maria Laura Canineu.

Aí veio o chororô do PCdoB, conforme página de Facebook dessa gente:

Solidariedade à Republica popular democrática da Coreia

Os imperialistas estadunidenses e seus fantoches sul-coreanos estão comemorando certa resolução de uma comissão da ONU contra a República Popular Democrática da Coreia. Irrestrita solidariedade a esta última.

Detalhe que o Brasil também assinou a resolução de investigação. Claro que se fosse a Venezuela investigada, ao invés da Coréia do Norte, isso não ocorreria. Mas, por medo de pressão internacional, o governo petista topou assinar.

Diante do esperneio do PCdoB, surgem algumas perguntas. Por exemplo, se pedir uma investigação sobre a Coréia do Norte é ficar contra ela, então isso não seria uma confissão de que eles teriam algo a esconder? Mas sendo a Coréia do Norte famosa por violar direitos humanos, dar irrestrita solidariedade a esta última não é uma confissão de apoio ao mais abjeto tipo de socialismo (aquele acostumado a empilhar corpos)?

Como sempre, a luta contra os “imperialistas estadunidenses” não passa de bravata, pois ninguém ouvirá esse melodrama. Para essa escória moral, “democracia” significa o poder de massacrar seu próprio povo, tratando-o como gado, chegando até à escravidão, além de construir deliberadamente a miséria do povo, enquanto os donos do poder vivem como nababos, tudo debaixo de uma censura brutal e violentíssima.

Seja lá como for, o PCdoB jamais consegue esconder seu DNA que entende como “democracia” um regime genocida.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. E, para quem ainda acha que Venezuela e Cuba, ficam muito longe daqui:

    1) Censura na WEB:
    http://www.defesanet.com.br/front/noticia/17500/Planalto-Reage—Inicia-Censura-na-WEB/

    De agora em diante qualquer pio na WEB é o suficiente para um processo: Escudados no tal “Marco Cívil da Internet, sSempre vão poder alegar, racismo ou “incitação a violência” e, claro, isso só vale para um dos lados…

    2) Começaram a atiçar os cachorros:
    http://www.defesanet.com.br/front/noticia/17501/Planalto-Multiplica–Pontos-de-Atrito/

    A ideia, é gerar conflitos intensos que justifiquem algum tipo de milícia para-militar bolivariana para reprimir a população.

    Não quero tirar o sono de ninguém mas, daí pra frente, não consigo achar saída para quem não for comuna…

  2. “Os imperialistas estadunidenses e seus fantoches sul-coreanos …” Nem sei quantas vezes vi essas palavras – as mesmas, mudando apenas os fantoches.

    Nem imaginação para escrever eles tem. Ou liberdade, sei lá.

    E a esquerda apropriou-se da palavra democracia. Mais um exemplo de determinação deles, acontecendo o mesmo com a palavra fascismo, usado sempre de forma errônea e incompleta. Usada erroneamente, aliás, por uma professora de filosofia.

  3. Consegui chegar a alguma conclusão sobre a unificação das Koreias. haverá unificação, porém, sem norte-coreanos ( acho incrível a capacidade dos governos totalitaristas de eliminar suas populações ). esta resolução é apenas uma tentativa de parar com o genocídio.

  4. Li em algum lugar que as Coréias vão se reunificar junto com o Japão, formando uma nação chamada Kopan para se opor política e economicamente à China. Achei estranho, mas vamos aguardar.

  5. Me dá nojo a mera existência, em pleno século XXI de um partido que defende o genocídio como uma política de estado como outra qualquer. Este partido deveria ser colocado na ilegalidade, como já ouvi dizer que acontece em países do leste europeu que passaram pelo horrendo flagelo comunista. E a “irrestrita solidariedade” não deixa margem a qualquer dúvida sobre a “nobreza de ideais” dessa corja!

  6. Já passou da hora de enxotar esse partido. Não se pode conviver numa democracia com esse tipo de ideologia que tem apreço por ditaduras sanguinárias e que quer assaltar a república e destruir a liberdade pelas vias democráticas. É repugnante! Até quando eles terão vida mole? É preciso pressionar esses pulhas e enxotá-los da política. É preciso denunciar esse partido pela sua inconstitucionalidade, fazer um manifesto de repúdio ou um abaixo assinado pedindo a sua extinção. Quando aqueles poucos em Porto Alegre, liderados por Marcel Van Hattem, fizeram uma manifestação em ocasião do vigésimo-quinto aniversário da queda do muro de Berlim e em memória das vítimas do comunismo, tudo isso em frente ao memorial ao facínora comunista Luiz Carlos Preste, já foi uma ousadia e ponta-pé enorme. Inúmeras pessoas repudiam o repudiável comunismo, mas esses partidos de extrema-esquerda, que ainda até pregam luta armada e veneram genocidas, seguem como se fossem os detentores inquestionáveis da moral. Já basta!

Deixe uma resposta