O demônio à espreita pelas demandas irrealizáveis

22
60

demon

O Sr. Marcello Reis, um dos principais responsáveis pela comunidade de Facebook Revoltados On Line, e organizador de uma das três frentes de manifestações que resultaram em movimentos nos dias 1 e 15 de novembro, frente ao MASP, é bastante claro em suas demandas. Elas são duas:

  • Impeachment de Dilma
  • Anulação das Eleições

A lógica é clara. Se as demandas são duas não são três. Se são apenas duas, outras demandas estão excluídas. Essa é uma conclusão obvia. Sendo apenas duas demandas, significa que tanto esforços como as expectativas deste “exército” então direcionados a dois focos.

Até aqui tudo bem, certo? Nem tanto, pois o diabo mora nos detalhes. Ambas as demandas de Marcello são irrealizáveis a curto prazo.

Para existir um impeachment são necessárias provas contundentes de corrupção, por exemplo. Não apenas interpretações forçadas para levar a uma conclusão pré-estabelecida. É preciso realmente de provas. Um exemplo seriam transações em contas correntes no exterior atrelando recebimento de propinas diretamente a Dilma. Caso surja uma evidência deste tipo, o tema do impeachment volta à tona. Outra questão pode ser a comprovação definitiva de que o dinheiro da corrupção foi usado na campanha de Dilma. Ainda falta algo para chegarmos a esse momento.

Para ocorrer anulação das eleições, seriam necessárias evidências incontestáveis de fraude. Por exemplo, o caso da tal urna eletrônica que deu 400 votos para Dilma tem total cara de “hoax”. E que eleições seriam anuladas? Todas elas? Incluindo aquelas para governos de estados onde o PT sofreu várias derrotas acachapantes? Ou as eleições para deputados, onde o PT simplesmente perdeu 18 cadeiras e ainda viu crescer amplamente uma base de oposição? Portanto, devagar com o andor que o santo é de barro.

Já demandas interessantes poderiam incluir um pedido por maior agilidade nas investigações do Petrolão, pois as delações não podem durar uma eternidade. Queremos prioridade nessas investigações! Também poderíamos exigir um processo mais transparente de votação, com a impressão de recibos a serem depositados em uma urna, para os próximos pleitos. Isso ajudaria a retirar as dúvidas remanescentes e seria a requisição de um direito do eleitor. Isso já poderia ser encampado no início de 2015, com vistas à eleição de 2016 já. A luta, neste caso, seria pelo direito do eleitor ter um recibo de seu voto, a ser depositado em urna.

Mas temos outras demandas importantes, por exemplo:

  • Embargo à Venezuela, depois dos crimes de violação de nossa soberania, e encerramento de qualquer acordo comercial com eles
  • Retorno imediato de Rachel Sheherazade ao SBT (e o mesmo vale para Paulo Eduardo Martins, mais uma vez impedido de falar)
  • Desmascaramento público das intenções por trás do Plebiscito Constituinte
  • Agilidade nas investigações do Petrolão
  • Estabelecimento de um limite para indicações de juízes no STF para o partido no poder, de forma a evitar aparelhamento
  • Transparência no uso de verbas públicas para anúncios, em especial para blogs políticos de apoio ao governo
  • Derrubada definitiva do decreto de conselhos não-eleitos
  • E daí por diante.

Todas essas demandas tem vantagens poderosas em relação às demandas de impeachment e anulação de eleições, pois:

  1. São facilmente defensáveis
  2. Não podem ser facilmente atacadas pelos governistas
  3. Podem se transformar em “caso” político com o Congresso atual (e ainda mais com o Congresso futuro)
  4. Se ocorrer esforço suficiente, podem ser realizáveis
  5. Prejudicariam seriamente o governo petista caso fossem aceitas

Daí alguém diria: “Ah, mas impeachment prejudicaria mais o governo do que todas essas demandas”. Sim, mas não é facilmente defensável e, ao menos atualmente, dificilmente realizável.

Qualquer organizador de movimentos deve saber de uma coisa importantíssima: aos poucos, as demandas irrealizáveis desanimam o movimento, pois o ser humano investe esforços naquilo que gera resultados.

E então o diabo, que mora nos detalhes, pode se exibir com toda sua majestade: ao pedir demandas irrealizáveis (e vulneráveis aos ataques governistas), pode ser criada uma legião de pessoas cada vez mais desesperadas. Essas pessoas não irão questionar as demandas escolhidas, para dizer que suas demandas não foram atendidas por causa de um “estado falido”.

E aí vem o questionamento mais incômodo de todos: não seria a priorização por demandas irrealizáveis uma forma de se buscar validação moral para pedidos por intervenção militar? Pode até ser que Marcello não tenha tido esta intenção, mas muitas outras pessoas podem querer exatamente isso.

Vamos imaginar que o Sr. Marcello Reis seja dotado de boas intenções. Mesmo assim é possível que exista uma influência radical nesses grupos. De mais a mais, dos grupos de manifestantes qual é aquele que se recusa a afirmar “sou contra a intervenção militar” e, ao invés disso, diz apenas “não apoio intervenção militar”. Ora, se alguém decide estuprar sua esposa você seria contra este ato ou apenas alguém que “não é a favor” deste estupro? É claro que a expressão “não sou a favor” é inconvincente para este momento. Me parece no mínimo uma concessão aos radicais.

O que proponho aqui é que devemos apoiar as manifestações, mas que passemos a questionar se as demandas são realizáveis ou não, em curto prazo, e até os motivos para priorização de demandas. Pessoas organizando manifestações devem estar abertas a este tipo de questionamento, assim como à cobrança por resultados.

Preste atenção especial aos grupos priorizando demandas irrealizáveis. É daí que pode surgir uma radicalização que cairia como uma luva para os petistas. Seja essa uma intenção dos organizadores ou não.

Anúncios

22 COMMENTS

  1. —opinião—

    O PT quer caçar nosso direito de odiar suas falcatruas:Helleno de carvalho: odiar é crime?
    https://www.facebook.com/video.php?v=388967771280601

    Nando Moura: dia da consciência negra, negros escravisavam outros negros
    https://www.facebook.com/video.php?v=786948744718342

    Nando Moura:Bolsa crack e bolsa família
    https://www.facebook.com/video.php?v=787271094686107

    Nando Moura:Tico Anta Cruz – Burro ou Perverso?
    https://www.facebook.com/video.php?v=787298978016652

    —Notícias—

    Cruzada pela Liberdade: Três vídeos que demonstram a ação de milícias comunistas
    https://www.facebook.com/video.php?v=587203538052518

    Vídeo expõe evidências e acusa MST de estar se preparando para revolução armada no Brasil
    http://www.youtube.com/watch?v=crIkzxBaEBU

    Policial manda o recado que em Minas Gerais o crime organizado não vai dominar como no Rio e em São Paulo
    https://www.facebook.com/video.php?v=716747881727620

    Por trás do ataque em jerusalem, uma organização palestina Marxista-leninista
    http://oglobo.globo.com/mundo/por-atras-do-ataque-em-jerusalem-uma-organizacao-palestina-marxista-leninista-14608554

    “No Amapá, juiz protesta contra corrupção no meio de avenida”
    http://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2014/11/no-amapa-juiz-protesta-contra-corrupcao-no-meio-de-avenida.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=g1

    —Eventos—

    Evento de boicote ao CQC – https://www.facebook.com/events/1506804789597774/?ref=22

    Próxima manifestação contra Dilma dia 29/11
    https://www.facebook.com/events/752211154867449/?ref=22

    Convocação desta manifestação
    https://www.facebook.com/video.php?v=1024586967567855

  2. Nessa vou me posicionar contrariamente ao blog. Primeiro porque não acho a demanda do impeachment irrealizável. Segundo porque, isto estando nas ruas, o recado fica bem claro: não consideramos legítima uma presidente que prevarica e/ou se beneficia pessoalmente do roubo de bilhões de dinheiro do povo – assim, as instâncias de investigação naturalmente estarão mais dispostas a levar a cabo tudo que for preciso para produzir este resultado. Terceiro porque não dá prá afirmar peremptoriamente que as pessoas se desmobilizarão caso ESTAS pautas não se concretizem no curto prazo – quem está nas ruas, o faz basicamente por antipetismo, o que consagra desde o impeachment até uma simples vontade de gritar “fora Dilma” e nada mais.

    O que pode tirar as pessoas da rua, aí sim, é a banalização dos protestos. Esta é a crítica que faço ao Marcello Reis e sua já agendada próxima manifestação, semana que vem, dia 29/11. Não considero uma boa estratégia fazer protestos quinzenais. Outro ponto que deve ser discutido é a cisão entre os grupos que estão organizando manifestações. O Revoltados On Line fará está manifestação no dia 29/11 e já haverá outra no dia 6/12, marcada pelo grupo do Paulo Batista. São dois grupos que foram “forçados” pelo Olavo de Carvalho a marchar juntos no último dia 15/11, mas que, por picuinhas, nunca se entenderam, tiveram um racha importante naquele dia e permanecem desunidos. Avalio que, a mudar pautas, deve-se priorizar a pressão para que os grupos se unam, com pautas complementares, nem que fiquem a 100 metros de distância um do outro na Avenida Paulista. Mas que se manifestem no mesmo dia. Esta sim, a meu ver, é a prioridade nº 1 para os próximos protestos, mais do que pedir mudanças estratégicas na pauta de um dos movimentos. Já que todos eles rejeitaram a tal “lepra política” (intervenção militar), tudo que sobrou é bom, desde que haja união.

  3. Estes revoltados online são medíocres, para não dizer toscos, pois nem discurso eles tem, é só aquele repeteco de “Deus a nossa frente e juntos somos fortes”. Até agora me parecem mais oportunistas aproveitando para vender ao máximo seus souvenirs de protesto do que um movimento com estratégia, engajado em quebrar a hegemonia da esquerda. Basta assistir o vídeo que o revoltado online gravou acusando um membro do MBL de ser comunista e já se nota a irresponsabilidade dessa gente.

    • Pois é, não vão chegar a lugar nenhum assim. Esse é um barco furado que está tentando levar o máximo de pessoas pro fundo do mar. Entretanto,não é ofendendo quem participa que iremos converte-los para os possíveis caminhos certos.
      Não vejo ninguém observando a realidade e indicando caminhos fora o Olavo de Carvalho e o Luciano. Não sou especialista, mas para mim os líderes ainda não entenderam nem o cenário nem criaram um caminho que dê resultados.

      • O caminho é este mesmo, discutindo as questões. O MBL está indo bem, pois as pessoas já começaram a perceber que eles tem um discurso com consistência, embasado na luta por liberdade, valorização do indivíduo e menos estado. Já o outro grupelho me parece mais uma petralhada com o sinal invertido. É o que estou percebendo desde que comecei a me interessar pelo assunto, quando das passeatas de junho de 2013.

      • Eu sou do tipo que diz: quem disse que quem vê cara não vê coração era cego. Pode ser preconceito meu(não tenho 100% de acertos),mas esse Marcelo tem cara e jeito do tipo “quem manda aqui sou eu”, “se eu não tiver na parada as coisas não vão rolar”.

        O que melhor fala no MBL é o Paulo Martins. Acho que ele tem que ser mais explorado. Essa história de querer 5 coisas na manifestação acho que dispersa a pressão.
        O Paulo Batista tem que ter cuidado porque os REVOLTADOS ONLINE já estão colocando a imagem dele como “só quer votos” (como se ter alguém na política do nosso lado fosse ruim).

  4. Muito bom, concordo, e sempre disse essas coisas.

    Acontece que não dá para esperar muito de coisas que exijam massa encefálica dessa turma dos revoltados. Me desculpe, mas eles são burros demais.

    Estavam oficialmente com essa ideia maluca e golpista de intervenção, e do nada mudam de idéia…
    Na boa, essa gente “revoltada” e burra é um peso morto. Ao menos, não podem deixar eles pensar, que só da merda.

  5. HAHHAHAHAHAHAHA

    É dureza lidar com o Marcello. Ele, desde quando começou o Revoltados online, vivia entrando em atrito com os outros idealizadores. Inclusive, em 2012, o Bruno Toscano fez posts explicando o pq tinha saído do grupo e citava o fato do Marcello querer usar de todas as formas para aparecer. Tanto que, no final, eles queriam formar um partido político, mas não tinham dinheiro pra isso e nem organização, já que os arranca rabos sempre tinham dedo dele.

    Creio que hoje o Bruno já tenha voltado atrás na decisão dele de sair do grupo – inclusive ele se alinha à intervenção militar, ponto que o unia ao Marcello, na época. O outro idealizador do grupo, o Marcos, se não me engano hoje faz parte do Movimento Brasil Livre, grupo que os Revoltados online estão insistindo em criar confusão.

  6. Há momentos em jogos ( e em lutas) em que é preciso “ir na jugular”; se vc se recusa a pegar a jugular e ficar com peninha do adversário ele reúne forças e pode virar o jogo e te derrubar. O impeachment de Dilma é a coisa factível nos próximos meses (a espada do petrolão está na cabeça dela)porque não é preciso reunir provas diretas de crime dela, isso seria pra denunciá-la por crime comum de corrupção (como Collor) pro impeachment basta uma força política incontrolável que vem com com o petrolão.

  7. Tem certeza, grande Luciano, de que o impeachment da Dilma é irrealizável? Abuso do poder político e econômico durante as eleições (centenas de provas), crimes de responsabilidade múltiplos (empréstimos internacionais sem o aval do Senado, infração da lei orçamentária, contas de campanha subjúdice, apuração dos votos por uma empresa desacreditada no mundo) e agora, conforme edição da Veja que começa a circular, um e-mail de Paulo Roberto Costa demonstrando que tanto a anta quanto o molusco foram informados do que estava rolando na Petrobras. Falta apenas uma certa firmeza dos alckmins, fhcs, aécios, aloysios para que a coisa role! Neste último item reside a maior dificuldade da realização do afastamento da dilmanta!
    Abçs

  8. A pressão por impeachment é válida, mas enquanto existir Brasil vai existir PT, nada impede que a Dilma caia e o Lula volte em 2018. Por isso concordo com o Luciano, as demandas citadas por ele fortalecem a democracia e funcionam como um antídoto para as pretenções bolivarianas.

  9. Prezado, o problema de ter que ficar repetindo acaba fazendo esquecer do mais importante, o que acabou de acontecer aqui, a defesa explicita de “Jerusalém”.

  10. Também acho q temos q ter demandas mais facilmente realizáveis. As duas demandas tem q continuar sendo faróis mas, temos que ter objetivos mais a curto prazo também.
    Temos que ter etapas a comemorar e mantermos mobilizados. Qualquer projeto q não tenha etapas a serem cumpridas vão as calendas.

  11. Não tem que pedir pela anulação das eleições, tem que pedir que elas sejam investigadas imediatamente, de preferência uma auditoria internacional, ou talvez várias linhas de investigação, de forma rigorosa. Caso comprovada fraude, as eleições são anuladas e voltamos ao bom e velho papel. Apenas o PSDB (ou o partido que concorrer na eleição) pode pedir uma auditoria, se não me engano? Aí já era mesmo, essa galera tucana broxa não vai fazer oposição nem sob a mira de uma arma.

  12. Concordo com o Luciano!
    Além de falarmos em impeachment, devemos mostrar mais bandeiras para fortaceler a manifestação. Como apuração rápida dos escândalos PetroGate, falar do Foro de SP, apoio ao juiz federal gato Sergio Moro, fazer um cartaz enorme dizendo que o PT matou o prefeito Celso Daniel, pedir investigação do enriquecimento de Lula, entre outras bandeiras. E pedir uma mudança no processo eleitoral. As urnas de terceira geração (usadas na Argentina) que imprimem um comprovante são um bom exemplo e mais confiáveis.

  13. O motivo principal do impeachment é quanto a facção já descarada com o Foro de SP. Já está tão claro que já deveria há tempos de estar desmembrada e expulsos do país. Logo não é somente em vista de corrupção que ela poderia ser destituída. A soberania nacional é a questão chave aqui.

Deixe uma resposta