Josias de Souza diz que Levy na fazenda “complica estratégia do PSDB”. Se for estratégia economicista, é melhor que complique. E que a abandonem

14
25

EP302

Antes de falar um pouco sobre a série Game of Thrones (baseada nos livros de George R. R. Martin), vamos ler o texto Levy na fazenda complica estratégia do PSDB, de Josias de Souza, do UOL:

Além de deixar indignado o PT, a presença de Joaquim Levy no comando da equipe econômica de Dilma Rousseff deixou perplexo o PSDB. Parte do tucanato avalia que será necessário refinar a estratégia da oposição. Um cacique da legenda resumiu o drama assim:

— Hoje, atacamos a incoerência da Dilma, que parece ter descoberto que até o marketing eleitoral tem que ser baseado num orçamento. Mas amanhã, quando o Joaquim Levy começar a executar o nosso programa no governo dela, não teremos como bater cegamente. Seria autoflagelação.

Nos próximos dias, o PSDB deve potencializar no Congresso o embate contra o projeto de Dilma que mexe na Lei de Diretrizes Orçamentárias, para autorizar o governo a fechar suas contas de 2014 no vermelho. Deseja-se realçar que Levy entra no governo como uma espécie de remédio de Dilma contra ela própria.

De resto, o tucanato faz duas apostas. Uma de curto prazo: a crise política a ser deflagrada pelas denúncias da Procuradoria sobre o petrolão dominarão a cena. Outra de médio prazo: Levy logo verificará que Dilma não lhe dará a autonomia de que necessita para recolocar a economia nos trilhos. Nessa perspectiva, o novo ministro da Fazenda não seria uma solução, mas uma nova crise esperando para acontecer.

Está bem claro o que ocorre com algumas pessoas da oposição, e não apenas do PSDB. Alguns colunistas da direita também já caíram feito patinhos no jogo.

Voltemos à série Game of Thrones.

Após tentar capturar Winterfell,  Theon Greyjoy é aprisionado por Ramsay Snow, o “Bastardo de Bolson”. Aprisionado por Ramsay, Theon é submetido a uma série de torturas, tendo vários de seus dedos decepados, e inclusive o seu pênis. Além de tudo, ele sofre várias violências psicológicas. Em uma frase marcante, Ramsay diz o seguinte:

Você já não se parece mais com Theon Greyjoy. Esse é o nome de um lorde, e você não é um lorde, certo? Você é apenas… carne; carne fedida. Você é fedido! Fedido! Esse é um nome bom para você.

A partir dessa fase, Theon (ou Fedido, como ele passa a ser chamado a partir daí) começa a nutrir uma espécie de afeto por seu torturador. É a famosa Síndrome de Estocolmo.

Mas supondo que ele não tivesse chegado à essa fase: será que Theon deveria se preocupar com o potencial de Ramsay em concluir seus objetivos sádicos? A meu ver, essa deveria ser a última preocupação dele, não a primeira.

Está na hora do PSDB (e do resto da oposição vivendo sob Síndrome de Estocolmo) parar de se preocupar com a atuação de Joaquim Levy. Esse é o menor dos problemas agora.

Existem muitas outras questões importantes a serem discutidas, como as várias tentativas do PT alterar a lei para concluir seus projetos totalitários. Esse é o ponto onde qualquer pessoa da oposição deve bater, seja essa pessoa de direita, centro ou esquerda moderada.

O Sr. Joaquim Levy é irrelevante neste momento, pois ele atua sob os desígnios de Dona Dilma. É a mesma coisa para o personagem Theon. Prestes a ser castrado por Ramsay, não era do interesse dele que este último fosse talentoso em cumprir seus objetivos. O interesse de Theon deveria ser o exato oposto ao de Ramsay.

Aqui está a dica: Levy não é o problema do momento para a oposição. A não ser, é claro, para apontar o estelionato eleitoral praticado por Dilma. Quem tem que se preocupar com a economia é a Dona Dilma, que tem que entregar resultados.

A preocupação da oposição em relação ao “desempenho de Levy” hoje é pura Síndrome de Estocolmo. É se rebaixar à mesma situação do personagem Theon em Game of Thrones. E isso é muito degradante. Esse economicismo infantil já está se tornando vergonhoso demais para continuar.

Por favor, parem. Isso já está ficando ridículo. A mera constatação dessa obviedade já faria com que textos como o de Josias de Souza perdessem o sentido.

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Am, como fã de GoT, você não se equivocou no início da sua explicação na parte que diz que o Theon lutou desastradamente para derrubar “Robert Baratheon” ? Ele tentou pegar Winterfell, que é da Casa Stark.
    Mas este conceito seu é interessante. Eu também fui raciocinando pra este lado. A questão Levy deve ficar como figurante porque sua própria presença ali já é uma contradição viva para Dilma ( que você bem ressaltou, tem que apresentar os resultados da Economia ).

  2. Não acha q pessoas de bem deveriam deixar esses corruptos sozinhos…que se virem agora com a política e economia! Levy assumindo e fazendo bom trabalho será colaborar com os criminosos, que usarão seus bons resultados como próprios do partido! O governo precisa ser ridicularizado…dirigido por economistas petistas! E tds nos aqui fiscalizando e cobrando a aplicação das leis!

    • Lembra um ponto que é repetidamente frisado por Ayn Rand em seu “A Revolta de Atlas”, os socialistas afundam com a economia e depois contam com a ajuda daqueles que destruíram para continuar bem no “retrato” para o povo. No caso do livro de Rand, eram os empreendedores que acabavam dando ao governo socialista o suporte que o governo precisava, no Brasil do mundo real (ou surreal?!) é um economista do misterioso (porque ninguém ainda descobriu mesmo a que veio) PSDB.

  3. Eu também entendo a política como marcação de posição, Luciano. O problema, na minha avaliação, é a seguinte: como o PSDB vai se contrapor ao PT se os dois partidos defendem praticamente os mesmos valores? A política tem que ser uma disputa de visões de mundo distintas e, como o Reinaldo Azevedo já escreveu brilhantemente em um artigo, “o PSDB é progressista demais para ser conservador e conservador o bastante para ser progressista”. Por alguma razão que me escapa, os tucanos vivem uma gravíssima crise de identidade. Ainda não encontraram o tom certo.

    Eles sempre deram uma banana para os eleitores conservadores e liberais do partido (que são muitos); sempre se utilizaram das mesmas táticas da imprensa e do PT para demonizar esse grupo de pessoas; só sabem discutir questões administrativas e corrupção, mais nada! Outro exemplo, eles não falam sobre o Foro de São Paulo! A única vez que eu vi um político do PSDB falando sobre isso foi a pouco tempo com o Aloysio Nunes no programa do Danilo Gentili e, mesmo assim, de forma bastante calculada, quase que pedindo desculpas. Só agora, depois das eleições? É patético!

    O PSDB não é confiável, a postura de seus integrantes beira a conivência e a covardia, o que pode levar as pessoas a acreditarem que os dois partidos possuem uma espécie de acordo. A cagada do FHC quando do pedido de impeachmente do Lula, no auge do escândalo do Mensalão, foi um crime lesa-pátria. Continuarei votando neles por pragmatismo, e só. Os tucanos precisam de um divã, urgentemente; nós, de um NOVO partido.

    • Eu até entendo isso que vc diz, mas hoje em dia, o PSDB é o que temos. E em termos de equívocos do PSDB, a direita acabou cometendo muito mais equívocos. Um exemplo foram as manifestações de novembro. Eu acho que os tucanos serão “ajustados” por pressão externa, vinda da conscientização política do nosso lado. E um novo partido não é má ideia.

      • O problema é que eles são socialistas. Aécio mesmo frisou: “para a direita não!”. Aceito apoiá-los só e somente só, porque não temos nada melhor.


        RESP.:

        Muito provavelmente é por que a direita ultimamente se especializou em queimar o próprio filme.

  4. A DILMA VAI ACABAR COM A FARRA DOS MINISTÉRIOS PROPOSTA DO AÉCIO? VAI FACILITAR O PAGAMENTO DE DIVIDAS PARA AUMENTAR A ARRECADAÇÃO? VAI MELHORAR O RELACIONAMENTO COM PAÍSES SÉRIOS? Então não venham falar que esse Sr. Levy do PMDB, vai seguir algum projeto do Aecio.

  5. O Levy está sendo colocado só para enganar por um tempo o mercado, caso contrário o PT não estaria querendo mudar a Lei de diretrizes orçamentárias, para poder gastar mais. O PT só precisa manter a ilusãod e de que a economia não vai tão mal durante um tempo, pelo menos enquanto for aprovar medidas anti-democráticas e colocar mais gente no bolsa família.

  6. Luciano, vc viajou de novo.Não é estocolmo nenhum mas uma constatação lógica: se o PT chama um ministro que o próprio PSDB chamaria, como é que ele vai criticar isso?
    Se é melhor nem falar do assunto então, beleza, mas de estocolmo isso aí não tem nada.


    RESP.:
    Meu texto se baseia no motivo pelo qual Levy foi chamado. Sendo assim, é irrelevante o que ele fará. Este não é um assunto para o PSDB. Agora, se o PSDB continua economicista (e ingênuo) é um problema deles. As prioridades do PSDB são outras.

  7. Acredito que o PSDB deve criticar TODAS as medidas de austeridade eventualmente tomadas pelo Joaquim Levy. Arrochou salário? Pau nele! Cortou Bolsa-Família? Pau nele! Aumentou imposto? Pau nele! Aliás, não nele, mas em Dilma e no PT. Coerência agora é tudo o que o PT mais espera do PSDB, prá poder tomar as medidas impopulares e ainda acusar o PSDB de querer o “quanto pior, melhor”. O PSDB e TODA A DIREITA devem simplesmente dar uma banana para eventuais boas medidas do Levy, se concentrando em detonar suas consequências negativas para a população. É assim que se faz política.

Deixe uma resposta