O cinismo de Jandira Feghali. Ou: como socialistas bárbaros fazem simulação de falso entendimento para destruir opositores.

12
136

jandira

Se no post anterior, eu mostrei o crime de calúnia e difamação praticado pela deputada governista Jandira Feghali, aqui falarei de um outro crime, este moral, que é o da simulação de falso entendimento.

O vídeo abaixo serve para desmascarar Jandira:

Em síntese, o que ocorreu?

Ciente de que os manifestantes gritaram “vai pra Cuba”, ela simulou entender “vagabunda” e fez o draminha de que falei neste post, publicado há 2 horas atrás.

Este é o poder de Jandira, que muitos de seus adversários ainda não descobriram. A altíssima capacidade de fingimento e dissimulação, que lhe dá um poder devastador na Câmara. Foi assim que ela fingiu que Rachel Sheherazade teria praticado “crime de incitação ao ódio”, quando isso jamais aconteceu, apenas para criar um caso político para censurá-la no SBT.

É preciso que algum deputado de oposição a desmascare no Plenário, nos termos adequados, demonstrando o nível de cinismo, fingimento, dissimulação de Jandira, sob o risco de vê-la definir os rumos do que quiser por pura encenação sempre impune.

A violência imperdoável dos seguranças do Senado contra os manifestantes foi causada por um show de fingimento de Jandira. Até quando ela poderá fazer barbáries assim impunemente?

Se ainda fosse no cinema, toleraríamos personagens baseados em fingimento, como esta:

anne_hathaway_catwoman_dark_knight_rises-1920x14401

Ou esta:

scarlett-johansson-black-widow

Pena que no caso de Jandira, não há absolutamente nada que a redima (ao contrário das personagens de Anne Hathaway e Scarlet Johansson). Mas nada mesmo! E, para piorar, falamos de uma realidade macabra e totalitária sustentada por muitos truques, em especial os de fingimento cínico.

Anúncios

12 COMMENTS

  1. Prezado Luciano

    Não sei se você acompanhou uma fala da Jandira outro dia no Congresso, na semana passada, quando ela disse que era um elogio da oposição chamar os governistas de bolivarianos, pelo fato, segundo ela, de que Simon Bolívar teria sido um libertador. Leia abaixo a mensagem que enviei para ela. Que tal você explorar esse assunto também, aproveitando a oportunidade desses fatos de hoje?

    >> Prezada Senhora Jandira

    É deprimente ligar a televisão e assistir uma deputada discursar na tribuna do Congresso Nacional fazendo afirmações que se não são fruto da demagogia, devem sê-lo da ignorância.

    Recentemente você criticou a oposição por ela ‘acusar’ o atual governo e seus aliados no parlamento, particularmente aqueles filiados aos partidos de ideologia esquerdista, de ‘bolivarianos’.

    Você fez uma defesa enfática de que essa crítica seria vista como elogio, pois, na sua visão de seus pares o Sr. Simon Bolívar teria sido um libertador.

    Ora bolas, você já leu Karl Marx? Especialmente a biografia que escreveu sobre esse membro da elite crioula da América espanhola (especificamente a Venezuela)? Isso é espantoso: uma deputada filiada a um partido comunista idolatrar um membro de uma elite que continuou explorando o mesmo povo que estava sob o jugo espanhol.

    O mais engraçado nessa história é que Karl Marx não escreveu tal biografia por um hobby seu. Ele foi contratado para isso e recebeu regiamente pela tarefa. E pensar que você recebe sua remuneração a partir dos impostos que eu e um monte de brasileiros pagamos.

    Sugiro que se atualize e leia os artigos indicados abaixo. Mas antes de encerrar essa mensagem, transcrevo a seguinte frase, extraída de um dos textos indicados, de um dos seus ídolos, o comunista mor Karl Marx, que já no seu leito de morte abandonou todas suas teses desenvolvidas no ‘O capital’: “A força criadora de mitos, característica da fantasia popular, em todas as épocas tem provado sua eficácia inventando ‘grandes homens’. O exemplo mais notável deste tipo é sem dúvida Simón Bolívar”. Karl Marx

    Por fim, sou mais um dos brasileiros que está lutando para evitar que vocês comunistas implantem no país o ‘socialismo do século XXI’ ou vulgarmente conhecido como ‘bolivarianismo’, cujo modelo venezuelano, articulado sob a batuta do Foro de São Paulo com participação indescritível de Cuba.

    Não passarão!

    #####################################################################################

    http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/1241291-apesar-de-bolivar-ser-cultuado-pela-esquerda-marx-o-considerava-mediocre-e-grotesco.shtml

    http://www.diarioliberdade.org/opiniom/opiniom-propia/26591-sim%C3%B3n-bol%C3%ADvar,-o-grande-mito-latino-americano.html

    ihttp://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/historia/marxistas-ou-bolivarianos/

    • Mas essa é outra jogada dos esquerdistas, colocar a ênfase do Bolivarianismo no Simon Bolivar, sendo que tem pouco, ou NADA a ver com o mesmo!! É que como em alguns países sulamericanos ele tem fama de herói, ligaram o nome dessa vertente política com o de um herói popular. Eu digo que o próprio Bolivar com certeza não seria bolivariano, usaram o nome dele porque chegou um tempo que palavras como “comunismo” tinham virado palavrão, mas bolivarianismo cheirava muito atraente!

  2. Com o povo indo às ruas, às galerias das casas legislativas para protestar, esses totalitários vão começar a usar a violência. E isso será fatal à imagem do governo.

  3. É inacreditável como a mídia na internet é totalmente favorável à escória esquerdista. Até mesmo a dita imparcial.

    Uma coisa clara que dá para ouvir no vídeo, mas a mídia apenas dá a voz para a Jandira dar a justificativa e os fatos.

    Muito bom, Luciano. Não havia visto o vídeo, apenas lido os “fatos” e “justificativas” APENAS da Jandira e da sua corja de aparelhamento gramsciano em alguns sites de notícias “”””imparciais””””.

  4. Não demorou muito e já tem jornalista do Globo defendendo a deputada:

    https://twitter.com/RadiodoMoreno/status/539932790167334913

    Para quem não sabe esse senhor escreve todo sábado para o jornal O Globo.Os textos são um lixo, onde ele fica misturando política com cantada para mulheres.

    O pior é a cara-de-pau do senhor.O pessoal foi criticá-lo no twitter e olha o que a besta escreve:

    https://twitter.com/RadiodoMoreno/status/539940728936210432

    É bem típico de jornalista puxa-saco do PT.Quem critica o PT e linhas auxilares logo é chamado de tucano.No dia que a turma começar a quebrar patrimônio público e privado, atacar sede de editoras e pedirem censura, aí sim ele pode dizer que são iguais ao pt.
    Não é de se estranhar que uma das pessoas que elogiam esse “jornalista” seja a tal Manuela do Pc do B.Também não é para menos.Tem de elogiar um “jornalista” que está mais interessado em dizer que tal deputada é linda do que falar sobre política.

  5. Sim, os repórteres e chefia do Jornal Nacional também desinformaram, isto é, mentiram na reportagem. Mas é torcida organizada? Não, é agenda de militantes. É pauta internacional. António Balbino Caldeira aponta sobre a prisão do ex-primeiro ministro português – preste atenção:
    Sócrates, «terá ligado para a SIC, avisando que estava a sair de Paris» para poder, depois, invocar a suprema maldade de ter sido humilhado pelo circo mediático… que criou.
    Em http://doportugalprofundo.blogspot.com.br/2014/12/detencao-de-socrates-o-mal-e-caramunha.html

  6. A dissimulação dos comunistas faz parte das estratégias. Isso é Gramsci adaptado a partir de Maquiavel. A esse respeito leiam esse texto:

    Maquiavel e os bobos

    Olavo de Carvalho
    Diário do Comércio (editorial), 26 de setembro de 2007

    “Não digo jamais aquilo em que creio, nem creio naquilo que digo – e, se descubro algum pedacinho da verdade, trato logo de escondê-lo sob tantas mentiras que se torna impossível encontrá-lo.” Não, não neutralizem esta confissão feita por Nicolau Maquiavel a um amigo, aplicando a ela o “paradoxo do mentiroso”. Ele aqui é perfeitamente sincero, pois escreve em privado sobre sua obra pública. A técnica das mentiras superpostas, entrecruzadas e mescladas é realmente o segredo dessa obra, tão obscura que Benedetto Croce a declarava impenetrável, mas que se abre de par em par tão logo descobrimos essa chave, fornecida pelo próprio autor num momento de franqueza, ou talvez fraqueza.

    Maquiavel não é o imoralista vulgar que nele viram seus primeiros críticos, nem o realista científico que seus admiradores modernos fizeram dele, nem o límpido patriota que tantos intérpretes italianos celebram.

    É o criador do plano revolucionário de destruir o cristianismo desde dentro e subjugá-lo a um Estado economicamente igualitário e politicamente totalitário, que hoje diríamos um Estado socialista. É também o inventor da estratégia incumbida de realizar esse fim: desorientar e dominar a sociedade por meio de um bombardeio alucinante de mentiras e fingimentos histriônicos, propositadamente contraditórios entre si para que que suas vítimas não percebam a unidade do objetivo político por trás de tudo.

    Quem melhor compreendeu Maquiavel foi Antonio Gramsci, mas não o compreendeu perfeitamente. Seu próprio amoralismo sociopático de revolucionário o tornou cego para o caráter satânico do empreendimento maquiavélico e o fez enxergar nele, ao contrário, todas as belezas ilusórias que ali tinham sido postas justamente para seduzir intelectuais meia-bomba.

    O que Gramsci viu claramente foi que o Príncipe não era um indivíduo, mas uma elite revolucionária capaz de controlar a sutil engenharia do engodo e conquistar, ante o olhar sonso de adversários impotentes, “o poder onipresente e invisível de um imperativo categórico, de um mandamento divino”.

    Se querem um exemplo imediato de como a coisa funciona, observem o “Movimento dos Sem-Mídia”.

    Notem bem. Durante quase duas décadas os jornais e canais de TV deste país não apenas glorificaram os ídolos da revolução comunista, demonizando seus adversários, e não apenas estenderam sobre o Foro de São Paulo o manto de silêncio protetor que lhe permitiu crescer sem ser notado, mas também se abstiveram sistematicamente de noticiar as atrocidades genocidas praticadas pelos regimes comunistas e seus aliados nesse período e forneceram integral apoio a todas as iniciativas da “revolução cultural” politicamente correta: abortismo, gayzismo, cotas raciais, liberação das drogas, etc. etc. Mais esquerdismo que isso, nem no Pravda.

    Durante anos tentei convencer os liberais e conservadores de que deviam organizar um movimento de protesto contra essa dominação hegemônica que os marginalizava ao ponto de só permitir sua sobrevivência como súcubos ideológicos da corrente dominante. Como não o fizeram em tempo, a própria esquerda o faz agora em lugar deles, fingindo-se de vítima oprimida quando é na verdade a única autora e beneficiária do crime. É um blefe tão monstruoso, tão cínico, que ilude os observadores mais espertos e acaba passando por empreendimento de boa-fé.

    É um exemplo corriqueiro. A técnica da contradição estupefaciente está em tudo o que a esquerda faz. Enquanto seus adversários não atinarem com isso, continuarão sendo feitos de bobos a cada semana.

    FONTE: http://www.olavodecarvalho.org/semana/070926dce.html

  7. Não sou a favor da violência, mas sou muito menos a favor da mentalidade BOVINA.
    Porém………:
    No País do Congresso Nacional COMPRADO pelo PT;
    No País do Judiciário COMPRADO pelo PT(cada parlamentar vale R$ 748.000,00);
    No País da MÍDIA COMPRADA pelo PT;
    No País onde MENTIRA passa a ser verdade;
    No País do PETROLÃO, onde apurado foi que o roubo é em torno de 100 milhões;
    No País onde a SMARTMATIC manipula as urnas eletrônicas;
    No País onde as obras do governo(PT) são em outros países, no Brasil elas inexistem;
    No País onde a população está desarmada e os bandidos são cada vez mais idolatrados e armados;
    No País que ruma para um abismo de miséria e sombras;
    No País onde a NOVA ELITE(PT) enriquece rapidamente;
    No País onde o ex-presidente e sua família tornaram-se milionários da noite para o dia.

    Para se contrapôr a tudo isso só vejo um caminho.

    O povo nas RUAS. Porretes, facões, enxadas, machados, foices de cabo longo, são instrumentos que vendem em qualquer ferragem e ainda não foram proibidos.

    Pensem bem, o que seria uma massa, digamos de, 10 mil pessoas nas ruas, capitais do País, clamando pelo fim da CORRUPÇÃO, pela LIBERDADE, pela PRISÃO DA QUADRILHA(PT), clamando por ORDEM E PROGRESSO.
    Ou uma massa de 50 mil, ou 100 mil.

    Que polícia iria se opor a isso?

    São Paulo em sua história já reuniu uma MARCHA COM MAIS DE 1 MILHÃO de pessoas.

    Que falta para alijarmos a mentalidade bovina e determinarmos o rumo para o País?

    Que falta para irmos as ruas antes do abismo nos engolir?

Deixe uma resposta