Como a proposta por “demandas suaves e rótulos extremos” pode ajudar os republicanos?

3
62

Post-It-Campaign-office

Este blog dá total apoio à manifestação do dia 06/12, organizada pelo Movimento Brasil Livre. Não me surpreende que eles já tenham conseguido o apoio de políticos como Eduardo Jorge, Mendonça Filho, Álvaro Dias e outros. Clique aqui para ver todos os vídeos de apoio.

Nessa semana também parabenizei o pessoal do Revoltados On Line pelos resultados obtidos nas manifestações contra a Lei do Calote. No dia 2/12, pessoas do Movimento Brasil Livre também compareceram.

É evidente que a derrubada dessa lei era quase impossível (embora nada esteja decidido ainda). O governo já está costurando isso com sua base há muito tempo. Porém, a visibilidade, assim como a exposição do comportamento autoritário do governo, e mesmo a exaltação dos ânimos… tudo faz parte de um bom resultado.

Vou falar mais um pouco do pessoal do Revoltados On Line, pois torço para que eles sejam mais focados em resultados, assim como fizeram nesta semana.

Acho que este é um momento adequado para que eles revejam sua rota e entendam aquilo que dá certo e o que não dá certo. Enquanto as demandas por “anulação de eleições” e “impeachment de Dilma” foram fiascos completos, a manifestação contra a Lei do Calote foi um baita de um acerto. Não surpreende que é aqui onde eles tiveram seus primeiros resultados.

Se há algum segredo por trás desse “sucesso”, ele é mais simples do que parece. Basta utilizar algumas regras no momento de selecionar demandas. Este checklist pode ajudar:

• Sua demanda é inclusiva? (O ideal é que seja)
• Sua demanda não é considerada agressiva, mas essencialmente uma manifestação racional para qualquer pessoa decente sem viés? (A demanda não deve parecer agressiva, mas racional)
• Sua demanda é factível ou, se não for, sua mera proposição causa danos aos donos do poder? (O ideal é que a resposta seja sim)
• Sua demanda é formulada em termos palatáveis a uma larga parcela da população? (A resposta deve ser sim)
• Sua demanda facilita a vida de seus oponentes em te rotularem negativamente? (A resposta deve ser não)

Eis a regra de ouro: na exata medida em que sua demanda é “soft” (ao menos na forma como é empacotada), os rótulos que você destina aos seus oponentes devem ser os mais fortes possíveis.
Assim, se você estiver querendo controlar a testosterona e liberar sua agressividade, não faça isso no momento de elaborar suas demandas. Em vez disso, guarde toda a sua energia para rotular seus opositores, de forma estratégica, ofensiva, intimidadora, sem esquecer de fazer uso de recursos como shaming e ridicularizações diversas.

Daí é possível rastrear o erro contido nas demandas iniciais do Revoltados On Line. As demandas em si eram agressivas (“impeachment” e “anulação das eleições”), e evidentemente iriam muito mal no checklist proposto. Mas na hora de rotular seus oponentes, vimos que os petistas ainda estão anos luz à frente deles. Lembremos do comportamento do deputado petista que os rotulou de forma incessante.

Não há momento melhor que esse para reelaborar as demandas, de forma “soft” (mas estrategicamente planejadas para causar muito mais danos ao governo do que as demandas anteriores), e então descarregar toda a testosterona do mundo no momento de escolher os epítetos mais cavernosos em direção aos petistas e suas linhas auxiliares.

Assim como o Movimento Brasil Livre já tem feito, é momento de pedir coisas como liberdade de imprensa, redução de aparelhamento estatal, proibição de financiamento estatal de campanhas, maior velocidade nas investigações do Petrolão e manutenção da soberania do povo (ou seja, respeitar o voto das pessoas). Temos que lutar contra coletivos não-eleitos tomando o poder. Pessoas que na Bolívia já conseguem chicotear quem votar contra o governo. Não queremos que o estado destrua a vida de opositores, como os chavistas tem feito com Leopoldo Lopez e Maria Corina Machado (veja este post assustador que publiquei hoje), tudo com o endosso de governantes sádicos no Planalto.

Todas essas demandas podem ser atreladas à consequências terríveis para o povo se não forem atendidas. Deve ser explicado que pessoas estão sob racionamento de alimentos, vivendo sob economias devastadas, unicamente por que os governos da Venezuela e Argentina conseguiram censurar a imprensa e aparelhar o estado. É contra esse tipo de horror que devemos lutar.

Enfim, o que sugiro é que se você tem em mãos demandas facilmente justificáveis, ao mesmo tempo é preciso usar toda a sua criatividade e energia para definir seus oponentes. Por que só o PT se lembra de chamar seus adversários de golpistas? De fascistas? De extremistas? Não é possível que não consigamos fazer o mesmo quando temos muito mais motivos para fazê-lo.

Em síntese, seja um cordeiro esperto na hora de elaborar demandas. E um leão na hora de rotular seus oponentes.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Luciano, gostei da sua análise, mas, assim como já lhe perguntei em outra oportunidade, qual o impacto das pautas que você sugeriu na vida das pessoas? Por exemplo, as pessoas acreditam piamente na liberdade de imprensa, embora duvidem de algum ponto específico. A redução de aparelhamento estatal é um tema a ser explorado, porém acho que a mensagem ao povo deve condicionar o petrolão ao aumento do preço de bens e serviços básicos, como a gasolina e a energia elétrica e convencê-las de que se a corrupção continuar o custo vai explodir. O pedido de maior velocidade nas investigações do Petrolão é bem intencionado, mas acho vago e péssimo, pois poupa e alivia o governo. Neste caso, devemos associar o Petrolão à Dilma o tempo inteiro, que era Presidente do Conselho de Administração. A soberania do povo é o mais vago de todos, pois as pessoas não acreditam que o Brasil vai ser invadido ou coisa parecida. Nessa situação, deveríamos colar a imagem do PT aos regimes autoritários da Venezuela e Argentina. Financiamento de campanhas é um tema que não desperta interesse nem preocupação nas pessoas, pois elas não têm ideia de qual seria o melhor modelo, assim não vejo grande chance de êxito eleitoral. Ademais, embora você seja refratário a que as pessoas peçam impeachment, essa tema tem sido discutido e divulgado pelo noticiário, o que desgasta o governo e aumenta a temperatura política. A vinculação da ofensa a LDO e à constituição ao crime de responsabilidade é necessária e adequada para que o povo perca o resto de credibilidade que tinha sobre a presidente como uma boa administradora. Por fim, eu entendo que o foco das críticas deve ser a Dilma – sabia de tudo e não fez nada -, mulher sem carisma, como a grande responsável por todo o desastre – não podemos nos perder tempo com os intermediários – até que a crise econômica e política imobilizem o Governo.

    RESP

    Acho que esse tema precisa ser mais explorado por mim. Na verdade, existe o discurso unicamente popular, para ser usado na época das eleições, e uma mistura de um discurso mais técnico com o discurso popular em outros momentos. Por exemplo, o PT aprovou o Marco Civil com um discurso completamente técnico, mas composto de várias rotinas que, por não terem sido neutralizadas, engambelaram vários, inclusive da oposição.
    O fato é que temos as posições mais importantes para o governo, e devemos ter discursos e demandas associados à essas conquistas de posições. Farei um post para explicar isso em mais detalhes.

    • Luciano, você está fazendo um grande trabalho e demonstrou muita perspicácia. O campo cultural é o que mais me desperta ânimo e confiança, pois há um largo campo a ser ocupado e estamos em igualdade de condições com a tv por conta da internet. Você mandou muito bem no caso do HC do duque concedido pelo Teori. Eu quero ver o STF analisar a Lei 12.850/13 e alegar a atipicidade do crime de organização criminosa praticada pelos petroleiros e sustentar que havia mera coautoria. Como uma organização que dura mais de 9 anos não tinha permanência estabilidade?

Deixe uma resposta