Cidade do Paraná aprova lei contra abuso infantil por doutrinação política na escola

13
148

the-wall-alan-parker-460x250

Uma das maiores aberrações praticadas pela extrema-esquerda, e essas aberrações não são poucas, é a doutrinação escolar, especialmente em escolas públicas.

Vítimas de professores truculentos, abusando de seu direito de ficar dentro de salas de aulas com portas fechadas com seus alunos, professores adeptos do bolivarianismo e do socialismo tradicional usam de vários recursos para transformar alunos em zumbis.

Claramente isso muitas vezes se encaixa como abuso infantil. Vitimados pela submissão à autoridade (e sim, o professor é uma figura de autoridade, como eram no passado os clérigos), os alunos são submetidos à estimulação contraditória por horas, semanas, meses e anos a fio.

O resultado dessa máquina de lavagem cerebral é uma legião de bolivarianos funcionais, incapazes do menor raciocínio crítico, totalmente desapegados ao menor senso de realidade. Tudo isso enquanto seus líderes beneficiários enchem os bolsos, sem dar nada em troca a eles.

Aos poucos, vemos reações diante dessa monstruosidade. Um exemplo é a aprovação de uma Lei Contra Doutrinação Política e Ideológica nas escolas, em uma cidade do Paraná.

Leia mais, conforme coluna de (ora vejam só) Leandro Mazzini (que há alguns dias publicou um texto difamador sobre o NOVO, sendo desmascarado por Alexandre Borges – mas, ao que parece, agora Mazzini se limitou a transmitir informações):

Santa Cruz do Monte Castelo, no Paraná, será o primeiro município do País a adotar a Lei Contra Doutrinação Política e Ideológica nas escolas se o prefeito a sancionar.

A Câmara de Vereadores aprovou semana passada, por unanimidade, o Projeto de Lei Complementar nº 2/14, do Vereador Armando Meira Garcia.

O movimento é uma blindagem contra possíveis intervenções de secretarias municipais, estaduais ou até mesmo do Ministério da Educação que possam sugerir a ideologia de gênero ou política (socialismo, comunismo, bolivarianismo, contam os envolvidos) na grade curricular.

O pontapé surgiu no Rio com um PL (2974/14) do deputado Flávio Bolsonaro – filho do federal Jair Bolsonaro – que proíbe a ideologização em materiais didáticos. A tutela é da ONG Escola sem Partido, e há meses a minuta é oferecida a centenas de prefeituras do Brasil. ( Mais aqui )

Na esteira, o grupo quer barrar a volta do polêmico ‘Kit Gay’, um projeto do MEC que esbarrou na força da bancada cristã e fez a presidente Dilma enquadrar o ministério.

Pois é. Ainda falta a sanção do prefeito. Essa é uma pressão importante a ser feita.

A luta valorosa de Miguel Nagib em prol de uma educação de verdade, sem doutrinação, começa a dar frutos. E ele precisa de apoio.

Anúncios

13 COMMENTS

  1. Ayan, os esquerdopatas já estão começando a usar jogos contra essa lei.Algumas falácias:

    1)Não existe imparcialidade no ensino (?), logo é impossível aplicar a lei.
    2)Essa lei só quer combater quem é contra o socialismo.Doutrinação liberal/conservadora está liberada.
    3)Essa lei é uma censura prévia.

    • Pois é.

      E para cada truque, uma rebatida.

      1. É possível evitar doutrinação. Basta checar o julgamento de Dover sobre criacionismo.
      2. A lei não mencionada nada sobre lados. Essa interpretação é fantasia de quem está com segundas intenções.
      3. A censura prévia é anti-constitucional para a mídia. Para funções públicas, o estado pode regular atuação. Lugar de sala de aula é de ensino, não de pregação de agenda.

      Mas acho que farei uma seção específica sobre isso.

      Abs,

      LH

    • na verdade, os esquerdopatas não veem nada demais em usar a sala de aula para doutrinar crianças. Já ouvi isso explicitamente da boca de um professor.

      • Tem um post de uma professora aí, pena que não salvei, mas tinha numa página dessas anti-esquerdistas dela falando isso mesmo, de que o problema com a doutrinação é apenas com o capitalismo, com o socialismo tá tranquilão.

  2. Luciano, este projeto de lei, sendo uma lei municipal, não entraria em discordância com leis federais, que hierarquicamente falando, são superiores? Pois se o projeto de lei for aprovado, basta o Governo aprovar uma lei federal de ensino e tudo isso vai para o buraco.

    • Não há propriamente hierarquia, mas competências diferentes. Cabe ao Município legislar sobre matérias de interesse local e suplementar as bases legislativas que vem de outros entes.

      Então, é possível sim fazer uma lei do tipo, colocando o foco no interesse local. Tanto é que o ESP oferece minutas diferentes para leis estaduais e municipais, já que as competências são diferentes.

      Teoricamente, é possível que algum tribunal considere que o Município extrapolou suas competências. Mas é forçar a barra. No caso de lei estadual seria ainda mais difícil, já que há uma competência concorrente.

      Também é possível editar uma lei contrária em âmbito federal. Mas aí teria que haver a expressa defesa da doutrinação, contrariando diretamente o conteúdo da lei municipal. Isso seria um tremendo desgaste, além de ser de difícil aprovação no Congresso. Como proibir, por exemplo, que se afixe um cartaz explicando ao aluno que ele tem direito a receber uma educação ampla e sem viés ideológico? Seria praticamente uma confissão de culpa.

      A solução do ESP é brilhante. Ao levar a discussão para o âmbito local, é possível ir avançando um pouco de cada vez, sem os entraves de uma luta nacional. É muito mais fácil conseguir a aprovação em âmbito local, onde o cidadão comum ainda tem mais influência.

      Talvez devamos olhar com mais cuidado para essa solução. Será que ela não poderia ser adotada em outras questões?

  3. Concordo com o Eric.O que fizeram com a Comissão da Verdade?A Lei da Anistia os impedem de falar onde estão os MORTOS da repressão Militar.Gastaram-se bilhões dos cofres público nestas investigações,onde até mesmo a Dilma(presidente)foi envolvida como sendo torturada.E o que deu?Em nada!Entregam-se relatórios sem que os nomes dos militares fossem divulgados.E o pior TODOS sabiam que a COMISSÃO DA VERDADE só engrandeceria($$$$) os participantes,e não as FAMÍLIAS que perderam os entes queridos na VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL.Hierarquia é posto.E contra o REGIME só DEUS.

  4. Isso me fez lembrar de uma desancada que dei ( foi sem querer) numa professora. Ela veio toda entusiasmada mostrar aqueles trabalhos idiotas que os alunos fazem só para marcar pontos e leu uma frase clichê que estava escrita num cartaz. Coisa do tipo ” A educação faz o progresso do ser”. Uma coisa assim. Eu discordei. Ela não entendeu e eu completei: depende do que é ensinado. Mas sabe o que é a pessoa perder a ficha, o rumo? Não sei o que tem na cabecinha dos professores… Eles são tão doutrinados que quando são confrontados com ideias contrárias às suas, ficam atordoados.

  5. É muito importante confrontar a esquerdalha, que sempre “trabalhou” (rsrsrsrs) sem qualquer obstáculo aos seus infames propósitos. Só de ser uma pedra no sapato já é digno de aplauso e apoio de pais, alunos, professores e diretores sérios.

  6. Professores marxistas: teu tempo tá terminando. Em breve estarão desempregados, e eu desejo-lhes muita amargura.

    Aos direitistas da depressão que vierem com “aaa mas falta muito ainda, falta ser aprovado, é só numa cidade, tem muito ainda pra limpar”: AJUDA NA LIMPEZA ENTÃO AO INVÉS DE FICAR RESMUNGANDO FEITO TIAZINHA CHATA.
    Como faz-se pra limpar uma casa que está imunda? Começa-se por algum ponto, não? Então. Limpar só um cômodo e ficar resmungando só irrita quem está disposto a limpar o resto e faz a bunda sentada na cadeira ficar grande – e não no bom sentido.

Deixe uma resposta