O entrevero entre Pitty e Anitta e o que isso tem a ver com a guerra política?

33
194

pittyanitta

O programa Altas Horas em 6/12 mostrou um “embate” entre Pitty e Anitta a respeito do feminismo. Clique aqui para assistir. (Nota: o termo “embate” é injusto, pois só um lado atacava)

Esse evento pode ser lido de várias formas. Como de costume, opto pela via da guerra política.

É evidente que quase como sempre vemos a diferença típica: a radical de esquerda Pitty jogava um jogo, enquanto Anitta não tinha consciência desse jogo.

Isso explica por que Anitta expressou o que realmente achava, de forma legítima, e, surpresa, com bons argumentos. Na verdade, Anitta intuitivamente sabe aquilo que a psicologia evolutiva já nos explicou há mais de uma década. A realidade sempre desmascara os truques das feministas.

Notamos que Anitta é coerente com os fatos ao dizer: “Acho que as mulheres lutaram tanto para ter os mesmos direitos do que os homens, que, quando conseguiram, quiseram tomar conta da situação e o lugar do homem”.

A coisa é bem assim mesmo. Biologicamente a mulher não tem o mesmo nível de testosterona que o homem, e esse, dentre outros fatores, afeta as escolhas femininas. Ademais, muitos dos comportamentos femininos foram selecionados ao longo do tempo para se adaptar ao organismo feminino (assim como os comportamentos masculinos também o foram, para se adaptar ao organismo masculino).

Eu adoro todas as reais conquistas femininas, que não se devem ao feminismo, mas ao iluminismo. O melhor mundo para as mulheres é aquele no qual elas tenham plenos direitos, como hoje no Ocidente, e ao mesmo tempo possam fazer suas escolhas, de acordo com sua biologia, sua cultura, etc.

O discurso de Anitta era plenamente compatível com essa percepção da realidade. Muito mais racional e defensável.

Por exemplo, reveja o vídeo histórico onde o sueco Harald Eia chuta o castelo de cartas feminista com a mera aplicação do ceticismo científico:

O problema é que Pitty não é uma argumentadora. Em vez disso, ela não passa de uma radical de esquerda que, como tal, não foca em argumentos. Ela prefere o jogo sujo. Atenção: nada contra o jogo político, tudo a favor (pois é o que defendo aqui que todos façam), mas no caso de gente como Pitty, só vemos jogos sujos.

Pitty declarou: “Anitta, só uma ressalva: nós ainda não temos os mesmos direitos. Acho que a gente ainda tem muito que conquistar”.

É fácil falar em “muitos direitos a serem conquistados”, sem mencionar os quais. Essa vagueza intencional tinha um objetivo: posicionar Anitta como “inimiga das mulheres” e Pitty como “amiga das mulheres”.  A maior queixa das feministas é esta: o salário menor para mulheres exercendo a mesma função que os homens. É uma crença sem qualquer fundamento.

É claro que elas omitem da equação o fato de que isso só acontece por que a maioria das mulheres possuem filhos e, como é de se esperar, tiram licenças de vários meses. Além de tudo, muitas optam por turnos parciais. Então, qual é a conquista ambicionada por Pitty? Que as mulheres não tenham mais filhos e sejam vistas por seus empregadores como conectadas inteiramente a sua carreira, sem interrupções previstas, na mesma proporção que os homens? Isso simplesmente não faz o menor sentido. Quem fizer essa solicitação honestamente está no máximo tendo uma ideia de jerico.

Thomas Sowell já desmascarou brilhantemente o embuste aqui:

Repare que a demanda de Pitty não foi feita para fazer sentido, como nada do que ela propõe. O discurso tinha um único fim: fornecer capitalização política. Gente como Pitty estará sempre disposta a maquiar a realidade, arrumar falsas vítimas (para fingir defendê-las) e fantasiar “uma luta por direitos” que não passa de pretexto para obtenção de capital político e, em última instância, poder.

Pitty conseguiu o que queria. Quem assistiu o programa viu como Anitta ficou sem graça. Esse é o grande drama de nossa era: uns conhecem e dominam o jogo, e outros nem sequer sabem que estão dentro do jogo, do qual não podem fugir. Por seus joguinhos, Pitty conseguiu aplausos da plateia e até o famoso “eeeeeeeee”.

Depois, no Twitter, Anitta disse que suas falas foram distorcidas, e afirmou que não seria “a pessoa mais hipócrita do mundo de fazer uma coisa e dar discurso falando outra”.

Mais:

Comentei a reação do homem diante do comportamento da mulher atual. Não disse que acho correto o homem fazer e acontecer e mulher não poder”, escreveu. “Eu posso não gostar do comportamento X e preferir o Y ou vice versa. Mas todos têm direito de ter o comportamento que quiser.

Se você já pegou o jeitão deste blog, notou o que acontece aí, certo? Anitta, na defensiva, tendo que se explicar.

Independentemente de suas explicações, Pitty já venceu nessa interação. Resta o desmascaramento por céticos políticos na Internet como forma de redução de dano.

Em tempo: alguns pascácios me disseram que Pitty depois disse que “foi só uma discussão” e que até ambas fizeram “as pazes”. Claro, ô bocó! Mas isso não muda o fato de que Anitta ficou sem graça e Pitty conseguiu o “eeeee”. Ademais, mensagens como “Preciso dizer que Pitty rainha, Anitta nadinha” e “Me: Pitty You: Anitta” apareceram no Twitter em favor de Pitty contra Anitta. Isso é capital político, baseado em construção de uma imagem e desconstrução de outra. É claro que as “pazes” tendem a ocorrer, mas só valem enquanto Anitta não descobrir o jogo jogado por Pitty.

Anúncios

33 COMMENTS

  1. Nunca gostei da Anitta como cantora,porém compartilho do argumento coerente dela em relação ao feminismo “Acho que as mulheres lutaram tanto para ter os mesmos direitos do que os homens, que, quando conseguiram, quiseram tomar conta da situação e o lugar do homem”.O que você a sociedade observou desde que o PT está no Governo são extremismos políticos e doutrinários,veja o caso dos LGBTs que tiveram tantas conquistas e até certo ponto estavam conquistando o respeito da sociedade até aparecer o Jean Wyllys e expor o lado radical e podre do movimento jogando anos de conquista com a sociedade no lixo,é o memso caso do feminismo,as mulheres conquistaram tudo que nós homens conquistamos e digo até de forma melhor que nós,porém o radicalismo de grupos feministas ( na minha humilde opinião são movimentos ultrapassados tanto o feminismo como o machismo )tem deixado a sociedade mais conservadora em polvorosa,cirto alguns exemplos como foi o caso da masturbação com ídolos religiosas ou o ato ultra radical de costurar a genitália feminina.Esse povo de esquerda gosta disso,de radicalismo por isso defendem terroristas,grupos radicais islâmicos,grupos radicais LGBT e feministas radicais

  2. Luciano, seguem algumas boas para serem comentadas:

    1) Agora estão acusando uma grife de ser racista por ter usado uma modelo branca para representar Iemanjá:

    http://instagram.com/p/wYwFnQIGEO/

    O problema é que a própria matéria explica o porquê de Iemanjá ter esta imagem clássica:

    http://teso.no.comunidades.net/imagens/061308213242.jpg

    E está lá, claramente dito: sincretismo com Nossa Senhora da Conceição e com a sereia da umbanda. E se for olhar nos comentários do Instagram, verá que tem gente perguntando se o vizinho que tem uma imagem de uma Iemanjá branca em casa estaria sendo preconceituoso. Se for assim, a maioria absoluta dos candomblecistas o estaria sendo por terem algo parecido com isto em casa:

    http://revistacasaejardim.globo.com/Revista/Casaejardim/foto/0,,45268930,00.jpg

    Isso sem falar de imagens em lugares públicos (que, na cabeça dessas pessoas que acusam a Farm, seriam prova do tão falado racismo institucionalizado que eles falam que o Brasil tem):

    http://static.panoramio.com/photos/large/15935700.jpg

    http://jornaldehojecdn.s3.amazonaws.com/media/2013/02/Dia-de-Iemanja-JA-9.jpg

    http://1.bp.blogspot.com/_SLDM0RADsGY/TLxHdkigr1I/AAAAAAAAC1g/vqRvtDGD_Ck/s1600/Iemanj%C3%A1+Freguesia.jpg

    http://www.novomilenio.inf.br/baixada/monfotos/monbairro09f005.jpg

    Só algumas cidades ficariam a salvo da fúria dos militantes que dizem representar os negros, uma vez que suas Iemanjás públicas não são brancas:

    http://3.bp.blogspot.com/-3yQ_R8qtNnM/Tpc-F1Ng8cI/AAAAAAAABzQ/-QFJBWP52vM/s1600/camburi9b.jpg

    http://www.joaopessoa.pb.gov.br/portal/wp-content/uploads/2013/09/iemanja_foto_adrianofranco-3.jpg

    http://cdn.c.photoshelter.com/img-get/I0000VBaXBureD78/s/900/900/120807-FLORIANOPOLIS-0037.jpg

    Porém, como o próprio babalorixá disse, Iemanjá não tem forma para os iorubás, o que inclusive é coerente com o candomblé no sentido de que as entidades cultuadas pelos adeptos dessa fé jamais estiveram encarnadas na Terra. Logo, o fato de termos imagens em altares da referida religião é devido à tradição, mais ou menos como ocorreu com a Igreja Católica e suas imagens de santos posteriormente sincretizadas pelos candomblecistas. E se considerarmos a imagem clássica de Iemanjá que em muitos terreiros há, os que acusam a Farm de racismo teriam de acusar também muitos pais e mães-de-santo por usarem Iemanjás brancas.
    O principal da coisa aqui foi o quanto que os marxistas-humanistas-neoateístas estão sendo despachados sumariamente nos debates, como poderá ver no Instagram da grife em questão. O pessoal perdeu o medo de ridicularizar os caras e esfregar interpretação de texto na cara desse pessoal que usa Derrida para ganhos políticos. Para mim foi simplesmente fantástico;

    2) Você viu esta postagem do Mario Magalhães que praticamente desumaniza vítimas de grupos guerrilheiros nos Anos de Chumbo? Pelo que ele está falando, a morte de um Mário Kozel é menos importante que a do Herzog porque o soldado servia a um estado. Se bem que um cara lá já passou uma descompostura das boas no blogueiro:

    Moreiraclayton 2 horas atrás

    Nenhuma palavra sobre o comerciante Walter Cezar Galleti, morto num assalto praticado por terroristas da ALN nem sobre o bancário Silvio Nunes Alves, morto num assalto perpetrado pelos grupos PCBR, ALN, VPR,Var Palmares e MR8, nem sobre Pedro Américo Mota Garcia, outro civil morto por impedir um assalto a banco por grupos terroristas. É… Esses mortos sem vinculação com grupos de extrema-esquerda não devem ter a mesma importância para os que adotam a indignação seletiva.

    Aliás, creio que seria uma boa rotina a ser desconstruída essa em que os MHNs querem pôr inocentes assassinados e torturados pelo aparato estatal naquela época como mais importantes que os inocentes mortos e torturados pelos grupos guerrilheiros da época porque esses últimos não teriam um aparato estatal a seu dispor quando faziam suas ações.

  3. Tentarei enxergar um aspecto positivo para Anitta neste imbróglio: ela é uma menina de 21 anos, enquanto Pitty é uma burra velha de 37. Pitty é caso perdido. Já Anitta, que tinha tudo para seguir o padrão inercial de celebridades globais com discursos tendentes à esquerdopatia, terá a chance de experimentar uma guinada mental, extraindo do episódio um aprendizado sobre o tipo de gente com quem está lidando. Claro que se saiu mal no “embate”, mas para uma jovem de 21 anos, ela até que soube ser surpreendentemente civilizada e até madura.

  4. O mais interessante disso tudo é ver a esquerda se digladiando por toda a internet. As infames “radfem” obviamente estão protegendo a Anitta, porque, pasmem, Pitty é privilegiada enquanto a outra veio da periferia. Como a esquerda é fresca quando se trata deles mesmos, os menos extremistas entram na defensiva. Vejo com frequência esquerdistas rendendo-se às radfem, claramente minoria na esquerda, mas que, por deterem um discurso assumidamente psicopata ao melhor estilo NAZISTA, acabam passando por cima desses bunda moles sem piedade, principalmente quando elas apelam à ameaça de “cortar a pica” dos “esquerdomachos”, que só cola com intelectuaizinhos de esquerda que nem são machos de verdade pra início de conversa.
    Essa guerrinha chegou ao auge com o caso Idelber, e o fato de um importante “intelectual de esquerda” ter suas perversões sexuais (nada de novo aqui) expostas ao público e consequentemente perder completamente sua influência é só a ponta do Iceberg. Seus defensores também foram escrachados, principalmente Latuff (mais importante ainda que o outro asno), e não só pelas ditas feminazis, mas também por outros “intelectuais” influentes na esquerda, num ato de submissão por serem cagões demais para enfrentá-las, além do óbvio OPORTUNISMO EM CONSENTIR COM BARBÁRIES PARA NÃO PERDER PRESTÍGIO SOCIAL, expondo a natureza narcisista dos falsos combatentes do bullying, falsos desdenhadores de atitudes criminosas e fascistas, e acima de tudo, falsos antagonistas do preconceito e do ódio injustificado (que as radfem direcionam a qualquer ser provido de um pênis, inclusive transgêneros que a esquerda tanto pretende defender: http://liberdadeeconomica.com/jeffersonulisses/2014/12/05/feministas-ameacam-trans-que-frequenta-banheiro-feminino-vamos-cortar-a-sua-pica/).

    Um ambiente com um pingo sequer de MORAL jamais consentiria com uma CONDUTA CRIMINOSA desse calibre, mas a esquerda não é conhecida por desfrutar do primeiro atributo citado, já do segundo…

  5. Luciano, EXCELENTE texto! Parabéns!

    Eu gostaria de aproveitar dessa tão delicada situação passada pela Anitta para te perguntar: o que fazer quando uma pessoa suja, extremamente desonesta te atacar?

    O meu caso é muito parecido e eu nem sei se fiz o certo ou se me portei como a Anita e mesmo depois de seu texto, ainda me encontro um pouco perdido.

    A questão é que eu me tornei amigo de um cara da turma da faculdade muito antes de saber que ele era petralha, algo que eu só tive ciência no periodo das eleições. Ele é muito amistoso nas conversas que não envolvem política, mas um tipinho deplorável quando começa a falar sobre isto.

    Semana passada num grupo de dez pessoas ele levantou a voz comigo com a mesma estratégia da Pitty de “defender o invisível” por ser de esquerda e me colocar como o do contra por ser de direita. Quando ele começou a questionar o por quê de eu gostar do Bolsonaro e sobre as cotas, ele quis colocar o frame de “pessoa contra negros e minorias pobres” em mim apenas por eu ser contra as cotas. Então eu, aproveitando o fato de ser afrodescendente, falei que ele não tinha a noção do que é ter sua capacidade intelectual subestimada pelo simples fato de ser negro e que muitas pessoas brancas também eram pobres e portanto, também acabavam prejudicadas pelas cotas.

    Aí começou a putaria com ele querendo impor o seu discurso sobre o meu, falando grosso e soltando algumas ironias, como um tipinho feito a Pitty. Mais um pouco e era capaz dele até cair na porrada comigo por tamanha intolerância e é aqui que eu cometo o erro. Eu falei (pra amenizar o clima) “eu tenho a minha opinião e você tem a sua”, não vou discutir. E aí ele junto de outro começaram a imitar o Bolsonaro e a rir disso, com aquele sarcasmo esquerdista nojento e todo mundo acabou dando trela. Fiquei extremamente sem graça e estou desde então a falar com nenhum deles.

    A questão é: o que eu deveria ter feito?


    RESP

    O problema neste caso é que você está em ambiente desfavorável. Neste caso, você pode ser cínico, sarcástico e até fingido, e ainda obter seu capital político. Bater de frente em ambiente desfavorável não gera resultados políticos.

  6. “o fato de que isso só acontece por que a maioria das mulheres possuem filhos”

    WTF!!! Até onde eu sei, mulheres não tem filhos sozinhas. Cada mulher que possui um filho implica num homem possuindo esse mesmo filho.

    Esse argumento dado pelo autor é a maior prova de que vivemos numa sociedade desigual. Homens deixam que mulheres criem filhos sozinhas, o que invariavelmente resulta em dificuldades profissionais.

    • Não, anta.

      Uma mulher que possui um filho, precisa se recuperar fisicamente, amamentar seu filho, etc.

      Essa tal “desigualdade” é biológica. Vá reclamar com a seleção natural.

      O resto é papo furado de maluco que caiu na esparrela feminista.

      Abs,

      LH

      • Que comentário mais ridículo… Como é possível tamanha falta de noção da realidade? Meu filho vai nascer daqui uns 20 dias. Minha noiva vai sair de licença do trabalho por 4 meses, evidentemente, para amamentar, ter uma boa recuperação pós-parto e cuidar do nosso filho. Eu terei 5 dias de licença, conforme manda lei.

        Na cabeça desse insano, ou EU deveria também ter 4 meses de licença, para que minha noiva ‘não crie o filho sozinha’, ou, o que é pior, ela deveria ter os mesmos 5 dias, voltando ao trabalho antes do tempo mínimo de resguardo (40 dias), e deixando nosso bebê ao Deus dará.

        O pior de tudo é que esse tipo de opinião é bastante difundida por aí. E a gentalha que fala esse tipo de absurdo não percebe (ou finge não entender, o que é bastante comum para eles) o desserviço que prestam à todas as mulheres, visto que a licença-maternidade é um direito imprescindível para toda mulher que trabalha e deseja ser mãe, sem que haja a necessidade de abandono do emprego antes do nascimento, nem mesmo após o término da licença.

    • Citação: “Homens deixam que mulheres criem filhos sozinhas”.

      Se essa é sua conduta Bruno, você é um crápula. Após o trabalho, o homem deve ajudar sim.

      Do mesmo modo que “Homens” deixam as mulheres cuidando da prole, existem Mulheres que abandonam os filhos, que abortam sem motivo de doença, que rejeitam os filhos, etc… O problema do abandono ocorre dos dois lados.

      Essa vitimização da mulher é puro discurso esquerdista.

    • Aécio tinha uma proposta bacana a respeito disso aí no plano de governo dele. Mas, as feministas tão bem resolvidas, tão sábias, nem se deram ao trabalho de ir atrás, foram loucas da siririca votando 13… tomem!

  7. Anitta fazendo as pazes com Pitty só agrava a situação porque significa que ela aceita atuar como escada pra Pitty espalhar suas idéias em rede nacional.
    No fim do dia fazem as pazes, e Anitta está pronta pra repetir o vexame. É óbvio que a Pitty vai procurar fazer as pazes com alguém assim, é uma luta ganha pra ela.

  8. A coisa deveria ter sido mais ou menos assim:

    Pitty: “Anitta, só uma ressalva: nós ainda não temos os mesmos direitos. Acho que a gente ainda tem muito que conquistar”
    Anitta: “É mesmo, querida? Consegue me dizer alguns dos muitos direitos que ainda temos a conquistar?”
    Pitty: “Igualdade de salários, por exemplo.”
    Anitta: “Certo, então vamos igualar o salário. Só que, igualando o salário, todo o resto teria que ser igualado, como por exemplo, as licenças paternidade e maternidade. Tu queres que as mulheres tenham também somente 3 dias de licença paternidade? Isso é um absurdo!”
    Pitty: “Absurdo é o que você tá dizendo, a licença maternidade é um direito adquirido pelas mulheres, pois as necessidades das mulheres na maternidade são diferentes das do homem na paternidade.”
    Anitta: “Pois então, você acabou de dizer que homens e mulheres são diferentes por natureza. Igualar coisas que são tão diferentes por natureza é demência. Tu queres igualdade em algumas coisas, como o salário, mas privilégio em outras, como a licença maternidade. Nós, mulheres, não podemos ser hipócritas desse jeito.

    Seria mais ou menos por aí a coisa?


    RESP

    É isso aí. Pitty iria “travar” com respostas assim.

  9. Não gosto de nenhuma das duas. Achei Anitta bem inocente falando isso em rede nacional, com um microfone e uma câmera na cara dela, num momento de tanta patrulha – não acho que foi corajosa porque duvido ter sido planejado. Foi ingênua, só. E há uma contradição esquisita entre o que ela falou e o que as ~~músicas~~ dela falam.
    Não devem se lembrar de uns meses atrás, eu infelizmente me lembro e não me orgulho disso, a Anitta foi no programa Na Moral quando o tema era feminismo, e lá se declarou uma feminista – foi lá exatamente representando isso. Falou um monte de besteira (por exemplo, diferenciou lésbicas e “mulheres do sexo feminino”, risos constrangidos), queria pagar de cool, de antenada, de “sou a voz do feminismo”… e agora causou bug na cabeça das feministas, que não sabem se a defendem por ser mulher ou se a achincalham – as mais burrinhas, da onda, tão achincalhando, como você bem demonstrou no post. Mais risos.

    De qualquer forma, excelente a análise sobre a posição vazia da Pitty e sobre a Anitta se defendendo depois. Inocente…

    To vendo alguns leitores aqui reconhecendo a Anitta como “poxa, que menina nova e inteligente, ela é das nossas” – não, não. Não caiam nessa. Anitta é ingênua, apenas. Nada de garota brilhante, nada de a porta-voz contra o feminismo imbecil.
    Anitta é só espuma que tá indo com a onda. Deixem-na ir junto com a próxima onda.

  10. Pitty não argumentou, apenas usou palavras de ordem de caro de som em busca do aplauso fácil. Apenas mostrar que está percebendo o truque já iria desarmá-la completamente. Mas as duas têm algo em comum: a PÉSSIMA qualidade musical! 🙂

  11. Huh… Na verdade, isso foi uma troca de farpas entre uma feminista moderada e uma que pensa que é radical.

    A Anitta, fazendo papel de PSDB, é aquela feminista que quer que homem continue pagando a conta no final dos encontros. E a Pitty, é a feminista bocuda, daquele tipo que defende estatística fajuta do IPEA, jogando para uma galera ainda mais néscia do que ela própria.

  12. Lendo comentários em sites de notícias e também no Facebook sobre o assunto, notei um padrão de respostas que a maioria das feministas tem usado e que me incomoda bastante. Sempre vejo algo do tipo: – “As mulheres podem fazer o que quiser, e os homens não tem que achar/falar nada” – em qualquer texto feminista o homem é culpado por todos os males da sociedade, sendo escrachado e taxado de um monte de coisas. Mas se o feminismo prega a igualdade entre homens e mulheres, então porque elas podem falar e achar o que quiser sobre nós, e quando vamos emitir algum parecer estamos sendo machistas e opressores? Esse tipo de coisa deixa bem claro o real posicionamento do feminismo atual, é algo feito puramente com a intenção de se obter maiores vantagens sociais em cima de homens e esta muito longe de lutar por igualdade. Até porque, que raios um homem faz hoje em dia que uma mulher não pode? Quero ver alguma feminista falar 10 coisas (que não incluam idiotices como “homem pode andar sem camisa”) que um homem faz e uma mulher não pode. Só o que vejo atualmente delas são discursos vazios e campanhas estúpidas pela internet, generalizando o comportamento masculino com base em um cara que passava pela rua e etc.
    Em todo programa com embates sobre o feminismo acontece a mesma coisa, pegam uma feminista malandra contra alguém que mal formou uma opinião embasada sobre o assunto, pois convenhamos, se a Pitty utilizasse aqueles argumentos contra alguém com conhecimento sobre a causa ela teria passado vergonha nesse programa.

  13. Feministas:
    ‘Vc se preocupa em não matar animais e admira Che Guevara, que assumia descaradamente que matava sim e ia continuar matando muita gente no paredón, inclusive presos políticos. Se ele te convidasse pra ajudar a matar gente vc ia?’

    ‘ Hasta la Victoria siempre.’

    http://ask.fm/mariacbubna

    Merece um print.

  14. A Anita é honesta e burra,parece uma criança. Honesta o suficiente pra falar uma coisa que ela nota e que é verdade mas burra de não saber que tipo de resposta viria em seguida, principalmente com uma feminista declarada pelo meio.

  15. Luciano, você afirma que as conquistas femininas não se devem ao Feminismo mas sim ao Iluminismo.
    Você indica algum material que explica melhor isso?

Deixe uma resposta