Governo anuncia corte de verbas à Rede Globo e Editora Abril. Ou: mais uma vitória simbólica do governo na luta pela censura de mídia.

45
157

dilman

Vi com satisfação que vários blogs, colunistas e políticos de oposição tem começado a dar a devida prioridade para a questão da censura de mídia. Este é o ponto mais importante da guerra política atualmente.

Por outro lado, muitos ainda estão dedicando seu tempo à denunciar as propostas de censura de mídia pela implementação de uma “Ley de Medios”. Todavia, a disputa pela liberdade de imprensa deveria ocorrer em todos os níveis, não apenas nos projetos de lei.

Por exemplo, segundo o Portal Metrópole (mais um órgão petista), o governo anunciou oficialmente o corte de verbas tanto para a Rede Globo como para a Editora Abril.

Dilma teria dito: “Não compactuamos com mentirosos”. O que é um eufemismo para dizer que estão proibidas notícias contra o governo, mas liberadas todas aquelas a favor.

Alguns puristas ainda vão repetir a conversa: “ah, melhor ficar sem dinheiro estatal mesmo”, mas como já mostrei aqui esse comportamento não passa de uma mistura de erro cognitivo com ingenuidade política mórbida.

Como ilustração, imagine uma hipotética notícia dizendo que pessoas manifestando opiniões de direita não podem mais participar de concursos públicos. Um iludido diria: “tudo bem, eu não quero cargo público mesmo”. Mas a questão não é nem de longe essa, mas o uso do aparelho estatal para benefício dos donos do governo, privilegiando quem os apoie, em detrimento dos que se opõem.

Para que você tenha uma ideia da monstruosidade desse corte de verbas, o artigo do Portal Metrópole diz:

[…] cortes dessa magnitude (nessas revistas que estão sendo usadas como marionetes da direita) podem ser um tiro certeiro naquilo que chamamos hoje em dia de “mídia golpista.

Não é possível haver uma confissão mais clara de uso do estado de maneira desonesta para coagir a opinião divergente.

Claro que não poderia faltar a desculpa esfarrapada, como vemos abaixo:

A editora Abril e a Globo vão começar a se preocupar com outros meios de comunicação do grupo, que podem ser atingidos com essa restrição de anúncios. O Partido dos Trabalhadores já deixou bem claro que a revolta não é pelas denuncias, mas sim por divulgá-las sem aval da Policia Federal e sem provas concretas.

Isso é de um cinismo sem igual. Ainda que existisse uma “acusação sem provas”, a questão deveria ser resolvida pelas vias judiciais, e não a partir do corte de verbas estatais. Além do fato de que órgãos a favor do governo continuam recebendo as verbas estatais e praticando verdadeiros assassinatos de reputação, quase sempre sem qualquer tipo de prova.

Se qualquer adepto da democracia não perceber o quanto isso é terrível e afrontoso às instituições, então significa que estamos diante de um caso perdido.

A afronta não poderia parar. Veja este outro trecho do mesmo artigo:

Três grandes estatais colocaram mais de 250 milhões de reais inserções na Globosat no ano de 2013. Se o governo federal cortar “por ai” , a oposição midiática vai perceber que essa historia de malhar a Dilma Rousseff é um horrendo e amargo negócio. Ops, ainda falta os Correios…esse vai fazer falta no caixa da Platinada…

De novo: se alguém não entendeu isso como a confissão do uso criminoso do aparelho estatal, então  essa pessoa, mesmo que pense estar do nosso lado, é parte do problema.

De forma ainda mais didática, vamos ao que esta acontecendo:

  1. Se um órgão de mídia jogar cobras e lagartos, mesmo sem qualquer prova, contra um opositor, tudo bem. No caso da BLOSTA, isso significa receber anúncios superfaturados, ou seja, a visualização deles vale 10 vezes mais que os dos outros sites.
  2. Se o mesmo ocorre em caso de notícias contra o governo, você corre o risco de ter suas verbas de anúncios cortadas.
  3. Até uma ostra percebe que isso é o uso de dinheiro estatal para financiar elogios ao governo, e chantagear financeiramente quem publique críticas ao poder.

A luta não é mais apenas por barrar as leis de censura de mídia, pelas quais o PT lutará até a morte, mas fazer o governo pagar o preço de praticar a chantagem econômica com a mídia.

O caso das verbas superfaturadas para a BLOSTA e o corte de verbas para a Abril a Globo já configuram motivos para CPI. Por muito menos, Richard Nixon renunciou. Mas, enquanto não transformamos esses eventos nos escândalos que realmente são, o governo vai contabilizando poderosas vitórias simbólicas ao seu lado.

Motivo: atos tão torpes quanto a chantagem com dinheiro estatal e o superfaturamento de verbas para a BLOSTA, juntos com a falta de protestos por nossa parte, transmitem a mensagem: “Censura sutil é algo que pode passar”.

Como disse no post anterior, nossa capacidade de nos indignar com essa aberração vai definir o jogo da censura de mídia. Se nos indignarmos pouco, eles vencem. Se nos indignarmos de fato, eles perdem.

Anúncios

45 COMMENTS

  1. “Se o governo federal cortar “por ai” , a oposição midiática vai perceber que essa historia de malhar a Dilma Rousseff é um horrendo e amargo negócio.”

    Isso é pra ser um site de notícias ou uma máfia?

  2. No caso da Globo parece que eles vão usar a parte dos esportes:

    http://www.oantagonista.com/posts/autoritarismo-show-de-bola

    Esse site pertence ao Diogo Mainardi (vale muito a pena dar uma confirida) e, como já era esperado, o Brasil 6×40.000.00 fez um texto criticando o novo site (a velha canilhice de sempre):

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/165519/Ex-radicais-de-Veja-tentam-se-reinventar-na-internet.htm

    E por falar em Brasil 6×40.000.00 alguém deveria avisar ao dono do site para arrumar um layout de gente.Eu nem vou dizer que o layout do site é trabalho de “micreiro” pois até este teria vergonha de apresentar tamanha poluição visual.

  3. Alguns liberais e a maioria dos libertários simplesmente não entendem e não fazem o mínimo de esforço para entender guerra política e lutar a guerra política.
    A ruína da Direita será por causa desses inocentes-úteis.

  4. ” O Partido dos Trabalhadores já deixou bem claro que a revolta não é pelas denuncias, mas sim por divulgá-las sem aval da Policia Federal e sem provas concretas ” prova que o aparelhamento do Estado está a favor dos INTERESSES FASCISTAS GOLPISTAS do NAZIpetismo e não dos interesses da nação brasileira.

  5. Sendo absolutamente pragmático meu discurso iria para um vies um pouco diferente.
    Se a necessidade de divulgação de fatos e ações de governo se deve a obrigação de publicidade e transparência da gestão pública, não vejo mais, devido à internet, o porquê de se gastar fortunas com essas divulgações.
    Eu me oporia ao gasto do governo federal com publicidade em qualquer mídia.

    • Eu entendo que a questão de vetar gasto com publicidade em qualquer é uma ideia de longo prazo. É preciso estudar uma argumentação e DESENHAR uma proposta.

      Nesse meio tempo, podemos exigir que o governo não privilegie quem está do lado dele com anúncios estatais.

      Pragmaticamente, é melhor tentar corrigir a distorção atual, antes de fazer uma proposta lá para o futuro. Não acha?

      Abs,

      LH

  6. “O caso das verbas superfaturadas para a BLOSTA e o corte de verbas para a Abril a Globo já configuram motivos para CPI. Por muito menos, Richard Nixon renunciou.”

    E aqui no Brasil, o “quanto mais” é necessário para a gorda renunciar? Somente o próprio mensalão já teria sido suficiente na minha opinião. Mas pelo resultado que se deu, acredito 110% que a ordem institucional já acabou à algum tempo por aqui para se acreditar que exista alguma forma de “transformamos esses eventos nos escândalos que realmente são”.

    A minha tese é que se em setembro/outubro de 2015 a Dilma realmente visitar os EUA, é porquê não existe definitivamente mais nada entre o início e o fim dos planos petistas para o Brasil, idem para o Bolivarismo na América Latina.

    • Segundo Mario Sabino (o outro Antagonista), Lula tinha toda a intenção de renunciar por causa do mensalão. Palocci foi até a oposição comunicar a decisão do presidente de abandonar o governo para evitar uma crise institucional. E sabe o que FHC disse ao Palocci? Que a oposição não iria entrar com um pedido de impeachment. FHC achava preferível “arrastar Lula sangrando até a próxima eleição” e derrotá-lo nas urnas. O resto é história.

      Não existe “ordem institucional” que dure sem fiscalização constante da oposição.

      • Rafael, quem tem o PSDB como oposição e FHC como seu grande representante não tem adversários. Espero que o atual Congresso seja atuante e faça (de fato) oposição.

  7. Republicou isso em Enquanto há vida, há esperança!e comentado:
    Embora não morra de amores pela Rede Globo, a notícia foi mais uma das muitas que têm vindo a público, desde que a Dilma venceu as eleições e saiu do armário, derrubou o meu astral. Sei que não devia, mas é difícil não ficar desanimado vendo a cada dia que passa o inimigo ser bem sucedido e ganhando terreno, enquanto que a oposição vai ficando cada vez mais acuada a ponto de, salvo uma valente que foi para Brasília levar porrada, nem se envergonhar de sua pífia participação nos protestos de 01/01/15 foi ter sido fotografada aplaudindo na praia de Ipanema propaganda contra o governo, quando deveria estar nas ruas demonstrando sua insatisfação.

    Estamos em guerra! Comprei esta ideia da página do Luciano – e não me arrependo. Mas é uma guerra injusta, e não porque o poder econômico esteja do lado do inimigo, mas porque a maioria dos que poderiam fazer oposição estão, me parece, esperando que alguém aja por ela.

    Isto é bobagem! 1964 não se repetirá!

    Se alguma coisa nos incomoda, nós, e não “outros”, é que temos que agir para tirá-la do nosso caminho.

    A resistência e a união da oposição ao governo (união, esta, que me parece ser cada dia mais difícil de ser alcançada) deveria ser estruturada em todos os níveis e não apenas na camada popular.

    Não acredito que deixar de anunciar na Veja e em O Globo seja bom para o governo. Afinal quem vai na “Carta Capital” ou no “Brasil 171” para ler a propaganda do governo?

    O que impede que a grande mídia – atualmente sob a ameaça da censura – de se unir e, num ato de solidariedade aos dois veículos chantageados, se recusar a publicar a propaganda governamental? Quem perde se o Estadão, a Folha de São Paulo, Última Hora, de Porto Alegre e outros grandes veículos simplesmente não aceitarem publicar qualquer propaganda do governo enquanto a chantagem durar?

    O que impede, numa economia de livre mercado (mais ou menos, é verdade), que empresários, empreendedores, pequenos comerciantes e organizações civis (religiosas ou não) boicotem os os veículos chapa branca do governo e, em torno da bandeira de uma mídia livre e independente, não privilegiam os veículos não oficiais com seus anúncios?

    Como se trata de uma “guerra” e os dois lados estão bem definidos (a esquerda de um lado e o Brasil do outro) a questão da união não se aplica exclusivamente às lideranças populares de páginas de resistência do Facebook, mas deveria ser condição obrigatória em todos os níveis.

    Por que só um lado ataca e o outro se acovarda? É apenas o medo de perder uma polpuda conta de propaganda? Ou não temos proprietários das grandes mídias “do nosso lado”? Se eles existem, por que os que têm o maior poder de fogo contra o governo não estão se importando com a sujeição do povo brasileiro à escravidão socialista? Por covardia ou qualquer outro sentimento mesquinho?
    __________________________________________________

  8. Lembro-me de que a Globo e a Veja se posicionaram pelo impeachment de Collor, e ele caiu. Acredito que um apoio ostensivo a essas organizações, inclusive financeiro, de modo que elas multipliquem as denúncias e forcem, no mínimo, umas CPIs e pedidos de impeachment, seria bem o caso.

    • Não caia nessa. O Collor tinha o PT como oposição. O partido do bagunçaço partiu pra cima da criatura sem dó nem piedade. Aí foi fácil. Mas agora temos milhares de vendidos que não abrem o bico nem pra piar e estamos assistindo a uma aberração atrás da outra. Não nos enganemos, pois as circunstâncias agora são bem diferentes.

    • Isso mesmo: o PT é o especialista, por excelência, em assassinar reputações. O maior antro de cinismo e hipocrisia da história do Brasil. Por isso, a relativa facilidade no caso Collor (e, distintamente, a grande dificuldade no caso presente).

    • É impossível o PT abandonar seu partido amistoso,REDE GLOBO DE TELEVISÃO,Este é que trapaça no promocional debate nas eleições presidenciais,fazendo o povo acreditar em oposição e por conseguinte aplicam o golpe nas urnas eletrônicas.Esse instrumento de fraude é iniciado dentro da REDE GLOBO e terminado no TSE>.

  9. Em neu comentário anterior citei os órgãos públicos. Quanto às empresas públicas ou de economia mista (BB, CEF, Petro, Eletro…), realmente, há necessidade de denúncias ou mesmo CPI para que não se faça uso político, ou com interesses escusos.
    Mas, vale lembrar que o enviesamento praticado por estas empresas já é usado há muito tempo, vide o Flamengo/BR. Com dinheiro a vontade a nação nunca reclamou disso.
    A desculpa era que uma empresa como a BR tinha concorrentes da iniciativa privada e precisava se mostrar. Como não flamenguista, e sabedor da importância do produto Flamengo para manipulação de massas (e a própria Globo usufrui disso), nunca engoli.
    Já é hora de discussão séria sobre esses desvios de comportamento público. Mas não apenas pela grave situação política atual.

  10. Estou aqui ouvindo Joice Hasselmann com Ricardo Setti falando das indicações ministeriais. A crítica é sobre a absoluta falta de coerência dos ministros com suas pastas. São pessoas que não entendem patavinas dos assuntos de seus ministérios. São 39 indicados políticos que não sabem o que fazer (a não ser segurar a chave do cofre) com suas funções.

    • Sobre a maioria ter votado no PT não duvido, pois afinal, a crise brasileira é de aspecto moral e envolve todos.

      Entretanto essa tática monopolista entre montadoras e governo é antiga: Pátios lotados de carros, montadora demite, sindicato convoca greve de mentirinha, o preço dos carros sobe, o (DES)governo ‘intervém’ reduzindo IPI. A brazucada vai a loucura com a promoção “IPI reduzido”.

      Resultado: pátios vázios, montadoras, sindicato e governo de bolsos cheios e a brazucada com carnês de 80x para pagar. Isso faz tempo que é assim, bem antes do PT. O X9, há muito tempo atrás, se especializou nessa tática e a usa até hoje, no palanque da gorducha, para vender a melancia (verdinha por fora e vermelhinha por dentro).

      • Claro que tem caroço nesse angu embolorado. Mas os idiotas úteis são os últimos a saber das coisas e os primeiros a se ferrarem. Não posso esquecer da frase de uma dessas vítimas hoje: “Nunca pensei que isso fosse acontecer”. Ah, tá…

  11. MANIFESTAÇÃO CONTRA A CENSURA DE MÍDIA PRA AMANHÃ.
    Com cobertura da Veja e da editora Globo, que estão sendo as primeiras vítimas disso.

    QUEM TOPA?

    • Que tal imitar os franceses? Eu sou a Veja, já que falar isso da Globo é um pouco indigesto. Fazer uns adesivos e umas camisetas e protestar contra o terrorismo financeiro contra essas empresas. Que tal?

  12. Preocupante tal situação. Afinal, para muitos, que reclamamos da participação nanica da Globo nas criticas ao governo petista, saber que ela perderá e sofrerá cortes, é de se perguntar, por que cortarão, pois, afinal, quantos de nós somos informados da situação do governo e da corrupção pela programação da Globo?

    Se vão cortar pelos motivos citados do texto, é uma retaliação para dar exemplo aos demais. É como dizer: nós somos tão poderosos a ponto de amedrontar e fazer a poderosa Globo temer, tremei vós também!

    • E essa anta ficou caladinha quando a UJS atacou a sede da revista Veja, enquanto outros comunas, como Ivan Valente e Orlando Silva, elogiavam esse ato terrorista.

    • Não é “psicopatia” não. É estratégia muito bem coordenada. Não precisa desconstruir.

      Não sei de praticamente nada do que aconteceu em Paris, exceto que pessoas morreram em um atentado terrorista. Mas posso deduzir uma coisa: muito do ódio que as esquerdas pregam está contido nesse atentado à revista Charlie Hebdo. Por assim dizer, considero que esse atentado caiu como uma luva para os planos esquerdistas, que é ver o mundo pegar fogo, literalmente. Tanto que já saíram acusando a direita.

      P.S.: Pelo menos 2 dos 3 atiradores são “cidadãos” franceses, mas com o coração no oriente médio. Ou seja, esquerdistas turbinados pela vitamina de Alcorão com Marx.

    • Creio que seja islamofilia. Latuff é psicopata e não consegue dissimular isso. Laerte é um cretino. Eles são capazes de ideologizar até o terrorismo e culpabilizar as vítimas.

  13. Comente o caso de Paris,e os comentários dos esquerdistas e suas psicopatias .
    Laerte,Latuff todos eles condenando nas entre linhas os “islãmofobicos”

    • Poderíamos dizer: Não seria a primeira vez que a imprensa apoia uma ditadura para manter seus negócios. Eles não querem lutar pela democracia(apenas manter o $$$), Nós, o povo, que teremos que lutar pela imprensa independente.

    • Porquê a maioria absoluta das redes de televisão aqui no Brasil possuem débitos fiscais astronômicos com o governo. E aceitam quitar (parcelar seria a forma mais correta) esses débitos na tática da ‘troca de favores’: ficando calados sobre os escândalos governamentais. Em troca ainda ganham uns trocados via propaganda estatal.

      Também nunca devemos esquecer que as ‘redes de televisão’ se resumem a algumas famílias aqui no Brasil: é a decisão dessas famílias que as suas redes de TV fiquem caladas quando o governo produz escândalos atrás de escândalos. Afinal, mesmo uma rede de TV pode ter, na pessoa dos seus donos e acionistas, um trabuco apontado para a cabeça, principalmente quando o trabuco é um canhão do governo chamado Ministério da Fazenda.

      Essa tática de censura já é bem antiga e remonta à no mínimo uns 2000 anos atrás:

      http://en.wikipedia.org/wiki/Acta_Diurna

      Por incrível que pareça muito pouco mudou nesse tempo. Mesmo à 2000 anos atrás os jornais já eram censurados. E hoje tem muito esquerdóide que sonha em reviver a gloriosa Roma de 2000 anos atrás, principalmente os ‘castigatores’ romanos.

  14. Portudo isso eu defendo o conclave em Washington! A nossa melhor arma e jogar o mundo contra eles, como os alemães fizeram com o nazismo, segundo o professor Olavo de Carvalho! Contribuam para a realização do conclave em Washington em defesa da democracia e contra o foro de São Paulo e as fraudes nas urnas eletrônicas da empresa venezuelana Smartmatic!

    • Esse é outro assunto que tem muito pano para a manga. É o sonho paramilitar da turma dos fanáticos: um ‘exército’ paralelo, com poder de intervenção estadual. Ou seja, forças armadas petistas. É outro assunto tão grave quanto a mordaça na mídia.

      Realmente teremos um quadriênio de 2015 à 2018 bem emocionante se depender exclusivamente das decisões dos fanáticos.

  15. Alvaro Dias apela ao Judiciário para impedir a regulação da mídia
    5 de janeiro de 2015
    Email Share

    stfO senador Alvaro Dias (PSDB-PR) criticou, nesta segunda-feira (05/01), duramente a proposta do novo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, de regulação da midia. Para Alvaro dias, a determinação do atual governo é para censurar a midia e controlar a imprensa, impedindo o direto de liberdade de expressão. O tucano recomenda que o Poder Judiciário fique em alerta sobre essa disposição do Executivo.

    “O Poder Judiciário mantém juízes a postos para responsabilizar eventuais excessos por parte daqueles que escrevem diariamente nos veículos de comunicação. Cabe à Justiça, e tão somente a ela, o papel de arbitrar e de responsabilizar. Portanto, é inaceitável, sob qualquer pretexto, aprovar projeto para regular a mídia que, por trás, possui o objetivo claro de cercear e amordaçar a imprensa”, afirmou o senador.

    Em seguida, o tucano acrescentou que: “Quando as denúncias explodem nos principais veículos do Brasil, o PT volta a defender a regulação da mídia, como se desejasse amordaçar a imprensa para que a corrupção possa campear fagueira na clandestinidade do submundo do governo. É inaceitável”.

Deixe uma resposta