Carlos Latuff fala de “provocação rasteira” por causa das charges de Maomé. Que tal expormos a hipocrisia deste sujeito?

34
678

latuff

Em entrevista ao Globo, o militante de extrema-esquerda Carlos Latuff disse que nas charges de Maomé, publicadas pelo Charles Hebdo (jornal vítima de atentado terrorista na França, com 12 vítimas fatais), havia “provocação rasteira”. Veja:

Não vejo como critica ao islamismo uma charge de Maomé sem roupa, de quatro, com o traseiro para cima. Acho isso provocação religiosa rasteira. Eu critiquei e critico políticos e figuras públicas no mundo islâmico sem agredir a fé islâmica, da mesma forma que critico líderes israelenses sem atacar a fé judaica.

E tem mais:

Diria que tanto as charges de Maomé quanto as sátiras anti-islâmicas do “Charlie Hebdo” são reflexo desse sentimento antimuçulmano e anti-imigrante que há tempos vem crescendo no Velho Mundo.

É o suficiente!

Está claro que ele distorce os fatos e mostra um vergonhoso duplo padrão para tentar relativizar os crimes dos fundamentalistas islâmicos. É a eterna tática de lançar as culpas de diversas barbáries em suas vítimas. É assim que esse tipo de gente consegue dormir à noite, mesmo enquanto apoiam regimes genocidas que mataram mais de 100 milhões de pessoas no século XX.

Mas será que estou exagerando?

Então vejam charges do próprio Latuff sobre cristianismo e percebam como ele acha errado fazer “provocações gratuitas”:

latuff1

latuff2

latuff3

latuff4

Quer dizer então que é errado brincar com símbolos religiosos alheios, Latuff?

Está claro que qualquer um que seguir a linha moral deste sujeito ou tem algum tipo de distúrbio, ou possui um cinismo mórbido, incapacitando-o de perceber a diferença entre o certo e o errado.

Decerto Latuff tem o direito de fazer charges com o que quiser (esse é um direito que defendo), mas como ele pode criticar charges contra Maomé se faz exatamente o mesmo contra uma religião majoritária no Brasil? Claro exemplo de duplo padrão.

Mas a coisa ainda piora, pois não podemos esquecer de uma incitação à violência, quando Latuff disse que um garoto que matou pai e mãe, ambos policiais, merecia uma medalha:

latuff5

É esse tipo de relativismo moral bizarro que ajuda a incentivar atentados como este ocorrido contra o jornal Charlie Hedbo.

Protegidos por uma massa de militantes de extrema-esquerda que estão prontos para relativizar seus crimes, fugindo de qualquer noção de certo e errado, terroristas sempre contarão com gente como Latuff.

O jogo é simples, como vimos aqui: basta que ele relativize tudo, abuse da ausência deliberada de senso de proporções e passe a lançar a culpa nas vítimas, mesmo que tenha descido tanto, mas tanto a ponto de facilitar a vida de qualquer um que queira expor sua hipocrisia.

Anúncios

34 COMMENTS

  1. Esse maluco só acertou em um ponto: as charges do Charles Hebdo eram realmente desprezíveis.
    Mas é incrível como eles não conseguem se enxergar no próprio discurso culpista deles.

  2. Esse atentado na França fez uma horda de psicopatas saírem do armário. Tá realmente impressionante.
    Um exemplo no texto abaixo (segue o mesmo padrão de sempre: a culpa é do Ocidente, do imperialismo americano e etc. O retardado que escreveu ainda cita Bin Laden como cria do imperialismo americano, sendo que o dito cujo começou a carreira de terrorista quando a URSS invadiu o Afeganistão):

    http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/165837/Je-ne-suis-pas-Charlie.htm

  3. A reação massiva do mundo livre e até dos outros mundos contra a censura aos meios de comunicação deve estar dando dor de cabeça no Ministério das Comunicaçoes. E agora ?

  4. Há um fato que não se pode negar. As charges do Jornal Charles Hebdo são geralmente grosseiras e extremamente ofensivas não só com o Islamismo mas também com o Cristianismo. Utilizam de conotações sexuais e até pornográficas com símbolos religiosos em charges capazes de corar até alguns ateus.

    Basta procurar as capas no Google para perceber isto claramente. Logicamente isto não dá o direito a ninguém de matar as pessoas que lá trabalham, pois tal violência além de ilegal e imoral é baseada na total ausência de senso de proporções.

    Por outro lado, existe a lei da ação e reação. Eles sabiam que estavam “mexendo em um vespeiro” e pagaram pra ver. Cristãos não tem como habito, praticar atos terroristas contra aqueles que os criticam ou sacaneiam, porém nem todas as religiões possuem crentes tão tolerantes.

    Mal comparando, se seu vizinho é da Máfia e não gosta de música alta e você insiste no seu direito de ouvi-la na maior altura, o resultado disto poderá não ser muito bom.

    • Quando você escreve que eles “sabiam que estavam mexendo em vespeiro”, eu entendo que vc não está justificando mas vc precisa entender que essas pessoas vêm de culturas que não costumam tolerar pensamento divergente. São bárbaros que querem impôr sua visão de mundo sobre nós, que cultivamos valores como liberdade de opinião. Logo, eu concordaria com vc q o Charlie Hebdo estaria “mexendo no vespeiro” se ele funcionasse em países islâmicos ou enviasse correspondentes pra lá. A França não é território sob controle desses bandidos. Se eles acham ruim a liberdade de opinião no país, basta ir embora.

      Quanto à analogia que vc fez com a música alta, ela não é 100% correta. No caso do Charlie Hebdo, se você não gosta do que eles publicam, vc não é obrigado a ver. É só boicotar o jornal. Não leia, não compre, faça propaganda negativa.

      No caso do vizinho mafioso, de qualquer maneira o som alto estaria invadindo a casa dele. Ou seja, ouvir som alto não é direito pq é o mesmo que obrigar o vizinho a fazer uma coisa que vc não sabe se ele quer.

      Escrevi sobre isso no meu blog. Dê uma passada lá: http://www.minoriadeum.blogspot.com.br/2015/01/do-patrulhamento-politicamente-correto.html?m=0

      • Caro Ângelo, realmente estas pessoas são em sua maioria intolerantes, querem impor sua “verdade” e com frequência perseguem os fieis de outras religiões que vivem em países islâmicos.

        Realmente a França não território do controle deles, porém é inegável que há uma grande parcela de população muçulmana vivendo lá legalmente e isto provavelmente motivou o Charlie Hebdo a focar seu trabalho nestas questões. Quanto a não comprar o jornal, tudo bem, mas suponho que as edições ficassem expostas nas bancas de forma que inadvertidamente as pessoas viam as charges se sentindo ofendidas.

        Quero deixar claro, que o estado não deve cercear a liberdade de expressão e nem devemos culpar a vitima pela sua própria desgraça, porém o mundo está cheio de grupos de fundamentalistas intolerantes criados em uma cultura totalmente diferente da nossa e que odeia a liberdade.

        Quem provoca, e escarnece de forma obscena e contumaz de questões que são sagradas para um grupo que é notoriamente conhecido pela sua intolerância e ódio a cultura ocidental, está se arriscando de forma deliberada, mesmo que tenham este direito assegurado.

        Fica a questão, será que tudo que é legal é moralmente aceitável ou mesmo prudente?

      • R. Costa, eu entendo seu ponto de vista e sua preocupação faz sentido. De fato, debochar do islamismo foi, no mínimo, insensato por parte dos cartunistas do Charlie Hebdo porque eles entendem bem a reação dos radicais muçulmanos a esse tipo de provocação.

        Agora dê uma olhada nessa imagem

        http://beatricequet.20minutes-blogs.fr/media/02/00/737304035.jpg

        Vou supor que você é cristão.

        Se você for, sinceramente, você tem vontade de matar quem fez isso?

        Pelo que você escreveu nas suas intervenções, eu aposto que não.

        Agora, sabe por que você não iria assassinar quem fez isso? Não é porque você (mais uma vez suponho) seja um cristão pouco devoto porque eu tenho certeza que o papa Francisco também não assassinaria quem fez isso (João Paulo II levou um tiro de um bandido, perdoou-o e foi visitá-lo na prisão). Você não mataria o imbecil que fez isso porque você NÃO É UM ASSASSINO.

        Olhe essa aqui também.

        http://www.douradosagora.com.br/media/images/502/25078/tmp/wmX-369x309x3-51f537b7094d242e821e2db0ea1fe3d0ae50b5372e9a4.jpg

        Será que se estivessem num evento islâmico em Teerã, esses covardes sairiam incólumes como saíram? Sabe por que ninguém sequer os agrediu? Porque ninguém ali é assassino. Todo mundo ali sabe que por mais ofensivos que esses vermes sejam, ELES NÂO MERECEM MORRER.

        Finalmente, sabe por que aqueles bandidos desprezíveis mataram 12 em Paris? É porque, pra eles, devoção religiosa é desculpa para matar. Eles não são fiéis de verdade. São apenas carniceiros que usam a religião para saciar sua sede sádica de sangue e destruição.

      • Reinaldo cantou a pedra: algum chefe islâmico repudia ações terroristas? Não. A comunidade islâmica repudia publicamente atos terroristas? Quem cala consente, não é mesmo. Essa charge contra o cristianismo é um horror, mas Jesus disse que não devemos pagar mal com mal. Deus proibiu o assassinato já nos Dez Mandamentos. Então, só devemos boicotar esse tipo de publicação.

  5. Pessoas como este sujeito são um poço sem fundo de ausência moral e ética. Nojento, lixo humano. O Brasil só evoluirá de fato quando se tornar livre desta hegemonia da esquerda ralé que está impregnada no ambiente sociocultural do país, nas nossas universidades (principalmente as públicas), que são verdadeiros criadouros de zumbis vermelhos, nas redações da maioria dos jornais e televisão, que são infestadas de gente que usa e abusa da desonestidade intelectual e do duplo padrão moral. É INACREDITÁVEL como um jornal da envergadura do Globo de espaço para um sujeito que escreve essa boçalidade absurda em relação à morte do casal de policiais de São Paulo. Enquanto isso a Rachel Sheherazade está amordaçada pela truculência e autoritarismo de gente da mesma laia deste traste.

  6. Luciano, a nível de desmascaramento, também não seria proveitoso rebater a afirmação de que “as charges (…) são reflexo desse sentimento antimuçulmano e anti-imigrante” com as capas da Charlie Hebdo que também blasfemavam contra o cristianismo?

  7. Nunca tinha tido o desprazer de ouvir o nome (Maluf,digo,Latuff) desse indivíduo. Mas agradeço por ter sido apresentado ao tal, pois agora está esta incluído na minha lista particular de pessoas que abomino e sequer admitiria cruzar com o dito cujo na mesma calçada. Eu atravessaria a rua com certeza já que com caras assim de duplo padrão (i)moral não se brinca.

    • Defende o Hamas, que executa gays em praça pública apenas pelo fato de serem gays. De um cara que quer dar uma medalha para um garoto que assassinou os pais, bem, não é de se surpreender… sede de sangue. Esse aí merece entrar numa lista negra, bem negra, escura…

  8. O Latuff é o símbolo do duplipensar… Dia desses ele fez uma charge anti-feminista. As feministas disseram que iriam castrá-lo como corretivo (comportamento típico do público que segue esse psicótico). Como resultado, ele fez uma charge pró-feminista onde disse não ter direito de opinar sobre feminismo e se reduziu a condição de machinho mangina.

  9. Carlos Latuff é o nome do psicopata então. Pensei criar algum apelido pra ele como gosto de fazer com os demais no picadeiro, pensei Carlos Laputa, mas, não, vou usar o nome original dele pois ele merece esse ibope. É feio, ridículo, tem cara de chato, suas charges são mal coloridas, então poderia dizer que ele nem merece ibope e atenção, mas ele merece sim: merece ibope como psicopata. Como apologista de violência. Como defensor de grupos terroristas que executam gays, os quais ele finge defender nas charges que ataca cristãos.
    Carlos Latuff: apologista de violência, que declara que quer presentear um assassino. Por dizer que entendia a revolta de uma população indefesa que amarrou no poste um BANDIDO, Rachel Sheherazade foi malhada por essa turma (felizmente, só entra a turma de corrompidos e sanguinários mesmo, pessoas de bem notaram e se sentiram representados com o discurso dela). Já esse Carlos Latuff vem dizer que deviam dar um presente para um ASSASSINO, e fica por isso mesmo.
    E agora ele vem CULPAR os cartunistas pelos ataques que sofreram. Justificou e apoiou então os ataques. Se esse Carlos Latuff não é um psicopata sanguinário, me digam o que é.

    Estamos de olho. A nós você não engana. E a partir de hoje me dedicarei, sempre que me houver brecha para isso, a espalhar o quanto esse cidadão é sanguinário. Ele terá o ibope que nunca teve com essas charges que fez. Terá o ibope de sujeito apologista de violência e defensor de assassinos que é.

  10. Segundo nossa lei penal (brasileira) a conduta ofensiva ao sentimento religioso constitui crime. Vejam:

    “DOS CRIMES CONTRA O SENTIMENTO RELIGIOSO

    ULTRAJE A CULTO E IMPEDIMENTO OU PERTUBAÇÃO DE ATO A ELE RELATIVO

    Art. 208. Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso;

    Pena – detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.

    Parágrafo único. Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente violência.

    Bem jurídico: Tutela-se a liberdade individual de ter a crença e culto, seu sentimento religioso, independentemente da religião professada.”

    Entre nós não se trata de simples questão de “liberdade de expressão”, como se vê.

    Entendo que o “mas” no caso é cabível, porém sem contemporização com a barbárie.

    Ações como essa dos terroristas devem ser punidas com toda severidade, por incompatíveis com o Estado de Direito. Ponto.

    De outra parte, contudo, os sentimentos religiosos e não religiosos devem ser protegidos pelas leis, o que significa que a liberdade de expressão deve ser relativa, em nome da convivência pacífica entre as pessoas. A crítica às religiões e à falta delas devem ser toleradas, mas não a sua ridicularização e o desrespeito aos sentimentos religiosos e não religiosos.

    Como expus em outro comentário, nossa lei penal tutela o sentimento religioso e isso, a meu ver, é correto. Só acho que o mesmo deveria haver em proteção ao sentimento ateu.

    De todo modo, a liberdade de expressão não deve ser, em minha opinião, absoluta.

    • Queria ver se o desenhista de porta de banheiro (a.k.a Latuff) faria o mesmo desenho subistituindo Cristo por Maomé.
      Ele pode até ser um idiota útil, mas não é burro.

  11. As charges contra o islamismo são grosseiras, é? Tadinho! As suas são o quê, seu bostinha? Cara você é mesmo um merda, e o pior, para alguém que quer ser cartunista, te faltam duas coisas essenciais: talento e HUMOR!!!
    Por favor, nasça de novo e tente novamente. Nessa encarnação você veio como verme.

  12. Aqui temos mais um testa de ferro do inferno defendendo os terroristas e culpando as vítimas:

    http://www.revistaforum.com.br/blog/2015/01/entrevista-reginaldo-nasser-ataque/

    “Professor de Relações Internacionais da PUC-SP Reginaldo Nasser discute a diferença de tratamento entre o atentado à revista francesa Charlie Hebdo e o ataque realizado em 2011 na Noruega: “Quando se descobriu que o autor era de extrema-direita, a explicação foi de que era um louco. Quando se trata do islâmico, a tendência da grande mídia é associar um a todos”

    Aqui a tática adotada é outra. Estão tentando desassociar a ideologia islâmica do ataque em Paris. Ou seja, para as esquerdas agora, a motivação dos loucos islâmicos foi ato individual, sem nenhuma relação com a ideologia. Assim ele tenta provar… =)

  13. 99,9% da populacao do mundo nunca ouviu falar de Charlie Heddo e muito menos do Latuff!
    mas sao minorias barulhentas
    esse lLatuff ai poderia se mudar para um pais muculmano, ou uma ditadura comunista onde ele se sentiria feliz e confortavel. Ninguem o impede de fazer isso, vivemos numa democracia.
    So acho que intetesses financeiros de grande porte estao por tras destes atentados, os idiotas que os executaram logico, sao idiotas , mas atras deles tem quem financiou sua doutrinacao e treinamento,
    e fico me perguntando, foram la mataram uma duzia de pessoas foram cacados e mortos , vai as comocoes de praxe, e isso tudo serviu para?
    Nada! A nao ser a tragedia para as familias dos diretamente atingidos.
    o mundo nao vai mudar.
    seria mais util plantarem arvores, quem detiver agua e ar , tera o poder
    o resto e barbarie, ninguem sobrevivera a um banho de sangue envolvendo todo o planeta.
    burros!

Deixe uma resposta