A BLOSTA se irrita contra Rachel Sheherazade. Compreensível: ela acertou na mosca ao comparar o terrorismo contra o Charlie Hebdo com o ódio petista à liberdade de imprensa

34
116

Rachel-Sheherazade-1

Depois de Rachel Sheherazade ter falado verdades doloridas sobre a semelhança de princípios entre o atentado ao Charlie Hebdo e o ódio à imprensa livre no Brasil, a BLOSTA, como não poderia deixar de ser, ficou com os nervos em frangalhos. Aí tudo chegou até a ser engraçado.

Altamiro Borges disse, chegando ao nível do esgoto ao chamá-la (em uma imagem) de “jornazista”:

O oportunismo da jornalista beira o absurdo. Rachel Sheherazade desconhece ou finge não conhecer a história da publicação francesa, famosa por suas origens de esquerda e por sua ácida irreverência contra tudo e contra todos – expressa no seu slogan “Um jornal irresponsável”.

Bem diferente da “Veja”, que é uma expressão das elites e das forças mais conservadoras e preconceituosas do Brasil. O panfleto da famiglia Civita nunca teve nada de “independente”. Comparar as duas publicações, aproveitando-se do trágico episódio em Paris, é pura má fé ou cavalar ignorância.

O Pragmatismo Político vai na mesma toada:

Rachel Sheherazade comparou Charlie Hebdo à Veja. No entanto, publicações encontram-se em espectros políticos e ideológicos completamente opostos. Outra distinção fundamental é que, ao contrário do Charlie Hebdo, revista Veja sempre caminhou ao lado dos poderosos.

De novo, mais uma entregada!

Na verdade, o discurso dizendo “ele é dos poderosos, eu sou dos oprimidos” é sempre conversa fiada quando proferido pela extrema-esquerda. Quando notamos que o estado totalitário é uma entidade mais poderosa que qualquer empresa, percebemos que são os ultra-esquerdistas que defendem os poderosos, esmagando os oprimidos. Basta ver como vive o povo da Coréia do Norte e da Venezuela, em comparação com seus líderes, estes últimos vivendo como sultões.

Mas o mais grave (eis a entregada) é a confissão deles dizendo que as diferenças não estão nas ações em si, mas na forma como as vítimas são “vendidas ao público”. Ou seja, um assassinato deixa de ser um assassinato se eles conseguirem convencer uma parte de seu público de que a vítima está “do lado dos poderosos”. Eles, sem querer, acabaram validando o atentado ao Charlie Hebdo.

Tanto quanto os terroristas que mataram os jornalistas do Charlie Hebdo, os colunistas da BLOSTA vendem suas vítimas como “os poderosos contra os oprimidos”, a partir daí sentindo-se justificados a praticar qualquer monstruosidade que lhes apetecer. Os blogueiros governistas podem até dizer que eles estão vendendo o Charlie Hebdo como “defensor de oprimidos”, mas não é assim que os islâmicos o tem vendido. Todo ato de violência extrema tem sido barbaramente justificado por terroristas islâmicos e ultra-esquerdistas a partir do momento em que eles definem seu adversário como “opressor contra oprimidos”. E nisso os terroristas islâmicos e os ultra-esquerdistas são exatamente iguais. Rachel Sheherazade acertou na mosca.

Em resumo, os blogueiros governistas tentaram dizer que os casos são diferentes, mas acabaram nos mostrando o quanto são similares, principalmente pelo seu comportamento de tentar validar uma das violências a partir do momento em que o agressor toma a decisão de vender seu oponente como “representante dos poderosos”. O que, no caso da Veja, é uma mentira clamorosa, já que os maiores detentores de poder administram empresas como Petrobrás, Correios, Banco do Brasil e toda a receita obtida de impostos no Brasil. Os poderosos estão no PT.

Como estamos em pólos morais opostos em relação aos governistas, podemos racionalmente entender o quanto Rachel Sheherazade foi irretocável em sua argumentação. Pessoas moralmente sadias entendem que não faz diferença se uma publicação ataca os poderosos (como a Veja, que tem denunciado um governo excessivamente poderoso) ou se os auxilia (como o Charlie Hebdo, que defende os burocratas detentores de poder no estado inchado), no momento de denunciarmos crimes cometidos contra essas publicações. Ambos são crimes bárbaros e devem ser denunciados.

E, é claro, pessoas sem o menor traço moral vão continuar sem entender a similaridade, e nem mesmo a inesquecível frase de Voltaire: “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.”

Para eles, se você é discordante, merece violência. E se está do lado deles, não merece violência. E quem quiser comparar os dois crimes é “fascista”.

Anúncios

34 COMMENTS

  1. Mais uma confissão deles! Veja que eles pensam que um ataque terrorista pode ser certo ou errado dependendo da posição política da vitima! Sherehezade supostamente não poderia defender o Hebdo por este ser de esquerda, e nem pode-se marcar um paralelo com o ataque a editora Abril, pois o eles tem um julgamento seletivo onde o repúdio a violência terrorista está condicionada a posição política da vitima no espectro politico, querendo dizer que a Veja sim pode ser legitimamente atacada…

    Em suma a mente do esquerdista funciona assim: “quem discorda da gente pode ser atacado, isso é certo, o errado é quando quem concorda conosco é atacado”. Dois pesos.

  2. Na verdade a cruzada está em curso. Falemos do Brasil, de um lado os fascistas representados pelos defensores da implantação do comunismo na América Latina representados pela camarilha da esquerda alimentada pelos impostos desviados quer de forma direta ou indireta via mensalão, petrolão, gasodutos construidos por empresas de fachada e etc. De outro lado, aqueles que ousam se contrapor ao status quo, como jornalistas sérios que atravez de opiniões equilibradas se manifestam em seus meios de trabalho se expondo a uma camarilha desqualificada que enxerga inimigo em tudo, amendrontados de perder a fonte de renda que abarrota seus bolsos de deliquentes.

  3. Reinaldo Azevedo não admite crítica alguma ao pessoal assassinado do Charlie Hebdo, nem mesmo a verdade de que faziam sátira ofensiva e desrespeitosa, acusando quem faz a ressalva de relativizar o crime do fundamentalismo islâmico. Está “metendo o pau” em um jornalista estrangeiro que procurou ser imparcial.

    Para RA, pelo visto, os assassinados não podem ser criticados, pois qualquer crítica a eles enfraqueceria a defesa da “liberdade de expressão”. Então tá!!

    Este é o mesmo RA que não reconheceu a liberdade de expressão ao deputado Jair Bolsonaro, que apenas retribuiu uma ofensa anterior.

    Haja incoerência e injustiça!!!!

    • Na verdade, você pode criticar as charges e achar de mal gosto. Até boicotar o jornal. Mas aí seu direito termina. E de forma alguma fazer charges te iguala aos criminosos, nem justifica qualquer crime.

      O que é deselegante é usar as críticas aos jornalistas hoje como um ATENUANTE dos assassinatos, que é o que alguns tem feito.

      E o RA errou no caso do Bolsonaro, que, assim como o pessoal do Charlie Hebdo, fez uma piada deselegante (chamou Maria do Rosário de mocréia).

      Este blog defende tanto o direito de Bolsonaro como do Charlie Hebdo de fazer sátiras e piadas.

      • Sinceramente, eu até gostava do RA, mas ultimamente tenho achado ele um lixo. Eu sabia dos ataques histéricos ocasionais dele, mas ele me parece uma pessoa extremamente incoerente, dando aqui e ali sinais de que não conseguiu abandonar completamente seu passado trotskista. Acho que atualmente o melhor colunista da Veja é o Felipe Moura Brasil, e o Rodrigo Constantino também é muito bom, já o Reinaldo tem deixado muito a desejar.

        Criticar o Charlie Hebdo pode ser uma ótima maneira de demonstrar às pessoas como nós defendemos a liberdade de expressão ATÉ MESMO PARA QUEM NOS CAUSA INDIGNAÇÃO. Fiz isso outro dia em meu facebook. Mostrei uma capa deles, em que eles exibem a Santíssima Trindade praticando uma orgia gay, expondo o nível do lixo que eles publicavam, e defendendo que APESAR DISSO, eles NUNCA poderiam ser alvo de violência, como nunca foram ameaçados nem agredidos por cristãos. Terminei com a frase “Essa é a diferença entre nós e eles. Entre pessoas civilizadas e selvagens.” Não sei se o Reinaldo não vê isso, ou se ele não quer ver.

      • Ô Jeferson, você chama de civilizados os tribunais da Inquisição ou a fogueira em que eram jogadas as pessoas acusadas de hereges e bruxas.

    • Muito se fala da incoerência em usar a atitude imoral dos cartunistas para justificar os ataques. No entanto, há outra falha grave no raciocínio: santificar os cartunistas apenas porque estão mortos, impedindo qualquer juízo imparcial sobre suas atitudes. Como se o fato da pessoa sofrer uma injustiça fizesse suas ações passadas mais nobres.

      Ambos os casos significam analisar ações com base em um estado ou característica arbitrário da pessoa, e não pelas próprias ações e suas circunstâncias. É exatamente isso que o RA parece estar fazendo, e é mais um sintoma de que deixou de lado um raciocínio saudável em troca dos cacoetes esquerdistas de julgar o mundo segundo castas.

      Infelizmente, já o considero quase um caso perdido. Além desse caso e da polêmica do Bolsonaro, ele simplesmente ignorou a adoção do decreto bolivariano pelo governo estadual paulista, apenas porque mexia com o PSDB. Fico perplexo como mesmo alguém estudado e inteligente pode ser contaminado com essa verdadeira doença do espírito.

  4. “Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las” nunca foi dito por Voltaire. Esta frase foi elaborada por uma biógrafa de Voltaire, a escritora Evelyn Beatrice Hall (1868-c. 1939) – que durante um tempo usou o pseudônimo S. G. Tallentyre, em um livro de 1906 chamado “The friends of Voltaire”.

  5. Nada justifica o massacre ao jornal na França…….Porém essas sátiras ofensivas nas nossas escolas seriam classificadas como BULING………Fica a dica ……Liberdade de imprensa é uma coisa e concordo mas sem ofensas …..

  6. Luciano, por que você não publica meu último argumento no outro post, onde defendi jefferson? Você atualiza os comentários, mas não libera o meu.

  7. Digo uma coisa apenas: Muita gente, mas MUITA gente mesmo confunde liberdade de expressão com falta de respeito. “Falo o que quero para quem bem entender, afinal é meu direito” e depois não aguenta as consequências. Não estou justificando a morte de ninguém, afinal, nada, absolutamente NADA justifica uma ação do tipo, porém sabendo-se de como os extremistas do islã são, estes cartunistas brincaram com a sorte. Leiam o texto de Leonardo Boff sobre o ocorrido e o outro lado da moeda e tirem suas conclusões:

    https://leonardoboff.wordpress.com/2015/01/10/eu-nao-sou-charlie-je-ne-suis-pas-charlie/

    * PS: Não estou promovendo este blog. Apenas quero mostrar um lado que muita gente não parece ter notado.

    • Texto vagabundo esse do Boff.

      Essa parte aqui é risível:

      “O fato é que elas são perigosas, criminosas até, por dois motivos. O primeiro é a intolerância. Na religião muçulmana, há um princípio que diz que o Profeta Maomé não pode ser retratado, de forma alguma. Esse é um preceito central da crença Islâmica, e desrespeitar isso desrespeita todos os muçulmanos. Fazendo um paralelo, é como se um pastor evangélico chutasse a imagem de Nossa Senhora para atacar os católicos… Qual é o objetivo disso? O próprio Charb falou: “É preciso que o Islã esteja tão banalizado quanto o catolicismo”. “É preciso” porque? Para que?”

      O que há de “criminoso” em colocar tinta em um papel satirizando Maomé? Se fosse Putin, poderia? Se fosse Lady Gaga, poderia? Se fosse o Mickey, poderia?

      Vivemos em um estado laico. Se Maomé não pode estar em charges, nenhum personagem simbólico poderia. E aí?

      Eu acho difícil e absurdo irmos para essa seara.

      • “Fazendo um paralelo, é como se um pastor evangélico chutasse a imagem de Nossa Senhora para atacar os católicos…”

        Não me dignei a entrar no site… mas se o boçal fez esse paralelo é um cínico descarado… pois não fez menção nenhuma sobre as reações, até onde eu lembro isto aconteceu realmente, o cara chutou a santa em frente as câmeras, o que aconteceu? recebeu um processo, uma chuva de reclamações, repudio da comunidade católica, até mesmo da comunidade evangélica… no caso dos islâmicos, os cartunistas receberam uma chuva de balas, é comparar o incomparável.

      • Bota cinismo e hipocrisia!

        Onde estava Boff – anticatólico de carteirinha – para questionar o objetivo e a falta de respeito de pseudo artistas que fizeram uma “performance” por ocasião da JMJ no Rio, 2014?

        Dia após dia vêem-se matérias para lá de preconceituosas em relação ao Cristianismo, que também é esculhambado em novelas e programetes de tv, internet, salas de aula de ensino médio e superior. Nunca li uma vírgula desse sujeito nem presteza em repudiar tais agressões e defender a religião cristã com o mesmo zelo que faz agora com os intolerantes muçulmanos.

  8. É sempre o velho discurso de mídia das elite, esse discurso sim, agrada quem realmente tem ‘complexo de vira-latas’, se acha o coitadinho e oprimido.
    Para quem não ouviu o que Sheherazade disse, vai aí o vídeo:

    • JÓ EU SOU BOLSONARO . ELA FALOU MERDA PARA O BOLSONARO E ELE RESPONDEU A ALTURA NESSA MULHER NOJENTA …E APOSTO QUE NÃO VIRA NADA POIS ELE ESTA CERTO ..E QUERO QUE VC E ESSAS DUA PORCARIAS QUE ESTÃO FALANDO MAL DO SR BOLSONARO SE FODAM

  9. Esse Leonardo Boff é um bofe estragado mesmo. O cara só tem um pensamento: a esquerda é o Paradise. Paradise é pros amigos do rei, o resto padece no inferno das prisões sem grade. Aliás, eu sou totalmente contrária à falta de liberdade de expressão. Quando era criança se meu pai me desse uma surra, eu me conformava; mas se ele me mandasse calar a boca, ficava muito ofendida. Mordaça jamais.

  10. Em primeiro lugar, o tal Catamilho Corjes pode ser processado por dizer, assim Boechat careca brocha já o havia dito, que Rachel Sheherazade é nazista. Acusar alguém de nazismo dá processo. Espero que Rachel não deixe passar mais essa chance de humilhar na justiça esse ajoelhador de milho.

    E a respeito desse chororô mela cueca deles, é muito simples: PORRA, a BLOSTA é quem mais tá se aproveitando desse caso, pois também está comparando OS JORNAIS DO BRASIL, inclusive, as publicações da família CIVITA, que querem que creiamos serem os grandes vilões do Brasil, com o ocorrido na França. Também tão comparando tudo, mas fazendo uma mistura curiosa, dizendo que é preciso censura de mídia aqui pra que não aconteça o que aconteceu lá. Censura de mídia em cima de quem? Das publicações da família Civita, é claro.
    É muita canalhice, é o “acuse-os do que estamos fazendo”. É preciso invadir esses sites com comentários para mostrar que esses truquezinhos de merda deles não funcionam mais.

  11. Rachel Sheherazade sendo mais uma vez fantástica e precisa com as palavras e as ideia. Tem realmente TUDO a ver o terrorismo com a esquerda brasileira. Eu inclusive acho que tudo, TUDO está diretamente conectado… é como se tudo isso já tivesse sido orquestrado décadas atrás.
    Não chamo nem de teoria… é um simples palpite… Está acima da minha capacidade de compreensão… mas me preocupa.

  12. estão acusando a Raquel sem conhecer as leis que estão sendo editadas e enviadas ao congresso, o PL 36, decreto lei 8243, PEC 41 e 51, (PDC) 1411/13 passaporte livre pra 10 paises terroristas, e quer tornar o islamismo obrigatorio no Brasil…algumas ja aprovadas, tirou o poder do congresso e passou ao ministro de defesa, dando a ele o poder de chamar exercitos de outras nações para cobater aqui, quem esta realmente informado, entende tudo que a Raquel esta dizendo…

  13. Enquanto todos discutem a p0rr4 francesa, o governo brasileiro continua colocando no nosso r4b0. Agora vem no Brasil dizer “liberdade de expressão”. Deixa os caras que se matem. Isso acontece há milênios. É tipo do cara que olha o vizinho cortando a grama com inveja porque na dele ele não faz nada e só cresce mato. Aqui no Brasil tá pior que o Islâ. será que ninguém se tocou disso ainda ? Tem favela do Rio mais bem armada que o Estado Islâmico. E outra: se o fanatismo religioso impera por lá, por aqui o crack impera também. Lá se mata por religião e aqui, pela droga. Qual é o pior ? Aí vem a Presid4nt4 mandar condolências aos mortos do atentado, sendo que ela mesma já explodiu cofres de políticos quando era terrorista. E se ela (a Gilminha) explodiu cofres do governador de SP, imagina o que faz agora que tem o cofre aberto só pra ela. Parem de ficar falando dessa m3rd4 de liberdade de expressão, enquanto faço um comentário em vários Blogs tenho que ser “autorizado por um moderador”. Deixe-me falar então!. Todos querem ter voz, mas ninguém quer mais escutar. Essa é a verdade.

Deixe uma resposta