Prefeito holandês manda a real para radicais do Islã: “não encham o saco”

24
155

prefeito_holandes

Travar diálogo com os radicais da esquerda (a respeito dos radicais do Islã) ultimamente tem sido impossível. Ele não conseguem se fixar nos argumentos, sempre apelando à chantagem emocional. Além de tudo, fazem diversos malabarismos retóricos para esconder o fato de que a demanda pedindo que os islâmicos residentes na Europa se adequem às leis da Europa é justificadíssima.

É pedir muito? Se os europeus se adequam às leis dos países islâmicos, quando estão por lá, por que os islâmicos não podem fazer no mesmo no Ocidente? Na visão da extrema-esquerda pedir isso é “islamofobia”. Enfim, desista de conversar com qualquer um deles que tenha tentado esse ardil.

Mas Ahmed Aboutaleb, prefeito da cidade holandesa de Roterdã, mandou a real de forma bem clara, conforme vemos na matéria Muçulmano, prefeito holandês faz sucesso após mandar radicais “não encherem o saco”, do Globo:

As reações aos ataque terroristas na França na semana passada foram as mais diversas possíveis — e surpreendentes. O prefeito da cidade holandesa de Roterdã, o imigrante marroquino e muçulmano Ahmed Aboutaleb, criticou os islâmicos radicais que vivem na Europa e cometem atos de intolerância como os atentados em Paris. O vídeo se espalhou pela internet, e a atitude dele ganhou elogios de líderes como o prefeito de Londres.

— É incompreensível como você pode se pôr contra a liberdade. Se você não gosta dela, por favor pegue suas malas e vá embora. Deve haver algum lugar ao qual você pertença. Seja honesto consigo mesmo, mas não saia matando jornalistas inocentes por aí. Isto é tão retardado, incompreensível. Vá embora se você não aceita viver nesta sociedade por querermos pessoas bem-intencionadas — dispara Aboutaleb, que gere a cidade de mais de 600 mil habitantes, em depoimento a uma TV local no dia do ataque ao ‘Charlie Hebdo’.

Antes de pedir que os radicais “não encham o saco”, ele lamentou a forma como os islâmicos integrados à sociedade passaram a ser tratados.

— Queremos que todos os bons muçulmanos que agora estão sendo vistos com suspeita vivam unidas em nossa sociedade. Se você não aceita que humoristas façam um jornal, não encha o saco.

Boris Johnson, prefeito londrino, disse que Aboutaleb foi “heroico e direto”.

“Esta é a voz da iluminação, a voz de Voltaire. Se precisamos vencer a luta pela consciência destes jovens, é este tipo de voz que precisamos ouvir. Acima de tudo, o que vem de um muçulmano”, escreveu no ‘Daily Telegraph’.

Aos 53 anos, Aboutaleb é o primeiro imigrante a conseguir ser prefeito na Holanda. Filho de um imã, ele chegou do Marrocos aos 15 e se graduou em jornalismo, trabalhando como repórter antes de se tornar secretário de Assuntos Sociais e Emprego da cidade. Pelo Partido Trabalhista Holandês, foi eleito em 2008 e ficou marcado como um político pró-integração de imigrantes na sociedade local.

Tem como ser mais claro que isso?

Não há uma regra lógica que derive no fato de que os islâmicos devem ter o privilégio de viver sob as leis de suas nações enquanto vivem… nas nações dos outros. A demanda pedindo que violemos as regras do estado laico e da liberdade de expressão apenas para proteger “sentimentos religiosos” islâmicos é uma afronta ao bom senso.

O senso comum é bem claro: na França, as regras a serem seguidas são da França. Na Holanda, as regras a serem seguidas são da Holanda. Para quem não gostou a porta da rua é a serventia da casa.

E antes que a esquerda grite “islamofobia”, lembro de novo que Ahmed Aboutaleb é muçulmano.

Anúncios

24 COMMENTS

  1. Segue o vídeo, cujo link está na citação do Luciano e que sugerirei para ele que edite a postagem e o deixe em uma janelinha para o pessoal ver:

    http://www.youtube.com/watch?v=MsOBjkCyCj8

    E isso mostra que pode estar surgindo um antijihadismo fortíssimo entre os muçulmanos, que na prática pode acabar fazendo com que os jihadistas tenham de ficar pianinho a longo prazo. Some-se a isso o policial francês chamado Ahmed e o muçulmano que salvou 15 judeus da morte no mercado kosher.

      • Salve. Então você está dizendo que Maomé foi um péssimo muçulmano… cuidado, viu? Assim você ofende o profeta dos musins…
        O califa do ISIL é doutor em leis e ciências islâmicas, assim como o líder espiritual dos açougueiros da Nigéria, então eles devem saber com mais fundamento o que seja ou não islâmico do que aqueles lamentáveis “especialistas” da Globo.
        A “Grande Jihad” é um conceito altamente heterodoxo (sufista) e que implica em distinguir um “corão de Meca”, os versículos mais antigos, místicos e gerais, dos contidos no posterior “corão de Medina” versículos mais políticos e casuísticos.
        Amadou Bamba teve suficiente sucesso em influenciar o islamismo senegalês nesse sentido.
        O Wallabismo patrocinado pelos sauditas

      • Sorry, escorregou… Bom, acho que só Amadou Bamba teve suficiente sucesso em influenciar a comunidade islamica nesse sentido, mas o Wallabismo patrocinado pelos sauditas vai lhe fazendo perder terreno na prática religiosa das massas.

  2. Por acaso este prefeito não seria esquerdista? Os esquerdistas “piram” quando um dos seus tem um “mínimo” de bom senso e respeito as leis e costumes.

  3. “E antes que a esquerda grite “islamofobia”, lembro de novo que Ahmed Aboutaleb é muçulmano”

    Bom, como essa turma é desonesta é bem capaz que eles digam que o prefeito sofre de “islamofobia internalizada”.

    Ainda sobre o Islã, eu gostaria de saber se você compartilha a idéia de Reinaldo Azevedo, que diz que a Turquia não é uma democracia.

    • apesar de o presidente Erdogan ser moderado e pró União européia, a Turquia ainda está sobre forte influência do secularismo islâmico, e assim como no Brasil, a democracia ainda não está totalmente consolidada, os turcos ainda tem muita luta pela liberdade adiante.

  4. É exatamente o que sempre pensei. Se o indivíduo ,um imigrante, não está satisfeito ou não aceita as regras do seu novo país, é simples volte para casa. Lá não terá do que reclamar. Há muita miséria, pobreza e desolação por lá? Sentimos muito mas não reclame.Paciência.
    Fico honestamente revoltado com esse tipo de pessoa que desfruta do bom e do melhor do país que o acolhe e ainda se acha no direito de impor suas vontades ou fazer o que lhe der na telha por que supostamente em seu país natal pode.
    NUNCA é o residente que tem que se adaptar ao imigrante e sim o contrário coisa que os muçulmanos tem enormes dificuldades em entenderem
    Guardadas as devidas proporções é como se eu me mudasse para a França, como exemplo, procurando uma vida melhor ao deixar a mega roubalheira governamental,PT,Congresso Brasileiro,assassinatos as pencas e etc e tentasse impor ou sobrepor minha vontade às leis francesas.

    Hipoteticamente falando: A polícia francesa me para e me autua em uma blitz anti álcool e então alego que isso é um absurdo pois no Brasil eu posso dirigir embriagado (negado na lei mas permitido na prática).

    • Um grande problema do Islã é o princípio de que a Sharia é a lei divina perfeita, que deve ser seguida por todas as pessoas, ainda que compulsoriamente. Nenhuma outra religião (que eu saiba) impõe seus princípios a não seguidores, o Islã sim. Isso implica em o Islã ser mais um sistema político do que uma religião.

      Pode até ser que na religião islâmica hajam interpretações diferentes a respeito disso, e que muito do que esteja no Corão e na Sunna passe a ser (ou já seja) desconsiderado ou interpretado como não-dogmático, como os trechos violentos do velho testamento da Bíblia, que nenhum judeu ou cristão toma como mandamento nem como princípio de fé. Apesar de ser complicado acreditar na sinceridade dos líderes de uma religião que justifica a mentira para a propagação do Islã (taqiyya), acho que podemos tentar acreditar na sinceridade dos seguidores.

      Ou seja, o problema não está na religião islâmica (pelo menos não nela como um todo), mas no islã político.

  5. Eu, como descendente de imigrantes apoio o prefeito Aboutaleb, quando meu pai e meus avós vieram para o Brasil, entraram legalmente, trabalharam honesta e esforçadamente para serem reconhecidos, e hoje são respeitados, e estamos integrados ao país, apesar de ainda termos nossa cultura ancestral conosco, não tentamos impor a ninguém, pois seguimos o velho ditado: “Quando em Roma, faça como os romanos”.
    Lamentavelmente tem gente que não entende e nem quer tentar entender isso, há ovelhas negras entre todos os povos e também temos entre nós descendentes de japoneses algumas porqueiras como o Sakamoto, e olha que até já mandamos ele se mudarem para Cuba ou Coreia do Norte, mas vocês sabem como essa praga de marxistas corruptos são.
    E por isso, infelizmente sei que esse problema com radicais islâmicos ainda vai demorar um bom tempo…

    • tu já ouviu sobre o plano kalergi e genocidio por assimilação?…entao ,é isto oque se passa na Europa!
      A Europa tem nações com historias culturas e um povos milhenares , não é como o brasil onde a “identidade” se fez justamente não falta de !

      O velho cotinente tem uma identidade unica ,e que ,para o bem da humanidade .tem que ser preservada !

  6. “Ele não conseguem se fixar nos argumentos, sempre apelando à chantagem emocional. Além de tudo, fazem diversos malabarismos retóricos para esconder o fato de que a demanda pedindo que os islâmicos residentes na Europa se adequem às leis da Europa é justificadíssima.

    É pedir muito? Se os europeus se adequam às leis dos países islâmicos, quando estão por lá, por que os islâmicos não podem fazer no mesmo no Ocidente? Na visão da extrema-esquerda pedir isso é “islamofobia”. Enfim, desista de conversar com qualquer um deles que tenha tentado esse ardil.”

    Quem está por trás das leis que cerseiam a liberdade de expressão no mundo ocidental são os judeus,não os muçulmanos!

    Enquanto Dieudonné ,por fazer humor com os judeus, é ostracizado pela midia francesa e processado/perseguido pelo governo frances , o jornal charlie hebbo ,com suas charges anti islãmicas e anti-cristãs, sempre foi promovido e tolerado em nome da “liberdade de imprensa” !

  7. onde estava a mídia controlada e sua defesa da “liberdade de expressão” quando Faurisson foi covardemente espancado por supremacistas judaicos? Quando Vincent Reynouard foi preso, perdeu seu emprego, passou fome com sua mulher e oito filhos, tudo por discordar da versão talmúdico-oficial da história? Quando Zündel teve sua casa incendiada por militantes da esquerda talmúdico-controlada? Quando foi deportado e enfiado numa masmorra da Alemanha Ocupada por ousar publicar outra perspectiva histórica? Quando Sylvia Stolz perdeu sua licença para advogar e foi encarcerada meramente por tentar defender seu cliente?
    É de dar ânsia de vômito a hipocrisia e o cinismo do establishment diante dessa situação, juntamente com a estupidez e idiotice da população em geral que engole qualquer trololó furado disseminado na mídia…

  8. Do ponto de vista europeu nativo, é melhor que os muçulmanos continuem usando burca, falando árabe e morando em seus guetos. Quanto mais isolados um do outro nativos e imigrantes estiverem, melhor. A assimilação modifica uma nação ou cultura mais do que qualquer outra coisa, e, dadas as projeções demográficas e a intransigência islâmica, quem diz que serão os muçulmanos que se assimilarão aos europeus, ou que será o contrário? Melhor que estejam separados; melhor ainda seria se estivessem cada um em um país.

  9. A advertência do Prefeito foi muito boa, mas tenho minhas reservas.
    Eu não conheço o político. Não sei porque foi eleito, tampouco como se posicionava anteriormente quanto às insistentes investidas dos grupos islâmicos contra as leis dos países europeus.
    Não sei o que ele pensa sobre a aplicação da Sharia como um sistema paralelo às leis vigentes no país. Não sei o que ele disse sobre atentados anteriores, sobre as meninas inglesas escravizadas por homens paquistaneses, sobre a pressão dos islâmicos para interferir no currículo das escolas.
    Em meio à justa pressão do povo europeu quanto aos problemas da imigração e do multiculturalismo, o timing do pronunciamento foi perfeito.
    Se ele foi autêntico, se disse a verdade, o pronunciamento é bom.
    Para saber se disse a verdade, é preciso apurar suas manifestações anteriores, porque o ataque aos cartunistas não foi novidade alguma. Um político de carreira sempre deixa pistas sobre seu pensamento real.
    Se ele acariciava a aplicação da Sharia e sua aplicação como um sistema de leis paralelo, se concordava com a retirada de símbolos cristãos, com a modificação dos currículos, se silenciou sobre crimes importantes praticados pela comunidade islâmica, ele mentiu.
    Se ele mentiu, sua declaração objetiva cumprir o papel: proteger a imigração islâmica na Europa e manter o espaço na política local para continuar a conquistar o espaço e enfraquecer a população local.
    Parece atender melhor aos interesses do Islã que este homem mantenha sua liderança política e alcance cargos cada vez mais importantes, porque o Islã é conquistador e expansionista.
    Posso estar enganada, mas parece mais lógico que o pronunciamento objetivo proteger o Islã. O clima está pesado. As vezes é hora de bater, as vezes é hora de assoprar.
    O tempo dirá.
    Abço.

  10. Em terra de sapos, de cócoras com eles. É o estrangeiro que tem de se adaptar à cultura local, jamais o contrário pois, afinal, deixou espontaneamente sua terra.

  11. PT manda nos black blocs (milícia de classe média mas enchem o saco..)
    Se o Haddad mandar a classe média paulistana matar os pobres para pegar tinta para ciclo-faixa eles farão sem pensar duas vezes.

  12. Em Roma, sê Romano, simples assim!

    E a ideia da corja comunista em defender estes criminosos islâmicos é bem simples: Querem quebrar as regras e costumes de Países, tradicionalmente Capitalistas e, portanto, seus inimigos mortais. O Comunismo, só pode sobreviver no Crime, na pobreza, no desespero e, na absoluta falta de um EXEMPLO MENOS PIOR QUE O SEU PRÓPRIO, para comparação! Em quanto existir um único País capitalista no mundo, os Comunistas jamais descansarão e tentarão, de todas as formas destruí-lo.

    O Esquerdismo é como um Câncer é só poderá ser curado quando a Direita de TODOS os Países, se derem conta do perigo que todos corremos.

Deixe uma resposta