Papa fala bobagem sobre o atentado ao Charlie Hebdo: “Você não pode provocar, você não pode insultar a fé dos outros, você não pode zombar da fé”

55
132

papa_2

O show de bobagens do dia saiu da boca do Papa Francisco. Veja a notícia Papa condena ataques na França, mas critica insultos a religiões, do Estadão:

O papa Francisco, ao falar sobre os ataques da semana passada em Paris, defendeu a liberdade de expressão, mas disse ser errado provocar os outros insultando sua religião e por isso se pode “esperar” uma reação a esse tipo de abuso.

“Você não pode provocar, você não pode insultar a fé dos outros, você não pode zombar da fé”, disse ele a jornalistas nesta quinta-feira, 15, a bordo de um avião que o levava do Sri Lanka para as Filipinas, no início da segunda etapa de sua turnê asiática.

O pontífice, que condenou os ataques em Paris, foi questionado sobre a relação entre liberdade de religião e liberdade de expressão. “Eu acho que a liberdade religiosa e liberdade de expressão são ambos direitos humanos fundamentais”, disse ele, acrescentando que estava falando especificamente sobre os assassinatos de Paris.

“Todo mundo tem não só a liberdade e o direito, mas a obrigação de dizer o que pensa para o bem comum. Nós temos o direito de ter essa liberdade abertamente, sem ofender”, disse.

Para ilustrar seu ponto de vista, ele se virou para um assessor e disse: “É verdade que você não deve reagir violentamente, mas apesar de sermos bons amigos, se ele diz um palavrão contra minha mãe, ele pode esperar um soco, é normal”, disse.

“Você não pode fazer das religiões dos outros um brinquedo”, acrescentou. “Essas pessoas provocam e, em seguida, (algo pode acontecer). Liberdade de expressão tem limites.”

Dezessete pessoas, incluindo jornalistas e policiais, foram mortas em três dias de violência iniciada com um ataque a tiros ao jornal satírico Charlie Hebdo, conhecido por suas sátiras ao islamismo e outras religiões.

“Vamos considerar nossa própria história. Quantas guerras de religião tivemos? Mesmo que fôssemos pecadores, você não pode matar em nome de Deus. Isso é uma aberração”, disse o papa, referindo-se a guerras religiosas do passado, como as Cruzadas, sancionadas pela Igreja Católica contra o Islã. /REUTERS

O Papa está sendo no mínimo incoerente ao dizer “você não pode provocar, você não pode insultar a fé dos outros, você não pode zombar da fé”, pois é exatamente isso o que fazem os opositores da religião dele o tempo todo. Ele só foi se pronunciar quando o “insulto” foi à fé islâmica. Bem curioso esse comportamento. É irônico ver o maior representante dos católicos passando a protestar contra ofensas a religião para defender o islamismo de “insultos”.

Como já disse, eu não acho que religiões precisam ser “defendidas de insultos”. Quem não gostou, que insulte de volta, oras. Mas o engraçado é a defesa seletiva.

Mas a liberdade deveria incluir o direito de ofender. E de alguém revidar. Mas revides lícitos diante de ofensas “aos sentimentos” não são tiros. Se as ofensas constituírem injúria ou difamação contra indivíduos, cabe a Justiça punir os responsáveis. Se as ofensas são direcionadas aos “sentimentos coletivos”, argumentos ou símbolos, não há nada o que fazer.

A pior parte desse discurso foi quando ele confundiu o ataque a um indivíduo (como exemplo, uma difamação) com o ataque a um símbolo. Esse discurso não está parecendo-se demais com os textos que vimos esses dias na blogosfera estatal?

Esse Papa Francisco vai fazer muito mal ao catolicismo…

Anúncios

55 COMMENTS

    • Talvez tivesse sido melhor usar o termo “insultar”. Ofensa é uma reação do cérebro da vítima. Pode inexistir pra uma pessoa, e ser enorme pra outra, a partir de um mesmo insulto.

  1. Estou achando que o papa está muito mal assessorado e deve ser coisa recente, pois no começo de seu papado ele estava mandando bem, naquilo que eu suspeitava ser “engenharia reversa do gramscismo”, como se pôde ver pelo ótimo desempenho durante a Jornada Mundial da Juventude. Em que ponto essa “engenharia reversa” degringolou fica dentro daquelas dúvidas que ainda estão para ser respondidas. Também veremos o pessoal da profecia de São Malaquias voltando a ficar ouriçados.

    • Engenharia reversa? Por favor, me explique melhor, porque eu simpatizei com o papa Francisco por pouquíssimo tempo. Ele parece ser um estrategista gramsciano católico, que foi colocado lá pra abalar as bases da Igreja, ou coisa pior. Posso estar errado, mas depois de algumas declarações dele (esta inclusive), eu não consigo ver de maneira diferente.

    • Não sei quando nem em que ponto ele mandou bem até agora, lembrando que foi n aviagem de volta da Jornada da Juventude que ele disse aquela frase no Avião que fez todo mundo entender que a Igreja iria aceitar o Homossexualismo, e não me diga que ele foi mal interpretado pois ele ja fez consultas a Santa sé sobre o acolhimento do homossexualismo dentro da Igreja. Ele é mal intencionado, ele é jesuita e todo jesuita tem profundas ligações com o socialismo.

      Francisco é um usurpador, só existe um PAPA e o nome dele é Joseph Ratzinger.

      • rodrigo ! se eu chingar sua mãe e vc não fizer nada , no minimo vou achar que vc é um filho desnaturado. minha avó dizia respeite para ser respeitado !

    • Espero que ele esteja sendo apenas mal assessorado, porque pelo conjunto de tudo que ele diz parece até um comunista. Tenho o pé atrás com esse papa por conta dessas colocações que deixam o tempo todo os esquerdistas eufóricos…

  2. Sim, a liberdade de expressão é liberdade de dizer mentiras, bobagens, ofensas, e, em alguns casos, ser posteriormente censurada, submetendo o autor a penas e reparações. Existem casos que justifiquem censura prévia? Essa questão é muito perigosa, e geralmente um ardil. A ofensa a símbolos, valores, denominações de grupos depende muito do status quo e da relação de hierarquia do ofensor e do ofendido para ser considerado como “criminoso”, digamos assim. Por exemplo, fazer uma piada com negros é considerado politicamente incorreto, já fazer uma piada sobre gaúchos é geralmente tolerado. E fazer uma piada sobre baianos ou nordestinos? Possivelmente tolerado, mas não seria inesperado se alguém alegasse incitação ao ódio. Já uma piada sobre cristãos, protestantes e judeus é não apenas tolerada, mas também considerada como justa e devida por alguns grupos. Aí justamente mora o perigo. Não existe clareza, objetividade e imparcialidade na definição de hierarquia, ou relações de poder entre uma definição de grupo e outra. Vejamos, será que um nordestino fazer piada de negro é mais aceitável que um negro fazer piada de nordestino? E negro fazer piada de loira ou de português é mais aceitável que o inverso? O humor é um andar na corda bamba inevitavelmente ligado ao constrangimento e quase sempre a ofensa/humilhação mais ou menos sutil. Obviamente não há graça em depreciar maomé ou jesus senão existam pessoas que os levem a sério. Obviamente não há graça em ridicularizar a masculinidade e honra de gaúchos se não existam pessoas que levaram essa imagem minimamente a sério, assim como não há graça de fazer piadas sobre infortúnios diversos se os infortúnios não fosses indesejáveis e associados a algum grau de sofrimento. De um modo geral tudo aquilo que é levado exageradamente a sério, venerado, reverenciado é alvo natural do humor.
    Sim o humor na medida certa pode ser um remédio social ao invés de ser uma ferramenta desumanizadora, mas também pode ser vítima de grupos que pretendem fabricar redes hierárquicas convenientes a projetos de poder do tipo dividir para conquistar.
    A alternativa seria um mundo sem constrangimentos e sem humor, o que provavelmente seria menos desejável e improvável de ocorrer.
    Existe uma relação hierárquica entre ateus (a maioria dos chargistas do charlie hebdo) e muçulmanos que torne o humor impraticável? Não. Se há alguma relação de poder aqui, seria justamente aquela mais tolerada publicamente nos melindres do humor.
    Pessoalmente, eu acho as charges deste jornal desnecessariamente ofensivas, mas não justificam assassinatos, nem a instalação de censura prévia sobre temas religiosos. A ferramenta mais civilizada e eficiente para lidar com isso é ignorá-las, como todos nós sabemos.

    • Adorei a forma como conseguiu expor de forma clara
      todas as opiniões que estão extremamente confusas, considero que independentemente de serem ateus, cristãos , muçulmanos, temos que ter tolerância e respeito por todas elas,o Papa Francisco sempre teve contato e respeito por outras religiões , sua vida como o mesmo diz não é perfeita, que bom , não precisamos ser perfeitos , só precisamos ter respeito e tolerancia

  3. O homem em si, tem a total liberdade de consciência e de pensamento, isso é algo da sua natureza e não há a possibilidade de limitar seus pensamentos interiores. Mas, (sim Ayan, *MAS*), acho que deve haver um limite na expressão de alguns pensamentos, pois o homem está sujeito ao erro, ignorância, a sua consciência é falível, seus pensamentos e ideias sujeito a erros. E assim fazemos, por exemplo, quando proibimos um nazista de expressar e defender os seus princípios em uma escola, ou quando proibimos um livro com conteúdo racistas. Tudo que prejudica o bem comum da sociedades, dos indivíduos, como o nazismo, racismo etc, não pode ser tolerado, sim, é preciso ser intolerante com o mal.

    **Para não parecer confuso, esse meu comentário não tem relação ao episódio da França, mas apenas algo relacionado a ele, que é a liberdade de expressão.

  4. Cara, o conceito de liberdade de expressão é pura conveniência. Um ateu que ofende religiões, justamente por não acreditar em Deus (ou deuses), não vê problema nenhum em sua ofensa. Aquilo, talvez, machuque outras pessoas, não ele, que está apenas exercendo seu direito à liberdade de expressão. Acontece que esse mesmo ateu, sendo, por exemplo, pai de uma criança com síndrome de down ou qualquer outra doença, há de se sentir extremamente ofendido se alguém, que não tem um filho nessas condições, resolver fazer uma chacota ‘generalizada’ (não necessariamente direcionada ao filho do ateu) com os portadores da síndrome. Um Rafinha Bastos da vida, por exemplo! Não tenham dúvidas de que, para esse pai ateu, o agressor não teria esse direito.

    Viram onde está a conveniência? O argumento da liberdade de expressão não funciona se submetido a um crivo mais rigoroso Vamos a um exemplo real, no próprio país que é berço do Iluminismo?

    Na França, cartunistas de extrema esquerda e que vendem alguns poucos exemplares semanalmente, podem SE EXPRESSAR esculhambando a tudo e a todos. Afinal, estão apenas exercendo seu direito à liberdade de expressão, certo?! Eles podem, por exemplo, ofender religiões com bilhões de adeptos (cristianismo, islamismo e judaísmo), esculhambando seus signos e Deuses/deuses. São apenas artistas se expressando, oras! Acontece que um cidadão comum, na própria França, não pode usar símbolos religiosos em lugares públicos. Sabiam disso? Não podem ‘pregar’ nas ruas. Sabiam disso? Recentemente, pessoas foram presas por andar com camisetas que valorizavam a… “família”. Sabiam disso? Pois é… essa é a liberdade de expressão francesa!!! Não passa de piada! Referir-se à religião para zombar PODE! Referir-se à religião para demonstrar sua crença NÃO PODE.

    Piada!

      • Sim! Foi por isso que me referi à conveniência. Na verdade, não há liberdade de expressão se ela não for em favor de alguém com poder. E quem acaba impondo limites a essa liberdade é o próprio estado (com letra minúscula mesmo). Quem aprovou a proibição de símbolos religiosos na França foi o Chirac, ex-presidente. Aqui, podemos fazer um paralelo semelhante. Blogs podem se expressar à vontade. Se for a favor do governo, são subsidiados pelo próprio governo, ainda que com dinheiro público. Se a liberdade de expressão em algum momento prejudicar o governo, corte de verbas, como no caso da Veja.

    • Falou e disse , concordo plenamente com cada palavra que vc disse. O problema todo é que as pessoas ultimamente se preocupam somente com ele próprio, hoje o errado parece estar certo, o que é isso gente, cadê o amor…

  5. Luciano, parabéns pelo seu blog que tenho acompanhado direto. Concordo com a maior parte das coisas que tenho lido. Porém, permita-me descordar em parte do texto acima comentado.
    Apesar da postura do Papa nesse caso em específico, e também sobre os “bombardeios” que o Cristianismo recebe sempre, eu vi o discurso dele como um discurso geral, relativo a todas as formas de fé.
    Apesar do papa se colocar por esse episódio em específico, acho que se pode interpretar como ,ofensa a todas as formas de fé, inclusive o cristianismo. Afinal, ele se refere a ofensa a “fé alheia”.
    Concordo que o pontífice deixa a desejar na defesa do cristianismo, como vimos em outros atos do mesmo, mas nesse caso, achei que ele capitalizou em defender o dualismo entre liberdade de expressão e o respeito a fé. Caso discordar do que aqui postei, gostaria que esclarecesse seu ponto de vista por esse novo ângulo. Grato!

    • Estela não seja ignorante, quem fala bosta é você minha filha. O que ele quer dizer é que nada justifica a violência, porém temos que respeitar a crença do outro, nada justifica fazer desenhos idiotas, dizendo que esta tendo liberdade de expressão e na verdade esta ofendendo o outro. Vc tem algum filho deficiente, ama a Deus, tem alguma religião, enfim eu não acharia nada de graça em desenhos que ridicularizasse essas coisas, pelo contrario, a minha liberdade vai no limite do respeito ao outro. E isso é falta de respeito. E quanto a PAPA Francisco, respeito, ele tem sido sim Jesus pra nós, assim como eu sou pro meu próximo, e assim como vc deve ser para seu próximo, Por que todos nos que o amamos temos que ser Jesus na vida do outro. Isso se chama AMOR.

      • Julia,

        Veja que contradição. Você pediu respeito com as crenças dos outros e se referiu não a crenças, mas PESSOAS com termos como “quem fala bosta” ou “ignorante”. E você tem o direito de se expressar ainda assim…

        Abs,

        LH

      • Você está certa em partes, quanto aos desenhos ofensivos, mas o Chicão pra mim é merda nenhuma, e fala bosta sim, até mais do que você !!!!

      • luciano ,pra vc ver que cada pessoa tem uma reação diferente quando ofendido , então se vc é uma pessoa sensata não deve me ofender porque vc não sabe minha reação !

      • Ernesto,

        Eu trato deste assunto no livro. Não confunda debate sobre riscos com DEBATE MORAL. Se você se ofende por alguma crítica que eu fizer a um símbolo que você goste e há um risco de você cometer um crime, este é um DEBATE SOBRE RISCOS. Mas ele não serve para validar a moralidade de se matar alguém ou não pela ofensa.

        Este é o erro grave do Papa. Ele misturou os debates.

        Abs,

        LH

  6. Agora intendo porque de tantas coisas horríveis. no mundo todo nao a respeito por nada.
    liberdade de expressão,sim mais respeito ao próximo e ao que ele acredita em primero lugar.a bobagem aqui tenho certeza que nao foi o papa quem falou.

  7. Para mim já faz tempo que este papa mostrou sua verdadeira face: é mais um testa-de-ferro esquerdista, amante das esquerdas caviar, plantado dentro do vaticano.

    No ano passado ele deu uma entrevista onde pregava que era necessário “o diálogo com o Islã”. Sei… os cristãos da Líbia e Síria que o digam.

  8. Esse papa é comunista,quando eu vi a reportagem eu pensei a mesma coisa até comentei com o meu pai e ele disse que é claro que vai puxar saco para os Islâmicos,pois não quer que nada aconteça a ele,e ainda tem gente que não acredita exista um plano para um comunismo global

  9. A culpa pela violência física é exclusiva dos jihadistas, evidentemente. A questão é outra: os chargistas são tão inocentes quanto os quatro judeus e os policiais que também foram assassinados?

  10. Devo ser o único a achar a fala do papa coerente, o cara simplesmente quer sair dessa posição antiquada da igreja. Acho que é hora sim, do catolicismo começar a ser mais honesto, mais aberto às mudanças da sociedade. É exatamente por não ser assim que o catolicismo está em declínio.

  11. quem falou bobagem foi quem escreveu esse texto ridiculo, na boa, não sou da igreja catolica e nem acho que o papa é o santo que representa ser (inclusive ele tambem nega isso), ele falou como ser humano que é e foi sensato a dizer que se vc ofende alguem ou a fé de alguem vc provavelmente vai ser revidado, se vc xingar a mãe de alguem, provavelmente vc vai tomar um soco…. essa galera fica procurando coisa onde não tem pra ganhar ibope ou é criticar só por criticar mesmo?

  12. Olavo de Carvalho diz que para se comentar um assunto é preciso ter alguns conhecimentos básicos de conhecimento geral e aceito por todos. Só um profissional pode opinar sobre um assunto especializado da sua área, como faz o Luciano a respeito de guerra política. A fonte de tudo que a maioria do povo sabe sobre o assunto é fornecido pela mídia, que copia o noticiário de agências estrangeiras e publica no Brasil de acordo com interesses de seus patrocinadores. Pode ser verdade ou não. O comentário do papa não pode ser invalidado porque o comentarista achou que no passado deveria ter feito isto ou aquilo. Um conservador do nível de Russel Kirk faria o mesmo comentário. O Luciano poderia concordar ou não, mas também seria coerente dando direito de seu oponente ter sua opinião. Não faria como o PT que sempre que não tem argumentos, desclassifica o adversário.

    • Pois é. Eu sugeriria dizendo que entende que é desagradável que algumas pessoas insultem as crenças dos outros, mas que não é justificável a quebra da lei diante de meras palavras. Eu esperava algo mais lúcido nessa linha.

  13. Luciano, um ponto interessante do texto (não da fla do papa):

    “disse o papa, referindo-se a guerras religiosas do passado, como as Cruzadas, sancionadas pela Igreja Católica contra o Islã.”

    As cruzdas não foram contra o Islã! foram contra os Turcos na Palestina! Nõ foram atrás de outros muçulmanos…

  14. – Estou na duvida nesse debate mundial da liberdade de expressão x ofensa .

    – Conceito de liberdade de expressão inclui ofensa ?

    – A ofensa , a mentira , a calunia dever ser punida ? não falo de matar alguém por isso .

  15. De maneira alguma achei que o Papa falou besteira! discordo totalmente! Não se deve alimentar o ódio entre religiões, e algumas charges eram sim pejorativas,ofensivas e provocativas ( claro que nada justifica o que aconteceu, pois matar “em nome de Deus” é algo bizarro) e além do mais a liberdade de expressão vai até onde começa o desrespeito com o próximo, caso contrário deve-se assumir as consequências.

  16. Luciano, Bertoglio falou como um Papa e não como político, do ponto de vista de um lider religioso é adequado dizer que a fé é sagrada e não deve ser zombada.

    O ruim é o péssimo momento para o mesmo se pronunciar, teve a perfeita oportunidade se manifestar na Jornada da Juventude quando aquele grupo de esquerdopata feministas e gayzistas esculhambaram com sim bolos católicos.

    O Hebdo também fez várias charges anticatólicas, inclusive usando o Papa e também nada foi falado, mas aí você fala quando é o islamismo que está envolvendo? Sendo que o islamismo é rival do catolicismo??

  17. “…esperar um soco, é normal…”
    Em outras palavras: é ate compreensível a reação dos terroristas.
    E não foi Sheherazade quem disse.
    Mas como a esquerda é criminosa é de se esperar esse mau caratismo.

  18. Há muitas bobagens sendo veiculadas pela mídia em geral sob o manto da liberdade de expressão. Liberdade de expressão é um conceito vago, muito vago… Pode se referir a liberdade de opressão, ou a libertinagem de expressão. Infelizmente ainda falta muito senso crítico às pessoas. Se alguém defende a liberdade total de expressão (qual delas) deve saber e estar preparado para o fato de que as pessoas podem se expressar de formas diferentes: umas vão usar a caneta, outras, um outro tipo de arma como um fuzil, para expressarem o seu descontentamento. Assim, ou a liberdade de expressão não pode ter limites e isso implica na aceitação incondicional de todas as formas de expressão possíveis (e neste caso não se justifica o repúdio dos franceses à forma de expressão usada pelos terroristas fanáticos muçulmanos contra os racistas, xenófobos e preconceituosos editores daquele pasquim decadente) ou a liberdade de expressão está submetida também aos limites do bom senso e do respeito que animam a civilização contemporânea. No Brasil os editores de uma publicação como o Charlie Hebdou estariam cometendo crime previsto no Código Penal Brasileiro (intolerância religiosa).

      • Luciano,

        Em princípio, a impunidade no Brasil é a regra para qualquer crime, infelizmente.

        Por outro lado, milhares de pessoas inocentes são massacradas corriqueiramente no mundo pelas potências hegemônicas e isso é apenas um dado estatístico para a mídia mundial.

        Para se entender melhor episódios como esse atentado ao Charlie Hebdo é fundamental conhecer por exemplo a história de exploração secular do colonialismo francês no norte da África e no Oriente Médio onde há inúmeras questões muito mal resolvidas.

        A França chega ao requinte de colocar um cidadão francês para ser o Ministro da Indústria e Comércio dos países muçulmanos do norte da África… ou a raposa para tomar conta do galinheiro.

        Abs

        JE

  19. Não sou católico. Sou evangélico já a 15 anos, mas concordo com o que o papa disse, totalmente! Não concordo com nenhum tipo de ação terrorista ou qualquer ato contra a vida, mas, também não concordo com publicações que ofendem a fé de outras pessoas, qualquer que ela seja. Isso extrapola a liberdade de expressão. As pessoas confundem liberdade com “libertinagem” ! Liberdade é um direito de todos, mas sempre a ser exercido com RESPEITO à liberdade dos outros. Libertinagem é quando não há limites. Isso não é liberdade. Logo sou totalmente contra o que os terroristas islamicos fizeram, mas os chargistas deveriam ser processados legalmente e sofrer sanções por DESRESPEITO à fé alheia.

  20. Quando o Luciano Henrique ESCREVE: «A liberdade deve incluir o direito de ofender»… estamos mal sobre o conceito de liberdade do articulista… O Papa, numa conversa informal entre amigos, foi infeliz ao dar um exemplo, em tom de brincadeira com um amigo. Acontece. Quem nunca falou besteira entre amigos e depois se arrependeu? Mas a ideia geral está certa. O Charlie H. já publicou alguns cartoons ofensivos, e isso só os deve envergonhar. Esta manifestação maciça foi a favor da liberdade de expressão e contra a brutalidade do homicídio, não foi em apoio de alguns insultos que saíram anteriormente no periódico contra religiões. O que não quer dizer que devam ser assassinados, claro! Se os cristãos reagiram pacificamente foi porque essa religião é fundamentalmente pacífica (não na sua prática desde o sec. V ao sec. XIX) e porque estão finalmente bem integrados no estado democrático de direito. Como a maioria dos muçulmanos, aliás.

  21. Independente de ser o líder da Igreja Católica, o Papa Francisco, em sua visita ao Brasil, deixou uma bela lição de humildade para todos nós. Já tem até espírita achando que o Papa Francisco é a reencarnação de São Francisco de Assis. Isso eu não sei dizer e acho até um certo exagero, mas confesso que me emocionei frente a algumas atitudes e palavras do padre que escolheu o nome de São Francisco para representá-lo.

    O Papa Francisco andou por diversas partes com um sapato velho. Rezou junto com evangélicos, os mestres da intolerância religiosa. Recebeu presentes de candomblecistas. Visitou favelas. Disse não ser ninguém para julgar os homossexuais. Incentivou os jovens na luta contra a corrupção. Assumiu que a Igreja Católica vinha perdendo seguidores para os protestantes por ter deixado de dar a devida atenção aos seus fiéis. Em outro momento, numa missa do Vaticano, falou que a Igreja deve receber em seu seio as mães solteiras.

    Papa Francisco vem pregando o amor, a tolerância às diversidades, a união dos povos. Tem feito o que todo líder religioso deveria fazer. Por isso merece todo o nosso respeito e admiração. Deixo registradas aqui algumas de suas lições de humildade:

    Eu não troco a minha !greia Católica, Apostólica, Romana, fundada por Jesus em Mat 16, 13-18 por religião nenhuma. Ele é muito claro quando se refere a MINHA Igreja e não as minhas… A liturgia é a msm aqui e na China …

  22. Para mim, o crime de injúria não deveria existir. Apenas calúnia e difamação. E o meu limite de liberdade expressão regulado pelo Estado são ideologias e crenças que pregam a eliminação física de outros grupos, como nazismo e comunismo. O resto, inclusive a discriminação, deve ser regulado por códigos morais, jamais legais.

  23. O Ataque de Moscou ao Vaticano – Uma das prioridades da KGB é corromper a Igreja.A União Soviética jamais se sentiu confortável convivendo com o Vaticano no mesmo mundo. As descobertas mais recentes provam que o Kremlin estava disposto a não medir esforços para neutralizar o forte anti-comunismo da Igreja Católica.Em março de 2006, uma comissão parlamentar italiana concluiu que “além de toda dúvida razoável, os líderes da União Soviética tomaram a iniciativa de eliminar o papa Karol Wojtyla” em retaliação à sua ajuda ao movimento dissidente Solidariedade na Polônia.setealegrias.

Deixe uma resposta