O dilema de Altman: o modelo de comunicação do PT deve ser soviético ou cubano?

18
34

altman

Breno Altman deve estar tomando muitos “pedalas” de seus colegas blogueiros nesse momento. O motivo é o texto Esquerda brasileira é soviética ou cubana?, publicado no Opera Mundi. Segue abaixo, para nossa diversão devido ao humor involuntário da coisa toda:

Muita calma nessa hora.

A pergunta não diz respeito a modelos de sociedade e Estado, mas exclusivamente ao paradigma de comunicação.

Apesar de ambas experiências pertencerem ao mesmo campo ideológico, percorreram diferentes caminhos e obtiveram distintos resultados.

Muitos se indagam, aliás, o porquê de Cuba ter resistido ao colapso do socialismo, apesar de sua fragilidade econômica.

Uma das razões, penso, é que a narrativa de Fidel e seus companheiros frequentemente expôs ao povo cubano, com clareza, frequentemente de maneira ríspida, os problemas e erros cometidos.

Não se chamava urubu de meu louro. Simples assim.

Mesmo enfrentando sacrifícios dramáticos, os cidadãos aprenderam a confiar em sua direção.

Nem tanto por sua capacidade para resolver os estrangulamentos provocados pelo bloqueio, a falência da URSS e as barbeiragens cometidas, mas por estarem seguros que seus líderes não faltavam com a verdade e não os tratavam como audiência bovina.

Ao contrário do que propagam os inimigos da Revolução Cubana, o Partido Comunista incentivou, dentro de suas instâncias e na população, processos amplos de crítica e autocrítica, cujo ápice ocorreu exatamente nestes 25 anos depois da quebra soviética.

Claro que houve muitos momentos cinzentos e dominados pelo secretismo palaciano. Mas o comportamento habitual, do comando revolucionário, tem sido o de colocar as cartas sobre a mesa.

Os chineses, a propósito, particularmente sob a liderança de Deng Xiaoping, nos anos 80, também optaram por método semelhante.

Os soviéticos, ao menos desde os anos sessenta, preferiram o jogo do feliz.

Até os anos finais da crise, relatórios oficiais apresentavam cenários maravilhosos: pleno emprego, conquistas sociais e culturais formidáveis, desenvolvimento incessante, tremenda pujança em comparação ao capitalismo supostamente doente e terminal.

Medidas eventualmente tomadas para desatar nós eram apresentadas em linha de continuidade com encaminhamentos que haviam provocado os próprios problemas a serem resolvidos.

Afinal, na linguagem do contente, nunca há erros. Apenas novos desafios.

A lógica era trivial: falar de contradições, equívocos e fracassos favorecia a propaganda inimiga.

Como os fatos são usualmente mais vigorosos que a comunicação, ao longo do tempo abriu-se um fosso entre o que falavam os governantes e a consciência social.

Os cidadãos soviéticos e a própria militância comunista, que tinham travado históricas batalhas para construir o socialismo e derrotar o nazismo, foram desacreditando de uma direção que propagava logros revolucionários sem enfrentar com franqueza os evidentes problemas em curso.

Quando abriu-se a panela de pressão, durante o governo Gorbachev, já era tarde. Ao contrário de renovar laços de confiança entre o povo e o Partido Comunista, o sentimento generalizado foi de fúria contra o que parecia ser uma tremenda enganação, levando de roldão as fenomenais conquistas da revolução de 1917.

A situação brasileira, por inúmeras razões, está muito distante dos processos cubano e soviético.

Ainda assim, no que diz respeito ao discurso público, os dois casos ajudam a debater qual a melhor abordagem.

O assunto talvez seja um pouco extemporâneo e genérico. Mas confesso, ao observar certos comportamentos do governo e da militância de esquerda, que corremos o risco da “inspiração soviética” acabar dando o tom na atitude das forças progressistas frente ao povo brasileiro.

Ele simplesmente nos confessa muita coisa.

Primeiro, que os modelos de referência dele são os mais totalitários do Globo, ou seja, aqueles que levaram o socialismo às últimas consequências. Segundo, que ele chega a preferir o modelo cubano ao soviético. Terceiro, e o mais interessante, é o reconhecimento de que o PT esconde indicadores do povo.

Além destas três confissões, ainda temos as bizarrices costumeiras, como dizer que em Cuba “o Partido Comunista incentivou, dentro de suas instâncias e na população, processos amplos de crítica e autocrítica, cujo ápice ocorreu exatamente nestes 25 anos depois da quebra soviética”.

Que maravilha de autocrítica, não? O resultado dessas reuniões “de muita autocrítica” são vistos: médicos escravizados, mulheres tendo que se prostituir para complementar renda e ainda a propagação eterna da desculpa esfarrapada dizendo que “Cuba só é pobre por causa do embargo”. Logo nem essa desculpa eles terão mais…

Enfim, um texto bizarro e divertidíssimo. Humor involuntário digno de entrar para a galeria das sandices da blogosfera estatal (BLOSTA).

Anúncios

18 COMMENTS

  1. Meu Deus, de que hospício fugiu esse louco petista? Pensando bem acho que de nenhum já que burrice não é loucura, é idiotice (mal intencionada) mesmo. Vade retro Satanás, digo, Breno Atlman.
    Esse deve ser o “criador” da Blosta.

  2. Comunistas vendem o paraíso terrestre, e Mao-Tsé-Tung concluiu que o partido precisa de um “Shangri-lá” para apontar como modelo.
    A ideia agradou a internacional comunista.
    Assim, Cuba foi criada como “Shangri-lá” da URSS, e a Coréia do Norte como “Shangri-lá” da China.
    São apenas “ilhas propaganda” que servem para dizer que o comunismo vai dar certo se for implantado a nível planetário, se trata de estados fantoche, que vivem do dinheiro enviado do exterior.
    Outro dia, um americano que se disse da inteligência, falou algo surpreendente num fórum da internet – Que os chineses comandam a Coréia do Norte, e que Kim Jong-Un é apenas um ator da mesma forma que seu pai, e se Kim Jong-un tentar fugir ou tentar expor a situação real na mídia, ele será assassinado e a sua irmã será posta no poder, da mesma forma que ocorreu com o seu tio – E ainda, que as armas nucleares da Coréia do Norte foram doadas pela China, e que os “Hackers da Coréia do Norte” são chineses, e que a verdadeira capital da Coréia do Norte é Yanbian, que está em solo chinês.
    http://en.wikipedia.org/wiki/Yanbian_Korean_Autonomous_Prefecture

  3. Governo que aceita suas mulheres se prostituirem por um maço de cigarro e grita com orgulho no peito “nossa pátria Cuba é um paraíso socialista” tem que ir pro inferno mesmo. Esses dementes que se entendam..

  4. Acho que o militonto leitor disso nem entende que ele se entrega e mente ao mesmo tempo que escreve um texto com estilo de poesia, observa-se que eles costumam escrever com pequenos parágrafos, um misto de palavras “charmosas” com gírias comunistas. O que ele quis dizer com esse lixo?

    Até os anos finais da crise, relatórios oficiais apresentavam cenários maravilhosos: pleno emprego, conquistas sociais e culturais formidáveis, desenvolvimento incessante, tremenda pujança em comparação ao capitalismo supostamente doente e terminal.

    relatórios oficiais= mentiras
    ele confessa que o capitalismo estar doente é uma suposição insistente deles, mas antes, lança um pouco de utopia com o “pleno emprego” e a tal “culturais formidáveis”. É uma confissão das mentiras comunistas, mas, para militonto, que pouco percebe as mentiras, nada mais é do que um alimento para encher a cabeça de merda, uma terapia ocupacional que faz eles sentirem-se mais cultos por ler a BLOSTA, sem ter capacidade de interpretar e julgar o que existe de mentiras nas palavras ‘utópicas’.

  5. ‘Até os anos finais da crise, relatórios oficiais apresentavam cenários maravilhosos: pleno emprego, conquistas sociais e culturais formidáveis, desenvolvimento incessante, tremenda pujança em comparação ao capitalismo supostamente doente e terminal.”

    Isso é escarrado e cuspido o Brasil atualmente.

  6. Não sei se ainda viverei em um tempo que esse sistema seja tão repudiado igual ao Nazismo, OBS tenho 23 anos,fala sério como pode alguém viver em um sistema desses?

    Eu assisti esse documentário sobre a Coreia do Norte é impressionante,o nível de lavagem cerebral

    • Cuidado com essa conversa de ‘corrigir’ o capitalismo, um sistema com banco central criando dinheiro do nada, onde o governo tem uma mão pesada na economia, controla taxa de juros, controla crédito, etc, não é capitalismo coisa nenhuma.
      Quando se fala em corrigir o capitalismo, o que acontece realmente é o seguinte:
      -governo se mete em setores onde o livre mercado agia, com supostamente as melhores intenções do mundo
      -governo faz merda e deixa o setor pior do que estava antes
      -algum jenio keynesiano fala que pra consertar a desgraça a solução é…mais governo.
      Claro que isso é coisa de gente que quer se aproveitar do poder do estado. Capitalismo não precisa de conserto não, isso que a gente vive é tudo MENOS capitalismo.

  7. Luciano,você poderia fazer uma analisa do pedido de clemencia da Dilma sobre o brasileiro que vai ser fuzilado pelo trafico de drogas,alias ela compactua com as ideias marxistas que adoram levar pessoas para paredon,não seria hipocrisia dela?

    • Bom, olhando o mundo pelo prisma da ESCÓRIA SOCIALISTA, o Comunismo possibilitou a PILANTRAS, BANDIDOS, VAGABUNDOS e PSICOPATAS atingirem o poder sem nunca o terem merecido e, sequer, trabalhado de verdade! Então, do jeito que esta escória pensa, foi sim uma “ENORME” conquista, tanto assim que se chamam a si próprios de “progressistas”…

      Eu ainda quero ver neste País, algo similar aos Tribunais de Nuremberg pós segunda guerra, com o lixo petista todo no banco de réus e um Pelotão Indonésio aplicando o fuzilamento, que o que esta corja merece!

  8. Carta de Fidel Castro a Hugo Chávez

    Primeira Etapa

    “Os pobres são maioria e têm pouca memória. Injeta-lhes esperança e acusa o passado, à Democracia de todos os seus males. Mantém-te em linha permanente com teu povo. Identifica-te com eles. Teu verbo tem de ser simples; isso lhes chega muito bem, pois tens o tempero que faz falta. Emociona-os, leva-os em consideração. Aprende a manipular a ignorância. O verbo deve ser inflamado, de autoridade e poder; não te preocupes com os ricos e a classe média, [pois] não são mais que 80% de pobres o que tu necessitas. Os ricos saem correndo se lhes fazes “Buu!!!”

    Os católicos adoram menções da Bíblia ou de Cristo. Os católicos, em que pese ser a grande maioria na Venezuela, não fazem nada. Rezar, sem ações, não vão chegar a parte alguma; são uns bobalhões. Enquanto a igreja está adormecida, aproveita. Quando decidirem mover-se, já estarás instalado. Lembra que a igreja é “escorregadia”. Segue fustigando. Os católicos sem liderança não são ninguém. Nenhum padreco vai reagir. Há dois ou três que querem rebelar-se, porém seus superiores os encurralam. Se vês um sacerdote católico alvoroçado, compra-o, chama-o, ganha-o para ti; se o povo cristão se te rebela, esse será teu último dia… porém, dificilmente esse dia virá. Os judeus na Venezuela não contam, os Evangélicos são uns pobres coitados e as demais religiões para que nomeá-las? Cita o Cristo, sempre, fala em seu nome, lembra que isto a mim me deu excelentes resultados.

    Inclui bandeiras e Simón Bolívar quando possas. Gera um novo nacionalismo. Desperta o ódio, divide os venezuelanos. Esta etapa te dará bons dividendos… Se eliminarão uns aos outros, a violência te ajudará também a instalar-te mais tarde à força. Entretanto, fale-lhes de Democracia. Tens dinheiro, compra a fidelidade enquanto cumpres os teus objetivos. Quando consegues o que queres se se opõem ou te aconselham, despreza-os. Envia-os a embaixadas, dá-lhes dinheiro para que se calem ou tira-os do país para que a imprensa não os utilize. Os que se oponham “planta-lhes” delitos; isso desqualifica para sempre. Por todos os meios mantém maioria na Assembléia. Mantém a teu lado no mínimo a Procuradoria e o Tribunal. Compre todos os militares com comando de tropa e equipamentos. Põe-os onde há bastante dinheiro. Compra banqueiros. Grandes comerciantes e construtores. Dá-lhes contratos, trabalhos e facilidades para esta primeira etapa.

    Segunda Etapa

    Para a segunda etapa tens que haver formado Comitês de Defesa da Revolução que os podes chamar de “Bolivarianos”. Faz trabalho comunitário com eles para que te defendam agradecidos. Paga-lhes para que sigam teus alinhamentos (marchas, concentrações). Dos comitês seleciona os mais agressivos para uma força de choque armada que podem necessitar se a coisa se põe difícil. Controla a Polícia, destrói-a. Ponha-na à tua disposição. Na segunda etapa tens que aprofundar a visão da Revolução. Deve-se mencionar muito a palavra revolução. Isto emociona os pobres.

    Aqui tens que fraturar as uniões de trabalhadores e de empresários que podem fazer oposição. Aqui temos que conseguir com que os trabalhadores estejam filiados a uma central paralela. Com dinheiro se consegue. Do mesmo modo, tens que armar uma central de empresários paralela. Ataca os empresários. Acusa-os de famintos, fascistas e particularmente acusa-os de golpistas; faz-te de fraco.

    A mente dos homens se situa no mais fraco e na injustiça. Se não o podes comprá-los, fecha os meios de comunicação radial, impressos e televisoras. Tua empresa de petróleo é quem te produz o dinheiro do projeto. Põe uma Junta Diretora Revolucionária. Demite os técnicos e acaba com essa chamada meritocracia.

    Terceira Etapa

    Se tens tudo nesta etapa podes seguir para a terceira. Na terceira etapa podes violar a Constituição porque ninguém vai te impedir. Ordena invasões. Distribui armas, drogas e dinheiro. Acusa-os de espiões e corruptos. Desprestigia-os. Prende muitos jornalistas, empresários, líderes trabalhistas. Os demais escaparão do país ou serão punidos.

    Reestrutura o Gabinete. Aqui podes desfazer-te de teus colaboradores. A alguns podes premiá-los e outros desprezá-los pois já não há oposição. Tens que pôr camaradas. Estabelece o chamado constitucionalmente. Estado de Exceção; Suspende garantias. Lança o toque de recolher. Apura-te, olha se o povo te está achando excelente. Fecha todos os meios de comunicação. Destrói Prefeitos e Governadores da oposição.

    Anuncia a reestruturação de todas as áreas do Estado e a elaboração de uma nova Constituição. Forma um Conselho de Governo com 500 membros. No Conselho Assessor do Governo estarei eu. Há que fuzilar os opositores que não aprendem. Isso é a única coisa que os silencia e é mais econômico.

    Nunca deixes que se organizem, nem deixes que conheçam tuas intenções. Seremos respeitados novamente com o Marxismo-Leninismo. Brasil, Equador, Venezuela e Cuba a passos indestrutíveis. Se vejo que não tens colhões, recolho todo o meu pessoal; podem me matar os militares, quando se te ergam, se não me fazes caso. Que estás esperando, Hugo?”

Deixe uma resposta