Campeões da hipocrisia: como a mídia tratou a tentativa de Marco Feliciano de salvar vítimas da execução na Indonésia em 2013

10
43

Marco_Feliciano

Hora de voltarmos ao túnel do tempo e relembrarmos a notícia Jornalista fala besteira, diz Marco Feliciano ao criticar a imprensa, do Tribuna Hoje, em março de 2013:

O deputado Marco Feliciano (PSC), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, criticou a imprensa na manhã desta quarta-feira (27). Alvo de processo por discriminação e pressionado a renunciar à presidência, Feliciano afirmou que os jornalistas “estão ultrapassando o limite de espaço”, “não tem outro assunto para falar” e que “falam besteiras”. O deputado reafirmou que não vai renunciar “de jeito nenhum”.

Feliciano foi à embaixada da Indonésia para conversar com o embaixador sobre a situação de dois brasileiros que estariam condenados à morte no país.

“Não falo mais nada. Vocês [jornalistas] estão ultrapassando o meu limite de espaço. Eu estou aqui para um assunto sério e vocês estão de brincadeira”, disse.

Questionado se esse seria o momento de analisar suposto pedido de clemência dos condenados, Feliciano respondeu: “Existe tempo para pedir clemência? Isso e uma pergunta estúpida, não?”

Segundo Feliciano, o embaixador não soube informar se os brasileiros estão na lista de condenados à morte e que o apelo por clemência do governo é bem visto pelo presidente da Indonésia, que os convidou para visitar o país.

Depois, Feliciano afirmou que a Comissão dos Direitos Humanos não está em crise, que a crise é dos jornalistas.

“A comissão não está em crise, quem está em crise são vocês. Falando besteira e falando coisas que não existem. Já fizemos duas sessões e na primeira votamos a rodada da pauta, a segunda foi impedida por causa do tempo, hoje tem a terceira sessão. Não sei se será (aberta ou fechada)”, disse.

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e líderes partidários anunciaram nesta terça que farão uma reunião na próxima semana para tentar convencer Feliciano a renunciar. O PSC, partido de Feliciano, decidiu nesta terça manter o deputado no cargo. Para Feliciano, líderes não podem interferir em sua decisão de continuar como presidente.

“Não vou renunciar de jeito nenhum. O que os líderes podem fazer com a minha vida? Eu fui eleito pelo voto popular e pelo voto do colegiado ponto final, que insistência. Vocês não têm outro assunto pra falar, não?”, completou.

Observem bem o comportamento da mídia de esquerda. Enquanto Feliciano estava lutando pela liberdade de dois presos na Indonésia, a mídia descartou qualquer tipo de apoio a esses presos, apenas por que Feliciano (o adversário político a ser destruído) era o defensor.

Porém, bastou que Dilma fosse interceder agora, de forma atabalhoada (e atrasada), em prol desses mesmos dois presos para que, enfim, eles merecessem um pouco de atenção.

Tanto na época em que Feliciano os defendeu, como agora, não teve argumentação que os salvasse. Um deles, Marco Archer, foi fuzilado ontem.

Mas o mais cruel de tudo é que a mídia de esquerda se preocupou com a vida de Archer somente agora, mas não deu a mínima para ele na época em que Feliciano o defendeu.

Como será que funciona o sistema límbico profundo (área do cérebro relacionada às emoções) da extrema-esquerda? No caso área relacionada à empatia, nós já sabemos: basta entender que o objeto da possível comiseração é do seu lado. Daí a emoção surge. Caso contrário, essa área do cérebro é desligada.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. A extrema esquerda adora se pousar como o auge moral, como o Messias da humanidade.
    Mas sabemos que isso não é nem próximo do que realmente são por trás das cortinas.

  2. Um exemplo desse duplo padrão da esquerda foi o caso daquela declaração imbecil do Ghiraldelli à respeito da Rachel Sherazade.

    Olhem como o caso foi tratado pelas feministas no texto “Nota da Federação Feminista Brasileira sobre o caso Paulo Ghiraldelli vs Rachel Sheherazade”.

    Destaco o seguinte trecho:
    “Não acho que feministas precisem opinar a respeito do assunto. Foi algo meio pessoal entre os dois, e é o ‘óbvio ululante’ que alguém dizer que deseja que uma mulher seja estuprada é errado em qualquer circunstância.”

    Link: http://avezdasmulheres.blog.com/2013/12/29/nota-da-federacao-feminista-brasileira-sobre-o-caso-paulo-ghiraldelli-vs-rachel-sheherazade/

    Notei quase nenhuma, ou até nenhuma indignação por parte dessas feministas. Mas no caso do Bolsonaro, foi o maior falatório por parte das ativistas.

      • Consegui abrir, eu ri do lema:

        “A Vez das Mulheres de Verdade: Mais mulheres que a maioria das mulheres. Mais homens que a maioria dos homens.“

        Olha a confissão:
        “ Desta vez, excepcionalmente, foram o Twiter, o Facebook e o Felipe Moura Brasil, da Veja, que chegaram na frente e criaram uma tensão nos obrigando a falar do caso. Confessamos que foi descuido nosso, por não compartilharmos com as ideias de Rachel Sheherazade (ou ela com as nossas). Se Paulo tivesse mexido com Cynara Menezes da Carta Capital, teríamos reagido com mais energia. Se fosse Olavo de Carvalho defendendo o estupro de Lola Aronovich, faríamos com que ele fosse para fora do Brasil.

        Confessamos que foi […] por não compartilharmos com as ideias de Rachel Sheherazade […] Se Paulo tivesse mexido com […] [alguém da] […] Carta Capital, teríamos reagido com mais energia. Se fosse Olavo de Carvalho defendendo o estupro de Lola Aronovich, faríamos com que ele fosse para fora do Brasil“

        “ Sobre o blog A Vez das Mulheres de Verdade

        Mãe e filha (Imaculada e Abigail) que amam a vida, a verdade e a justiça defendendo o caráter, o ateísmo, a anarquia e a putaria.
        Contra a futilidade feminina, o mau caráter, o lesbianismo, o LGBT-feminismo, a religião, a castidade, a corrupção na política, a exploração do homem pelo homem. Um blog de duas mulheres tentando falar de coisas sérias sem maquiagem. Sem maquiagem, sem moda, sem cirurgia plástica, sem horóscopo, sem religião,… ”

        Comentário no blog da Asa Hauser:
        “nina nunes 30 de dezembro de 2013 00:34
        Bem, não tenho a menor simpatia pelas opiniões de Rachel Sheherazade, que para mim representa o suprassumo do atraso ideológico nacional. Mas acho que ela, como mulher igual a mim, a Asa Hauser e a metade da população brasileira, merece apoio de feministas e de entidades de defesa dos direitos humanos, pois o tratamento que Ghiraldelli deu a ela é absolutamente inaceitável. Essa manifestação de Asa aqui no post me parece pífia, sem vontade de defender uma representante do gênero feminino que, por acaso, é a Sheherazade”

        Veja que a Nina comentou que achou que a postagem da Asa foi pífia, com extrema má vontade de defender a Sheherazade das ofensas criminosas de um esquerdista.

        Vejamos mais:
        “Ghiraldelli apenas confirmou a “cultura do estupro”, apesar de nós sermos pressionadas a nos pronunciarmos sobre isso depois de até a ultradireitista Veja dizer algo a respeito. E apesar de a nossa companheira Lola, combativa nos dois exemplos anteriores, não ter comentado nada até o momento. […] Por mais que discordemos de praticamente TUDO que a Rachel Sheherazade diz, e não gostemos dela, é absolutamente INACEITÁVEL uma declaração como a de Ghiraldelli, de que “deseja que ela seja estuprada”. […] Reconhecemos que essa é uma lição para nós.
        […] Se for para discordar da Sheherazade, que seja com argumentos embasados, não com xingamentos […] Pelos direitos da mulher sem tirar os dos homens. Viva a putaria heterossexual!
        Abigail Pereira Aranha “

        “Ghiraldelli e Sheherazade
        Bem, muito já foi dito a respeito e um bom resumo de tudo pode ser encontrado aqui, neste artigo da Veja: […] O que achei curioso foi que de repente começaram a cobrar que feministas e grupos feministas se pronunciassem a respeito do assunto. A isso eu respondo no Facebook da seguinte forma: – Não acho que feministas precisem opinar a respeito do assunto. Foi algo meio pessoal entre os dois […] – Na verdade o que o Ghiraldelli fez foi apenas confirmar a ‘cultura do estupro’ – quando se discorda de uma mulher é esse tipo de ataque que se faz a ela. Isso é tipo ‘feijão-com-arroz’ para mulheres em geral. […] Mas se é tão importante assim que uma feminista se pronuncie, eu faço isso então, já que sou feminista. Lá vai: Por mais que eu discorde de praticamente TUDO que a Rachel Sheherazade diz, e não goste dela, é absolutamente INACEITÁVEL uma declaração como a de Ghiraldelli”

        Pontos:
        – Lola não falou nada
        – Leiam só : “Não acho que feministas precisem opinar a respeito do assunto […] Mas se é tão importante assim que uma feminista se pronuncie, eu faço isso então, já que sou feminista. Lá vai”,

        Ou seja, se pronunciaram por PURA PRESSÃO, não ia falar nada, mas começaram a ser cobradas aí resultou nisso: “mas se é tão importanto assim que uma feminista se pronuncie….lá vai…”, má vontade.

  3. Luciano, um dos dois presos a que se refere a reportagem é o agora fuzilado Marco Archer. Ele estava no corredor da morte desde 2004. Isto é, Marco Feliciano estava tentando salvar justamente o Marco Archer.

      • Luciano, vi MAVs em tudo quanto é canto comentando contra a decisão da Indonesia de executar traficantes.

        Ou seja agora é um bafafá danado da mídia e dos MAVs, mas na época do Feliciano nem uma palavra, por que? Porque a pauta da esquerda naquela época era outra, era desmoralizar a imagem do Feliciano, então se a pauta é essa, outras coisas não interessam, passarão a interessar quando o comando da esquerda definir a nova pauta, aí seus militantes a mídia chapa branca só falarão daquilo

  4. Luciano, não se pode cobrar empatia ou outro sentimento superior dos esquerdistas. Todos são proto-humanos (algo próximo aos seres humanos) portadores de personalidade dissocial. O melhor que se pode fazer a respeito é tirar-lhes o poder para sempre. Um sociopata síndico de prédio já faz um estrago incalculável, imaginem um com poder ilimitado.

Deixe uma resposta