Dilma volta à cantilena de “regulação da mídia”

10
68

dilma-rousseff-foto1

Lá vamos nós de novo…

Dilma segue com a eterna conversa de “regulação de mídia”, ou seja, está cada vez mais kirchnerista – e vamos falar disso ainda hoje, pois um promotor que ia apresentar um relatório contra a Dona Doida da Argentina acordou com a boca cheia de formiga.

Antes de falar dessa senhora argentina detentora de faculdades mentais intrigantes, voltemos à Dilma, que vai trilhando o mesmo caminho.

Leia o texto “Dilma volta a defender regulação da mídia”, do Brasil247:

Em seu perfil no Facebook, página administrada pelo PT, a presidente Dilma Rousseff defende a regulação econômica da mídia.

“A regulação econômica da mídia não tem nada a ver com controle do conteúdo ou censura. Na verdade, vai evitar monopólios e oligopólios e garantir a pluralidade de opiniões e manifestações culturais, tudo já previsto na nossa Constituição, mas sem ter sido regulamentado. Assista ao vídeo e entenda!”, diz a mensagem postada neste domingo.

Na sequência, o vídeo mostra o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, defendendo a liberdade de expressão no país. .

“Então, acredito que regulação, ela tem uma base. Regular qualquer segmento tem uma base, que é a base econômica. A concentração de poder econômico dificilmente leva a relações democráticas e leva a relações assimétricas”, afirma a presidente na peça institucional (assista aqui).

Esta é nossa situação atual: Dona Dilma já percebeu que só resta à sua turma fazer politicagem do nível do chiqueiro para se manter no poder. Buscar arrumar a economia do país que é bom, nada.

Sendo assim, ela entende não ter outro caminho a não ser censurar a mídia. Ao menos, a propaganda atual do PT nesse intuito é feita na defensiva (“não é censura”). Mas não podemos descuidar. É quase como o Nestor Cerveró: um olho no gato e outro no peixe (Petrobrás). Para nós seria: um olho na denúncia da corrupção e o outro na proteção da mídia.

Dia desses fiz um roteiro claro desmascarando toda a propaganda petista dizendo que “regulação econômica não é censura”. Acho que não deixei ponto algum da atual campanha petista passar batido ali.

Usem a vontade. (E quem quiser criticar e/ou apontar itens a mais a serem tratados, sinta-se livre)

Anúncios

10 COMMENTS

  1. A verdadeira mídia que a Dilma quer censurar é a internet. Blogs independentes, Facebook, Twitter, etc.

    No Chile a recém (re)eleita Michelle Bachelet já botou suas manguinhas de fora e mostrou a sua verdadeira face socialista: já encaminhou o projeto de censura para o congresso de lá, que por sinal já se mostrou bastante ‘cumpanheiro’ da idéia:

    http://www.contextolivre.com.br/2015/01/bachelet-propoe-comissao-de-alto-nivel.html

    Acredito que por aqui será uma questão de pouco tempo para acabarem com a internet como conhecemos hoje…

    • Chile tá indo pelas beiradas também? Ah não… eu que quando viajei por lá encantado fiquei e pensei “se no Brasil a coisa enfeiar demais, corro pra cá”

      (país muito bonito e divertido, triste que não tá escapando da epidemia da América do Sul)

  2. Bom. Mas essa preocupação do governo não é prioridade de um país e sim de um partido. A argumentação do governo não convence a ninguêm.
    Esse eufemismo vai dar errado.
    O mundo livre acaba de dar demonstrações espetaculares de repúdio a qualquer “mas” no âmbito da liberdade de meios, como quer que venha mascarado.
    Vai dar errado e é mais um passo na argentinização do país.

  3. Eu gostaria de dizer… (pausa)… aos brasileiros e brasileiras que estão me ouvindo… (pausa)… que estamos criando, inclusive, um novo ministério… (pausa)… o Ministério Para Propaganda e Educação do Povo… (pausa)… que contará com os membros da sociedade civil…”

    (I´ve seen that before)

  4. Esse texto da Dilma é de dar nojo. Ela diz que a regulação da mídia não é para controlar o conteúdo, mas logo em seguida fala em garantir o pluralismo. Forçar uma série de programas e opiniões que a maioria dos telespectadores NÃO QUEREM VER, pois se quisessem dariam automaticamente audiência, em nome de um suposto pluralismo é sim CONTROLE DO CONTEÚDO e pode ser usado como forma de censura, se for para reduzir ou eliminar outros programas que desagradem o governo. A opinião e a mídia devem ser livres, um conteúdo deve conquistar seu lugar na tv atraindo audiência e não ser imposto por via de uma regulação governamental. O pluralismo deve ser permitido, e não garantido. Garantir, neste caso, é impor.

  5. No fundo, a censura da mídia é uma grande burrada, pois a internet serve como “válvula de escape” para a maioria dos indignados.
    Censurar a internet vai levar todas essas pessoas para as ruas, e o problema só vai piorar, como aconteceu na primavera árabe do Egito.

  6. Quando ouço falar em “monopólio da mídia” tenho vontade de esmurrar a cara do mentiroso! Monopólio de mídia é em Cuba e Coréia do Norte, cambuta de filhas da pada! Lá você lê e assiste o que o governo quer que você leia e assista ou então lê e assiste o que o governo quer que você leia e assista.
    ISSO é que é concentração de mídia!

  7. Luciano, você que tem nome no meio, não rola falar com o pessoal do Movimento Brasil Livre incentivando a uma manifestação (melhor seria uma onda, cada uma em um canto do país) contra essa xereca de regulação de mídia?
    Não o faço pois não sou ninguém, mas apoiarei com certeza e estarei lá.

    Aliás, interessante publicarem videozinho com esse tal de Berzoini, que provavelmente pensa que os cartunistas do jornal Charlie “cutucaram onça com vara curta e foram atacados pela onça, reclamar não podem”. Legal essa liberdade de expressão que eles vendem. Com eles sendo a onça, é claro. Se alguém cutucar com vara curta, como cutucaram a Dona Encrenca argentina, que não reclame de acordar com a boca cheia de formiga ou de voar pelos ares…

  8. Luciano,

    “A regulação econômica da mídia não tem nada a ver com controle do conteúdo ou censura. Na verdade, vai evitar monopólios e oligopólios e garantir a pluralidade de opiniões e manifestações culturais, tudo já previsto na nossa Constituição, mas sem ter sido regulamentado.”

    É a tática nazista de uma mentira repetida mil vezes?

    O que petistas dizem que não seja planejado e ensaiado? Parecem papagaios

Deixe uma resposta