O caso de Fernando Holiday. Ou: quando a extrema-esquerda, sempre racista, mostra sua cara

58
249

fholiday

Imagine que você pertença a uma minoria e resolva desafiar os principais donos do poder, que oprimem todos os aspectos de nossa vida. Alguns pensariam em revolucionários recebendo mimos por todos os lados, certo? Que tal uma série de privilegios e, em alguns casos, até verba estatal? Bem, isso se você se aliar exatamente aos adeptos de ideologias totalitárias como o socialismo. Caso contrário, pode esquecer. Para quem resolver desafiar o status quo esquerdista, nada de moleza.

Fernando Holiday, como a maioria dos negros, prefere buscar seus sonhos ao invés de fabricar um falso vitimismo. Exatamente ao contrário da extrema-esquerda. Veja este vídeo de Holiday:

Isso é o que se chama de uma verdadeira desenganação dos principais dogmas da extrema-esquerda quando esta finge lutar em favor de negros contra brancos. São os famosos “movimentos negros”, que jamais representaram os negros. Assim como um “movimento branco” não me representaria. Se fizessem um “movimento em favor do indivíduo”, aí sim contem com minha presença.

Mas veja como a extrema-esquerda o tratou:

ameaca

 

Uau, quanto crime de ódio, não?

Será que esses crimes serão pegos pelo famoso software do governo para detectar “crimes de ódio” na Internet? Como diria o ceguinho esperançoso, veremos.

Ou seja, como sempre podemos notar que a extrema-esquerda jamais pensou em qualquer grupo que alegou defender. Sempre usaram os membros de cada grupo que aceitassem jogar o jogo da vítima, para prover o benefício que a simulação da defesa destes grupos poderia prover. Ou seja, muita verba estatal para os líderes (e são poucos os espertos que fazem esse negócio render, mas estes poucos se dão muito bem, obrigado). Mas se alguém não se enquadra nos jogos de vitimismo, não serve para capitalização política para essa gente e, como tal, passa a ser um inimigo.

Eis aqui a postura da extrema-esquerda diante das minorias que fingem defender mais desnudada que nunca. E não é uma imagem agradável a que vemos. Mas não é algo que me surpreenda também.

Em tempo: veja um vídeo onde Fernando Holiday coloca esses racistas em seu verdadeiro lugar:

Uma dica de leitura é “The Intellectuals”, de Paul Johnson. Lá sabemos que no marxismo o racismo sempre foi uma regra. Desde os tempos de Karl Marx.

Anúncios

58 COMMENTS

  1. Marx & Engels – 1848 – Princípios Básicos do Comunismo (trecho)
    “1) Restrição da propriedade privada por meio de impostos progressivos, altos impostos sobre heranças, abolição da herança por parte das linhas colaterais (irmãos, sobrinhos, etc.), empréstimos forçados, etc.

    2) Expropriação gradual dos latifundiários, fabricantes, proprietários de caminhos-de-ferro e armadores de navios, em parte pela concorrência da indústria estatizada, em parte, directamente, contra indemnização em papéis do Estado.

    3) Centralização do sistema de crédito e da banca nas mãos do Estado por meio de um banco nacional com capital do Estado e repressão de todos os bancos privados e banqueiros.”

  2. Caralho, adorei esse cara, não poupa palavrões, porque com esquerdopata filho da puta a gente tem que falar com muita boca suja mesmo, tratar como vermes que são, visto esses dos comentários no qual até tem um dizendo “se precisar de serviço sujo, tamo aí”.
    Ou seja, tem um sujeito aí, Dener Vinicius, que pelo visto é BRANCO, dizendo que se dispõe a fazer SERVIÇO SUJO contra um NEGRO, só porque o negro pensa diferente dele.
    Cadê Jandira Fegalinha?
    Cadê a Vadia do Corsário?
    Cadê os defensores dos negros?
    Tem um negro sendo ameaçado de monte, o que eles vão fazer? Dar apoio? Ajudar a derramar sangue de inocente?
    Sujos. Imundos. COVARDES, BUNDA-MOLES.

    Muito bom o vídeo, e muito bom o modo dele de falar. Acho que é de gente assim mesmo que tá necessário, que faça vídeos como esse.
    (diferente de um gay que gravou um vídeo uma vez, não lembro o nome dele, mas o vídeo era Gays de Direita, e sei lá, falava meio chorando, muito muito ruim, talvez tenha tido boa intenção mas não convenceu; já esse negro aí mandou muito, é assim que se fala: mandando os filho da puta tomarem no olho do CÚ)

    Holiday, É NÓIS!

    • Os esquerdalhos que criticaram e ameaçaram são negros também , o q torna a situação mais absurda ainda, visto que o militantes do Movimento Negro que diz lutar em favor dos negros agora se juntam pra ameçar um outro negro, só pq o cara tem uma opinião diferente deles .

  3. Luciano, faça um adendo a esse post, poste também o print da parte que essa Renata diz que compra maconha com o dinheiro do bolsa-seiláoque que o governo dá pra ela!

  4. Luciano, seguem dois vídeos que valem a pena:

    1) Viu os Dois Dedos de Prosa do Ratinho com a Rachel Sheherazade?

    http://www.youtube.com/watch?v=b-nx-cAGCKM

    2) Segue também um vídeo mais antigo, com o pronunciamento do padre José Eduardo na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro em 29 de setembro do ano passado, falando de maneira claríssima o modus operandi do marxismo-humanismo-neoateísmo:

    http://www.youtube.com/watch?x-yt-cl=85114404

    Observe que o sacerdote em momento algum evocou a Bíblia para justificar algo, o que demonstra ser ele bastante atento à forma como agem marxistas-humanistas-neoateístas. O que ele fez se não usar a própria literatura MHN como forma de combater o próprio movimento e mostrar que aquilo que essa literatura diz não apenas quer viabilizar coisas abomináveis como legalizar pedofilia e incesto como também a própria desumanização da pessoa como um todo. Afinal, se não existe homem ou mulher e isso é uma simples definição subjetiva, o que impedirá que um líder MHN chame alguém de “barata”, “rato”, “lixo” ou outra coisa baseando-se na percepção subjetiva dele enquanto líder MHN baseando-se no que ele subjetivamente vê? E aqui novamente caímos no tal lance de que pretensas defesas de minorias foi apenas e tão somente uma invenção gramscista que será descartada assim que o objetivo for atingido, conforme já disse Yuri Bezmenov.
    Note também o quanto o padre fala dos pensadores que os próprios MHNs funcionais desconhecem, mas repetem de maneira adestrada o que eles falam. A mais falada nos tempos atuais é o tal lance de que seríamos folhas em branco e programadas pela sociedade, mas também temos toda aquela picaretagem de Jacques Derrida para dizer que um discurso proferido por alguém disse algo que nunca disse (vide a reação pavloviana da MHNzada quando ouvem uma palavra-gatilho qualquer, mesmo que o contexto daquele discurso mostre-se contra aquela palavra-gatilho).

    O mesmo padre também mostra claramente o quão anticientífico e antinatural é o discurso MHN nas ideias que quer passar, tudo isso com um vocabulário simples e conteúdo riquíssimo. Parece que a Teologia da Libertação já está enfrentando um movimento a ela contrário e que está além do padre Paulo Ricardo que conhecemos de outras ocasiões. Pode até ser que esteja passando despercebido, mas ganhando cada vez mais vulto.

  5. Eu apoiei as cotas raciais, mas sob a condição de existirem por tempo limitado e não por uma falsa e amoral “justiça social”, mas por questão de comportamento.

    Depois de estudar por décadas, uma vez me deparei com uma turma de faculdade realmente heterogênea. Haviam negros, índios, homossexuais, estrangeiros, uma miscelânea onde pela primeira vez não era uma grande maioria de brancos cristãos. Aí me toquei que muitas vezes quem não é o arquétipo do branquelo tem mesmo encalacrada na nossa mente como elemento estranho na hora de ser avaliado pelo mérito na carreira profissional.

    Então apoiei tento em vista acostumar os jovens a ver algo mais que brancos cristãos estudando e se formando, pra que não se fixasse na nossa cabeça que qualquer outra característica física não seria uma aberração quando se trata de profissões e carreiras com formação superior.

    Mas como disse, isso seria uma experiência temporária de uns 20 a 25 anos de duração, formando uma geração que se acostumasse com diversidade como algo normal e não tivesse esse preconceito na vida profissional, na hora de escolher quem seria promovido. Depois teria que ser extinta e deixado se desenvolver pelo mérito e naturalmente.

  6. Mas que grandessissima **** essa moça, hein! Ameaçando esse rapaz de morte, dizendo que ele vai “aprender a ser preto de verdade”. E quem está apoiando ela tbm. Ameaça explicita de violência física!

    O pior é que ela faz pedagogia e trabalha com crianças pelo que vi no perfil do facebook. Espero que alguém a denuncie na escola onde ela trabalhar.

    Olha, sinceramente, pedagogia é um dos cursos mais fáceis de se passar no vestibular, senao o mais, mesmo para alunos de escolas públicas. Quem precisa de cotas, e ainda por cima, raciais, para entrar em pedagogia não tem muita capacidade intelectual.

    Não é por acaso que essa moça precisa sublimar essa inferioridade intelectual justificando—a através de um motivo “histórico” e “político”. Pq se ela visse como as coisas são na realidade, só sobraria a burrice dela mesmo.

  7. Nossa, como esse pessoal da esquerda é dissimulado! Não consigo não me irritar ao ver casos assim! Que absurdo a maioria dos jovens dar ouvidos para esses políticos do PT, PSOL, Pc do B e cia!

  8. Se você for vasculhar o Facebook do sujeito, tu acha até esquerdista RUIVO e mais uma penca de patricinha cor-de-leite intimidando o sujeito para que ele não pise na porta do curso do qual ele estudou pra passar.

    Nunca vi uma página ser invadida por tantos playboys fascistinhas por metro quadrado. Espero que ele encontre um bom advogado, o lote que ele vai poder colocar atrás das grades é bem grande.

  9. A esquerda acha que têm o monopólio para definir quem é o opressor e o oprimido: O opressor é aquele que não concordo com as ideias deles e o oprimido é quem fica de joelhos para elas…

  10. Esse garoto sempre vai ter meu apoio pra continuar, já me inscrevi no seu canal e sempre q puder irei comentar em seus vídeos para demonstrar meu mais sincero engajo. Porque ele sim me representa. Esse bando de traça esquerdista nao demonstram um pingo de intelectualidade frente a esse garoto. É simplesmente impressionante o embotamento intelectual desses caras . O garoto enche os vídeos de argumentos e fatos comprovados historicamente e eles o que fazem? Trazem argumentos contudentes? Que provam o contrario do q é dito ? Não!( até pq nao ha nenhum), partem p agressao e chamam o menino de mentiroso! O cumulo da burrice e imbecialidade mental.

  11. É nestas horas que os meios de comunicação precisam ser pressionados a publicarem isto. Lembram do caso da torcedora do Grêmio que teve a vida destruída por causa daquele grito no estádio? Isto aí para mim é 10 mil vezes pior e pelo visto não vai sair G1 e nem no Jornal Nacional.

      • Excelente, Maxwell. Hora de mandar mensagens e e-mails para todos os veículos grandes, pro site do Globo, Estadão, portais e portais como Yaho, e inclusive sites esquerdistas chapa branca de cocaína.
        O que acham dessa sugestão de mensagem?

        “Há meses atrás, quando uma torcedora do Grêmio xingou o goleiro Aranha em um estádio, teve sua vida destruída e ampla cobertura da imprensa.

        [se a mensagem for ao Yahoo, sugeriria acrescentar que o colunista Régis Tadeu, que é crítico de música mas também opina sobre outros assuntos, elogiou o clima de ódio que se instarou para a torcedora, dizendo que é o que ela merecia.
        Link da matéria: https://br.noticias.yahoo.com/blogs/mira-regis/que-menina-gremista-racista-e-seus-c%C3%BAmplices-apodre%C3%A7am-190342629.html%5D

        Há alguns dias, um rapaz negro de 18 anos chamado Fernando Holiday publicou no YouTube um vídeo criticando cotas raciais e discursos de vitimização dos negros, discursos esses que partem não dos negros, mas sim de pessoas que se assumiram como defensoras deles.
        Acontece que essas pessoas que dizem defender os negros estão ameaçando um.
        Diversas mensagens, entre elas ameaça de “fazer serviço sujo”, “tomar cuidado com uma força armada”, entre outras mais sérias chegaram até o rapaz, muitas publicamente, como é possível ver aqui:

        [E anexar as mensagens e links]

        Por que este caso não está sendo noticiado?
        Por que não há nenhuma figura como Maria do Rosário, Jandira Fegalli, Jean Wyllys, ou outros que dizem-se inimigos de discursos de ódio não estão sequer mencionando o caso?
        Por que vocês [no caso de um site chapa branca], que sempre se disseram comprometidos com as minorias, não estão dando força ao Fernando e condenando o discurso de ódio e as ameaças que ele tem recebido?
        Por que razão essa diferenciação, essa ignorada ao caso?

        Aguardo resposta contundente.

        Obrigado”.

  12. É um erro popular muito comum acreditar que aqueles que fazem mais barulho a lamentarem-se a favor do público sejam os mais preocupados com o seu bem-estar..

  13. Adorei esse cara.. Corajoso , inteligente e muito bem humorado
    . É com pessoas assim que a gente vai pouco a pouco dinamitando o castelo de imposturas dessa extrema esquerda asquerosa e autoritária

  14. Esse governo que se diz defensor de “minorias”, só defende essas “minorias” para criar divisões de classes, é só um jogo, mas são racistas e se conseguirem seu projeto de poder aqui no Brasil, essas mesmas “minorias” que eles fingem defender hoje, serão perseguidas amanhã.

  15. Ironia suprema: a mandatária maior, no seu último discurso de posse, pediu “união” às pessoas. Ela, que integra um partido cuja máxima é a luta de grupos… por essas e outras é que está na hora do PT se tornar um cadáver político. Aliás, já passou da hora, mas pelo que se vê ultimamente, ao menos parece que há uma data pra terminar.

  16. Geralmente os integrantes das ” minorias” são os mais perseguidos, basta que não digam sim senhor para a militância.

    Lá nos EUA as mulheres postam a hashtag #womenagainstfeminist dizendo que são contra o feminismo, exatamente porque estão revoltadas com a patrulha feminista e com o preconceito contra seus maridos, pais e filhos. A resposta, como já era de se esperar, é aquela velha acusação de “traidora da causa”, seguida da mentira de que “vocês são livres hoje graças ao feminismo”. Ainda assim, e talvez até por causa disso, o movimento está crescendo.

    A insatisfação está muito forte por lá. Quero ver como as feminazis vão escapar dessa.

  17. 21 de março de 2016
    Sérgio Vaz: ‘O Brasil mostra sua cara. A hipocrisia com os dias contados no país’
    da redação
    O poeta Sérgio Vaz, uma das grandes referências da cultura periférica na cidade de São Paulo, manifestou-se sobre os conflitos cada vez mais escancarados no cenário político brasileiro. As manifestações de ódio, segundo ele, sempre existiram. “Pergunte aos negros, pobres, índios, mulheres, negros, travestis, índios, mulheres, nordestinos, gays, travestis, que eles te contam”.

    Nesta segunda-feira (21), ele publicou um texto em que afirma que os recentes episódios cada vez mais mostram a verdadeira cara do Brasil:

    A hipocrisia está com os dias contados no país.

    Nas ruas, nos lares, praças, bares, e em todo canto, as pessoas estão lavando roupa suja com sabão disfarçado de debate político. Caiu a máscara do Brasil cordial.

    Para um país que mata 50.000 pessoas por ano, cordial é um título que a gente nunca mereceu.

    Nas ruas ninguém gosta de quase ninguém e é fácil descobrir isso, basta somente dizer o que você pensa e de que lado você está.

    A palavra Democracia virou um palavrão, ao invés de ser tratada como um sentimento.

    Kibe ou coxinha?

    Tanto faz, com nossas cabeças parecendo pastel de vento, a pizza fica cada vez maior para ser dividida entre eles.

    O amigo, cunhado ou o parente pergunta o que você está achando da política, aí você diz. Pra quê?!

    Sabia. Nunca gostei de você. Sempre foi vagabundo. Corno. Bicha. Feia. Gorda. Analfabeta. Covarde. Devolve meu dinheiro. Ainda bem que seu marido largou de você. Safado. Não esqueci o que você fez 10 anos atrás. Paga pau do Lula. Paga pau de rico. “Sabia que pobre votar no rico é a mesma coisa que a barata votar no inseticida?” Comunista. Puxa saco. E por aí vai.

    Coisas que sempre tivemos vontade de falar, mas nunca tivemos coragem. Mas hoje, finalmente, o Brasil mostra sua cara. Para o bem ou para o mal.

    Não sei porque algumas pessoas estão estranhando esses dias em que todos nós estamos com o dedo na cara um do outro. Sempre foi assim, é que a TV nunca deixou a gente ver. Ou se ver.

    Acabou a novela e os próximos capítulos mostram que o eterno país do futuro caminha descaradamente para o passado. Porque no fundo, quem nos desgoverna, nunca quis dar um presente para o povo: a liberdade para ser feliz.

    Porém uma coisa sempre esteve clara, nós, os pobres, negros, índios, nordestinos, não somos bem-vindos neste país.

    A não ser que aceitemos as migalhas de sempre.

    A menos que aceitemos a escravidão disfarçada de salário mínimo.

    A menos que aceitemos a escravidão disfarçada de salário nenhum.

    Tem gente que acha que cantamos ou fazemos poesia porque estamos felizes, satisfeitos com tudo.

    Na verdade, da nossa música, do poema, da nossa dança, sai o lamento, o chamado pra luta. É doído de ser excluído dentro de casa.

    Por isso muita gente estranha o refrão.

    Tudo que aí está despejado nas ruas o RAP sempre cantou, a literatura periférica sempre escreveu. Está documentado nas lentes seletas de nossos cineastas da quebrada, na voz dura do teatro que deságua nas ruas. “Sabe nada inocente.”

    Desde criança ouço dizer que temos que combater o sistema que ninguém sabia quem era, o que era, e pra que servia.

    Mas sob uma luz sombria, e sem vergonha de ser o que é, eis que o Brasil mostra sua face mais sinistra.

    E a nossa cara?

    Nossa cara é lutar

Deixe uma resposta