Fernando Holiday fala com o blog Ceticismo Político: “Venha quem vier, com as armas que quiserem, não irei me calar”

26
117

fernandoholiday

Ontem este blog publicou uma matéria falando dos ataques racistas sofridos por Fernando Holiday. Esses ataques vieram da extrema-esquerda, indignada com seus vídeos coisas como vitimismo e política de cotas. O caso está alcançando alta repercussão. Por sua coragem (aliada à uma ótima contundência verbal, misturada com um inerente senso de humor), ele não pára de ganhar amigos e “likes” no Facebook, como pelas redes sociais em geral. Ainda assim ele encontrou um tempo para neste sábado responder algumas perguntas para este blog. Confira:

Fale-nos um pouco sobre você, no que você acredita, e as suas expectativas.

Bom, Luciano, acredito acima de tudo na liberdade, direito esse sagrado e que todo governo que seja no mínimo coerente, deve garantir. Acredito porém que esse princípio tão magnifico vem sendo aos poucos deteriorado, principalmente nas universidades que , como se pode ver, vem restringindo seu debate há um único campo de ideias, o que á médio e longo prazo pode ser perigoso se nada fizermos. E é por isso que me tornei membro do Movimento Brasil Livre (MBL), lá encontrei pessoas igualmente dispostas a lutar por esse direito ao mesmo tempo tão básico e tão maravilhoso. Minha luta é contra isso, contra a hegemonia de ideias, e creio que em um momento tão delicado é necessário que todo cidadão de bem deve se unir contra esse mal maior.

Você se surpreendeu com os ataques sofridos? 

Já esperava críticas e alguns ataques, mas a violência com que foram lançados é de fato assustador. Mas não fiz meus vídeos para ficar de brincadeira, já disse e repito: venha quem vier, com as armas que quiserem, não irei me calar.

No post que fiz a respeito de seu caso nós vimos exemplos claros de crime de ódio contra você. Recebi a informação de que nosso post mostrou apenas a ponta do iceberg. O que você viu de pior nas ameaças e ataques contra você?

De fato aqueles ataques foram os mais evidentes, porém houve outros. Em um comentário chegaram a dizer que a universidade tinha militância armada e que eu deveria tomar cuidado, o nome do individuo, salvo engano, era Samuel. Não encontrei o comentário depois. Isso sem contar as feministas com argumentos destrambelhados incitando violência contra mim e contra meus seguidores.

Quais as providências já foram tomadas e serão tomadas a respeito?

Fiz o Boletim e Ocorrência contra os indivíduos que consegui identificar e estou reunindo informações para prosseguir com um processo por ameaça e injúria. Não escaparão das mãos da lei.

As universidades, especialmente a área de Humanas, tem servido como zonas “no go” delimitadas pela extrema-esquerda. Qual seu “plano de ação” para lidar com isso?

Realmente, a extrema-esquerda dominou essas áreas nas universidades. O melhor caminho nesses casos é não ter medo de dizer o que pensa e sempre recorrer as vias legais para garantir sua segurança. Ainda não me decidi se farei meu curso na UNIFESP, pois também fui aprovado pela UNESP e pela PUC. Mas se decidir pela UNIFESP, comunicarei a reitoria quanto as ameaças e acompanharei de perto as providências que serão tomadas pela universidade, e não descansarei até que todas as medidas cabíveis sejam tomadas. Porém, é importante que se diga, recebi apoio de outros alunos da Unifesp, do Campus de Diadema, Baixada Santista e até mesmo de Guarulhos (Campus do meu curso) e de outras universidades públicas e privadas também.

Existem alguns autores liberais que tratam os socialistas como “iludidos por uma ideologia falsa”. Em minha abordagem, muitos tendem, incluindo os militantes, mais para embusteiros que se beneficiam de alegações nas quais muitas vezes sequer acreditam. Por exemplo, fingir lutar contra o racismo, mas ser racista logo em seguida. Isso mostraria que muitos deles não acreditam no que dizem acreditar. Qual sua análise sobre isso?

É até possível entender o que levam jovens ao socialismo. A ideia de que o mundo é injusto e de que alguém precisa fazer algo pelos injustiçados é bonita e fácil de se compreender. Porém, com um pouco mais de estudo ou até somente com o mínimo de raciocínio lógico chega-se a conclusão de que ninguém melhor que o próprio indivíduo para superar as adversidades e se erguer. “Ah, mas a burguesia explora o trabalhador e os impede de crescer!”, dirão os doutrinados. Fato é, que o verdadeiro opressor é o Estado, que com sua gigantesca carga de impostos não permite que o trabalhador receba o que de fato corresponde a seu trabalho, e sempre deve-se entender o trabalhador como um individuo e não como uma classe disposta a seguir a cartilha do sindicato, são humanos, não marionetes. Por fim, por esse raciocínio socialista ser mais simplista os jovens são mais tentados a aderi-lo, e sua incapacidade de raciocínio os leva a defender com unhas e dentes suas doutrinas insensatas, mesmo que isso os leve a contradição. Quanto aos mais velhos, deve ser a senilidade mesmo.

Você tem apenas 18 anos e conseguiu escapar da doutrinação marxista. Como você conseguiu escapar destas armadilhas mentais?

Estudei em escola pública minha vida inteira e a maior parte dos meus professores (inclusive no Cursinho) foram de esquerda e me influenciaram Porém a internet me salvou, foi por ela que ao pesquisar por Marx também encontrava Mises, ao pesquisar por Engels também encontra Milton Friedman e por aí em diante. O segredo para se escapar desse ninho de cobras, é pesquisar, estudar e principalmente ser independente.

Pelo visto você respalda a tese de que a Internet é danosa para ideologias totalitárias…

Me libertei da doutrinação marxista pela internet e agora, por ela também pretendo libertar outros tantos colegas. Devemos usar esse meio para alcançar os mais jovens e construir assim um novo país, refundado com base na coerência, no estudo, na ordem e no progresso.

Percebi em seus vídeos que você tem confiança em resultados na luta contra a opressão esquerdista. Também compartilho desta confiança. Por outro lado, vejo algumas vezes uma parte dos direitistas (sejam conservadores e liberais) muito pessimistas, achando que “está tudo dominado pelo oponente, alguns chegando a dizer que “não vale a pena lutar”. O que você teria a dizer a essas pessoas?

Caros colegas, não desanimem, não somos poucos. É verdade que a esquerda hoje tem o domínio, mas se tem é porque se uniu. Precisamos unir nossas forças contra um mal maior que a cada dia mais corrói a integridade já enfraquecida de nossa pátria. Vamos mostrar que somos maioria, esqueçamos por ora nossas divergências, e juntos com a força da verdade expurgaremos do poder aqueles que nos ridicularizam e nos exploram dia e noite.

Você fez o que muitas pessoas tem medo de fazer. Que mensagem você daria aos que ainda tem medo de se posicionar contra a opressão do totalitarismo politicamente correto?

A essas pessoas digo que não tenham medo de defender a verdade. Não são poucos os que estão do lado de vocês, somos muitos e somos solidários e percebi isso, com os apoios que estou recebendo. Estejam onde estiver, sempre haverá quem também defende o caminho da ordem e do progresso, sempre haverá quem os apoie na luta contra os males da política.

Anúncios

26 COMMENTS

  1. Tomei conhecimento dos vídeos desse cara ontem e já me inscrevi no canal dele! A músiquinha que ele canta sobre cotas no final do 2 vídeo é genial e tomara que saia um processinho lindo pra cada um dos VAGABUNDOS que o ameaçaram! Tá na hora da racinha imunda dos esquerdoentes provarem do próprio veneno!

  2. Ótima entrevista. Como falei no post do Movimento Brasil Livre, fico feliz que tenha gente jovem, na qual me incluo, participantes da cultura de oposição, pois ouço bastante que não ser esquerdopatão é “coisa de velho”.
    Hoje fui tomar um café com meu antigo professor com quem mantenho amizade (raro professor de História anti-socialista, com bastante influência na minha resistência à doutrinação esquerdista) e ele disse que o que o anima no Brasil atualmente é que há uma cultura de oposição já notável acontecendo, e que pode aumentar. Depois dos últimos muitos anos tendo a esquerdopatia dominando tudo, agora tem gente disposta a brigar. Fernando Holiday é um desses.

    Somos todos Holiday.

  3. E ao Fernando, sucesso na Unifesp! Assim como os vermes que fizeram ameaças, também espero te encontrar, mas para te cumprimentar. A oposição precisa mesmo de gente que fale no mesmo tom e sem medo de cara feia.

  4. Falei isso no outro post sobre o Holiday, mas achei importante postar aqui também.

    O leitor Maxwell disse que estamos precisando pressionar os veículos de comunicação que muita ênfase deram ao caso da torcedora que xingou o goleiro Aranha (e teve sua vida arruinada por conta disso, merecidamente segundo alguns colunistas loucos), e não estão citando um A desse caso.

    Por isso, é hora de mandar mensagens e e-mails para todos os veículos grandes: site do Globo, G1, Estadão, Folha, portais e portais como Yahoo, e inclusive sites esquerdistas chapa branca de cocaína como UOL, Brasil247, e por aí vai, o lixo todo. Mandemos pelo facebook, por e-mail, mas não deixemos de mandar.

    O que acham dessa sugestão de mensagem?

    “Há meses atrás, quando uma torcedora do Grêmio xingou o goleiro Aranha em um estádio, teve sua vida destruída e ampla cobertura da imprensa.

    [se a mensagem for ao Yahoo, sugeriria acrescentar que o colunista Régis Tadeu, que é crítico de música mas também opina sobre outros assuntos no Yahoo, endossou o ódio que se instarou para a torcedora, dizendo que é o que ela merecia.
    Link da matéria: https://br.noticias.yahoo.com/blogs/mira-regis/que-menina-gremista-racista-e-seus-c%C3%BAmplices-apodre%C3%A7am-190342629.html ]

    Há alguns dias, um rapaz negro de 18 anos chamado Fernando Holiday publicou no YouTube um vídeo criticando cotas raciais e discursos de vitimização dos negros, discursos esses que partem não dos negros, mas sim de pessoas que se assumiram como defensoras deles.
    Acontece que essas pessoas que dizem defender os negros estão ameaçando um.
    Diversas mensagens, entre elas ameaça de “fazer serviço sujo”, “tomar cuidado com uma força armada”, entre outras mais sérias chegaram até o rapaz, muitas publicamente, como é possível ver aqui:

    [E anexar as mensagens e links]

    Por que este caso não está sendo noticiado?
    Por que figuras como Maria do Rosário, Jandira Fegalli, Jean Wyllys, ou outros que dizem-se inimigos de discursos de ódio não estão sequer mencionando o caso? Vocês não acham muito curioso eles já terem se pronunciado em outros casos, defendendo até mesmo criminosos, e estarem agora fingindo que o caso não aconteceu? Vocês não pensam em cobrá-los disso?
    Por que vocês [no caso de ser um site chapa branca], que sempre se disseram comprometidos com as minorias, não estão dando força ao Fernando e condenando o discurso de ódio e as ameaças que ele tem recebido?
    Por que razão essa diferenciação, essa ignorada ao caso?

    Aguardo resposta.

    Obrigado”.

  5. É isso mesmo! Só espero que ele largue a idéia de fazer filosofia e outras porcarias do tipo, nas humanas não tem nada que preste.NADA. O mais provável é passar uns cinco anos ouvindo propaganda comunista.

  6. Luciano e toda a galera do blog, conheço um site que pode ser melhor do que tirar print:

    http://archive.today

    Por exemplo: copiem a URL de uma postagem do Facebook e colem na caixinha vermelha. Depois cliquem em “submit url” e esperem uns dez segundos. O site vai gerar uma cópia permanente da página, do jeito que ela está. Se a gente só tirar print, alguém pode alegar que é montagem etc. Usando esse site aí, não tem como dizerem isso. Só como exemplo, uma cópia desta página:

    https://archive.today/X8qsv

    Tem esse outro site também:

    http://archive.org/web/

    E mais um:

    http://naofo.de

  7. Parabéns ao Fernando pela sua postura em defender os posicionamentos e opiniões em que acredita, sem se acovardar em relação à patrulha, ainda mais na área de humanas, sabidamente dominada por uma hegemonia esquerdista das mais podres, covardes e corporativistas em nossas universidades e também por ser tão jovem e já estar engajado em criar uma nova consciência política e ideológica junto a sua geração. Parabéns também ao Luciano por nos informar o que ocorreu com o Fernando (se dependesse da mídia tradicional, jamais este caso viria à tona) e de abrir espaço em seu blog para ele .

  8. ótima reportagem, Luciano. São pessoas como você e o Fernando que não deixam a gente desanimar.

    Queria falar de um outro carinha, o Luiz Trevisani, que esta fazendo um “direitismo cultural” muito inteligente, com críticas músicais excelentes ao governo, ao PT e ao “coitadismo” da esquerda. vale uma ouvida. segue o link: https://soundcloud.com/luiz_trevisani

    abraço e continue nos ajudando.

    JsLmra

  9. Oi Luciano

    Cara, não sei se vale a pena escrever sobre isso, mas olha a distinção de tratamento.

    Relembrando o caso da torcedora gremista, que teve a vida transformada num inferno, perdeu emprego, teve a casa apedrejada e incendiada e até ameaças de linchamento. Sabemos que ela errou, mas foi uma agressão verbal. Inclusive o grêmio foi excluído da competição……

    Agora, neste sábado passado, torcedores do flamengo invadiram e agrediram jogadores do time adversário (agressão física e provavelmente verbal também) e ninguém, absolutamente ninguém está falando nada sobre isso. Entretanto o principal agredido foi um jogador branco…….

    http://esportes.terra.com.br/flamengo/organizada-do-fla-invade-vestiario-e-agride-berna-vergonha,1f1216d7df14b410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

    A distinção de tratamento tanto por imprensa esportiva quanto pelos próprios tribunais esportivos é gritante…

    Abraços

    • Vocês ainda não entenderam como esse pessoal pensa, se vc tem a pele branca eles podem mentir, acusar, tacar fogo, jogar pedra na sua cara e vc não pode reclamar de NADA.Por que? O branco é o opressor.Sempre tem uma desculpa pra falar isso, não importa se vc não escravizou ninguém, nem seus pais, nem seus avós, eles sempre vão falar que o branco é opressor. Inventaram agora essa conversa de ‘white privilege’ pra isso

Deixe uma resposta