Ufa! Eduardo Cunha é eleito Presidente da Câmara. E aqui vai um puxão de orelha ao PSDB e alguns direitistas.

58
214

eduardo_cunha

A sucessão de equívocos tucanos e direitistas não foi o suficiente para impedir que este domingo se encerrasse com uma boa notícia: a eleição de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara dos Deputados.

Vamos ler a matéria da Agência Câmara, e depois comentarei um pouco sobre nossos equívocos antecedendo a votação:

A Câmara dos Deputados elegeu, em primeiro turno, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para o cargo de presidente no biênio 2015/2016 da 55ªlegislatura. Ele foi eleito com 267 votos, a maioria absoluta dos votantes (513). O deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) foi o segundo mais votado, com 136 votos. Júlio Delgado (PSB-MG) contou com 100 votos e Chico Alencar (Psol-RJ) teve 8 votos. Houve dois votos em branco.

Após tomar posse no cargo, Cunha conduzirá a apuração dos votos para os demais cargos daMesa Diretora (1º e 2º vice-presidentes, 1º a 4º secretários e os quatro suplentes).

Atual líder do PMDB na Casa, ele tem o apoio declarado de PP, PTB, DEM, PRB, SD, PSC, PHS, PTN, PMN, PRP, PEN, PSDC e PRTB.

Carioca de nascimento, 56 anos, Eduardo Cunha vai para o quarto mandato consecutivo, todos pelo PMDB. Na Casa, já ocupou a Presidência da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, foi líder do partido e é conhecido por ser um dos parlamentares que mais conhecem o Regimento Interno da Câmara.

Ufa. E nem foi preciso do apoio dos tucanos. Mas precisamos dar alguns puxões de orelha.

Eduardo Cunha teve o dobro dos votos de Chinaglia. Em comparação com Delgado, foi mais que o dobro.

Mesmo assim, o PT foi dedicado em seu ideal, mas é verdade que havia uma alta taxa de rejeição. Do lado dos tucanos, no entanto, que papelão…

Resolveram apoiar a candidatura de Julio Delgado, e no fim isso não deu em nada. A oposição está mais perdida que cego em tiroteio.

Mas havia algo muito pior: alguns direitistas. Recusando-se terminantemente a lançar qualquer forma de pressão sobre os tucanos, muitos deles vinham com a tradicional lenga-lenga de “está tudo dominado” ou “mais uma vez o PSDB está mancomunado com o PT”.

Nada disso. Eduardo Cunha ganhou e o PSDB foi desobrigado a agir em nosso nome não por mancomunação com o PT, mas pela doentia falta de pressão nossa sobre eles.

Não há mérito algum do PSDB na vitória de Cunha. É claro. Mas que fique a lição: já cessou o tempo em que deixarmos de pressionar os partidos, seja o PMDB ou PSDB, ou PP ou DEM, não era mais um crime moral.

Em vez de protestos de alguns gatos pingados por “intervenção militar” ou de outros por “impeachment já”, as prioridades são exatamente outras: exigir a derrubada de qualquer projeto de censura de mídia, evitar qualquer proposta de unificação das polícias, e não deixar, de forma alguma, que o governo se privilegie com o financiamento exclusivamente pública de campanha. E não vamos esquecer da derrubada do Decreto 8243.

Mas isso só ocorrerá (e o terreno é propício agora, não se esqueçam) se pressionarmos os tucanos a votarem contra essas ideias, em alinhamento com os partidos que votaram em Cunha. Repito: eles só votarão se nós os pressionarmos, não se retirarmos a pressão (como delirantemente muitos fizeram diante do PSDB).

Seria até melhor que o PSDB apoiasse Cunha e ele ganhasse com mais de 300 votos. Ganhou com 267, e foi o suficiente. Mas os tucanos só foram apoiar a grotesca candidatura de Delgado por que nós não os pressionamos.

A vida dos tucanos hoje em dia é uma moleza. Eles vivem no banho maria e, no momento de começarmos a constrangê-los se não defenderem nossas pautas, uma multidão aparece para dizer: “Ah, melhor deixar pra lá, eles serão mancomunados com os petistas mesmo”. Não é uma delícia viver uma vida sem ser pressionado? Pois é esta moleza que uma parte da direita vive dando aos tucanos.

Boa parte da direita não aceita tendências ao nosso lado. Por isso, já “desistem” do PSDB, deixando-os escolher suas agendas conforme suas conveniências, bem como sua tradicional falta de habilidade de pensar estrategicamente.

Cunha se elegeu por méritos de sua articulação política. Não há dedo nem tucano e nem direitista nessa vitória. Uma pena.

Mas é tempo de refletirmos e virar o jogo. Agora começa uma nova batalha para derrubar os projetos totalitários do PT. E hoje temos mais que esperanças: estamos diante de prognósticos positivos, enquanto no passado no máximo tinhamos uma miragem.

Vamos então jogar o papo reto. Todo o PMDB, junto com a base de Cunha, precisa ser pressionado. O PSDB, junto com o DEM, ainda mais. As pessoas da direita que entrarem em fóruns com a mania de dizer “está tudo tudo dominado” ou “é questão de tempo para o PT dominar tudo” devem ser tratadas como se fossem soldados do nosso exército que resolveram atirar contra nós. Não são inimigos, mas efetivamente não estão ajudando nem um pouco.

Sem rivalidades (pois eles ainda são direitistas) é preciso começarmos a pensar em política de maneira mais adulta, não como uma forma de atendimento a estímulos por desabafo, ou execução de manias, mas a luta pela conquista de objetivos que, pouco a pouco, podem ir nos ajudando. O purismo é nosso arqui-inimigo nestes momentos.

Que venham as novas batalhas, nas quais nossa atuação, como elemento de pressão e até constrangimento daqueles políticos que possam votar de acordo com nossas agendas nas questões mais críticas, é decisiva.

Nada foi feito nesta batalha resultando na vitória de Cunha, por seus méritos, não dos tucanos nem da direita. Que seja feito nas próximas.

Anúncios

58 COMMENTS

  1. Eu participo de grupos de direita e fiz meu texto convidando os colegas a pressionarem o PSDB a apoiar Cunha, inclusive postei as listas de email, facebook e twitter dos parlamentares. Muitos apoiaram a ideia, mas outros simplesmente vieram e disseram: “você está sendo hipócrita ao propor pragmatismo porque isso é ceder aos interesses da velha política”. E riram quando eu disse que não adianta reclamar da falta de posicionamento dos parlamentares se nós não os pressionarmos com contundência e coerência. Você está certíssimo, Luciano. Boa parte da direita precisa amadurecer MUITO na guerra política.

  2. Concordo com você Luciano, pressão constante e pragmatismo na busca de resultados nos assuntos de maior prioridade. E se existem aqueles que ainda não seguem esta linha, existem tantos outros que já a seguem. Sou um deles, mantive pressão constante sob o PSDB para apoio a candidatura de Cunha.

  3. Discordo em um ponto: TODOS os direitistas de verdade estavam empenhados na vitória de Cunha, desde os evangélicos, PSC, PP, DEM, Bolsonaro, etc. Basta ver a chapinha montada por Aécio para retribuir o apoio do PSB no 2º turno, com PSDB, PV, PPS… cadê a direita?? Só faltou o PSOL.

  4. Antes de ler o artigo ————-

    Nem li o artigo ainda, mas discordo do puxão de orelha.

    Não sei se foi ou não intencional, mas do ponto de vista de estratégia politica (em termos pragmáticos) a estratégia do PSDB acabou resultando no MELHOR RESULTADO POSSÍVEL.

    Retribuiu o apoio do PSB, e ao mesmo assim, Eduardo Cunha ganhou no primeiro turno. É difícil acreditar que foi intencional, até porque seria um jogo de tudo ou nada, mas deu certo.

    Depois de ler o artigo —————
    Não foi papelão, o PSDB ficou do lado do Delgado para retribuir o apoio no segundo turno, e pressionar o PSB pra que continue fazendo papel de oposição. Diplomaticamente foi o melhor e mais óbvio a se fazer fazer, para o brasil foi um jogo de tudo ou nada. Deu tudo.

    • Por esse raciocínio, se o PSB vai fazer oposição porque o PSDB apoiou ele, então o Cunha não vai fazer nenhuma, e se tivessem apoiado Cunha teriam alguma coisa a barganhar com a vitória, agora não tem nada, realmente bem difícil ver inteligência nessa “estratégia”.

      • O Cunha vai fazer oposição porque ele disse que vai, e nada que o PSDB pudesse fazer iria mudar isso. O PSDB não tem nada a barganhar aqui.
        Já o PSB sempre foi base aliada do PT, e ele proprio já disse que pode voltar a ser. Se o PSDB não tivesse oficialmente apoiado o PSB seria uma traição ao apoio que este tinha dado ao PSDB no segundo turno, dando mais motivos para o partido voltar a fazer parete da base governista.
        No final, com o resultao configurado, temos uma oposição mais fortalecida.

  5. Coisas que considerei abomináveis no PSDB:

    1 – José Serra defendendo voto em Chinaglia no 2º turno. José Serra é disparado o mais petralha dos tucanos. A diferença dele pra uma Dilma da vida é que ele concluiu o curso superior. Só.

    2 – Tucanos recebendo o Chinaglia pra negociar apoio no segundo turno.

  6. Luciano, você viu que a Coreia do Norte deu um passo decisivo rumo à igualdade entre homens e mulheres que as feministas tanto defendem? Agora elas também são obrigadas a servir o exército por aquelas bandas. O que podemos dizer disso? Que o regime de Kim Jong-un é um exemplo e tanto para as feministas do Ocidente que tanto dizem ser esta sociedade que temos um lugar que não dá espaço para as mulheres ingressarem em carreiras dominadas por homens.

  7. Acabei de redigir um e-mail para se encaminhar a Eduardo Cunha, que espero que os leitores desse blog (e além) efetivamente o mandem para pressionar o parlamentar, para compensar a APATIA e a ACOMODAÇÃO dos eleitores de oposição, que são os que deveriam ser MENOS apáticos e acomodados:

    Excelência,

    Em primeiro lugar, o parabenizo pela vitória recém-conquistada no pleito pela presidência da Câmara.

    Em segundo lugar, acredito que é mais que chegada a hora de enfrentar o Partido dos Trabalhadores em suas propostas totalitárias que visam amordaçar o cidadão – recordo-me de quando V. Ex. disse que “colocaria na gaveta” qualquer projeto de regulamentar a mídia, e sinceramente espero que essas palavras sejam francas e guiem a condução de sua gestão parlamentar.

    Não podemos tolerar que um partido no governo queira controlar os meios de comunicação para repassar verba àqueles que lhe apoiem incondicionalmente. Estamos num Estado democrático de direito, não numa ditadura de partido único à chinesa!

    Espero sinceramente que nesta gestão se efetuem providências para barrar os projetos de poder do PT, que incluem unificar as polícias sob o jugo direto de Brasília, tirando-lhes autonomia, e a regulação econômica da mídia, que, como já disse, não passa de implantação de censura. Espero também que volte à discussão o decreto 8.243/2014, para que ele seja efetivamente derrubado, porque é inaceitável que esteja em vigor um decreto que só serve para quebrar a autonomia do Legislativo e a própria ordem constitucional.

    Grato.

    Bem como tu disseste, este é o momento mais propício para reagir contra o PT. Não podemos deixar esse momento passar, pois pode ser o último.

    PS: achei no mínimo muito estranha declaração de Eduardo Cunha de que “Não haverá nesta presidência nada que atrapalhe o governo. Não será Câmara de oposição, tampouco submissa”. Ele disse que não se deve confundir “independência” com “oposição”, mas se tem uma coisa que é impossível (e inaceitável) de confundir com “independência” é “submissão”.

    Será que ele vai tentar fazer uma política meio-termo ou está dizendo isso como estratégia para não escandalizar logo de cara?

    • Ótimo, Daniel. Mandarei também. Há alguns posts atrás fiz um texto para enviar às principais mídias pedindo que noticiassem a perseguição que o Fernando Holiday sofreu recentemente da militância que diz defender os negros.
      Ninguém daqui se manifestou, ninguém deu atenção.
      A militância segue ameaçando-o de morte, os veículos de comunicação só receberam e-mail de UM (eu) cidadão, e nada foi noticiado. Enquanto que a tonta que xingou o goleiro Aranha foi amplamente crucificada e noticiada.
      Ninguém daqui fez PORRA NENHUMA.
      Ninguém deu apoio, ninguém enviou.
      Se mexam, bando de covarde, bando de bunda mole do caralho.

      É preciso de mais pessoas aqui como você e como o Jefferson, interessados em pressionar, sem preguiça de clicar em alguns botões para pressionar. Os demais que só olham e tem preguiça de mexer os dedos, já sabem onde enfiar os dedos, né?

      • Fui confirmar, dito e feito: a única coisa que há sobre o Fernando Holiday no Google é o site do Luciano.
        NINGUÉM enviou UMA PORRA de um e-mail pra UMA DESGRAÇA de uma mídia.

        CUZÕES. Você, você que tá lendo isso e não ajudou em nada: CUZÃO, COVARDE, CÚMPLICE DE MILITÂNCIA.

        Podreira de gente, LIXO.

  8. “Vamos então jogar o papo reto. Todo o PMDB, junto com a base de Cunha, precisa ser pressionado. O PSDB, junto com o DEM, ainda mais. ”

    Como podemos fazer isso?
    Mandando emails para eles?

      • Luciano, a prática de compartilhar no Facebook publicações que desmascaram os embustes da esquerda realmente funciona?

        Falo isto pois fui de certa forma censurado por meus familiares quando comecei a fazer isto. Minha irmã, já doutrinada pela esquerda, começou a me chamar de intolerante, preconceituoso, pois alegou que eu não respeito opiniões diferentes da minha.

        Confesso ser péssimo em debates e, com isso, minha irmã conseguiu queimar minha reputação em casa. Agora é só eu abrir a boca que já sou rotulado de “radical”.

        Gostaria de aprender a debater de forma a mostrar a outros jovens, assim como minha irmã, a verdadeira face da esquerda.
        Tenho aprendido muitas técnicas de debate neste blog, por sinal, excelente!

      • Luciano, a prática de compartilhar no Facebook publicações que desmascaram os embustes da esquerda realmente funciona?

        Falo isto pois fui de certa forma censurado por meus familiares quando comecei a fazer isto. Minha irmã, já doutrinada pela esquerda, começou a me chamar de intolerante, preconceituoso, pois alegou que eu não respeito opiniões diferentes da minha.

        Confesso ser péssimo em debates e, com isso, uma prima minha conseguiu queimar minha reputação em casa. Agora é só eu abrir a boca que já sou rotulado de “radical”.

        Gostaria de aprender a debater de forma a mostrar a outros jovens, assim como minha prima, a verdadeira face da esquerda.
        Tenho aprendido muitas técnicas de debate neste blog, por sinal, excelente!

      • Eu fui corrigir o texto, mas não tinha percebido que já tinha anteriormente clicado para publicar o comentário.

        Na verdade, eu me referi a uma prima minha mesmo. Desculpa a confusão. São 2h da manhã e estou feito um zumbi. Kkk

      • Rafael eu perguntaria para ela o seguinte:
        Maninha você é a favor de dar o dinheiro da educação para o Estado,que é comandado pelos políticos, ou dar para a mãe dos pobres para que elas lutem pela educação dos seus filhos?

        A esquerdisse vai ficar evidente.

      • Rafael, a melhor estratégia que penso é apontar a acusação de intolerante e radical como um sinal de intolerância, dizendo algo como: “Intolerância é a incapacidade de aceitar que outras pessoas tem opiniões diferentes. Se toda vez que eu digo algo voces me chamam de intolerante, são voces que não estão aceitando minha opinião” Isto da forma mais calma e paciente possível, afinal eles são pessoas da sua família.

    • Tenho a mesma dúvida. A lista da Thaís foi de grande ajuda, mas ficou no ar a pergunta sobre o que fazer com ela, já que não temos ideia sobre o que acontece depois da mensagem sair de nossos computadores.

  9. Quando você fala de ”direita” você fala não em direita ideológica, por que não existe partido de direita no Brasil. Você diz de direita como oposição, não como uma unidade de força, mesmo que mínima, que no caso não existe. Até por que os parlamentares que são ideologicamente de direita do mais de 500, não passa de 15 no máximo 20 .No senado se chega a meia dúzia é muito. Não adianta pedir e cobrar a direita que não existe. Já imaginou uma ”aliança” ou até uma simples conversa entre Jair Bolsonaro e Aécio Neves numa estratégia anti-PT??? Impossível, achas que o Aécio ira querer ser visto com o Bolsonaro que para a mídia e a esquerda é o homem da extrema-direita ( na verdade ele é só no máximo um republicano mais ortodoxo), na mesma hora iria ser taxado de fascista. Então o que tem de haver de fato é um dos poderes com uma oposição capaz de derrotar o PT SEMPRE, que não deixe aprovar nenhum projeto do PT( incluindo os totalitários e golpistas como o decreto 8243, que tem de cair no senado ainda e não será fácil). Pode haver ai uma boa oportunidade de haver uma maioria absoluta de votos na câmara, mas é cedo ainda. E uma coisa tem de ser aprovado: o voto impresso, se não já pode tirar o cavalo da chuva que o PT vai levar em 2018 de novo.

    • Muito bom comentário. Concordo com você. A campanha contra o voto eletrônico tem que ser contínua, sem desprezar, é claro, as demais mobilizações aqui citadas.

      O mínimo que podemos fazer, em minha opinião, é manter vivas as acusações não revidadas de possibilidade de fraudes possíveis.

      Quanto ao Eduardo Cunha, queira Deus que nossas expectativas em relação a ele não sejam frustradas, considerando-se, ainda mais, que o Senado continua nas mãos do meliante que foi elevado à categoria de “sobrevivente” (graças ao “heróico” ato de ter tido que renunciar à presidência do Senado para não ser cassado) pelo jornalismo covarde e chapa branca da Globo News ao comentar a vitória do Governo naquela casa.

  10. Vocês já repararam que a versão em português do Pravda.ru fala sempre bem da Dilma, fala que os índios são oprimidos e que a direita fascista oprime os pobres?
    Eu nunca duvidei que DCM, Viomundo e Brasil 171 seguem as mesmas ordems que o Pravda.ru segue.

  11. Um partido que teoricamente é de oposição como o PSDB não precisava de pressão nenhuma, era só não serem burros, cretinos ou realmente aliados informais do petismo, por que não há justificativa plausível de apoiar esse Julio Delgado, que não tinha chance nenhuma, além de não ser de oposição, e não apoiar quem tinha chance e o PT não queria eleito de jeito nenhum.

  12. Turma,

    É bom estar a par dos próximos desdobramebtos desse seminário de reforma política da OAB, onde também participou o Marco Antônio Villa, posso estar errado mas o historiador me parece muito tucano.

  13. Na prática, o que é pressionar o PSDB? É ficar mandando Emails achando que vão ler? Pressionar políticos só é efetivo usando um outro meio de “comunicação”: sniper!

  14. Luciano, hoje notei que a BLOSTA tem feito comentários muito críticos com relação ao governo Dilma (vide Conversa Afiada e Luís Nassif). Alguns comentaristas sugerem inclusive renúncia da presidente para não passar humilhação, pois já dão o impeachment como certo. Acha que é encenação ( e há intenções ocultas nesse comportamento) ou só estão com raiva mesmo e ficando desesperados?

  15. Luciano,

    Falou tudo!

    Esse comportamento da direita em si é muito pelo sentido de urgência de tirar o PT do poder sem notar que para tal é necessário ações com foco no resultado almejado e sabendo que o adversário tem muito mais experiência e se preparou para tal.

    É como alguém que entra na academia acima do peso, sem foco e sem os pés na realidade e espera resultado rapidamente, não percebendo que alguns resultados serão atingidos rapidamente e outros somente a longo prazo.

    Vendo House of cards nota-se o personagem agindo sempre com o foco nos resultados, mesmo tendo contratempos e pequenas derrotas ao longo do percurso.

    As ações contra o pt devem ser constantes, com foco e analisando sob o prisma do resultado para se necessário mudar as formas de atuação.

  16. Dando sequência à eleição de Cunha, Emir Sader abre o jogo:

    Antes de tudo, a derrota de termos um Congresso mais conservador, não apenas na sua composição, mas na perda de alguns dos mais valiosos parlamentares que a esquerda tinha. Resultando, entre outros, a inviabilidade de ser aprovado pelo Congresso qualquer projeto de lei de democratização dos meios de comunicação ou de fim do financiamento privado de campanhas – dois dos temas centrais do país hoje. O Congresso passa a ser um problema, um obstáculo para o aprofundamento da democracia no país.

    […]

    Política é a arte da construção de hegemonia. O verdadeiro nome da governabilidade é hegemonia. Esse objetivo tem que ser o norte do governo, do PT, da esquerda, se querem consolidar e avançar decisivamente, de forma irreversível no extraordinário processo de democratização social, econômica, política e cultural apenas iniciado. Não é mais possível seguir governando empiricamente, de conjuntura em conjuntura, sem uma visão estratégica do que se quer – que tipo de sociedade, que tipo de Estado, que tipo de Brasil.

    Que medo.

    • “A verdadeira democracia é o totalitarismo.”

      Certeza que você não pegou isso ai da pagina do Joselito Muller, ou do Anarco-capitalismo Stalinista? Porque tá parecendo…… que medo

Deixe uma resposta