A primeira grande batalha: Cunha pode ajudar a derrubar projeto totalitário do PT de financiamento exclusivamente público de campanhas

21
134

cunha

Começa a primeira grande batalha estratégica contra o projeto totalitário do PT. Conforme o Globo, junto com o apoio da oposição, o blocão de Eduardo Cunha conseguiu na noite desta terça feira garantir a criação de uma comissão especial para a apreciação de uma reforma política.

O PT, é claro, tentou obstruir, mas como estava isolado, recuou. Do lado do PT estavam partidos como PCdoB, PRB, PV e PSOL. Isto é, as linhas auxiliares de sempre. Cunha disse:

De novo, o PT quase assumiu mais uma derrota daquilo que não precisava. A posição do partido estava contraditória com quem quer votar uma reforma política.

Agora veja o detalhe curioso: a PEC da reforma política estava parada há mais de um ano na Comissão de Constituição e Justiça da Casa por obstrução de quem? Do PT. Ocorre que a PEC da reforma política pretende tornar constitucional a contribuição financeira de empresas.

O PT não quer o financiamento privado de empresas, pois sua proposta é inversa: financiamento exclusivamente público de campanhas. Com isso, o PT conseguiria ter o estado todo em suas mãos, limitando o potencial de qualquer outro partido que pense derrotá-lo. Lembre-se que o financiamento privado de campanhas, seja de pessoas físicas ou de empresas, existe em todos os países civilizados.

Então, esta é a primeira batalha de verdade naquilo que é mais caro para o PT: o totalitarismo. Pelo visto, toda a oposição está com o blocão de Cunha nessa. Mas sempre é bom manter a vigilância, a pressão e a conscientização pública.

Anúncios

21 COMMENTS

  1. Enquanto isso, Paulo Nogueira ataca novamente:

    Está em curso um golpe? Ou, mais precisamente, uma tentativa de golpe?

    Sim.

    A direita brasileira faz sempre isso. Ou tenta fazer.

    Não se pode alegar surpresa. 1954 foi assim. 1964 foi assim.

    É sempre assim.

    […]

    Você – a direita — venezueliza o país: cria uma situação de polarização extrema. Promove, pela mídia, uma lavagem cerebral na opinião pública. E depois instala um processo de impeachment no Congresso.

    A fórmula foi testada, com sucesso, no Paraguai. Mesmo no Brasil funcionou para derrubar Collor.

    […]

    Há um lugar, um único lugar, para mostrar que uma eventual tentativa de golpe receberia a devida resposta: as ruas.

    As ruas têm que gritar para eles: sem aventuras, amigos, sem aventuras.

    Se este grito não for dado, 2015 pode repetir 1954 e 1964, por outros meios mas com os mesmos ingredientes.

    Agora a culpa pelo impeachment do Collor também é da direita? Ou ele está dizendo que a esquerda aplicou a tal “fórmula mágica para derrubar presidentes” –– isto é, deu golpe –– no Collor?

    E como pode a “situação de polarização extrema” em que vivemos ser “cria” da direita? Não foi a Dilma quem se elegeu com a campanha presidencial mais sórdida que a república já viu? Isso não bastaria para criar ou acirrar uma polarização?

    E o que vem a ser essa tal “lavagem cerebral na opinião pública”? Ela inclui o escândalo do Petrolão? Quer dizer que esse escândalo não passa de intriga da oposição? E a recessão econômica, também é invenção da direita? Os depoimentos colhidos via delação premiada? O estelionato eleitoral? A péssima política externa? As tentativas de solapar a imprensa livre e o Congresso Nacional? Será que Paulo Nogueira realmente acredita que tudo isso não passa de “lavagem cerebral”?

  2. Toda essa borrada financeira de campanha e fraudes,não tem ninguém preso,dos cabeças? Os bandidos que estão acuados,se borrando de medo dos militares,agora jogam com as ameaças de abertura da lei da anistia? Ora,se realizarem a abertura da Lei,que vai tomar no xadrez são os bandidos que cometeram crimes hediondos,que não foram amparados pela lei que só atinge os crime políticos.Assassinatos,Roubos aos bancos,sequestros,terrorismos,narco tráficos,crimes de sangue são crimes contra a humanidade.Quem enquadrou Dilma,Genoíno,Zé Dirceu e outros terrorista,assassinos e ladrões na lei da anistia? A prova que faltava está agora sacramentada: eles nunca lutaram pela democracia lutavam para assaltar a nação brasileira,foram presos pelos militares e reincidiram no governo deles,civil.Se houve tortura,pelos militares, estes estavam no estricto cumprimento do dever legal.Representantes da segurança Nacional.

  3. Isso é bom pra alguns republicanos que pensam que tudo está perdido e que o PT é imbatível. Não foi, não é e nunca será. Muito menos em períodos de instabilidade política.

    Não somos a Venezuela. O Brasil desenvolveu, graças à CRFB/88 e ao perído PSDB, um conjunto de instituições difíceis de subverter (O MP e o STF não são casas de tolerância, embora tentem fazer isso. Vejam há quantos anos tentam dominar o STF e como sempre encontram traidores do movimento, como o Barbosa). Boa parte da população é atenta à política e faz barulho quando as coisas começam a sair dos trilhos. O país também conseguiu desenvolver um mercado financeiro de tamanho razoável e a própria pressão dele faz o governo mudar de rumo na administração das estatais.

    Será ótimo tornar o financiamento privado algo constitucional.

  4. Luciano eu tenho uma dúvida. Pra mim é óbvio que o PT quer se aproveitar da circunstância momentânea de ser um partido com muitos parlamentares e que atualmente tem praticamente a “Posse” da máquina pública e de alguns movimentos sociais. No entanto é falsa a afirmação de que todos os países civilizados tem financiamento privado POR EMPRESAS. Uma pesquisa rápida que fiz me revelou que MUITOS países proíbem o financiamento por empresas, que independente das intenções políticas de cada partido, isso realmente gera um toma-la-da-ca na corrupção. O que não quer dizer que o financiamento seja EXCLUSIVAMENTE público, isso realmente não existe, e se for essa a proposta do PT, realmente ela é por demais “inovadora” e dá uma perspectiva de estado totalitário mesmo, pois o financiamento privado por pessoa física ainda permanece………….. Acho que a questão é mais circunstancial do que a proposta em si ser totalmente ruim.

  5. Se dependemos do PMDB e do EC para barrar o PT, sofreremos com ele para moralizar a casa e abrir um impeachment.
    Mas, se a estratégia agora manda seguiremos o bordão do presidente e junto com ele pediremos RESPEITO.
    Depois a gente se rebela.

  6. Primeiro golpe. Toma na fuça, PT. E suas linhas auxiliares podres também. Quero ver agora babaca vir dizer que PSOL é oposição. As bolsinhas de prostitutas logo serão jogadas na sarjeta…

    VAI, CUNHA!

  7. o que me incomoda com o financiamento público é que pouca gente chama a atenção para um fato importantíssimo: financiamento público significa tirar dinheiro da população e dar para os políticos. É pura e simplesmente isso. Nos espoliar em favor dos agentes que não fazem outra coisa senão aumentar a opressão estatal na vida da população. A simples idéia de fazer isso é um deboche a qualquer pagador de impostos. É revoltante, assim como é o fato de quase ninguém tocar nesse ponto.

    Deveria acontecer exatamente o oposto. Acabar qualquer tipo de repasse de dinheiro vindo de impostos. Os políticos não devem receber um centavo do cidadão. Quem quiser que faça a campanha por contra própria, sem roubar a população. Esse deveria ser o principal ponto de uma reforma política, junto com o fim da votação proporcional para o legislativo e a impressão dos votos da urna eletrônica.

Deixe uma resposta