O sensacional discurso de posse de Marcel Van Hattem na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

59
267

marcelvanhattem

Ao final deste post você encontrará o sensacional discurso de posse de Marcel Van Hattem como Deputado Estadual na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, no dia 10 de fevereiro último.

Em todo discurso só encontrei um equívoco. Foi quando ele disse que o Brasil vive os efeitos do casamento entre marxismo e corrupção. Na verdade, quanto mais marxismo, mais corrupção, pois o marxismo pede o inchamento estatal (a ideia de que pedem um “mundo sem estado ao final”, dita por vários acadêmicos marxistas, é apenas manobra de diversão), e portanto sempre resulta em mais corrupção. Espera-se que quanto mais marxista um governo é, mais corrupto ele será.

Mas tirando esse pequeno detalhe só vi acertos. O principal deles é a postura natural de indignação diante do status quo socialista presente no Brasil. E nesse ponto Marcel Van Hattem dá um exemplo para aqueles direitistas que se limitam a ir para as redes sociais dizer que a vitória absoluta do PT “é questão de tempo” ou “está tudo dominado”. O conformismo diante dos tiranos sempre foi útil aos socialistas. Sem terem a menor noção do quanto poder dão aos tiranos, muitos direitistas fazem discursos de desânimo e conformismo, que nada mais são que combustível para a opressão estatal. Marcel Van Hattem felizmente vai na contramão deste discurso, propondo indignação com o estado atual das coisas. Pela indignação, aí sim, surge a reação pela mudança. (Claro que Van Hattem não é o único brasileiro de direita a falar isso. Uma parte da direita já tem descoberto que desculpismos e conformismos diversos não passam de ajuda involuntária ao oponente. Mas o que quero ressaltar aqui é que Van Hattem fez este tipo de discurso altivo e indignado na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, o que ressalta sua importância).

Há indignação, por exemplo, diante do fato de um defensor de ideologias genocidas como marxismo ter sido governador do Rio Grande do Sul. Também há indignação diante do ataque contínuo às nossas instituições, com a contínua tentativa de esmagamento da democracia e da república. Sem deixar de mencionar a indignação com impostos excessivos e o aparelhamento estatal.

Outro aspecto importante foi a transmissão de ideias liberais, como a rejeição ao estado inchado e defesa da privatização de serviços não essenciais, usando âncoras que verdadeiramente falem ao coração do povo. Van Hattem citou os impostos extorsivos, a inversão de valores, a mentira como estratégia de campanha e o sofrimento do povo por causa de tudo isso. Foi marcante vê-lo dizer que “Não quero viver em outro país, eu quero viver em outro Brasil”, bem como lembrar que a privatização é dever moral com quem tem compromisso e respeito com pagadores de impostos.

Enfim, assista o vídeo e comprove:

Anúncios

59 COMMENTS

    • A esse jovem Deputado pelo Rio Grande do Sul, deixo a minha palavra de absoluta fé no seu belo discurso, nos seus princípios e no seu desejo, que é da maioria dos brasileiros, de ter um país melhor para se viver. Não vamos desistir do Brasil. Não vamos mudar do Brasil. Vamos, sim, mudar o Brasil. Parabéns Deputado, Vossa Excelência aquece os nossos sonhos.

    • Pena que o mecânico Adair Wiest não ouviu esse sensacional discurso, pq em 2006 foi atropelado pelo nobre deputado, vindo a falecer 7 meses depois. O processo estranhamente foi prescrito pq não chegou a informação que o mecânico havia morrido. A família cobra agora na justiça uma indenização, mas ele diz que estão usando uma “fatalidade” politicamente… Coitadinho… Do mecânico, claro…

  1. [OFF – mais tarde comento o post]

    E pra quem acha que Maduro não é um tirano do caralho:

    Venezuela prende juiz que condenou traficante tido como aliado do governo

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/02/1588704-venezuela-prende-juiz-que-condenou-traficante-que-seria-proximo-a-governo.shtml?cmpid=%22facefolha%22

    E é com ESSA GENTE que dona Wilma tem amizade. ESPALHEM.

    http://og.infg.com.br/in/14952774-d3c-78e/FT1086A/420/Visita-do-presidente-da-Venezuela.jpg
    “TO AGUARDANDO PRA TE CUMPRIMENTAR SÓ QUANDO VC COMEÇAR A PRENDER A RODO NO BRASIL TAMBÉM”

  2. O discurso dele pareceu o de Nixon (o que não tem nada de errado). Adorei!

    Eu deixei meu voto para o Marcel.

    Entretanto acredito que ele deve ter sido eleito por representação partidária, pois para deputado ele não tinha alcançado o nº de votos.

    Acredito que o Marcel tem grande potencial. Se ele atuar forte na defesa da sua agenda, acredito que ele terá grandes chances de chegar até Brasília.

    • Roger,

      O Marcel foi o 45º colocado em número de votos. Entram 55.
      Ele ficou na suplência justamente por causa da votação proporcional. O partido dele concorreu sozinho na proporcional.
      O último eleito teve 13.515 votos. O Marcel teve 35.345.

      A cadeira é mais do que merecida!

    • O parlamento Gaúcho tem 55 deputados. Nominalmente o Marcel foi o 45* mais votado. Não entrou justamente pelo quociente eleitoral, ficando na primeira suplência, assumindo após colegas da bancada terem aceito convite para assumirem secretarias no governo do estado.

    • Ele fez números suficientes para ser eleito, porém o PP perdeu uma cadeira nos últimos votos contados na eleição. Como um deputado do PP assumiu uma secretária o Marcel assumiu como suplente dele.

  3. Muito, muito bom.

    É isso que é necessário, gente jovem e com ideias firmes dessas.

    Foi esse mesmo cara que meteu processo na fuça dos esquerdopatas que o chamaram de “branquelo de merda”, ou seja, crime de RACISMO.
    Foi ele também que afirmou, publicamente, que a Vadia do Corsário DEFENDE BANDIDOS. Enfrentou militantes do PT cara a cara num parque em Porto Alegre. Corajoso e sem medo de cara feia.

    Marcel Van Hattem chegará em Brasília, e nós vamos apoiá-lo.

  4. Luciano, será que foi um erro ou será que foi uma estratégia? Você mesmo falou há pouco tempo por que não se deve criminalizar o socialismo. Talvez ele tenha separado a consequência (corrupção) da causa (marxismo) para não parecer um purista político, ou alguma coisa nesse sentido. Demonstrando um certo respeito pelos inimigos, o que é especialmente importante nesse momento, em que ele acabou de ser eleito. Parecer moderado aos olhos do eleitorado é extremamente importante, e acho que dizer que a corrupção está casada com o Marxismo aqui no Brasil (quando ela, na verdade, é filha dele) foi uma jogada com essa finalidade.

    Abraços.

    • Ola, Jeferson e Ayan. Concordo com a crítica do Ayan, se o discurso é tomado de forma literal, mas também com o teu comentário, Jeferson por abordá-lo mais no aspecto figurativo. Sei que uma coisa (corrupção) é de fato consequência da outra (marxismo), mas no meu discurso a palavra marxismo tem sentido metonímico pois me refiro, de fato, aos defensores do marxismo quando utilizo a palavra. Eles – que sempre se disseram éticos e corretos – casaram-se com os corruptos, o que redundou em desrespeito às leis, aos nossos valores mais caros e às nossas instituições, ou seja, os “rebentos” desse matrimônio; e usei casamento justamente por implicar estabilidade, uma relação que se perpetua no tempo. Abraços! Marcel

      • Parabéns . Guri, moro em Campo Bom, te conheço pessoalmente desde a primeira vez que concorreu tendo como ajudantes os teus irmãos menores entregando panfletos em
        Sapiranga. Fiquei muito feliz por sua posse no Parlamento Gaúcho, torço para que voes à Brasília para junto com outros parlamentares de respeito mudar esse Brasil e fazer com quem apoia o status quo mude-se para Cuba, Venezuela ou Coréia do Norte. Quero te ver em Novo Hamburgo dia 15 de Março no movimento de limpeza Nacional, começando por partes até a remoção do último resquício de sujeira da política neocomunista-petista.

  5. Luciano, excelente post, mas eu só faria uma correção. No título, seria melhor colocar ” O sensacional discurso de Marcel Van Hattem em sua posse na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul”, ao invés de repetir a palavra “discurso” duas vezes. Pode parecer muito preciosismo, mas acho que essa pequena mudança ficaria melhor.

  6. (a ideia de que pedem um “mundo sem estado ao final”, dita por vários acadêmicos marxistas, é apenas manobra de diversão)

    Mais ou menos. A ideia é inchar o estado a ponto dele se tornar indissociável da própria sociedade. Quando tudo é estado, nada é estado. Mas é óbvio que acadêmico marxista algum que se preze vai dizer isso na cara dura.

  7. Emocionante o discurso de Van Hatten! Vida longa para os bons políticos. Espero vê-lo concorrendo (e ganhando) à presidência da República um dia.

  8. Ele é um ótimo orador. Se o deixarem falar vai conquistar grande parte da população. Vamos acompanhar com interesse a trajetória dele, parece ser uma ótima promessa para o futuro. Sorte do povo do Rio Grande do Sul por ter alguém assim em sua Assembleia.

  9. Eu e meu filho estávamos presente e foi realmente emocionante. Ao final foi ovacionado de pé. Um deputado com 20 anos de casa comentou logo em seguida que nunca havia visto este tipo de manifestação espontânea por parte de eleitores que marcaram presença intensa na tarde quente de uma terça-feira em horário comercial. Taca-lhe pau Marcel! Taca-lhe pau!

  10. Um destaque que tem de ser dado para o discurso de Marcel Van Hattem é que o mesmo demonstrou-se o tipo de liberal que queremos, que é aquele que não age com os postulados que segue como se eles fossem dogmas. Ao menos é a impressão que me passou pelo teor da coisa e, se assim for, melhor ainda, pois significa haver porta aberta para a negociação política, essa coisa essencial para o bom desempenho de um parlamentar.
    O assunto também foi comentado por Rodrigo Constantino.

  11. A ideologia, o conhecimento, a atitude, a emoção e o amor de quem quer servir ao outro e ao país. Indescritível o efeito que esse jovem desperta. Nos dá até vontade de acreditar que é possível viver feliz e ter esperança.
    Longa vida a ele!!!

  12. Pra não deixar de abordar um dos assuntos que mais me é caro, compactuo com o sábio deputado a ideia de incluir o medico dentre as carreiras de estado.
    Isto porque a boa medicina coletiva (chamá-la de socializada gera confusões) e pública não é conflitante com um modelo liberal de governo.
    Apesar de saudar a chegada do NOVO partido, me decepcionei ao ver sua que sua proposta para a saúde só abrange a medicina privada. Um modelo elitista, caro e de resultados sociais piores que coletiva.

    • Não falo pelo partido,mas acho que há 3 caminhos:
      1)Reduzir impostos(ou anula-los) sobre planos de saúde,remédios e equipamentos médicos para que mais pessoas tenham acesso e os que já tem pese menos no bolso.

      2)Pagar tantas cirurgias,tantas consultas por mês em um hospital privado(com multa caso não ofereça os serviços prestados) para que as pessoas pobres que estão sem prazo de atendimento na rede pública possam ao menos ter uma lista de espera com “certeza” de atendimento.

      3)Fazer Hospitais em PPP(Parceria Público-Privada).

    • De acordo. Desconfio que o Luciano não aprove isso que vou dizer, mas ouço as vezes alguns dizendo que saúde tinha que ser completamente privatizada porque aí seria de qualidade e etc, mas discordo. Saúde, assim como segurança, é muito essencial para que seja apenas privatizado. Triste que a saúde pública no momento é uma piada, e precisava de investimento pesado… espero que ideias como a do Marcel façam mudar esse quadro, pois saúde é basicão do basicão.

      • Prezados, isso deve ser discutido com muito cuidado, repito: MUITO cuidado. Saúde hoje é um tremendo álibi para o governo criar mais governo. Eles (o governo/políticos) tornam a saúde um caos para poderem vender a solução.

        Por isso repito, de novo: muito cuidado ao darem munição ao governo.

        Regulamentação de profissão é, na minha humilde opinião, terreno fértil para fertilizar aberrações governamentais.

      • Cauê, há um ramo ainda mais essencial para o cidadão que os serviços de saúde: o da alimentação. Acho que se faltasse comida, uma parcela MUITO maior da população sofreria e morreria do que se houvesse um “apagão da saúde”. Apesar disso, ninguém nem sonha em deixar esse setor nas mãos do estado. Todos sabem que funciona muito bem no setor privado, e que todas as pessoas têm amplo acesso a comida, desde as mais pobres às mais ricas. E existem diversos modelos diferentes para atender às necessidades alimentícias da população.

        Entendo o apelo sentimental quando se trata de saúde, e concordo que não se deva defender a total privatização do setor publicamente por enquanto, mas se analisarmos racionalmente, não dá pra sustentar o controle do estado sobre esse setor, e isso se deve JUSTAMENTE POR ELE SER EXTREMAMENTE ESSENCIAL. Existem diversos modelos aplicados em outros países que poderiam ser adaptados e trazidos pra cá, até mesmo o canadense (hospitais privados financiados pelo governo) deve trazer algumas melhoras em relação ao nosso sistema atual.

        O Mises Brasil trouxe recentemente dois artigos sobre o tema que merecem ser lidos e relidos:
        – As diferenças entre os sistemas de saúde Alemão e Canadense: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2016
        – Explicação econômica sobre modelos diferentes de sistema de saúde: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2029

  13. Excelente o discurso, inclusive é meu representante na Assembléia, mas não devemos esquecer que não há um salvador da pátria. Que outros semelhantes ao Van Hattem também se façam presentes.

  14. Eu senti um orgulho enorme d e ter votado e feito varios amigos e familiares votarem nele tambem, pois não o conhecia, vi ele a primeira vez no blog do Rodrigo Constantino, VALEU a pea meu voto, é o começo, SENTI que Marcel vai fazer ISTORIA e DIFERENÇA na politica do BR, Manuela D’AVILA terá um representante DURÍSSIMO na camara.

  15. Só inteirei-me deste jovem deputado, agora, embora tenha assumido recentemente. Tb acredito que devemos contar com homens corajosos tal como vimos neste discurso. Todos sabem que há um desgoverno corrupto sacando o povo.
    Precisamos destes apoios nas Institucoes representativas para engrossar as fileiras de brasileiros que mostram seu descontentamento nas ruas. Quero um Brasil diferente deste que hoje temos!

  16. vamos de uma vez por todas por em pratica o obvio encarcerar os ladrões que dominaram o nosso

    BRASIL não só isso mas tambem recuperar o bilhões roubados o mais rápido possível e punir os –

    banqueiros que os ajudaram a esconder o roubo aliás aproveitemos o momento para exigir cadeia

    para os receptadores de mercadorias roubadas OS GRANDES RECEPTADORES que nunca foram

    sequer molestados ou mencionados NÀO EXISTINDO RECEPTADOR DE PORTE iremos dificultar

    muito os roubos . E que tal lutarmos para acabar com essa excrecencia de forum priviligiado bem

    cadeia especial para determinadas criaturas que partindo dessa excrecencia estamos oficializando

    que existem pessoas para as quais se concede estes e outros privilegios por serem seres acima

    da LEI E DA ORDEM tornando-os quase inatIngiveis UNA MO-NOS A ESSE JOVEM IDEALISTA

    MARCEL VAN HATTEM SEJA BEM VINDO O BRASIL PRECISA CONHECE-LO

  17. Olá Deputado Marcel, você é um dos meninos meu, perdoa-me da palavra menino, pois sua face esboça pouca idade para mim que já sou avô. Mas sua atitude, como homem é muito grande que muitos homens barbados e grizalhos não possue, dou meus parabens por seus pais tenho certeza que educaram muito bem você assim, porque os filhos são os refléxos da educação dos pais. Rasgue o verbo mesmo por mais duro que seja para esses pilantras que muito bem merecem, e é pouco ainda! Nunca olhe para os resultados do partido, mas olhe para trás e seja honrado por quem os elegeu. É um orgulho muito grande de ver um jovem com essas atitudes, mesmo sendo paulistano creio que o intuito é um só, VAMOS FAZER DESTE PAÍS UM LUGAR HONRADO DE SE MORAR, e não virar lugar de piadas e chacotas de outros paises por este governo que está aí só para ROUBAR E DESVIAR o dinheiro dos Cofres Nacional. Agradeço a Deus por você ter nascido Marcel e que ele ilumine seus passos, te dê muita coragem e força para militar um bom combate, pois essa parede em que você bate é muito grossa, mas não se esqueça de olhar para trás, que te elegeu está com tigo para vida e para a morte! Sem mais, Gilberto – sallesgilberto@yahoo.com.br

  18. Engraçado, isso que ele falou sobre o marxismo e a esquerda…
    Aqui na cidade de Viamão, a gente teve dois grandes partidos de esquerda que governaram a cidade em dois momentos diferentes.

    O PT fez, entre 1997 e 2012, um governo até bonzinho, mas que no final mergulhou em escândalos e tornou-se inoperante.

    O PDT, que governou a cidade de 1984 a 1992, é lembrado com saudade por ter feito o melhor governo que praticamente todos os viamonenses atualmente vivos conseguem lembrar.

    Parece ter alguma coisa errada é com organizações “PTzóides”, porque outros grupos considerados esquerda – PDT, PSB, por exemplo – normalmente não decepcionam. Ao menos, não mais do que PSDB, DEM, PP ou outros grupos de centro-esquerda.

    É o fetiche da bandeira vermelha, um tipo de esquerda que se diz “não populista” e que avacalha, por exemplo, o legado de Getúlio Vargas, e que idolatra Maduros da vida.

  19. Engraçado, isso que ele falou sobre o marxismo e a esquerda…
    Aqui na cidade de Viamão, a gente teve dois grandes partidos de esquerda que governaram a cidade em dois momentos diferentes.

    O PT fez, entre 1997 e 2012, um governo até bonzinho, mas que no final mergulhou em escândalos e tornou-se inoperante.

    O PDT, que governou a cidade de 1984 a 1992, é lembrado com saudade por ter feito o melhor governo que praticamente todos os viamonenses atualmente vivos conseguem lembrar.

    Parece ter alguma coisa errada é com organizações “PTzóides”, porque outros grupos considerados esquerda – PDT, PSB, por exemplo – normalmente não decepcionam. Ao menos, não mais do que PSDB, DEM, PP ou outros grupos de centro-esquerda.

    Parece ser algo que tem a ver, muito mais do que com a cor da bandeira, com o tipo de gente que toma conta das legendas.

Deixe uma resposta