Cristina Kirchner é indiciada com base nas denúncias de Nisman. E sua tropa bolivariana reage igual aos petistas diante do Petrolão.

7
37

internacional-argentina-cristina-kirchner-20140123-002-size-598

Você só tem chance de se dar bem em um governo bolivariano se for muito cínico. Mas quando eu falo em ser cínico, falo de cinismo mesmo, não apenas o uso de sarcasmos e fingimentos temporários.

Falo de encenações levadas ao estado da arte, a ponto de deixar atordoados muitos dos oponentes (em especial os que não percebem as trucagens).

Pois vejamos que a Dona Cristina Kirchner foi indiciada nesta sexta-feira a partir da denúncia do promotor Nisman, foi assassinado em 18 de janeiro.

Leia mais, a partir de matéria da Veja (a qual depois comentarei):

O promotor federal Gerardo Pollicita analisou as quase 300 páginas do trabalho de investigação realizado por Nisman e considerou que se deve “iniciar a investigação pertinente com o objetivo de verificar, com base nos elementos de convicção que sejam incorporados (…), a existência do fato e, consequentemente, se o mesmo pode ser penalmente imputado aos responsáveis”.

A decisão do promotor de ir adiante com o caso é significativa porque abre espaço para uma análise detalhada da investigação em que o promotor Alberto Nisman estava trabalhando antes de ser encontrado morto no dia 18 de janeiro. Pollicita levará o resultado da investigação ao juiz federal Daniel Rafecas, a quem caberá aceitar ou não a denúncia.

Outros citados na denúncia de Nisman também foram indiciados por Pollicita: o chanceler Héctor Timerman, o dirigente kirchnerista Luis D’Elia, o deputado Andrés Larroque, Jorge Alejandro “Yussuf” Khalil, Héctor Luis Yrimia, ex-promotor responsável pelo caso da Amia, Fernando Esteche e uma pessoa identificada como Allan, que seria o agente de inteligência Allan Héctor Ramón Bogado, informou o jornal Clarín.

O atentado contra a sede da Associação Mutual Israelense Amia aconteceu em julho de 1994 e deixou 85 mortos. Nisman assumiu as investigações sobre o caso em 2004. A denúncia apresentada em 14 de janeiro tem como base várias escutas de conversas sobre a relação do governo com o Irã.

Antes mesmo de a decisão do promotor ser divulgada, o secretário-geral da presidência, Aníbal Fernández, já tinha advertido Pollicita. Na manhã desta sexta-feira, o secretário afirmou que indiciar a presidente seria “uma clara manobra de desestabilização”.

No documento divulgado nesta sexta, mas que tem data de 12 de fevereiro, Pollicita afirma que “a decisão de encobrir os acusados de ascendência iraniana do atentado terrorista de 18 de Julho de 1994 foi tomada pela Dra. Cristina Fernandez de Kirchner – chefe do Poder Executivo – e executada principalmente pelo Ministro das Relações Exteriores, Sr. Héctor Timerman”.
Ele acrescenta que “Cristina Fernandez de Kirchner, Héctor Timerman, Luis D’Elia, Fernando Esteche, Jorge Khalil, Andrés Larroque, Hector Yrimia e um indivíduo identificado como “Allan” contribuíram para ajudar os acusados de um crime particularmente grave cometido por outros (os acusados iranianos), para iludir o inquérito em curso e para suspender os mandados de captura internacionais expedidos para alguns deles”.

Notou um modus operandi aí? É o mesmo de sempre: diante de uma avalanche de provas, basta sair atacando os acusadores. Essa turminha diz que “o intuito é desestabilizar o governo”.

Essa é exatamente a mesma conversa esfarrapada usada pelo PT para se defender do escândalo do Petrolão. Eles dizem que “querem vender a Petrobrás” ou “desestabilizar o governo”.

É claro que o governo brasileiro ainda não é tão hardcore quanto o de Cristina Kirchner. Ali na Argentina o nível da barbárie é bem maior. Mas o padrão comportamental, como já vimos, não muda.

No Foro de São Paulo, com certeza essa gente tem aulas de teatro misturado com gramscismo e trotskismo.

Este blog terá uma nova casa, que já está em atividade. É o Crítica Política. Clique aqui para ler este artigo no novo site. A partir de março, todos os posts sobre o cotidiano da política serão feitos exclusivamente por lá. 

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Sem dúvida, o cinismo é o mesmo! A mesma falência moral, chegando as raias da psicopatia.
    Mas acho Luciano, que não devemos esquecer de uma coisa: Quando o PT for, enfim, afastado do poder, não devemos é TER PIEDADE daquela corja!

    Uma coisa que me preocupa muito é que em 2016, por ocasião das OLIMPÍADAS, eles poderão trazaer TROPAS BOLIVARIANAS para dentro do País. Dispositivo legal para isso já existe!

  2. Recomendo a leitura de O Homem Que Amava os Cães, O autor é cubano de nascimento (1955), o que o isenta da falácia ad hominem. O livro é excelente (estou quase no final) e desmascara totalmente a tática leninista e stalinista de acusar os outros do que você é e faz, ainda amplamente utilizada pelas esquerdas mundo afora, e em especial nas republiquetas latino americanas, com o Brasil bastante incluído,

Deixe uma resposta