Outro argumento fabuloso contra financiamento exclusivamente público de campanha: Dilma gastou mais em publicidade institucional do que em qualquer outra área em 2014

21
85

dilma

Você conhece alguém que ainda não tenha descoberto que este papo de financiamento exclusivo de campanhas, conforme proposto pelo PT, é pura treta?

Se conhece, o ideal é mostrar para ele os dados que desnudam um baita bofetão na cara de todos os brasileiros, saído diretamente dos punhos desaforados do governo petista.

Conforme matéria do Estadão, e de acordo com levantamento realizado pela entidade não governamental (ONG) Contas Abertas, a Presidência da República foi o órgão do governo federal que mais gastou com publicidade em 2014.

Um pouco mais:

Os gastos em campanhas publicitárias da Presidência da República alcançaram em 2014, segundo a ONG Contas Abertas, R$ 210,9 milhões. Desse montante, a maior parte (R$ 161,7 milhões) foi destinada à publicidade institucional. Foram campanhas para divulgar os atos, as obras e os programas governamentais. Ou seja, é um tipo de gasto eleitoralmente relevante, para o qual – como se vê – a Presidência da República não regateou esforços. No ano passado, as campanhas institucionais da Presidência da República tiveram como finalidade dar visibilidade à atuação do governo federal na realização da Copa do Mundo. Ali estava a sua vitrine. Segundo o governo, o objetivo era fortalecer os atributos positivos da imagem do Brasil, para o qual se utilizou o conceito “A Pátria de Chuteiras vai entrar em campo. Vibra Brasil!!!”.

Para adicionar insulto à injúria, estes gastos superaram outras pastas:

Os seus gastos em propaganda conseguiram a proeza de superar pastas importantes, como o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação. O estudo não deixa de ser mais uma prova de que a prioridade dada pela presidente Dilma Rousseff às tarefas do último ano do seu primeiro mandato foi a sua reeleição.

Quer dizer que você pagou as contas da reeleição de Dona Dilma Rousseff. Enquanto o governo torrava 161,7 milhões para fazer propaganda de si próprio, veja o que sobrava para o resto:
[…] a publicidade de utilidade pública, cujo objetivo é informar e orientar a população a respeito de comportamentos que trazem benefícios reais para a melhoria da qualidade de vida, não teve o mesmo orçamento que o da publicidade institucional. À propaganda de utilidade pública promovida pela Presidência restaram R$ 48,3 milhões.

Eu errei no começo. Isso não é só uma bofetada no rosto do pagador de impostos. É uma sequência violentíssima de socos. Nunca na história deste país o contribuinte foi tão afrontado. Se duvida, veja este trecho:

Os gastos da Presidência da República com publicidade ficam ainda mais chamativos quando se comparam com os do Ministério da Saúde, habitualmente a pasta que mais investe em publicidade, tendo em vista as suas campanhas de informação sobre saúde pública. Em 2014, o Ministério da Saúde gastou R$ 209,9 milhões. A publicidade de utilidade pública do Ministério foi responsável por 90% da verba investida (R$ 188 milhões). Nesse item estavam incluídas, por exemplo, as campanhas de combate à dengue e de prevenção da aids, tuberculose e hanseníase, entre outras doenças. Com a publicidade institucional, o Ministério da Saúde gastou R$ 3,7 milhões e com a publicidade legal, R$ 18,3 milhões. Em terceiro lugar no ranking de publicidade do governo federal em 2014 ficou o Ministério das Cidades (R$ 179,9 milhões), responsável pelas campanhas de redução de acidentes de trânsito. O Ministério do Turismo – que tem a tarefa de promover o turismo tanto de brasileiros quanto de estrangeiros no Brasil, além de realizar campanhas contra a exploração sexual de crianças – gastou R$ 102,8 milhões com publicidade no ano passado. Em 2014, os gastos totais do governo federal com publicidade foram da ordem de R$ 1,1 bilhão, representando um aumento de 10% em relação ao ano anterior.

Repare os números: R$ 161,7 milhões com publicidade institucional, ou seja, verba para promover o próprio governo, que, como qualquer pedra sabe, é Dilma.

Então, se for assim, a campanha do PT não custou oficialmente 320 milhões de reais. Custou 481,70 milhões, pois toda essa verba deveria contar como propaganda petista. Isso se falarmos em números oficiais. (Pois as teorias que falam sobre custos “por fora’ afirmam números bem maiores)

Agora é só olhar para o óbvio: com o financiamento exclusivamente público de campanha, o PT segue podendo usar toda essa bufunfa em seu benefício. Seus adversários perdem o poder de competir com eles, pois não tem financiamento de empresas para combater o governo, dono de um assustador poder econômico (os números estão aí em cima).

Isso sem falarmos na blogosfera estatal, que segue exclusivamente a favor do PT. Tudo com verba estatal. Enfim, financiamento exclusivamente público de campanha compreende tudo que vai abaixo nas mãos do PT e de ninguém mais:

  • Direito de destinar verbas da Lei Rouanet e adquirir apoio
  • Direito de usar verbas estatais em quantidade indecente para propagandear o próprio governo
  • Direito de financiar blogosfera estatal, que só serve para propagandear o governo
  • E muito mais, e tudo isso sem tirar um tostão do bolso

Depois disso tudo, quem ainda não está indignado com a mera proposição de financiamento exclusivamente publico de campanha é um caso perdido.

Este blog terá uma nova casa, que já está em atividade. É o Crítica Política. Clique aqui para ler este artigo no novo site. A partir de março, todos os posts sobre o cotidiano da política serão feitos exclusivamente por lá. 

Anúncios

21 COMMENTS

    • Não concordo exatamente com a charge, mas ela é sintomática. O governo do PT já está perdendo a aura de democrático e sendo comparado com a ditadura militar que eles tanto abominam.

    • Luciano, sei que o ‘grupo de revoltados’ quer ter lucro naqueles sites deles, mas será que aqueles anúncios do Uol estão valendo? Segundo o Google, ele leva em consideração, entre outras coisas, o tempo de carregamento de sites para expor eles nos resultados de busca, talvez eles teriam vantagem em tirar alguns anúncios menos rentáveis e assim ganhar ao ter alguns leitores extra vindos de busca do Google. Sem deixar de levar em conta que leitores do cotidiano também estejam se frustrando com o “peso” do site(s) com aquela grande quantia de anúncios, acho que passou da hora de rever a quantia de anúncios naqueles Layouts, no código HTML deles acho que também poderia dar uma reduzida, acho válido, pois eles fariam isso uma vez, talvez gastariam 1 ou 4 dias de trabalho, mas, o ganho seria para quantos usuários que acessarão o site?

    • Vou usá-lo para novas coisas. Serão mais para textos focados em método, e que sejam focados em um público especifico na guerra política. Os posts no Crítica Política serão para os comentários de notícias. No Crítica Política, não serei eu o único comentarista.

      Abs,

      LH

      • Luciano, eu já tinha notado que o “ceticismo político” em época de eleição tinha acabado de perder a sua alma de professor de técnicas de debate, criador de argumentos e contra-argumentos, derrubador de falácias….para virar um criticador de notícias políticas.

  1. Grande Luciano,
    Parece-me que seu novo site padece dos mesmos defeitos dos sites da Veja. Entre o click no link e a possibilidade de rolar a página lá se vão mais de 3 minutos e a cada novo click a mesma demora. Fica impossível navegar. O antigo, este no qual posto este comentário, é muito mais ágil. Abçs

  2. O PT, com essa proposta concretizada, terá a garantia de que nunca mais sairá do “rodízio democrático” brasileiro.

    Temos que usar todas as nossas forças e fazer pressão no Eduardo Cunha para ele não permitir isso ser aprovado.

    • Sempre em cima do muro, primeiro ela apoia a eleição de Dilma no segundo turno, mas o faz insinuando que a Dilma era a menos pior, agora, o pedido de impeachment é e não é válido, ficou em cima do muro, só é válido se vier daqueles que levantarem a bandeirola do PSoL, no final, ela pede que protestem apenas contra as ações de taxação do governo, mas não contra o modo sujo do governo trocar cargos por apoio político que serve de adubo para corrupção.
      Ela sabe que o povo não aguenta mais o PT e vai protestar, então, se é para o povo protestar, que seja com a bandeira do PSoL, aí ela usa seu partido para protestos que não atinjam muito o PT, pois o PT é quem ajuda alimentar seu partido, assim ela e o PT conseguem segurar seus militontos e evitam que eles se juntem a quem realmente protesta contra o PT e de lambuja conquista alguns que não conhecem essa tática suja dela, depois, na próxima eleição, ela apoia o PT de maneira indireta, no segundo turno, dizendo aos seus eleitores que são livres, mas, que ela não apoia a oposição ao PT, seja Marina, seja PSDB, seja quem for, e que o candidato do PT é o menos pior. Assim ela e outros partidos auxiliares do PT continuam mamando nas tetas do governo, governo petista.

      • Esqueci de dizer que o PSoL sabe que a que o PT vai voltar atrás em algumas medidas impopulares, mesmo eles não protestando, o PT fará isso para acalmar o povo e diminuir as manifestações, mas, o PSoL vai aproveitar a indignação do povo e agora protestar contra essas medidas, depois, poderão se gabar de qualquer conquista que haja, como foi com os protestos de 2013, assim, o PT ajudará a fortalecer as suas linhas auxiliares, e depois tem seu apoio indireto, a oposição amiga sustentada pelo governo petista, com dinheiro de impostos, nem que seja com cargos de segundo escalão.

Deixe uma resposta