O socialismo real e o socialismo fantasiado para enganar trouxas

26
269

socialismo

Um amigo me disse: “Luciano, que absurdo o que aconteceu na USP. Um grupo de militantes do movimento negro invadiu a sala, chamou a professora de racista e mandou que todos os brancos se calassem. Como eles podem fazer isso enquanto afirmam defender oprimidos?”

No que eu disse: “Absurdo é você ter se surpreendido com isso. Absurdo é, ainda mais, você achar que eles agiriam de maneira diferente. Absurdo seria se eles agissem de maneira diferente, de acordo com o que defendem”.

Acontece aqui que meu amigo acha que o socialismo fantasiado para enganar trouxas é algo para existir na prática, e não apenas uma propaganda enganosa criada para obter o benefício que essa propaganda traz.

Mas precisamos ser adultos. O socialismo precisa ser julgado pelo que de fato é, não pelo que os socialistas dizem deles próprios. Se fôssemos adotar este padrão de crer na propaganda, nenhum bandido poderia ser preso, nenhum vendedor de bilhete premiado poderia ser punido por fraude, nenhuma adúltera poderia ser considerada como tal. Isto por que todo bandido se declara inocente, todo adúltero/a diz que “não é isso que (x) está pensando”, e todo vendedor de bilhete falso diz que o bilhete é verdadeiro. Se não caímos nos truques destes três, por que ainda tem gente que cai no truque de acreditar na definição do socialismo por eles próprios?

Este é o colapso mental sofrido pelo meu amigo. Essas fissuras na estrutura mental impedem que ele perceba o socialismo como ele realmente é. Por isso, não entenderá qualquer grupo adepto do marxismo cultural como eles realmente são.

Olhando de forma adulta e consciente para o socialismo, veremos que ele foi projetado desde o início para ser assim. Caso contrário, Marx não teria definido uma “ditadura do proletariado” como transição para a prometida “sociedade sem classes” (o bilhete premiado vendido pelo fraudulento). Que outro nome damos para a ditadura do proletariado que não um método para conseguir oprimir os outros a partir do uso de um discurso fingido no qual o artista da dissimulação convence os outros de “lutar por oprimidos, contra opressores”?

O que aconteceu na sala de aula foi exatamente isso. A simulação de um discurso dizendo “sou oprimido” para poder oprimir. Como eu disse, seria surpreendente se agissem de maneira diferente.

Anúncios

26 COMMENTS

  1. Só para relembrar, a ótima intervenção de Fernando Holiday sobre o episódio dos afrovitimistas uspianos:

    http://www.facebook.com/video.php?v=1586098364961657

    E se for para sapatear mais em cima deles, seguem as mais recentes do vlogueiro sobre o assunto:

    http://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1586359751602185&id=1563878917183602

    http://www.facebook.com/1563878917183602/photos/a.1565465310358296.1073741828.1563878917183602/1586488311589329/?type=1

    Segue também novamente a ótima intervenção de Yuri Vieira sobre o racismo e inclusive mostrando que o Pelé fez mais pelos negros e contra o racismo do que essa galerinha de voz esganiçada que tumultuou a aula na USP:

    http://www.facebook.com/yurivs/posts/10152898275838800

    • E mais uma vez o Holiday é posto na roda, como se pode ver por esta matéria da Folha. Observem o subtexto que a matéria passa, algo que pode ser visto quando dizem que o menino tem coragem de fazer críticas que dificilmente um branco teria coragem de fazer em público. E por que um branco não faria essas críticas? Ora, justamente pelo medo que os gramscistas impuseram na sociedade, seja com a história de que quem é pobre não pode fazer protesto, seja com a história de que um branco seria racista se criticar as cotas ou a postura do movimento negro, um homem seria machista se criticar leis que acabam com a isonomia entre as pessoas (como é o caso do recém-aprovado feminicídio), que um heterossexual seria homofóbico se criticar alguma coisa do universo homossexual e outras tantas. Logo, quando o Fernando em questão (ou também o Autêntico) critica algo do movimento negro, o fazem sabendo que o movimento negro acaba revelando suas reais intenções caso os critiquem de volta: a de que não conseguem ver pessoas de origem africana como pessoas com capacidade de fazer suas próprias escolhas, querendo obrigá-las a se enquadrar em um estereótipo do que supostamente seria alguém de origem africana e do qual essa pessoa de origem africana não pode fugir um milímetro sequer, sob pena de ser acusado de “negro doméstico da Casa Grande”. Segue uma série de parágrafos que para mim são bastante reveladores:

      O convite para ingressar ao MBL veio depois que ele mostrou um vídeo caseiro em que ataca o Movimento Passe Livre (MPL), antípoda dos jovens liberais.

      Na Paulista, discursou: “Vamos parar com esse negócio de que só a elite está aqui. Sou negro e pobre e estou pedindo a saída da Dilma”.

      Na série de vídeos que passou a gravar para o MBL, Holiday faz críticas que dificilmente um branco teria coragem de dizer em público.

      Ele compara Zumbi dos Palmares (1655-1695), herói do movimento negro, ao líder nazista Adolf Hitler e diz que o governo é racista por ter criado as cotas.

      Se é assim, vamos fazer cota para gostosa, porque existe na sociedade o preconceito de que toda gostosa é burra”, diz.

      Em entrevista via Facebook, não quis responder se havia outro negros no MBL: “Isso soa até mesmo como uma ofensa. Não saímos pelas ruas procurando negros para participarem do movimento, a única característica que une todos os membros do MBL é a luta pela liberdade.”

      “Sempre houve casos de negros isolados sendo usados para legitimar a Casa Grande, a escravidão”, afirma ativista negra Bel Santos, 47. “Mas é triste ver um menino que fala bem dizendo que não é igual a ‘negros pilantras'”, completa.

      Para ela, que mora perto da Paulista, a maioria branca era óbvia. “Foram os brancos que tiraram fotos com a PM. Vi mais negros depois do protesto, catando as latinhas”, diz Santos, do Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (Ibeac).

      Segundo pesquisa Datafolha com participantes do protesto na avenida Paulista, sete em cada dez (69%) se declararam brancos, seguidos da cor parda (20%) e preta (5%). No município, 48% dos paulistanos se identificam como brancos, seguidos por pardos (33%) e pretos (14%).

      Com relação à renda, 41% dos manifestantes informaram uma renda superior a 10 salários mínimos.

      Em São Paulo, o percentual dessa faixa de renda despenca para 9%, sempre de acordo com o Datafolha.

      O que dá para depreender disso?

      1) A tentativa de dizer que o Brasil Livre teria sido feito calcado em cima do Passe Livre, quando na realidade a pauta do MBL é bem mais ampla;

      2) Aquilo que já falei de que o Fernando Holiday sabe que pode descer a lenha no movimento negro justamente porque os caras não poderão acusá-lo de racista;

      3) A matéria diz que Holiday compara Zumbi a Hitler como se fosse algo da cabeça do rapaz em questão, quando na realidade é baseado em estudos históricos que mostram tanto que o líder de Palmares queria na realidade fazer um reino como o fato de ele possuir escravos, demonstrando que um quilombo não era exatamente uma congregação de negros livres. Também põe do nada a acusação de o governo ser racista por ter criado as cotas, quando sabemos que julgar alguém como incapaz por ser de um determinado grupo étnico, e como tal necessitando de condições de aprovação em um exame meritocrático mais brandas que aquelas impostas a outros grupos, é sim racismo;

      4) Que realmente os caras da Folha não conseguem entender, ou fazem que não conseguem entender, ironias como a das cotas para gostosas. O bom da coisa é que quem leu a matéria entendeu perfeitamente e quem é gostosa entendeu ainda mais e deu uma risada das boas. Aliás, a capacidade de ser irônico é algo que deixa os marxistas-humanistas-neoateístas cada vez mais desorientados, devendo ser algo usado ainda mais do que o muito que já é hoje;

      5) Quererem achar ruim que o Fernando Holiday não venha querer dizer se há mais pessoas de ancestralidade africana no MBL ou simplesmente não querer ver a cor das pessoas. Logo, quem está vendo as pessoas pela cor da pele é o jornal e os MHNs e não quem protesta contra os MHNs;

      6) Acharam uma ativista do movimento negro para falar aquele lance de que pessoas de ancestralidade africana que não sejam MHNs têm de obrigatoriamente ser casos isolados que usam para legitimar uma suposta escravidão que não teria sido abolida em 1888. Observe-se que ela fala de negros só catando latinhas ou fazendo outras coisas e que os brancos estariam lá quase que a passeio por simplesmente terem tirado foto com os PMs (como se pessoas de outras cores não tivessem feito o mesmo);

      7) Observe-se também a tentativa de querer achar ruim que porventura a pesquisa do Datafolha tenha achado uma composição étnica diferente daquela da cidade. Além de podermos suspeitar de distorção, ainda mais lembrando que é o Datafolha responsável por “cerca de mil” em manifestação passada e “210 mil” na manifestação mais recente, não há qualquer obrigatoriedade de a junção de muitas pessoas siga a composição étnica da população como um todo.

      Claro que a matéria em questão já recebeu uma saraivada de críticas, a começar pelos próprios comentaristas, que choveram em cima e já soltaram o verbo, algo que também fez o próprio Holiday:

      http://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1587551491483011&id=1563878917183602

      O pessoal do MBL também tomou as dores e a fala do Kim Kataguiri revela um pouco do que pode estar por trás da abordagem tomada pela tal matéria:

      http://www.facebook.com/video.php?v=290436191080531

      Sim, isso mesmo, os participantes dos movimentos que foram à Paulista no dia 15 simplesmente se recusaram a fazer um debate promovido pela Folha pelo fato de considerarem que estariam como em um circo de aberrações. Não tiro a razão deles.

  2. Mais uma prova do RACISMO dos que dizem combater o racismo, a OPRESSÃO de que dizem ser oprimidos e o MAU CARATISMO, MENTIRAS E HIPOCRISIAS destes ESQUERDISTAS CRIMINOSOS. Todas suas mentiras, hipocrisias e mau caratismos tem que ser desmascarados! Chega desta falsa vitimização de minorias com fins políticos. Já passou da hora de serem RESPONSABILIZADOS CRIMINALMENTE pelo RACISMO e excessos cometidos. Vamos divulgar o máximo possível esta OPRESSÃO FASCISTA DESTES ESQUERDISTAS RACISTAS!!! E quando começarem a estudar e trabalhar vão perceber que todos conseguem conquistar seus objetivos. Deixem de serem ESQUERDISTAS VAGABUNDOS E TRABALHEM E ESTUDEM, assim vão encher TODAS AS SALAS DE AULAS QUE ALMEJAREM!!!!

  3. Mi Mi Mi puro, com muito vitimismo, ocupando um espaço e um tempo indevidamente(sala de aula), como se este recurso(idiota) fosse resolver as questões das “vítimas”. O RACISMO existe, na sua maioria das vezes é praticado pelos próprios negros.
    Considero que a invasão de uma sala de aula, é caso de polícia, deveriam as autoridades identificar e investigar quem fomentou tal ato e enquadrá-las, porém, como já sabemos que o MARXISMO CULTURAL é o promotor desses absurdos na sociedade e que as autoridades nada fazem dentro do chamado “politicamente correto”, nada podemos esperar, a não ser a repetição destes atos.
    https://www.youtube.com/watch?v=F12Wz5vApLw
    .

    • Se me desse opcao eu preferia entrevista completa da vida do Zina. Reinaldo Azevedo é um officie Boy do psdb, prepotente e agora escreve dicas de como a Presidente deveria governarm e como toda “oposicao” desse país repete feito papagaio que nao há elementos nem para Impeachment. Falar em Intervencao militar, entao, reagem todos com verdadeira fobia. Era só o que faltava.. Essa turma fatura com o caos, vao continuar enxugando gelo e muito bobo classe media leitor desses colunas já podem baixar a buzanfa para os golpes seguidos que seguirao, pq apesar da festinha cívica do dia 15, Dilma e seus sequases continuam firmes no projeto bolivariano.

  4. Luciano, qual é a sua opinião sobre a atitude dos ativistas do movimento negro do ponto de vista estratégico?
    É possível afirmar que eles violaram a tática 11 do Saul Alinsky? Eu penso foi justamente a agressividade deles que fez com que o vídeo tivesse tanta repercussão.
    Pode-se dizer que o petista abaixo também violou a tática 11? O rapaz praticamente virou o garoto-propaganda involuntário para o dia 12/04.
    Abraços!

  5. 1) Na mesma toada desta postagem, temos esta outra, que inclusive aprofunda-se mais ao mostrar que marxistas-humanistas-neoateístas são, eles sim, os homofóbicos, patriarcais e racistas de que acusam as pessoas normais e a sociedade como um todo. Observe-se que o autor do texto inclusive usa bem o contraste da retórica gramscista com a prática socialista ao mostrar que homossexuais seriam sumariamente escorraçados caso um regime de foice e martelo ascendesse ao poder de maneira mais acentuada.
    O autor inclusive fez uma acertada contraposição entre o que dizem os gramscistas com o que mostram os eurasianos (considerando-se a encarnação mais moderna da religião política apoiada por A Página Vermelha que ele usou como exemplo). Ele também contrapõe gramscistas com comunistas clássicos justamente para mostrar o que é a tal prática socialista e o quanto que ela usa os tais idiotas úteis tanto para fazer idiotices como também para terem determinadas utilidades. E também sobra uma certa crítica ao lado anti-MHN da coisa, aqui direcionada a quem também raciocina de maneira economicista a sociedade. Finalizando tudo isso, um videozinho que é um misto de estética socialista real com Hermes e Renato:

    http://www.youtube.com/watch?v=8W7OptYkBxQ

    2) Por falar em sala de aula, segue fervendo o debate catarinense sobre o combate à doutrinação nas escolas:

    http://www.youtube.com/watch?v=XLeuN8_YX4I

    Serviu de catalisador para as reais intenções dos poucos MHNs que subiram ao poder no estado brasileiro mais anti-MHN de todos:

    • Janio de Freitas querendo dar uma de mulher de malandro ao acusar os que foram às ruas de apoiadores de golpismo quer queiram ou não e já recebendo uma enxurrada daquelas de respostas desmascaradoras (afinal, como sabemos, o Sakamoto acabou com o espaço de comentários em seu blog de tanto que seus textos eram refutados sem dó e sem dor).
      E um dos problemas de ser texto do Janio de Freitas é o fato de o xará do Quadros ser integrante do conselho editorial da Folha, o que significa que na prática ele é um dos que dá as cartas de como o periódico em questão deve informar aquilo que acontece no mundo, no que podemos jogar as contas dos “cerca de mil” de outra manifestação anterior e, agora, os 210 mil que atribuíram à Paulista, mas convenientemente esqueceram das ruas adjacentes e o fluxo natural de pessoas que iam e voltavam.

    • Que coisa mais asquerosa esses “educadores” vaiando e hostilizando alguém, que só está falando a VERDADE! Pau no c* de Paulo Freire!

  6. 10 COISAS QUE APRENDI COM OS novo
    dom, 22/03/2015 – 20:33

    10 COISAS QUE APRENDI COM OS PETISTAS NA INTERNET

    1) Quem não é petista, é tucano

    Não importa quem você é ou o que você defende: se você não é petista, você é tucano. Não há outra opção disponível. Ataque um descaso do Partido dos Trabalhadores e espere: será apenas uma questão de tempo para que um ataque ao PSDB apareça na sua frente como se esse fosse um argumento. E aqui não importa se você reside num estado ou numa cidade governada por tucanos. Quem ataca Lula e Dilma automaticamente defende Geraldo Alckmin, Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso. É uma determinação implícita nos debates, um contrato que você assinou se responsabilizando sem saber.

    2) Quem não é petista não gosta de pobre viajando de avião

    Por alguma razão inexplicável, quem não é petista não gosta de pobre viajando de avião. Não me pergunte por quê, mas alguém que não apoia o atual governo só pode assumir essa posição porque perdeu sua escrava doméstica; não consegue alugar seus apartamentos graças ao sucesso do “Minha Casa, Minha Vida“; não gosta de negros cursando o ensino superior (mesmo que você seja negro); e se irrita porque é obrigado a ficar mais tempo preso no trânsito com seu carro, engarrafado no meio de um monte de veículos populares guiados por domésticas, cabeleireiras, pedreiros e porteiros (o que lembra a velha máxima “congestionamento é progresso”, dita por Paulo Maluf em certa ocasião). Comodisse Rui Costa, o atual governador petista da Bahia, “o antipetismo é a insatisfação da classe média”. Para ele, “o Brasil está vivendo um segundo período de fim da escravidão“, com a derrota de “pessoas [que] veem como um absurdo o porteiro chegar de carro ao trabalho e se incomodam ao ficar atrás de um agricultor ou uma empregada doméstica em uma fila de aeroporto; acham que pobre não pode ter carro, não pode andar de avião, não pode entrar em uma universidade”. Não há outra razão possível – quem ataca o PT é rico e não gosta de pobres. Simples assim.

    3) Você protesta contra o governo porque nunca leu um livro de história na vida

    Você não votou na Dilma porque nunca leu um livro de história na vida (certamente não os do Mario Schmidt). É duro ter que dizer isso, mas você certamente é um iletrado que ignora o fato irrefutável de que por 500 anos o Brasil foi governado pela direita (somos um país tão conservador que já eramos de direita antes mesmo da direita nascer). Na última campanha presidencial, conforme apontado por diversas pesquisas de opinião, a candidata petista liderou com folga entre aqueles com escolaridade até a 4ª série, mas viu um cenário radicalmente oposto entre aqueles com ensino superior, que apoiaram em massa o candidato da oposição. Na dúvida, os mais escolarizados fugiram dos livros de história.

    4) Quem não é petista, nem tucano, defende a Ditadura Militar

    Se você não é petista, só há um caminho possível além de ser tucano – você é um defesor da Ditadura Militar. Não, não há outra razão. Dilma combateu os militares, se você não gosta dela, logo os defende. O caminho é muito claro: você não gosta do PT porque provavelmente é um fascista. E nem adianta olhar pro lado, tô falando com você mesmo, que esconde pôsteres do Mussolini no quarto. Você que quer a instauração de um regime racial, que toma as ruas com as cores do país para protestar contra o governo. Você é um radical de ultradireita que se cumprimenta dizendo “anauê” para sua trupe.

    5) Você não pode reclamar dos bilhões desviados pela corrupção porque fura fila na padaria

    Você não tem o direito de reclamar dos casos de corrupção cometidos pelo governo. Por duas razões. A primeira porque o PT não criou a corrupção, logo não faz sentido acusar o partido de nada – além disso, o PT é o único partido que manda investigar. A segunda, porque você fura a fila da padaria, já buzinou perto de um hospital e já estacionou em local proibido. E nem adianta dizer que você nunca fez nada disso, porque o jeitinho está na alma do brasileiro. Antes de reclamar dos bilhões de reais desviados pelo PT, pense naquele dia em que você colou fazendo uma prova de geografia na oitava série. Além disso, lembre-se do primeiro argumento dessa lista: o PSDB já esteve envolvido em casos de corrupção. Todos os seus argumentos contra o PT são inválidos, tucanalha!

    6) O processo constitucional de impeachment é golpe

    Se você toma as ruas reclamando de um governo envolvido em esquemas de corrupção – do zagueiro ao ponta-direita – pedindo a investigação da presidente, se ousa pronunciar a palavra impeachment, só o faz porque é automaticamente um golpista. Isso mesmo. O impeachment é um processo regulado no Brasil pela lei 1.079/50, um artifício democrático e constitucional, não presente em regimes ditatoriais (você já viu algum ditador saindo do cargo porque sofreu um processo de impeachment?). Ainda assim, caso você ouse pronunciá-lo, pedindo apuração dos fatos, você é um defensor da ditadura. Ok o governo se aproximar de regimes ditatoriais (como Cuba e Venezuela), oferecendo ajuda econômica e política. Ok os petistas terem pedido a saída de quase todos os presidentes eleitos no país desde a redemocratização. O culpado é você, que exige a independência do Judiciário e do Legislativo, que pede por investigações e o cumprimento da lei.

    7) Dilma não pode sair porque seu vice, eleito pelos petistas, não presta

    Além de golpista, aprendemos com os petistas que você também não tem consciência política – afinal, se sai a Dilma entra o Michel Temer no lugar, e quem em sã consciência gostaria disso? Todo mundo que votou na Dilma votou no Temer também (afinal de contas, não existe um candidato único à presidência, mas uma chapa-presidencial), mas você não tem consciência aqui por querer que seu vice tome o poder. Quem elegeu Michel Temer vice-presidente de um país onde os vices assumiram o poder em 1/3 das ocasiões desde a redemocratização, ignorando o fato de que ele poderia assumir o poder a qualquer momento, podem lhe ensinar agora como ser um eleitor mais consciente.

    8) Quem vaia Dilma é machista

    Se você vaia a presidente, se bate panelas quando ela aparece na televisão, se por algum motivo não gosta dela, só o faz porque é um machista (mesmo que você seja uma mulher). Não adianta ignorar a realidade. O machismo é um sentimento inconsciente que expressamos muitas vezes sem querer, homens e mulheres. Faz parte da nossa cultura. Se você não gosta de uma presidente mulher é porque têm ódio de mulheres – provavelmente não se sente tão à vontade vendo mulheres alcançando posições de destaque na sociedade. Toda oposição à Dilma é uma apologia ao machismo. Esqueça o noticiário, esqueça os casos de corrupção, esqueça a economia, busque um psicólogo.

    9) Todos os problemas do país serão resolvidos com uma reforma política

    Todas as soluções para o país estão na Reforma Política proposta pelos movimentos sociais e sindicais de esquerda – afinal, eles representam a sociedade, não é mesmo? É ela quem irá estabelecer a paz mundial, curar todas as doenças, devolver o poder ao povo brasileiro. Quer combater a corrupção? Os petistas têm a solução: acabem com o financiamento privado de campanha. Depois da proibição, segundo os simpatizantes do partido que mais recebe doações de empresas privadas no país, não mais haverá caixa 2 (um crime que remete a um dinheiro que já não é contabilizado de forma legal, mas tudo bem), não mais obras superfaturadas no país, não mais escândalos em ministérios e nas estatais. Sem dinheiro privado de campanha, como num passe de mágica, os políticos brasileiros não terão mais incentivos para o roubo e as aproximações com empresários corruptos. A verba de dinheiro público aos partidos irá aumentar substancialmente – com o dinheiro dos pagadores de impostos, claro – mas esse é o preço que se paga para combater uma chaga tão dura na sociedade brasileira. Ok, não há qualquer indício que a corrupção diminua no país com a medida, mas pelo menos o partido que manda investigar está mandando investigar.

    10) 2 milhões de pessoas tomaram as ruas no dia 15/03 porque a Globo ordenou

    Por fim, aprendi com os petistas na internet que dois milhões de pessoas tomaram as ruas do país em protesto contra o governo porque a Globo convocou. Sim, caros leitores: se a maior emissora do país registra em sua programação o maior protesto da história do Brasil é porque ela claramente está se opondo ao governo e convocando as pessoas para o ato. E o brasileiro é como um zumbi: ele viu os protestos sendo noticiados na televisão no domingo de manhã, vestiu sua camisa verde e amarela e tomou conta das ruas sedento por carne humana. Grave bem, tudo que acontece de errado nesse país é culpa da Globo. Não há razões para descontentamento. O brasileiro é um povo alienado porque a Globo o coloca contra o governo. As milhões de pessoas que tomaram as ruas provam isso. O fato do PT ter ganho as últimas quatro eleições presidenciais, num período em que a Globo permaneceu líder de audiência, é um mero acaso, um acidente. Nos últimos treze anos ela não teve força suficiente para mudar a vontade de um povo soberano que não é bobo e que grita “abaixo a Rede Globo”. Agora, como mágica, tudo é diferente. Esse é o Brasil.

    Por Rodrigo da Silva

    http://spotniks.com/10-coisas-que-aprendi-com-os-petistas-na-internet/

  7. Esse país não tem mais governo .. Quem comanda são esses grupos extremistas ..Alguém sabe dizer se os alunos registraram um B.O ? Esse tipo de truculência criminosa não pode passar em branco (sem trocadilho)..

  8. Luciano, segue hangout do Terça Livre realizado há pouco com o senador Álvaro Dias, do PSDB. Sim, é verdade que é senador de partido que é só outra lâmina da tesoura, mas vale a pena ver considerando-se que é alguém com experiência prática em política e também pela relevância que é fazer um bate-papo internético com alguém da esfera mais importante do Legislativo nacional:

    http://www.youtube.com/watch?v=ButE8xnUyVI

    Pelo que fala o pessoal do Terça Livre, eles também já convidaram o Ronaldo Caiado, mas até agora ele não respondeu à proposta.

  9. 1) Quando o exatamente um indivíduo deixa de ser branco, e se torna pardo???
    2) Quando o exatamente um indivíduo deixa de ser pardo, e se torna negro???
    3) E se ele for amarelo? Ele será considerado branco?

    Então o importante é se declarar afrodescendente? Ué?
    Os habitantes do Egito, Líbia, Marrocos, Tunísia e Argélia, são todos 100% africanos, e seus filhos são 100% “afrodescendentes”, e a maioria deles seria considerado “branco” aqui no Brasil.

    http://i.imgur.com/vHob0iX.jpg

    Um vídeo da Líbia pra vocês meditarem sobre “afro-descendência”

Deixe uma resposta