STF petista dá golpe jurídico. E agora a bola está nas mãos do povo.

6
206

Ministro-Teori-Zavascki-20121205-size-598

Conforme o UOL, por 3 votos a 2, a segunda turma do STF (Supremo Tribunal Federal) concedeu nessa terça-feira (28) liberdade ao empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC, e mais oito empreiteiros que foram presos pela Polícia Federal por suspeita de participação na operação Lava Jato. Agora para os empresários corruptos é só moleza: vão para prisão domiciliar em suas casas luxuosíssimas. O crime, enfim, compensou.

O golpe foi dado por dois suspeitos de sempre, Teori Zavascki e Dias Toffoli, que são mais advogados do PT que juízes do supremo. Surpreendentemente, Gilmar Mendes, tradicionalmente imparcial, resolveu participar da marmelada. E para termos uma ideia do que significa a possível ida de Luis Fachin para o STF, basta saber que se ele estivesse nessa turma, quase com certeza hoje teríamos um placar de 4×1 em favor do PT, e não 3×2. Esta é a ideia do PT: colocar advogados seus no STF.

Os demais empresários corruptos que serão soltos são, conforme a matéria, “Agenor Franklin Medeiros, diretor-presidente da área internacional da OAS; Erton Medeiros Fonseca, diretor de negócios da Galvão Engenharia; João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa; José Ricardo Nogueira Breghirolli, apontado como contato do doleiro Alberto Youssef com a OAS, Mateus Coutinho Sá Oliveira, funcionário da OAS; Sérgio  Cunha Mendes, vice-presidente executivo da Mendes Júnior; Gerson  Almada, vice-presidente  da empreiteira Engevix; e José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS”.

O que importa é que tudo isto foi feito para impedir que esses sujeitos, contra os quais há provas de corrupção gravíssimas, possam ter a ideia de fornecer delações premiadas contra o PT. O golpe foi tão bem engendrado que aqueles que poderiam dar delações premiadas que mais prejudicassem o PMDB e o PP permaneceram em cana o tempo todo. Enquanto isso, aqueles que poderiam abrir o bico contra o PT foram liberados. Mais uma vez, o PT tratou seus “aliados” como mulher de malandro. E enquanto isso, o tucano Álvaro Dias faz campanha em favor de Luis Fachin no STF, atingindo o cúmulo da desonra para um político “de oposição”.

Os fatos estão aí. O STF não é confiável. Se há alguma esperança de condenação para os corruptos do PT, esta reside unicamente na pressão feita por nós. Ironicamente, uma fase em que o governo enfrenta baixíssimos níveis de popularidade é a mesma onde nunca estivemos tão sozinhos.

Enquanto isso, proponho um pequeno teste: procure observar menções da direita em geral (em qualquer âmbito, seja em colunas ou posts na Internet) o uso do termo “golpe” para isto que ocorreu hoje no STF. Eu aposto na possibilidade de que, à exceção deste blog e mais um ou dois, este termo continuará fora de uso por parte da direita. E por que isto acontece? Por falta de atenção e falta de conscientização de nossa parte em relação à importância de ganharmos a guerra de rótulos, uma das instâncias mais importantes da guerra de frames.

O resultado acaba sendo um crime moral, que reside nas costas de toda a direita. É este o crime: “O conjunto da direita permite que o conjunto da esquerda use o rótulo ‘golpista’ em maior quantidade contra nós, mesmo que eles só façam uso de golpes incessantemente”. Hoje deram mais um golpe. E enquanto isso vão acusar opositores de “golpistas” apenas por requisitarem a hipótese legal de impeachment. Enfim, para vencer esta batalha, precisamos adquirir um foco na vitória. Se não rotularmos o nosso oponente como ele é, só facilitamos a vida dele.

Hoje aconteceu um golpe. É nossa missão moral denunciá-lo nestes termos.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Não sou advogado. Não entendo de leis. Por isso procuro me basear em alguém que entenda e, o que é mais difícil encontrar, alguém cuja opinião eu confie. Meu “consultor” para assuntos “legais” envolvendo as ações governamentais é o Reinaldo de Azevedo, é o único democrata da mídia independente que eu conheço e que se aventura a invocar a lei em relação a este ou aquele assunto, e ele já há meses, apontava para o fato de não haver base legal para manter a prisão dos empreiteiros.

    Tomando por base a interpretação fornecida pelo Reinaldo e o fato de que procuramos seguir a lei e lutar limpo contra o PT, segundo os ditames da Democracia participativa e do Estado de Direito, não vejo porque esta grita contra o que jurídica e legalmente está certo.

    A alternativa, segundo o Reinaldo, é violar a lei e neste caso, em minha opinião, para mantermos a coerência, seria importante pensar duas vezes, pelo menos, se temos criticar ou não a atitude do STF.

    O que eu pessoalmente estou cada vez mais convencido, é que “jogar limpo” com o PT me parece o caminho direto e mais rápido para o nono círculo do inferno.

  2. Em primeiro lugar: ei, STF, vai tomar no CU.

    Em segundo lugar: deprimente, mas não deprimente de entregar os pontos. Deprimente de se irritar, de ser louco-louco mesmo, de querer dar uma de louco e espumar raiva, muita raiva contra essa nojentice. Eles fazem isso e com isso queimam o próprio discurso de que “nunca se investigou tanto”, defendido por exemplo por aquela porra daquele péssimo escritor Marcelo Rubens Paiva:

    http://cultura.estadao.com.br/blogs/marcelo-rubens-paiva/por-que-nao-vou/

    LIXO ~~CULTURAL~~.
    Bem fez Roger de xingá-lo, e aqui eu xingo mais: Paiva, vai tomar no CU. No CU, seu merda. Esquerda caviar de cu é rola.
    Só li um livro desse lixo pois fui obrigado pra escola e é uma lixeira em forma de páginas.

    Agora, em relação a todo esse golpe que aconteceu, esse resultado que vemos do aparelhamento – pra quem não crê em aparelhamento pelo PT, taí a prova -, há algo que possamos fazer além de divulgar o fato a exaustão, não só em internet, mas em conversas por aí, em especial em locais tipo metrô/ônibus onde é possível ser ouvido por muita gente?

  3. Gostaria de saber quais as estatísticas a respeito da opção ideológica dos advogados e juízes brasileiros? Parece que a maioria flerta com a esquerda, haja visto a OAB, a AASP, os cursos de direito e agora o STF. Todavia, a maioria desses profissionais do direito não assume sua postura ideológica comunista, mas se justifica no direito positivo e no positivismo, como se neutro e objetivo fosse. O Brasil não tem um direito de direita (direito negativo? direito natural?), tem um direito de esquerda, um “desquerdo”, isto é, um direito positivo e comunista. O “desquerdo”, por trás do discurso normativo do paraíso prometido, isto é, as leis brasileiras que vendem um mundo utópico, no fundo nega Deus, desconstrói a família e desdenha da propriedade privada, enfim, nega o sagrado e a individualidade em detrimento do terrestre e do coletivo. Será que os arautos do “desquerdo” acham que em governos comunistas, socialistas ou bolivarianos esse tipo de ordenamento jurídico levará à justiça social?! Será que esses profissionais ganharão mais dinheiro com esses regimes bolivarianos? Será que esses senhores têm consciência do que fazem?!

    • Muitos provavelmente não têm essa consciência. A doutrinação ideológica nas universidades públicas é forte, e não é à toa que apenas ~5% dos bacharéis em direito são aprovados no exame da OAB pra poder advogar. É feita uma forte filtragem ideológica. O que tem que acabar pra isso mudar é justamente a OAB, ou pelo menos seu poder de ditar quem pode ou não advogar, e a que preço deve fazê-lo.

  4. Gente ja ouviram falar do Matheus Faria? então sugiro á voc~es que o sigam pois ele está lutando pelo Brasil e é procurador da Fazenda ele está com mais de cem mil seguidores….espiem lá…..

Deixe uma resposta