Trailer de “Chatô” chama o público de imbecil

9
97

guifontes

O esquerdista caviar Guilherme Fontes conseguiu autorização para captar R$ 8,6 milhões (entre 1995 e 1999), via Lei Rouanet, para filmar o livro “Chatô, o Rei do Brasil”, do socialista Fernando Morais. Como muitos sabem, não se tinha notícia do filme, até que Fontes foi condenado a pagar mais de R$ 80 milhões de indenização. Agora, após a condenação, ele correu para apresentar “qualquer coisa”, como se dissesse “gente, o filme tá aí”. Vejam o trailer abaixo e veja se aquilo faz qualquer sentido. É claro que ele de novo está enrolando todo mundo (e nem parece esconder isso no trailer, onde vemos a esquerda caviar em peso):

Essa Lei Rouanet tem que acabar…

 

Anúncios

9 COMMENTS

    • As tais “liberdades” dá década de 60 que ela tanto enaltece como maravilhosas, foram urdidas pela Escola de Frankfurt com o objetivo declarado de carcomer a civilização ocidental por dentro, atacando a família como ente opressor, exaltando a putaria, etc. Mas isso ela não deve saber, nem mesmo aos 68 anos de idade.

  1. Quem vai pagar ingresso pra assistir essa porra?

    Os mesmos que pagarão pra assistir o filme biográfico do Jean Wyllys que com certeza incluirá cenas dele discutindo farelos com o Pedro Bial indicando seus amigos para o paredão do BBB?

  2. Mas que trailerzinho horrível. Um trailer serve para atiçar-nos a assistir o filme, mas este?!, se não fosse a reportagem sobre o TCU e o Fontes eu jamais iria descobrir o tema. Temos que acabar com essa festa da Lei Rouanet, que serve apenas para roubo, porque para mim esses atores não passam de bandidos.

  3. Mais um futuro fracasso.

    Também vale a pena ler:

    http://teleguiado.portalvox.com/criticas/2015/04/deputada-do-pcdob-quer-limitar-a-15-a-oferta-de-filmes-estrangeiros-nos-cinemas.html

    Destaque para essa parte:

    “A receita do fracasso está no modelo adotado pela própria Ancine, a Agência Nacional do Cinema. Lançado em 2014, “Jogo de Xadrez” recebeu a primeira autorização de captação de recursos em 2006, quando o título original da fita era “Sem Saída”. Um ano depois, solicitou o primeiro pedido de prorrogação do benefício, reajustado para R$ 805.133,19. O “Boyhood” brasileiro atraiu 521 pessoas e arrecadou R$ 6.707,00. Ou seja, fez menos público e renda que uma quermesse.”

    Também vale a pena ler esse:

    http://teleguiado.portalvox.com/cinema/2015/02/cinema-brasileiro-tem-o-pior-desempenho-seculo-21.html

    Não sei se a turma notou, mas já viram quem é o dono do canal desse vídeo?
    Sim, é daquela famosa atriz que adora defender o pt.

Deixe uma resposta