Juristas do PT tentam dar uma de malandro para aplicar golpe no STF. Cunha, fique esperto!

3
75

3y9e9ls3jf_4uy0jtg9lr_file

Essa turma bolivariana não desiste mesmo! Agora surgiram com um tal de “Manifesto em defesa da constituição e do parlamento”, que será enviado nesta semana à ministra Rosa Weber, do STF. O objetivo dessa gente é que Rosa defina a votação da PEC do financiamento privado de campanha como inconstitucional.

O truque da turba é fingir que a emenda constitucional foi reapresentada (para permitir financiamento privado de campanha), quando na verdade foi uma outra emenda apenas relacionada ao tema. A emenda rejeitada envolvia financiamento empresarial para políticos e partidos, e a emenda vitoriosa previa financiamento empresarial exclusivamente para partidos, com regras para limites do financiamento. O artifício se baseia em simular falso entendimento para tentar ganhar no tapetão. Jogo sujo, como sempre.

Daí eles surgem com uma lista de juristas petistas, como Celso Antonio Bandeira de Mello, Cezar Britto, Dalmo de Abreu Dallari, Fábio Konder Comparato, Juarez Tavares, Luiz Flávio Gomes, Marcello Lavenère Machado, Marcus Vinicius Furtado Coelho e Nilo Batista. Incluem na lista vários membros de OAB, entidade quase toda aparelhada pelo PT. Ademais, há vários outros professores de universidades federais. Novamente, aparelhadas pelo partido. E uma série de outros nomes, todos alinhados.

Logo, não há “manifesto de juristas”, mas, “manifesto de petistas, que, por ocasião, atuam na área do Direito”.

Peço que façam chegar esse golpe ao Eduardo Cunha, que deve estar ciente de mais um cambalacho petista.

Em tempo: o uso de manifestos (incluindo os manifestos picaretas) é uma tática sugerida por Gene Sharp. Porém, ela está sendo usada por governistas sedentos por uma ditadura. A melhor coisa é desmascarar o uso desta tática e aproveitarmos para desconstruirmos cada vez mais os “juristas do PT”, a OAB e os esquerdistas das federais.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Lembra-se daquele episódio envolvendo um ato dirigido por José Celso Martinez Correa em que o papa era decapitado? Por aqui já rendeu esta, esta e esta outra análise? Pois bem, eis que hoje temos mais um capítulo
    Seguem também as palavras do próprio Zé Celso. Observe-se que o próprio dramaturgo diz claramente que a encenação do ato do musical Acordes teve a mudança da figura autoritária do Sr. Smith para um religioso. Diz ele também que o ato foi autorizado pela reitoria da Pontifícia Universidade Católica em questão, o que pode significar aqui as seguintes possibilidades:

    1) Quem autorizou ser influenciado pela modalidade dita católica do marxismo-humanismo-neoateísmo, também chamada de Teologia da Libertação;

    2) Quem autorizou o ter feito achando que seria a encenação de Acordes sem saber que o Smith iria virar o papa daquele 2012 em que ocorreu isso.

    Observe-se que quem encaminhou abaixo-assinado pedindo investigação à procuradoria paulista foi o padre Lodi da Cruz, de Goiás, que sabemos ser da ala da Igreja Católica que não faz parte da TL, da qual também faz parte o padre Paulo Ricardo, de Mato Grosso, o que inclusive nos faz pensar que o Centro-Oeste pode estar se tornando bastião importante de resistência ao MHN no que tange ao campo religioso. Observe-se que os investigados anteriormente recusaram-se a assinar termo de transação penal, pois diriam que isso seria reconhecer uma culpa de que eles dizem não ter, mas aqui podemos dizer que está dentro do trâmite jurídico normal.
    Porém, que se observe o fato de que eles assumem claramente que mudaram o boneco de Sr. Smith para algo mais direcionado e dentro de um imóvel pertencente à Igreja Católica com o cunho educacional, que aceita gente de outras fés ou mesmo ateus dentro da concessão normal que o cristianismo pressupõe (fazer o bem sem olhar a quem, considerando-se aí a educação como um bem a ser feito). Porém, como sabemos, aqui fica bem claro que os não-católicos estão lá na qualidade de visitas, assim como um católico comum poderia abrir sua casa para algum amigo de outra fé ou ateu, pressupondo-se que o visitante respeite o anfitrião.

    Logo, vamos considerar que os visitantes desrespeitaram quem lhes abriu as portas de casa, jogando aqui em cima do comportamento pacífico que é pressuposto de um cristão e tentando induzir o cristão a achar que ser pacífico é sinônimo de ser pacifista e querendo que ele esqueça que o mesmo Jesus que falou para dar a outra face também disse para os apóstolos comprarem espadas. Foi interessante neste dia ver a reação dos marxistas-humanistas-neoateístas, que tiveram a previsível reação de condenarem a Igreja Católica e falar que ela é a causa dos males da humanidade e das guerras, dentro do famoso lance de reclamarem do cisco alheio e fazer vista grossa à trave no próprio olho.
    Logo, considerarei aqui um golaço no combate ao MHN e seus guerreiros da justiça social (do inglês social justice warriors, também conhecido pelo acrônimo SJW), uma vez que se jogou com regras aceitas pelos próprios MHNs. E, pelo que deu para ver, a galera mais inocente útil da história não notou que está falando apenas para eles próprios e que os outros já viraram as costas para eles há muito.

  2. Mais uma prova do profissionalismo esquerdista na ”guerra” política. Que a oposição siga o exemplo e use das mesmas armas…ops… regras do “jogo” político.

  3. Difícil entender como que juristas que escreveram tantos livros como Celso Antonio Bandeira de Mello e Fábio Konder Comparato conseguem ser tão petistas assim até os dentes. Intelectualidade não é mesmo sinônimo de inteligência. Produção bibliográfica não atesta nada. Mais uma fraude.

    E vendo textos como esse teu eu começo a entender (e rir, obviamente) a raivinha que petistas estão de haverem uma oposição enfim atuante e nervosa, cheia de fúria querendo aniquilar, desmascarar e acabar com o prestígio (que nunca existiu) dessa porra desses Fábio Comparato e Celso Mello que, inclusive, fizeram manifesto público cheio de elogios ao Fachinsta. Eles que aguentem a queimação de filme. Ninguém mandou ser petista.

Deixe uma resposta